21abr/190

Esporte: Futebol amador perdendo espaços nas satélites

Imagem- arquivo Google

José Carlos Lelis

Por José Carlos Lelis

Os números da violência a nível nacional mostram uma redução no primeiro trimestre no governo Bolsonaro. A esperança de dias melhores devem passar pela a geração de emprego e um forte investimento nas políticas públicas em cada canto desse país.

Em Brazlândia, uma das cidades satélites do DF, precisamos ver ações de seus gestores no sentido de equacionar a ausência de praças esportivas na região.

Zagueiro Nem ao centro médico/Google

O futebol amador da cidade considerado como um dos melhores do DF, produziram craques que chegaram ao cenário nacional, podemos citar como representante legítimo da cidade o jogador Nen, ex- Palmeiras e Bahia.

Lembrando que o grande zagueiro Nen, foi formado pelas as categorias de base do Renner da quadra 12 norte e treinado pelo o grande treinador do futebol amador da cidade, Epaminondas.

Imagem - arquivo Google

Agora, vivemos o dilema de termos uma juventude ativa nos meios tecnológicos, redes sociais e uma parcela representativa nos chamados Campos de várzeas praticando o futebol amador.

A falta de novos campos de futebol amador nas cidades satélites e em especial Brazlândia, acaba por neutralizar a prática da mais respeitada modalidade esportiva do país e porque não dizer sepulta sonhos de jovens crianças da periferia.

Imagem - arquivo Google

Em domingo de Páscoa, fica a reflexão da necessidade do poder público  investir mais nas pessoas e menos em estruturas de concreto. Nossa criançada precisa; estudar, correr, brincar e jogar futebol. Mas também precisamos da tomada de decisão dos gestores públicos com visão de futuro e que tenham compromisso com o amanhã dessa nova geração.

Novos espaços esportivos em Brazlândia é uma necessidade!!!

 

Redação/José Carlos Lelis

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn