25maio/200

Política: Baltazar Cristino abandona candidatura e arrisca em Sardinha

O ex-candidato a distrital, Baltazar Cristino, vem anunciando aos amigos mais próximos que decidiu pendurar suas chuteiras no quesito pré-candidatura futura.

O ex-petista Baltazar Cristino decidiu embarcar no sonho da reeleição do jovem distrital Reginaldo Sardinha em 2022.

Menos um nome em Brazlândia...

 

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
25maio/200

Nos bastidores, Arruda trabalha pelo o comando da CAESB

Aliado discreto de Ibaneis, o ex-governador se movimenta para controlar a companhia. Mas o emedebista não está disposto a ceder

Arruda / Google

Atuando nos bastidores da política local, o ex-governador José Roberto Arruda (PL) é um aliado discreto da atual administração. Seus movimentos, investidas, sucessos e insucessos, em geral, ocorrem fora dos holofotes.

Nos últimos dias, no entanto, uma jogada mais ousada chamou a atenção até dos menos atentos. Arruda vem trabalhando para assumir o comando da Caesb. A empresa tem se destacado por apresentar superávit.

A pressão de Arruda para ter poder na empresa pública aumentou desde que a primeira-dama do DF, Mayara Noronha, assumiu a Secretaria de Desenvolvimento Social. Os últimos dois gestores da pasta eram indicações da deputada federal e esposa do ex-chefe do Executivo local, Flávia Arruda (PL).

Semana passada, durante um encontro com o governador Ibaneis Rocha (MDB), Arruda mirou seu foco na Caesb. Mas foi desencorajado por Ibaneis, que reconhece o valor do apoio político do ex-governador, mas não está nada disposto a entregar a empresa superavitária.

METROPOLES

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
25maio/200

TSE tem novo presidente, posse foi hoje

Bolsonaro, Maia e Alcolumbre acompanharam virtualmente o evento

O ministro Luís Roberto Barroso tomou posse hoje (25) no cargo de presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), órgão do Judiciário responsável pela organização das eleições. Barroso, que também é ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), cumprirá mandato até fevereiro de 2022.

A cerimônia de posse foi realizada por meio de videoconferência devido às medidas de distanciamento social que devem ser tomadas durante a pandemia da covid-19. Acompanharam virtualmente a cerimônia o presidente Jair Bolsonaro e os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, além de outras autoridades.

No discurso de posse, Barroso disse vai priorizar durante seu mandato campanhas pelo voto consciente, para atrair jovens para a política e pelo empoderamento feminino.

Fake News

Segundo o ministro, o combate às notícias falsas durante as eleições será feito pelo TSE, mas reconheceu as limitações da Justiça Eleitoral. Para Barroso, a diminuição da disseminação das fake news necessita da ajuda das empresas que são proprietárias das redes sociais.

“Vamos precisar de um resgate da boa-fé, da regra de ouro. Não fazer aos outros o que não gostaria que fizessem consigo. Assim, não dá para repassar a notícia inverídica sobre o candidato rival e depois se indignar quando fazem o mesmo com o candidato da própria preferência. Também aqui precisamos de avanço civilizatório e evolução espiritual”, disse.

Adiamento das eleições

O ministro também disse que está conversando com o Congresso Nacional para discutir o eventual adiamento das eleições municipais de outubro devido à pandemia do novo coronavírus.

“As eleições somente devem ser adiadas se não for possível realizá-las sem risco para a saúde pública. Em caso de adiamento, ele deverá ser pelo prazo mínimo inevitável. Prorrogação de mandatos, mesmo que por prazo exíguo, deve ser evitada até o limite. O cancelamento das eleições municipais, para fazê-las coincidir com as eleições nacionais em 2022, não é uma hipótese sequer cogitada”, afirmou.

Críticas ao STF

O presidente do TSE também defendeu o trabalho do Supremo e afirmou que na democracia “não há lugar para a intolerância, a desonestidade e a violência”.

“Como qualquer instituição em uma democracia, o Supremo está sujeito à crítica pública e deve estar aberto ao sentimento da sociedade. Cabe lembrar, porém, que o ataque destrutivo às instituições, a pretexto de salvá-las, depurá-las ou expurgá-las, já nos trouxe duas longas ditaduras na República. São feridas profundas na nossa história, que ninguém há de querer reabrir. Precisamos de denominadores comuns e patrióticos. Pontes, e não muros. Diálogo, em vez de confronto. Razão pública no lugar das paixões extremadas”, afirmou.

Currículo

Barroso nasceu em Vassouras (RJ) e é doutor em Direito Público pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), além de colaborador acadêmico na Harvard Kennedy School nos Estados Unidos.

Antes de chegar ao STF, em 2013, o ministro foi advogado especialista em causas constitucionais e procurador do Estado do Rio de Janeiro. Foi indicado pela ex-presidente Dilma Rousseff para a vaga deixada pelo ministro Carlos Ayres Britto, aposentado em novembro de 2012 ao completar 70 anos.

A vice-presidência será exercida pelo ministro Edson Fachin. O TSE é composto por sete ministros, sendo três do STF, dois do STJ, e dois advogados com notório saber jurídico.(ABr)

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
25maio/200

Política: Distrital Iolando fiscalizando até na pandemia

Com um mandato voltado a Brazlândia. O distrital Iolando Almeida vem garantindo recursos importantes para a comunidade

A cidade de Brazlândia não pode reclamar da falta de disposição por parte do distrital da região, Iolando Almeida.

O parlamentar que garantiu a reforma de mais de 12 escolas da cidade decidiu aproveitar o último final de semana para fiscalizar junto com o governador Ibaneis Rocha as obras da nova UPA que irá desafogar o atendimento no hospital da região.

Procurado pelo o blogdogbu, Iolando Almeida foi categórico com o benefício que a cidade terá com a nova UPA;" Visitei com o nosso governador algumas obras. Entre elas, a UPA de Brazlândia. Estamos falando de uma obra que iniciou há 28 dias e está com 9% de conclusão. As fundações já estão prontas, o que significa que as paredes já podem ser erguidas. Quando concluída, nossa UPA irá desafogar o Hospital Regional de Brazlândia, com atendimentos de média complexidade. Tanto a obra, quanto a gestão das UPAs são de responsabilidade do Iges-DF.", Salientou Iolando.

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
25maio/200

Política: Celina no esporte fortalece Ricardo Grossi em Brazlândia

As vilas olímpicas fazem parte da Secretaria sob o comando de Celina Leão

Ricardo Grossi - aliado de Celina Leão

Por Elias Alves

A competente deputada federal, Celina Leão, que agora tem a missão de comandar o esporte do DF, certamente vai fazer a diferença em uma área que até pouco tempo andava esquecida em gestões anteriores.

Em Brazlândia o aliado da parlamentar, Ricardo Grossi, ganha musculatura e força política com a atuação de Celina Leão a frente da pasta. Tendo em vista ser o aliado de primeira hora dentro da região da mais nova secretária do GDF.

Procurado pelo o blogdogbu para avaliar esse atual momento de sua madrinha politica, Ricardo Grossi, declarou que a ida de Celina Leão para o comando do esporte do DF só quem ganha é Brasília;" A deputada Celina Leão fará um extraordinário trabalho em sua nova missão. O DF e a área do esporte sairão fortalecidos com sua gestao", declarou Grossi.

 

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
22maio/200

Celso de Mello libera íntegra da reunião ministerial e provoca nova crise política

Pela decisão, apenas uma pequena parte envolvendo discussões sobre outros países foi retirada. Todo o resto foi divulgado

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu hoje (22) retirar o sigilo do vídeo da reunião ministerial realizada no dia 22 de abril. Pela decisão, somente uma pequena parte da reunião que envolveu discussões sobre outros países não será divulgada.

Na prática, o vídeo tem sido interpretado como positivo para o governo, já que a acusação de “interferência da Polícia Federal” não encontra sustentação nas falas do presidente. No entanto, outras afirmações – inclusive de ministros como Abraham Weintraub (Educação) – reacenderam e criaram outras polêmicas.

O vídeo, por exemplo, anula completamente a reaproximação de Jair Bolsonaro com os governadores, que, após meses de desavenças, participaram de uma reunião considerada tão civilizada quanto produtiva.

O ministro Celso de Mello é relator do inquérito sobre a suposta interferência política do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal (PF). A reunião foi citada pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro durante depoimento prestado à PF, no início do mês, como suposta prova da interferência.

Diário do Poder

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
22maio/200

Pesquisa: 35,1% responsabilizam Bolsonaro pelas mortes causadas por covid-19

Os demais "culpados", dos governadores ao STF ou ao Congresso, somam 50%

Levantamento nacional realizado pelo instituto Paraná Pesquisa indica que 35,1% dos brasileiros consideram o presidente Jair Bolsonaro o maior responsável pelas mortes causadas pelo coronavírus no Brasil. Outros “culpados” também são apontados em percentuais que somam 50% do total

Depois de Bolsonaro, os governadores são o grupo de políticos que 12,7% dos entrevistados mais responsabilizam pela morte de pessoas por covid-19.

Para 9,4%, a culpa pelas mortes é a própria população, que não adota as medidas recomendadas para impedir a contaminação do vírus que pode ser letal.

“Todos” são culpados para 6%, enquanto 5,6% responsabilizam o Supremo Tribunal Federal (STF), 4,1% os prefeitos, 4% a China, 3,2% deputados federais e senadores, 2,1% o vírus, 1,7% “todos os políticos” e 1,2% fizeram otros tipos de citação.

O Paraná Pesquisa entrevistou 2.258 brasileiros em todos os estados e no Distrito Federal entre os dias 15 e 19 deste mês.

Veja os detalhes do levantamento do Paraná Pesquisa:

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
22maio/200

Celso de Mello manda PGR avaliar pedido de perícia em celular de Bolsonaro

 

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou à Procuradoria Geral da República (PGR) três notícias-crimes relacionadas à investigação sobre a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Polícia Federal.

Entre as medidas solicitadas estão a busca e apreensão do celular do presidente e de seu filho, Carlos Bolsonaro, para perícia.

As notícias-crime foram originalmente apresentadas pelos partidos PDT, PSB e PV, e aprovadas por Celso de Mello.

 

Uol

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
22maio/200

“Mate o Bolsonaro”, diz cartilha de radicais que despachavam do Lake Side

Dois homens foram presos em operação da PCDF e do MPDFT. Eles são os mesmos que enviaram ameças a juízes do TJDFT

A Polícia Civil do DF (PCDF) analisa o material apreendido nessa quinta-feira (21/05) com ameaças a diversas autoridades do país. Dentre eles, há uma espécie de ofício em que um dos suspeitos presos incita a morte do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido); do procurador-Geral da República, Augusto Aras; e do advogado-Geral da União, José Levi. No papel timbrado, que conta, inclusive, com brasão da Presidência, o homem alega haver um complô para “entregar o Brasil para a China”.

Veja

A Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC), em parceria com o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), apura se o grupo é financiado por partidos políticos ou organizações criminosas. “Estamos apurando se é um ato isolado ou se há ligação com algum partido político ou grupos terroristas”, ressaltou o delegado da DRCC, Dário Taciano de Freitas Júnior.

Na manhã desta quinta-feira (21/05), Célio Evangelista Ferreira do Nascimento, 79 anos, e Rodrigo Ferreira, 40, foram detidos suspeitos de serem os autores das ameaças de morte endereçadas a juízes do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT), como mostrou a coluna Grande Angular, do Metrópoles.

O vasto material, que também coage promotores e políticos, foi encontrado em um escritório no Lake Side, residencial de luxo às margens do Lago Paranoá. Apesar da detenção da dupla, a polícia não descarta a participação de mais pessoas. “As investigações continuam com intuito de localizar e identificar os outros autores do crime. Nenhuma linha de investigação está sendo descartada”, ressaltou o delegado.

De acordo com outro delegado da DRCC, Giancarlos Zuliani, existem fortes indícios de que mais pessoas movam a engrenagem de ódio propagada na internet e em folhetos distribuídos pela cidade. “Gente que fica direto no escritório produzindo vídeos para a internet e um porta-voz. Percebemos que são pessoas financiadas. Moram em um local com aluguel caro, possuem veículos e gastam combustível para rodar o dia inteiro divulgando o material. Eles não têm fonte de renda que justifique o padrão de vida no local. Eles próprios, informalmente, admitiram isso”, assinalou o investigador.

O ofício fictício escrito por Célio Ferreira ainda ordena que o general Walter Braga Netto, “num prazo de 24 horas, baixe portaria convocando a população para reação em legítima defesa pessoal e da nação contra ataque terrorista de extermínio do povo brasileiro do coronavírus”.

Na justificativa, Célio diz que Bolsonaro é aliado do presidente chinês, Xi Jinping. Em um raciocínio confuso, Célio ainda sugere que Bolsonaro fez parte do “projeto do PT de comunizar o Brasil em 22 anos”.

A gráfica que emitia as cartilhas também será alvo de investigação. Os acusados ainda não prestaram depoimentos. De maneira informal, assumiram que a “sentença de morte aos traidores da pátria”, assunto do e-mail enviado aos juízes, “naturalmente vai acontecer”.

Delegados e promotores também tiveram acesso a um vídeo em que Célio faz ameaças a diversas autoridades, entre as quais, o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB). Em sua fala, ele diz: “Morte aos demônios“.

Veja:

Entre os materiais apreendidos, há um pendrive com a etiqueta “Matar juízes. Matar todos.

Metrópoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
21maio/200

Maia estuda 1º turno da eleição para 15 de novembro ou 6 de dezembro

Proposta será analisada pelo Congresso Nacional

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje (21) que o primeiro turno das eleições municipais deste ano poderá ser realizado no dia 15 de novembro ou 6 de dezembro. A proposta será analisada pelo Congresso Nacional, em comissão mista formada por deputados e senadores.

“Talvez o melhor modelo seja uma reunião do colégio de líderes das duas Casas para que se construa uma maioria em relação a adiar e para qual período. Você tem dois períodos discutidos, 15 de novembro ou primeiro domingo de dezembro, para o primeiro turno, e um [intervalo] para o segundo turno um pouco menos para dar tempo para a transição. Essas são as ideias”, afirmou Maia. “Mas temos que saber se vai ter voto para adiar ou não. A partir do momento que tiver voto para adiar, se discute uma data, tudo com sintonia com o TSE”, acrescentou.

Apesar do adiamento das eleições, o congressista tem se posicionado contra a prorrogação dos mandatos. A comissão mista está prevista para ser criada na próxima semana, logo após a posse do ministro Luís Roberto Barroso na presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Sou radicalmente contra prorrogação de mandato”, disse. “Não vejo na Constituição Federal um prazo para prorrogar mandato, porque no futuro alguém pode se sentir forte, ter apoio no Parlamento, criar uma crise e prorrogar seu próprio mandato. A questão de prorrogação do mandato acho que é muito sensível para a nossa democracia”, argumentou Rodrigo Maia.

Prorrogação do auxílio

O parlamentar afirmou ainda que poderá ser prorrogado o auxílio emergencial pago a trabalhadores informais de baixa renda e a beneficiários do Bolsa Família em virtude da pandemia de covid-19. O valor do auxílio é de R$ 600 ou de R$ 1,2 mil para mães solteiras, que deverá ser pago em três parcelas.

“A impressão é que sim [prorrogar]. Em que condições? Não podemos esquecer que o auxílio emergencial é fundamental. Se a crise continuar, ele será tão importante como está sendo agora. Mas de onde vamos conseguir tirar dinheiro? Esse é o nosso desafio. Já coloquei alguns parlamentares para estudar isso, para ter uma proposta que possamos fazer ao governo que possa, se necessário, continuar com o programa”, explicou.

Segundo Maia, uma das alternativas para a manutenção do auxílio emergencial é realocar recursos da União que atualmente estejam sendo aplicados em áreas não prioritárias para o momento de crise em saúde pública provocada pela pandemia do novo coronavírus.

“Que a gente encontre parte desses recursos na parte de gastos dos governo que está mal alocada. Agora, temos que tomar o cuidar de não seguir criando despesas sem realocar recursos de outras despesas que nesse momento não são prioritárias”, afirmou.

Maia ressaltou ainda que tem “muito otimismo” na possibilidade de serem votadas ainda este ano as reformas tributária e administrativa.

“Como nós já temos a [reforma da] Previdência aprovada, agora nós precisamos, sem nenhuma dúvida, da reforma administrativa, não apenas para congelar ou cortar salários, mas melhorar a qualidade do gasto público”, avaliou.(ABr)

Diário do Poder
Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
21maio/200

DF: Ibaneis dar entrada em hospital

Ibaneis Rocha com máscara

ED ALVES/CB/D.A PRESS

Ibaneis é internado para exames em hospital de Brasília

ANA MARIA CAMPOS

O governador Ibaneis Rocha (MDB) se internou hoje (21/05) no Hospital DF Star, da rede D’Or. O objetivo foi se submeter a uma batelada de exames de rotina.

A previsão é de que volte para casa, no Lago Sul, no próximo sábado (23/05). Dorme nestes dois dias no hospital para fazer todos os exames possíveis.

Aos 48 anos, Ibaneis acompanha a saúde com rigor desde que passou por uma cirurgia bariátrica que o fez emagrecer bastante.

Ibaneis costuma fazer o checkup no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Mas, desta vez, optou por permanecer em Brasília.

Por causa do compromisso, Ibaneis foi representado pelo vice-governador Paco Britto, na reunião dos governadores com o presidente Jair Bolsonaro e com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

O encontro virtual, por videoconferência, foi marcado para discussão da adoção de medidas para vencer a pandemia.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
21maio/200

Depois da pressão, CLDF poderá voltar atrás no plano de saúde para ex- deputados

Após pressão, distritais querem anular plano de saúde para ex-deputados.Quatro parlamentares pediram revisão da polêmica votação à Mesa Diretora e ingressaram com Mandado de Segurança no TJDFT para anular sessão

cldf

Quatro deputados distritais assinaram, nesta quinta-feira (21/05), um pedido de revisão da sessão que ampliou o plano de saúde da Câmara Legislativa para ex-parlamentares e ex-servidores da Casa, além de seus dependentes.

O Projeto de Resolução nº 40/2020, que altera o Fundo de Saúde dos Deputados Distritais e Servidores da CLDF (Fascal), foi apreciado na noite dessa quarta-feira (20/05).

Dos seis parlamentares que se abstiveram da votação, três assinam o pedido de revisão apresentado à Mesa Diretora da CLDF: Leandro Grass (Rede), Reginaldo Veras (PDT) e Fábio Felix (PSol). Embora tenha votado a favor da proposta, Júlia Lucy (Novo) também é signatária do documento. Os quatro também ingressaram com Mandado de Segurança no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) para anular a votação, que alegam ter sido feita à revelia do Regimento Interno da Casa.

Os distritais afirmam que não tiveram acesso às emendas aprovadas: a principal e mais polêmica, da Mesa Diretora, estendeu o benefício a ex-deputados e seus familiares. Além disso, os parlamentares que defendem a revisão da sessão dizem que o texto não constava na ordem do dia e a emenda da Mesa só foi assinada após a votação.

Veja as íntegras do pedido de revisão e da emenda aprovada:

Leandro Grass pede revisão … by Metropoles on Scribd

Emenda que inclui ex-deputa… by Metropoles on Scribd

Segundo um dos distritais que participaram da reunião do Colégio de Líderes desta quinta, e pediu para não ser identificado, o vice-presidente da Câmara Legislativa, Rodrigo Delmasso (Republicanos), se mostrou contra a revisão da votação.

Delmasso teria apontado que todos os deputados sabiam o que estava sendo votado e em nenhum momento houve oposição à apreciação da matéria ou pedido de retirada do texto de pauta. O vice-presidente, que é o gestor do Fascal, ainda teria alertado que sem a aprovação da matéria, o fundo quebraria. Por ano, o Fascal recebe R$ 30 milhões do orçamento da CLDF. Entre 2018 e 2019, o prejuízo passou de R$ 3 milhões.

Procurado pelo Metrópoles, Rodrigo Delmasso disse que os demais distritais não podem acusar a Mesa Diretora de não ter divulgado a emenda aprovada, já que a proposta de reinclusão de ex-parlamentares estava no Sistema Eletrônico de Informação (SEI) desde o dia 8 de maio.

“A população eu entendo que pode não ter tido acesso, mas não posso ser acusado de algo que não fiz. Primeiro por que não sou eu quem faz a pauta e depois as minhas emenda (1 a 3) estavam no sistema. A culpa de não estar no sistema não é minha, mas da terceira secretaria, que é a responsável pelo Legis”, completou.

Novas regras

A revisão apenas da tabela de participação dos beneficiários do plano de saúde também foi discutida pelos líderes. Segundo o parlamentar que participou do encontro, os R$ 774 de contribuição previstos estariam errados: ela passaria de R$ 1.200, já que os percentuais de participação vão variar entre 10% e 50%, a depender do serviço prestado.

Caso a votação seja mantida, a partir da publicação da norma aprovada, as novas regras entram em vigor. Uma das mudanças é que, após o desligamento da Câmara, os ex-funcionários devem ter dois anos de contribuição e solicitar a manutenção do Fascal em prazo máximo de 30 dias após a exoneração.

A regra valerá para os exonerados após o dia 31 de dezembro de 2020. Entretanto, por eles não terem mais vínculo financeiro com o Legislativo local, passam a ter custos maiores do que os ainda nomeados. E quem não quitar as mensalidades estará sujeito a ser inscrito na dívida ativa.

Outro ponto são os dependentes. Os filhos de associados com idades entre 21 e 24 anos poderão continuar no plano, desde que comprovem dependência financeira dos titulares. Nos casos em que o titular vier a óbito, os cônjuges só poderão permanecer no plano se estiverem inscritos até o dia da morte do titular.

Segundo nota da vice-presidência da Câmara Legislativa, “o novo regulamento aprovado para o Fascal visa modernizar o modelo de gestão administrativa e atualizar a política de assistência à saúde dos servidores e deputados”. A nota continua: “As novas regras contribuirão para a redução de custos, dos aportes pelo Poder Público, aumento das receitas e trazendo reequilíbrio financeiro ao Plano”.

Metrópoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn