24jun/190

Semana agitada para os distritais – “Fim da pecúnia…”

Extinção da pecúnia, alterações no ICMS devem passar pelo plenário. A criação das regiões administrativas do Sol Nascente e do Pôr do Sol é o tema menos polêmico nos dias que antecedem ao recesso parlamentar

 

*Por Alexandre de Paula

Semana agitada para os distritais. Nas últimas sessões antes do recesso, deputados precisam avaliar projetos próprios e do Executivo, além de analisar a Lei de Diretrizes Orçamentárias, requisito para a pausa. O fim da licença-prêmio enfrenta resistências dentro e fora do Legislativo

A última semana do semestre será movimentada na Câmara Legislativa. Às vésperas do recesso parlamentar, distritais farão intensivo para avaliar propostas dos próprios parlamentares e do Executivo, além de aprovar a Lei de Diretrizes Orçamentárias, requisito para que a pausa possa se efetivar. Há a expectativa de que a pauta supere os 100 itens. Na última listagem, constavam 86 tópicos pendentes, mas outros podem ser incluídos. Entre as questões a serem analisadas, estão projetos polêmicos, mas prioritários para o GDF, como a mudança na licença-prêmio e as alterações no Imposto Sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS).

Para tentar evitar acúmulo de votações e atropelo, o presidente da Casa, Rafael Prudente (MDB), convocou sessão extraordinária para a tarde de hoje. “Como havia uma comissão geral marcada para a quinta-feira, fiz essa convocação para garantir tranquilidade na avaliação das matérias. Não queremos que aconteça, como no passado, de as sessões se arrastarem até 3h, 4h”, justificou Prudente.

Para que possam entrar de recesso parlamentar, os distritais precisam obrigatoriamente analisar e aprovar a Lei de Diretrizes Orçamentárias. O segundo turno do projeto deve ser a última proposição apreciada no semestre. “É um documento complexo, extenso e com uma série de emendas, que precisam ser avaliadas”, destaca Prudente.

Relator da matéria na Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (Ceof), o deputado Agaciel Maia (PL) é o responsável por elaborar o parecer final do texto. Os parlamentares puderam apresentar emendas até a última quarta-feira (19). “Com a avaliação, produzo o texto final nesta segunda e o apresento à Comissão na terça (amanhã)”, assegurou o distrital. A previsão, portanto, é de que a matéria seja avaliada em plenário na última sessão, na quarta-feira.

A LDO deste ano prevê queda de 4,59% nas receitas do DF. O texto, elaborado pelo Executivo, estima queda de R$ 26,22 bilhões para R$ 25 bilhões. Portanto, o orçamento do Distrito Federal deve alcançar R$ 40 bilhões, com o acréscimo dos recursos do Fundo Constitucional do DF. A proposta do governo não inclui contratações ou reajustes salariais.

Agaciel adianta algumas das alterações que fará no parecer final da proposta. Ele retirou do texto o trecho em que o Palácio do Buriti propunha a redução, pela metade, dos recursos destinados às emendas parlamentares individuais. Os deputados, hoje, podem indicar o destino de 2% das receitas correntes líquidas do DF —  cerca de R$ 440 milhões. “Rejeitamos essa alteração e vamos manter os 2%”, disse.

Polêmicas

Além da Lei de Diretrizes Orçamentárias, o GDF estabeleceu como prioridade e costura com deputados a avaliação, nesta semana, de outros três temas: a extinção da licença-prêmio e da pecúnia, alterações do ICMS e a criação das regiões administrativas do Sol Nascente e do Pôr do Sol. A última proposta é a única em que o governo deve ter tranquilidade para a aprovação.

O projeto mais polêmico é o que trata da extinção da licença-prêmio e das pecúnias. O texto original do governo prevê a transformação do benefício em licença-capacitação, aos moldes do que ocorre no âmbito federal. Um dos argumentos utilizados pelo GDF é de que a manutenção dos pagamentos pode impedir o recebimento de recursos da União.

A proposta divide distritais e desagrada servidores públicos. De acordo com o secretário de Assuntos Legislativos do DF, Bispo Renato Andrade, o governo busca consenso para que o projeto seja apreciado neste semestre e avalia fazer alterações na proposição. “O governador autorizou conversas em busca de consenso. Isso pode evoluir para mudanças desde que não cause impacto na economia que o governo busca”, justificou.

Uma das possibilidades aventadas é de que o GDF aceite a manutenção da licença-prêmio com a condição de que as pecúnias sejam extintas. A intenção inicial era de que a proposta fosse analisada na sessão de hoje, mas, mesmo deputados da base, reconhecem que dificilmente o texto chegará ao plenário nesta segunda. “A ideia é garantir que seja votado e aprovado neste semestre. É uma ação necessária para que o GDF consiga respirar financeiramente”, argumenta o líder do governo na Casa, Cláudio Abrantes (PDT).

Embora exista mais aceitação entre os parlamentares para pautar os projetos de lei relativos ao tema, as propostas de alterações no ICMS também devem dar trabalho para o governo, pois geram reclamações e reações negativas do setor produtivo. Dois PLs incomodam empresários. Um deles —  PL 458 —  propõe, entre outras alterações, que o varejo pague a diferença de imposto quando o custo da operação for maior do que o presumido inicialmente. O outro  —  PL 460 — aumenta, para o atacado, a alíquota do ICMS de 12% para 13%, além de criar uma vertente para bebidas, que passaria a ser de 19%.

“Nosso receio é de que as empresas menores, que são maioria, não tenham a estrutura adequada para apuração dessas mudanças, o que acarretaria em passivo tributário, além de autos de infração, o que não é mais suportado para um comércio que tenta sobreviver”, argumenta o presidente da Câmara de Tributação e Finanças Públicas da Fecomércio-DF, Charles Dickens. A entidade tenta articular com governo e parlamentares alterações nas propostas antes da avaliação na Câmara.

Oposição ao governo, o deputado Fábio Félix (PSol) vê dificuldades na aprovação da extinção da licença-prêmio, mas prevê que os outros dois temas passem com mais facilidade. “Para as RAs, existe um consenso maior na Câmara e o ICMS está caminhando para um bom entendimento. Existem as reclamações do setor, mas precisamos avaliar também, no caso do ICMS, uma questão de justiça tributária.”

Prioridades: Confira os projetos que o Executivo pede preferência para apreciação na Câmara Legislativa neste semestre

Fim da pecúnia — PLC  7; GDF pretende extinguir licença-prêmio e pagamentos de pecúnias. Atualmente, servidores têm direito a três meses de folga remunerada a cada cinco anos de trabalho assíduo. A intenção é, aos moldes do governo federal, permitir apenas pausas para licença-capacitação.

Alterações no ICMS — PLC 458 e 459; Propostas visam alterações no Imposto Sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS). A primeira prevê, entre outras questões, que varejistas paguem a diferença de imposto quando a operação tiver custo maior do que o presumido. O segundo aumenta alíquotas.

Criação de RA— PL 350; Cria a Região Administrativa do Sol Nascente e Pôr do Sol. Projeto foi encaminhado à Casa em abril. De acordo com parlamentares, é a proposição destacada pelo Executivo que deve ter mais facilidade para passar pelo plenário.

Lei de Diretrizes Orçamentárias; Para que possam sair de recesso, parlamentares precisam avaliar as diretrizes do orçamento para 2020. A previsão é de que o parecer final do relator seja apreciado pelas comissões na terça-feira e chegue ao plenário na quarta.

Para saber mais: Orçamento e legislação; A Constituição estabelece um modelo orçamentário para gestão do dinheiro público no Brasil que consiste na produção de três documentos: o Plano Plurianual (PPA), a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e Lei Orçamentária Anual (LOA). O PPA faz uma previsão a médio prazo das necessidades financeiras. A Lei de Diretrizes Orçamentárias, por sua vez, prevê as prioridades para o ano seguinte, numa espécie de revisão do que se estabeleceu com o PPA. Por último, a LOA é o orçamento propriamente dito com o detalhamento de todos os gastos previstos pelo governo para o próximo ano.

(*) Alexandre de Paula – Foto: Ana Rayssa/CB/D.A.Press – Correio Braziliense

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
23jun/190

DF: 42° Encontro de Grupos Moutain Bike do DF e entorno movimenta a cidade

O Moutain Bike do DF e entorno mostraram sua força em domingo movimentado e de muito sol

O amor aos desafios fez mais 400 ciclistas do DF e entorno encararem um percurso de mais de 25km entre o Mangueiral e o Jardim Botânico nesse domingo de muito sol no DF.

O 42° Encontro de Grupos Moutain Bike do DF e entorno confraternizou  gerações e uniu  famílias de praticantes do esporte nesse domingo (23).

O distrital Hermeto que apoiou o evento viu com entusiasmo a realização de mais uma etapa do Moutain Bike;" Quero parabenizar a cada participante desse encontro. O que houve aqui hoje mostra a real força do Moutain Bike do DF e entorno. E estaremos sempre a disposição desses guerreiros", salientou Hermeto.

Vale lembrar que o distrital mostrou preparo físico e participou ativamente do desafio dos 25km.

 

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
23jun/190

Em velório, mulher de Juarezão lamenta: “Igual a ele, não tem outro”

Familiares, amigos e colegas da Câmara Legislativa (CLDF) se despediram do ex-distrital em Brazlândia neste sábado (22/06/2019)

Mulher do ex-deputado distrital Juarez Carlos de Lima Oliveira, o Juarezão (PSB), há 35 anos, Rosângela Gomes de Araújo Oliveira lembrou do carinho que o marido, que morreu nessa sexta-feira (21/06/2019), nutria por Brazlândia, região onde fez sua trajetória política. “Ele sonhava e amava essa RA, reformou todas as escolas”, pontuou. “Igual Juarez, não vai ter outro nessa cidade, nunca”.

A viúva contou que Juarez nasceu em Luziânia (GO), mas morou por toda vida em Brazlândia. “A mãe dele foi para Goiás só para o parto. Ele cresceu e morreu aqui”, disse.

Familiares, amigos e colegas da Câmara Legislativa (CLDF) se despediram de Juarezão em Brazlândia neste sábado (22/06/2019). O político, que tinha 56 anos, morreu após um grave acidente na BR-080 na noite de sexta-feira (21/06/2019).

Dor e emoção marcaram o adeus ao político, que teve o corpo levado pelas ruas de Brazlândia em um cortejo até o Santuário Arquidiocesano Menino Jesus, onde será velado até a manhã deste domingo (23/06/2019).

Metropoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
22jun/190

Edimar Pireneus: “Brazlândia sofre com a morte de Juarezão”

Nota de Pesar

Estamos de luto! Em acidente fatal, perdemos (eu e a cidade de Brazlândia) um grande amigo, Juarez Carlos, carinhosamente conhecido como JUAREZÃO - um homem que sempre lutou pela saúde da população dia e noite, incansável defensor de Brazlândia e do DF.

Ele deixa uma história em defesa de Brazlândia - de trabalho e luta -, e muitas amizades que fez ao longo de sua trajetória como homem público, trabalhador, político e pai de família.

Minhas condolências à família e amigos nesse momento tão triste para nossa cidade.

Edimar Pireneus - ex- deputado

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
22jun/190

Nota de Pesar: Distrital Hermeto lamenta o falecimento de Juarezão

Nota de Pesar

A cidade de Brazlândia chora a morte de seu filho querido Juarezão. E o DF perde um homem público que sempre honrou o nome da cidade em suas ações.

Quero lamentar com enorme tristeza o falecimento de um amigo que sempre teve a humildade como sua marca registrada.

A família enlutada nossas orações para que Deus os conforte nesse momento tão difícil para todos nós.

 

HERMETO - Deputado Distrital

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
22jun/190

Nota Pesar: Agaciel Maia lamenta falecimento de Juarezão

Lamento profundamente o falecimento do nosso ex-deputado Juarezão, ocorrido nesta sexta (21) após um acidente de carro.

Juarezão foi um grande amigo e político para o Distrito Federal! Nada do que fez em vida terá sido em vão, e seu nome será sempre recordado!

- Descansa, meu amigo, e que Deus conforte a sua família!

Agaciel Maia - Dep. Distrital

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
22jun/190

Mesmo com menos verba, Distritais aumentam gastos com aluguel de carro

Mesmo com menos verba, distritais aumentam gastos com aluguel de carro. Nos primeiros quatro meses de 2019, a despesa da CLDF com locação de veículos para 12 deputados chegou a R$ 165,3 mil

Nos últimos dias, uma excentricidade chamou atenção na Câmara Legislativa (CLDF): umaHilux rosa pink cujo aluguel é pago com dinheiro público. A deputada distrital Jaqueline Silva (PTB), responsável pela despesa com a caminhonete, é uma dos 12 parlamentares que, juntos, usaram R$ 165,3 mil para locação de carros entre janeiro e abril de 2019, conforme prestação de contas disponível no site da Casa.

Mesmo dispondo de menos verba indenizatória, os deputados gastaram R$ 21,3 mil a mais do que o valor registrado no primeiro quadrimestre do ano passado com aluguel de veículos: R$ 144,1 mil. Em 25 de abril de 2018, o benefício foi reduzido em 40%. Desde então, o montante total passou de R$ 25 mil para R$ 15 mil, e o teto para fretamento de automóveis caiu de R$ 10 mil para R$ 6 mil.

Quem mais gastou com o item até abril deste ano foi José Gomes (PSB): ele pagou R$ 19,7 mil para rodar em um Ford Fusion por quatro meses. Em janeiro, por uso de 27 dias, desembolsou R$ 4,4 mil e, em cada um dos meses seguintes completos, R$ 5,1 mil. Martins Machado (PRB) vem em seguida, com R$ 18,8 mil direcionados à locação de um Hyundai Tucson no período.

Apenas os membros da Mesa Diretora têm carros da própria CLDF à disposição. Mesmo assim, o presidente, Rafael Prudente (MDB), alugou um Ford Fusion, em janeiro e fevereiro, ao custo total de R$ 9,6 mil. O segundo-secretário, Robério Negreiros (PSD), desembolsou um total de R$ 17,5 mil com locação de um Renault Fluence nos três primeiros meses e, em abril, além do modelo, fretou um Fiat Palio. O terceiro-secretário, João Cardoso(Avante), dispõe de um Fiat Doblò desde fevereiro e já gastou R$ 8,6 mil de verba indenizatória com o item.

Aluguéis: Daniel Donizet (PSDB), Reginaldo Sardinha (Avante) e Jorge Vianna(Podemos) optaram por um Toyota Corolla. A despesa do tucano, contados os quatro primeiros meses do ano, foi de R$ 17,2 mil, enquanto a locação feita pelo segundo saiu a R$ 16,2 mil, no mesmo período. Vianna, por outro lado, alugou o automóvel em fevereiro, março e abril por R$ 11,4 mil.

Jaqueline Silva (PTB) roda com o Toyota Hilux rosa pink, que saiu ao custo de R$ 12,5 mil entre fevereiro e abril de 2019. Documentos de Roosevelt Vilela (PSB) disponíveis no site da CLDF mostram que ele locou um Toyota Hilux SW4, em março e abril, ao custo total de R$ 12 mil. Contudo, a assessoria do parlamentar apresentou à reportagem outras notas fiscais incluindo, nessa cifra, a locação de um Ford Ka.

Para andar com um Chevrolet Cruze, de janeiro a abril, Hermeto (MDB) pagou um total de R$ 15,8 mil com os recursos públicos. O parlamentar que alugou o carro mais simples e barato foi Fábio Felix (PSol), que andou de Toyota Etios por R$ 6 mil, ou seja, R$ 2 mil mensais, em fevereiro, março e abril.

Frota: A Mesa Diretora chegou a planejar a compra de cinco carros para atender o colegiado. Após a proposta de renovar a frota causar desgaste à imagem da Casa, a cúpula da Câmara revogou a licitação, em 12 de junho de 2019. De acordo com a Presidência da CLDF, os antigos veículos, adquiridos em 2012, serão leiloados. O dinheiro que seria utilizado para a compra e o arrecadado com a futura venda serão usados para investimentos na rede de saúde.

Críticas: Diretor de Transparência e Controle Social do Instituto de Fiscalização e Controle (IFC), Calebe Cerqueira avaliou que o transporte dos parlamentares é importante para o trabalho, mas acredita que existem meios mais baratos. “A gente acredita na racionalização dos cofres. Esses carros quase de luxo não são necessários”, criticou.

O ativista comentou que o projeto Câmara+Barata prevê o fim da verba indenizatória e a utilização de transporte por meio de aplicativos. “A população teria acesso aos percursos realizados pelos deputados”, acrescentou. O projeto foi arquivado em 2018, na CLDF, mas a entidade ainda tenta tirá-lo do papel.

Presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo e do Tribunal de Contas do Distrito Federal (Sindical-DF), Jeizon Silverio acredita que a verba indenizatória precisa de uma regulamentação “mais fina”. “Infelizmente, o que existe é o mau uso”, opinou.

O que dizem os deputados: Em nota, José Gomes justificou que “trabalha ativamente em seu mandato e, para que possa percorrer o Distrito Federal e cumprir suas agendas em tempo hábil, escolheu um veículo novo, de 2018, resistente e seguro. Na sua categoria, foi o que apresentou melhor custo-benefício”.

Martins Machado explicou que não tem carro, escolheu a Tucson pela “resistência e segurança”. “[O deputado] Tem direito a R$ 15 mil por mês e utiliza menos de um terço desse valor com a locação do serviço, gerando economia, pois não tem consultoria e não utiliza gráfica”, concluiu.

Rafael Prudente respondeu que, em janeiro, os carros da Casa estavam em revisão e manutenção. Além disso, segundo a assessoria, ele “realizou inúmeras visitas em todas as regiões administrativas e optou por não utilizar o veículo oficial, pois os compromissos correspondiam à sua atividade de deputado e não de presidente”.

Robério Negreiros informou que os veículos são utilizados para a atividade parlamentar, inclusive por assessores. Sobre o carro disponível para ele como membro da Mesa Diretora, assinalou ter “mais de 10 anos de uso” e afirmou que o tem utilizado “em raras situações, em visitas oficiais ao Palácio do Buriti e em cerimônias externas”.

De acordo com João Cardoso, o modelo escolhido por ele “comporta o maior número de pessoas para deslocamento em um único veículo e possibilita o carregamento de diversos tipos de materiais importantes para o atendimento da população, como tendas, mesas e cadeiras, e materiais para audiências públicas externas”.

Reginaldo Sardinha afirmou que utiliza a verba indenizatória “unicamente para locomoção em atividades parlamentares”. “Caso o órgão venha a ceder o veículo, não será preciso o aluguel”, ponderou.

Jorge Vianna informou que escolheu o Toyota Corolla porque “é considerado um veículo intermediário, além de ser econômico, uma vez que o valor mensal do aluguel corresponde a R$ 3,8 mil, e já vem incluso nesse valor o IPVA [Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores], seguro e manutenção”.

Jaqueline Silva disse que usa o recurso “como parte do exercício do mandato, por morar e fazer política nas cidades-satélites mais distantes do centro de Brasília”.

Fábio Felix alegou razões de segurança para a locação. “É o primeiro parlamentar assumidamente gay da Casa, além de presidente da Comissão de Direitos Humanos, o que o coloca em situação de vulnerabilidade e de exposição a ameaças por parte de extremistas, o que redobra a necessidade de segurança preventiva”, disse a assessoria.

Roosevelt informou que o aluguel mensal de R$ 6 mil corresponde a dois veículos alugados. Os contratos, segundo a assessoria, foram encerrados em 2 e 7 de maio. “A Hilux era o carro utilizado pelo parlamentar, e o Ford Ka atendia o escritório político localizado no Núcleo Bandeirante”, explicou.

Daniel Donizet e Hermeto não retornaram o contato da reportagem até a publicação desta matéria.

Por Isadora Teixeira – Fotos: Metrópoles – Blog/ Google

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
22jun/190

Juarezão se foi e deixou seu legado

JUAREZÃO SE FOI, MAS O SEU LEGADO FICOU

Ele se foi,
Mas as 82 escolas que ele reformou ficaram,
Ele se foi,
Mas todas as Quadras de esportes de Brazlândia reformadas ficaram,
Ele se foi,
Mas a revitalização do balneário ficou,
Ele foi,
Mas o recapeamento da DF-001 ficou,
Ele foi,
Mas a escola técnica de Brazlândia ficou,
Ele se foi,
Mas o na hora de Brazlândia ficou,
Ele se foi,
Mas a piscina do CENEBRAZ ficou,
Ele se foi,
Mas a iluminação da DF-180 ficou,
Ele se foi,
Mas a praça do laço reformada ficou,
Ele se foi,
Mas a revitalização da orla do lago ficou,
Ele se foi,
Mas a reforma da feira central ficou,
Ele se foi,
Mas a iluminação na área rural ficou,
Ele se foi,
Mas o papa entulho ficou,
Ele se foi,
Mas as vias que receberam recapeamento ficaram,
Ele se foi,
Mas o saneamento básico do Incra 08 ficou,
Ele se foi,
Mas às milhares de pessoas que ele ajudou ficaram,

Eles se foi,
E poucos perceberam o seu esforço,

Ele se foi,
E a saudade ficou,

Ele se foi,
Mas o seu legado ficou e vai continuar, descanse em paz Juarezão.

Veio a esse mundo com um propósito, ajudar o próximo, e a sua missão foi cumprida com sucesso.

Essa é a nossa homenagem ao Eterno Deputado Juarezão.❤️🙏🏼

Luto: 21/06/19 ⭐️

Fonte: Autor desconhecido

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
22jun/190

BOLSONARO VAI ENVIAR PROJETO PARA DAR GARANTIA JURÍDICA A POLICIAIS

Ele quer militares “condecorados e não processados” após uma missão

O presidente Jair Bolsonaro informou que pretende enviar ao Congresso Nacional um projeto de lei dando mais garantias jurídicas a militares envolvidos em operações.

“Os governadores, mais cedo ou mais tarde, espero que não, mas caso venham a pedir GLO [Garantia da Lei e da Ordem], eu vou querer a retaguarda jurídica, a garantia para os meus homens. Como chefe supremo das Forças Armadas, eu só posso pagar uma missão para um subordinado se ao término da missão ele puder ser condecorado e não processado”, disse, após almoço no Ministério da Defesa, na tarde de hoje (21).

Bolsonaro disse que pretende cumprir uma de suas promessas de campanha à Presidência da República de garantir respaldo jurídico para os policiais em suas missões. “Eu falei muito na pré-campanha dessa retaguarda. Por exemplo, os policiais lá do Rio de Janeiro, que eu tenho contato com quase todos. Teve muito mais um possível julgamento do que alguém atirando com uma .50 em cima deles em uma operação.”

Fonte: Jornal de Brasília

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
21jun/190

Nota de pesar: Brazlândia perde seu filho Juarezão

A cidade de Brazlândia chora a morte de seu filho Juarez Carlos - o popular Juarezão.

Homem simples e de costumes que tinha tudo a ver com a vida de sua cidade. Hoje a comunidade lamenta essa grande perda do nosso amigo Juarezão.

O blogdogbu se solidariza com a sua família e ao nosso Juarezão o descanso eterno nos braços de Deus.

 

Blogdogbu

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
21jun/190

Nota de pesar: Deputado Iolando Almeida lamenta morte de Juarezão

Juarezão - Arquivo

Lamento profundamente a morte do ex-deputado distrital Juarezão,em decorrência de um grave acidente na BR 080, ocorrido na noite desta sexta-feira (21).

Essa é sem dúvida, uma perda para todo o Distrito Federal e para todos nós. Nesse momento de grande dor, expresso toda a minha solidariedade e apoio à família e amigos de Juarezão.

Iolando Almeida (PSC)
Deputado distrital

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
21jun/190

BR 080: Rodovia da Morte mata o ex- deputado Juarezão

O ex-distrital Juarezão falaceu na noite dessa sexta-feira (21) vítima de um grave acidente na BR 080, considerada por muitos como a Rodovia da morte.

O acidente aconteceu na conhecida sete curvas, quando a caminhonete do ex-deputado se chocou com um caminhão que transportava areia.

 

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn