7abr/210

Bolsonaro, Ibaneis e o mapa da disputa eleitoral de 2022 no Distrito Federal

O presidente Bolsonaro e o governador Ibaneis Rocha, são apontados por pesquisas como os dois líderes políticos que irão influenciar nas eleições de 2022 no Distrito Federal

Em situação bastante confortável, apontada por todas as pesquisas realizadas, até agora, o governador Ibaneis Rocha (MDB), já é o maior líder político com poder de influência para ajudar a eleger deputados distritais, federais, o seu candidato a senador, além de se reeleger em 2022.

No mesmo contexto se inclui o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que apesar da crise econômica e social, provocada pela pandemia do novo coronavírus, contínua nadando de braçada no mar político nacional, em especial no DF.

Levantamento realizado pelo instituto Paraná Pesquisa, no final de março, mostra que o presidente continua liderando, com folga, as intenções de voto nas eleições presidenciais de 2022 nos cinco cenários possíveis de candidaturas pelos diversos partidos políticos.

No DF, no que diz respeito a Ibaneis Rocha, a zona de conforto é a mesma.

A movimentação política no Distrito Federal, gradualmente vai tomando forma de um mapa composto por aqueles que, declaradamente, se colocam na disputa eleitoral do próximo ano.

Todos estão de olho nas oito vagas da Câmara Federal; nas 24 vagas da Câmara Legislativa, além da única vaga a ser disputada no Senado e claro, na cadeira do Palácio do Buriti que dificilmente deixará de ser ocupada pelo atual governador que é candidato a reeleição.

Para a Câmara dos Deputados, disputarão mais de 100 candidatos. Entre  todo esse batalhão, apenas 20 deles tem envergadura eleitoral para se engalfinharem pelas oito cadeiras pertencentes ao DF.

Isso porque na próxima eleição não haverá mais coligação. Os partidos terão que lançar seus candidatos sozinhos.

Cada partido terá direito de lançar apenas 16 candidatos no caso do DF, sendo 11 homens e cinco mulheres.

As dificuldades serão imensas, principalmente para o partido que já possui deputado federal.

O Partido Republicanos (pegando como exemplo) do deputado evangélico Júlio César, dificilmente convencerá alguém que possa estar disposto a disputar a vaga ocupada pelo deputado federal, eleito em 2018 com 79.775. Só se for um mais forte do que ele.

A maioria dos partidos, segundo alguns analistas ouvidos pelo RadarDF, participará das próximas eleições apenas para cumprir a regra eleitoral e ajudar reeleger quem já tem mandato. Será um  festival de buchas.

As vagas serão preenchidas pelas sobras. Estima-se  que na próxima eleição um partido terá que ter entre 130 mil a 140 mil votos para eleger um deputado federal.

Ainda sobre o jogo político para a Câmara Federal, dos oito atuais ocupantes, na visão dos entendidos do jogo, dois deverão ter muita dificuldade para se reelegerem e dois devem buscar outros projetos políticos como é o caso da deputada e ministra Flávia Arruda(PL) e da deputada federal Paula Belmonte (Cidadania).

Especula-se que no caso de Flávia Arruda, esposa do ex-governador José Roberto Arruda, ela deve disputar a única vaga para o Senado com o apoio de Ibaneis Rocha (MDB) e do próprio presidente da República.

Bolsonaro pretende trabalhar nas próximas eleições pelo aumento da sua base de apoio no Congresso.

O senador José Antonio Reguffe (Podemos), ainda  não disse se é candidato a reeleição, na provável chapa majoritária a  ser montada pelo senador Izalci (PSDB), ou se vai encarar o Buriti, o que é pouco provável.

Para o projeto sonhado por Reguffe, ele conta apenas com o apoio do invisível ex-senador Cristovam Buarque.

A deputada federal Paula Belmonte, que chegou a sonhar com o apoio de Bolsonaro para o Senado, teria desistido com a entrada da sua arqui-inimiga política e ministra Flávia Arruda.

Agora, Belmonte foca no Buriti. Um projeto sem consistência e sem musculatura que pode naufragar antes do tempo.

Ela não tem um partido, até agora, que possa chamar de seu. Mesmo conseguindo um, pode encontrar dificuldade para construir uma coligação.

Izalci Lucas (PSDB), que é candidato a governador declarado, tem se aproximado na velocidade da luz  do ex-governador Rodrigo Rollemberg, dono absoluto do PSB.

Izalci foi um dos mais implacáveis opositores que ajudou a derrotar o projeto de reeleição do ex-governador em 2018.

Como na política tudo muda como nuvens e adversários de antes podem comer no mesmo prato e beber na mesma cuia, há quem diga que isso não é problema.

O retorno de Rollemberg à Câmara Federal, por onde já passou, é uma ameaça à reeleição do deputado Professor Israel (PV).

O professor se elegeu em 2018, graças a coligação PSB/PV/PCdoB/PDT/REDE montada pelo então govrnador socialista.

Desta vez Israel pode encontrar dificuldades, embora tenha sido o quinto mais votado na última eleição com 67.598. Ele precisará do dobro para continuar deputado por um partido cada vez mais minguante.

O ex-candidato a governador nas eleições de 2018,  Alberto Fraga, também dono absoluto do DEM-DF,  pretende voltar para a Câmara Federal em 2022.

Quem está lá pelo DEM é o deputado Luís Miranda que pode sobreviver nesta guerra se mudar de partido na próxima janela partidária.

Mas isso não é nada oficial. Pelo menos Miranda  nunca se manifestou sobre o assunto.

Entre os 20 mais fortes candidatáveis à Câmara Federal, entre os que estão com mandatos e os que vão entrar na briga pelas oito cadeiras, estão o deputado distrital Rafael Prudente (MDB) atual presidente da Câmara Legislativa e professor Paulo Fernando Melo que vai para a disputa pelo PTB.

De ideias conservadoras, Paulo Fernando teve um baita crescimento eleitoral nas últimas três eleições que disputou como deputado federal. Isso é fato.

Em 2010 foi candidato a deputado federal obtendo 13.750 votos dos eleitores do DF. Em 2014 dobrou a votação para  27.444 votos.

Em 2018, pelo Patriota, Paulo Fernando sacou das urnas  31.183 votos ficando na 11ª colocação, entre os mais votados para deputado federal.

Na briga pela Câmara pode ainda surgirem dois ex-candidatos ao Buriti e alguns outros que participaram da cena política nas últimas eleições: Rogério Rosso e Eliana Pedrosa, Alírio Neto, Joaquin Roriz Neto, Tadeu Filippeli, Ronaldo Fonseca,Paulo Roque,Professor Pacco… etc, etc e tal.

Radar/ Tony Duarte

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
7abr/210

Brasil estabelece novo recorde com 1,26 milhão de vacinados contra covid em 24h

Ao todo foram mais de 954 mil pessoas vacinadas com a primeira dose e cerca de 312 mil com a segunda

No dia em que holofotes se voltaram para os 4.195 óbitos, que tiveram os registros represados devido ao feriadão de Páscoa e o “feriadaço” paulista, o Brasil bateu recordes da vida na guerra ao coronavirus.

Foram mais de 954 mil pessoas vacinadas com a primeira dose e quase 312 mil com a segunda dose, o que levou ao recorde disparado de cerca de 1,26 milhão de pessoas vacinadas, literalmente nesse caso, em apenas 24h. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Só China, Índia, EUA e Brasil bateram a marca de um milhão de doses em 24h. Do grupo, só o Brasil não é grande produtor de vacinas.

O recorde de ontem é 50% maior que o máximo obtido pelos britânicos. Em seu melhor dia, o Reino Unido conseguiu aplicar 844 mil doses.

Durante o feriadão, o número de vacinas caiu para 350 mil por dia. Com a volta ao normal, os profissionais de saúde recuperam o tempo perdido.

O número de primeiras doses foi pouco maior que de outros dias em que superamos um milhão. A diferença foi que as segundas doses dobraram.

Diário do poder

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
7abr/210

OAB-DF – Conheça os principais candidatos que querem a cadeira de Lins

Jacques Veloso

Entre os advogados do Distrito Federal, a temperatura esquenta muito com o surgimento de candidaturas que desejam o lugar do atual presidente da OAB-DF, Délio Lins, considerado “fraco” e “inoperante” pelos adversários.

 

Thaís Riedel

Especialista em direito previdenciário, a advogada Thaís Riedel de Resende já aparece como candidata, e tem o apoio de Severino Cajazeiras, secretário do GDF e amigo pessoal governador Ibaneis Rocha (MDB).

Guilherme Campelo

Outro candidato com potencial é o advogado Guilherme Campelo (filho de Estênio Campelo, irmão de Valmir Campelo, ex-ministro do TCU), que já começou a avisar aos amigos sobre o novo desafio que pretende enfrentar. Guilherme terá o apoio de um excelente cabo eleitoral: o pai e advogado Estenio Campelo.

Everardo Gueiros

Ex-desembargador do TRE-DF e ex-secretário de Projetos Estratégicos e Parcerias do GDF, o advogado Everardo Gueiros Filho é considerado o principal adversário de Délio Lins. O que pesa contra Gueiros é que ele foi citado na denúncia da força-tarefa da Lava-Jato no Rio de Janeiro que  deflagrou em setembro de 2020, uma operação para apurar a relação de grandes bancas de advocacia com o Sistema S no Rio. Gueiros não foi denunciado nem alvo da Operação E$quema S, mas foi descrito como alguém responsável pela escolha de escritórios para o delator, Orlando Santos Diniz.

Delio Lins

Pós-graduado em Direito Penal Econômico, mestre e doutorando em Ciências Jurídico-Criminais pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra,  Délio Lins e Silva Jr começou sua história na OAB participando de duas importantes comissões: a de Apoio ao Advogado Iniciante e a de Direitos Humanos. Em 2010, presidiu a Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante, quando propôs a criação do Piso Salarial do advogado no DF. Também sugeriu a criação da Comissão de Honorários, da qual foi o primeiro presidente. Lins foi eleito com 9.805 dos votos válidos e está à frente da OAB-DF durante o triênio 2019-2021. Lins é adversário do advogado e governador Ibaneis Rocha.

Jacques Veloso

Em 2018, o  advogado Jacques Veloso, especialista em direito tributário, conseguiu  9.557 votos e liderava a chapa da situação, e contava com o apoio do então mandatário da OAB, Juliano Costa Couto e do governador eleito Ibaneis Rocha (MDB). Veloso perdeu para Délio Lins, mas é considerado ainda um forte nome para a disputa.

A eleição para a OAB-DF acontecerá em novembro, mas a campanha já começou.

Donnysilva

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
6abr/210

Santa Maria: Ação social e voluntária marca Páscoa de quase 1000 crianças

Distribuição de ovos de Páscoa marcou o domingo em Santa Maria e mostrou que a cidade tem liderança que pensa no social

Vivian Nogueira distribuindo ovos de Páscoa

A cidade de Santa Maria considerada uma das mais carentes do DF, recebeu no domingo de Páscoa uma ação jamais vista realizada por uma liderança comunitaria da região.

Nesse momento de pandemia com famílias sofrendo com a falta de UTI e mortes diárias, a líder comunitária Vivian Nogueira, decidiu fazer um domingo de Páscoa diferente para 836 crianças dos setores;  Porto Rico, Santa Maria  Norte, Sul, Setor Central e na Baía ( Vila dos Carroceiros).

Procurada pelo o blogdogbu a Líder Comunitária, Vivian Nogueira, declarou que postou mensagem nas redes sociais agradecendo o apoio que teve para realizar a ação social na cidade. Veja abaixo;

Por Vivian Nogueira

 

"Ser voluntário é ajudar gratuitamente alguém sem custos para investir em um mundo melhor.
Com essa afirmativa e com muita paz e amor no coração, quero agradecer a todos os amigos que voluntariamente doaram recursos, seu tempo em compartilhando nossa ação de arrecadação.
Eu acredito que Deus une propósitos de corações voluntários, afim de que um bem maior ( O PRÓXIMO ), seja alcançado.  Alcançamos 836 Crianças que puderam se deliciar com o ovo de chocolate e trazer aquele lindo sorriso de gratidão. EU SEI QUE NÃO VAMOS MUDAR O MUNDO, mas estou certa que o mundo de cada criança que recebeu nosso amor em forma de atos, jamais será o mesmo.

Obrigado a Deus e a todos vocês!

Vice- governador marca presença

Vale lembrar que o evento também contou com a participação do 'Comitê Todos contra o Covid-19", liderado pelo o Vice- governador Pacco Brito que na oportunidade doou 300 kits álcool em gel e máscaras.

O blogdogbu agradece a líder comunitária, Vivian Nogueira,  por ter feito a diferença na cidade de Santa Maria nesse momento de dor pelo o qual passa o DF.

Fotos do evento

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
6abr/210

DF: Blogdogbu perto de alcançar 20 milhões de acessos em sua história

O blogdogbu completará uma marca Importante para a sua história pelo os próximos dias.

De acordo às pespectivas a marca dos 20 milhões de acessos deverá acontecer a qualquer momento e passará para a história como o meio de comunicação mais lido de Brazlândia e um dos mais lidos do DF.

O BLOGDOGBU agradece a confiança dos nossos leitores e feliz por alcançar uma média de 120 mil acessos ao mês e 20 MILHÕES ao longo de sua história.

Obrigado Brasília!

Blogdogbu

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
6abr/210

Distrital Iolando apoia pauta dos agentes administrativos das Secretarias de Segurança e da Administração Penitenciária

O deputado Iolando encaminhou ofício ao secretário de Segurança Pública Júlio Danilo Souza Ferreira, sobre pauta de reivindicações dos servidores Administrativos do Sistema Penitenciário do DF. Na pauta os servidores solicitam que seja analisada a possibilidade de atendimento de suas demandas e, em sendo viável, que ela seja encaminhada à Secretaria de Economia com vistas à sua efetivação naquilo que pode ser aplicada diretamente pelo Poder Executivo e, no caso da gratificação e sua incorporação cujo anteprojeto de lei encontra-se anexado a este, que ele seja analisado e encaminhado a Câmara Legislativa do DF.

Na pauta a categoria reivindica: Identidade Funcional; Elaboração de norma para definir atribuições dos servidores qualificados para os setores que são de competência administrativa; Insalubridade automática e padronizada; Linha de ônibus aos servidores do Sistema Penitenciário; Disponibilização de Plantão para os servidores administrativos da SEAPE; Requisição de novos servidores para compor o quadro de servidores Administrativos para desenvolver atribuições administrativas, observando o nível de atuação de cada cargo que a compõe a carreira, como: formular, implementar, acompanhar, difundir, avaliar e executar políticas, diretrizes, procedimentos e ações referentes à gestão no âmbito de sua competência, nos órgãos e entidades do GDF, visto que, a carreira possui cargos de nível técnico ao gerencial com abrangência em todo o GDF e com iminência de autorização de concurso; Autorização formalizada para dirigir viatura operacional; Fornecimento de uniforme.

O deputado Iolando solicitou ainda, que a demanda apresentada seja analisada e encaminhada aos demais órgãos competentes.

Ascom Dep Iolando

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
6abr/210

Presidente dar posse a seis novos ministros

Solenidades ocorreram em cerimônias reservadas, os novos titulares agradeceram ao presidente pela confiança

O presidente Jair Bolsonaro participou hoje (6) da solenidade de transmissão de cargo de seis novos ministros, em cerimônias reservadas no Palácio do Planalto. Na semana passada, Bolsonaro fez uma reforma ministerial que incluiu trocas nos comandos da Casa Civil e na Secretaria de Governo, ambas ligadas à Presidência da República, dos ministérios da Justiça e Segurança Pública (MJSP), das Relações Exteriores e da Defesa e também da Advocacia-Geral da União (AGU).

Em rápidos discursos, os novos titulares agradeceram ao presidente pela escolha para o cargo.

A Casa Civil passou a ser comandada pelo general Luiz Eduardo Ramos, em substituição ao também general Walter Braga Netto. Ramos, que até então ocupava a Secretaria de Governo, foi substituído pela deputada federal Flávia Arruda (PL-DF), que faz parte da base de apoio do governo no Congresso. Já Braga Netto foi deslocado para o comando do Ministério da Defesa no lugar do general Fernando Azevedo e Silva, que deixou o cargo.

A Secretaria de Governo, que estava sob o comando de Ramos, é a pasta responsável pela articulação política com o Legislativo. Mas, para o ministro, o grande articulador político desse governo “foi, é e sempre será Jair Bolsonaro”. “Eu apenas estava como um auxiliar, aprendendo sempre e me surpreendendo com sua perspicácia e um timming político inigualável”, disse Ramos. “Vivemos um momento crítico histórico. Em que pesem os desafios, as restrições e a tristeza que a atual pandemia nos tem imposto, temos lutado incansavelmente pela nossa democracia e pelo digno reconhecimento desse governo perante a sociedade brasileira e no concerto das nações”, destacou.

Walter Braga Netto, por sua vez, destacou que é uma honra ocupar o novo cargo e que a Defesa dará continuidade à missão prioritária, neste momento, de ações para o combate à covid-19 e vacinação da população. “O trabalho lá continua árduo, ele não muda nada, a Defesa continua com a sua missão constitucional, de defesa da pátria e dos poderes constitucionais e, conforme a orientação do senhor [presidente Bolsonaro], dentro das quatro linhas do que prevê a Constituição”, disse.

Os dois ministros e o presidente Bolsonaro são contemporâneos da academia militar e, para Bolsonaro, ao montar a sua equipe ministerial, mais importante que o currículo é a confiança nas pessoas. Segundo ele, o governo está “buscando maneiras de enfrentar o desconhecido”.

“Nós aprendemos a na academia a guerra convencional, muito pouco sobre a guerrilha. Na guerrilha a gente não sabe onde está o inimigo, muitas vezes está ao nosso lado. Mas vamos, cada vez mais, buscando maneiras de enfrentar também a esse inimigo, porque o que interessa para todos nós é proporcionar dias melhores ao povo brasileiro”, disse Bolsonaro.

A Presidência não divulgou o discurso da nova chefe da Secretaria de Governo, Flávia Arruda. Em nota, informou que a ministra declarou que era “uma enorme honra e responsabilidade assumir o ministério encarregado das relações entre o Poder Executivo e o Poder Legislativo num momento tão crucial da história do país”. Para a ministra, “a hora é de diálogo, de compreensão, de solidariedade e de trabalho pelo Brasil”, com a busca por “pontos de convergências que permitam avançar nas soluções para o País”.

AGU e MSJP

Na AGU, André Mendonça retornou como advogado-geral, deixando então o comando do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Ele entrou no lugar de José Levi, que também anunciou sua saída na semana passada. Mendonça voltou a ocupar o mesmo cargo em que esteve até abril de 2020, quando substituiu o ex-ministro Sergio Moro no comando do MJSP. Em seu lugar no ministério, assumiu o delegado da Polícia Federal Anderson Gustavo Torres, que atuava como secretário de Segurança Pública do Distrito Federal.

A Presidência também não divulgou o discurso de Mendonça, mas informou que ele apresentou uma prestação de contas de seus exatos 11 meses como titular do MJSP, durante os quais seu lema de trabalho foi “integridade, transparência e compromisso, e quando, também, procurou consolidar o Sistema Único de Segurança Pública (Susp)”. “O ministro frisou que a AGU era uma instituição essencial à Justiça e ao Estado brasileiro, e que seus servidores devem e estarão empenhados em garantir o desenvolvimento do país, a não criminalização da política e o respeito às instituições”, diz a nota.

Já para o novo ministro Anderson Torres, a “força da segurança pública tem que se fazer presente” nesse momento tão crítico do país, “garantindo a todos um ir e vir sereno e pacífico”. “A justiça e a segurança pública somadas são a espinha dorsal da paz e da tranquilidade da nação, principalmente quando se passa por uma crise sanitária mundial como a que vivemos e que impacta diretamente a economia e a qualidade de vida dos cidadãos brasileiros”, disse, destacando que a segurança pública foi uma das principais bandeiras de campanha de Bolsonaro e que ela “voltará a tremular alta e imponente”.

O presidente Bolsonaro também destacou a responsabilidade do cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública, que tem a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal sob seu comando. Para Bolsonaro, as mudanças que Torres poderá fazer na pasta são naturais, “para melhor adequá-lo” ao objetivo traçado pelo novo ministro.

Diplomacia

O ministro Ernesto Araújo também deixou o Ministério das Relações Exteriores na semana passada. A atuação do chanceler vinha sendo questionada pelo Congresso Nacional, especialmente por causa das relações do Brasil com a China e da condução diplomática para o enfrentamento à pandemia de covid-19. Em seu lugar, assumiu o diplomata Carlos Alberto França, que era assessor especial de Bolsonaro, mas que até poucos meses atrás ocupava o cargo de chefe do cerimonial da Presidência da República.

De acordo com França, Bolsonaro o instruiu a enfrentar as urgências na área da saúde, economia e desenvolvimento sustentável. No combate à pandemia de covid-19, o ministro disse que as missões diplomáticas e os consulados do Brasil no exterior estarão engajados em “uma verdadeira diplomacia da saúde”, buscando as vacinas e remédios disponíveis junto a governos e farmacêuticas.

Sobre a urgência econômica, para França, a modernização da economia é fundamental para a geração de empregos. “Essa não é agenda estritamente doméstica, por mais cruciais quem sejam e são as reformas que o presidente da Republica promove aqui dentro. Não há modernização sem mais comércio e investimentos, sem maior e melhor integração às cadeias globais de valor, daí o significado da nossa pauta de negociações comerciais”, disse.

No campo ambiental, França destacou que o Brasil faz parte da vanguarda do desenvolvimento sustentável e limpo e tem uma das legislações ambientais mais rigorosa do mundo. “Não se trata de negar os desafios, que obviamente persistem. O fato é que o Brasil, em matéria de desenvolvimento sustentável, está na coluna das soluções”, disse.

Para o novo ministro, a resposta a todas essas urgências está no diálogo. “O Brasil sempre foi ator relevante no amplo espaço do diálogo multilateral. Isso não significa, como é evidente, aderir a toda e qualquer tentativa de consenso que venha a emergir, nas Nações Unidas ou em outras instâncias.

Não precisa ser assim e não pode ser assim. O que nos orienta, antes de tudo, são nossos valores e interesses. Em nome desses valores e interesses, continuaremos a apostar no diálogo como método diplomático”, disse França.(ABr)

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
6abr/210

Política: Coronel “Goiano” já aparece na pesquisa para federal

O nome de Eugênio Goiano vem sendo lembrado e começa a ganhar musculatura com vistas a 2022

Com a proximidade do processo eleitoral algumas decisões já estão sendo tomadas com vistas a 2022. Em Brazlândia o pré-candidato a Câmara Federal, Coronel Eugênio - popularmente conhecido como Goiano, já vem sendo lembrado em pesquisas recentes e tende a fazer uma disputa acirrada com velhos figurões da política do DF dentro da cidade.

No último levantamento que gira os corredores políticos da capital da república, Coronel Eugênio Goiano, figura em Brazândia atrás apenas de; Flávia Arruda, Celina Leão e da petista Érika kokay.

Vale lembrar que Goiano ainda não anunciou oficialmente a sua intenção na disputa pela a Câmara Federal, mas já existe aqueles que entende que será bom para Brazlândia;" O nome do Goiano para deputado federal em 2022 dará a oportunidade da nossa cidade apoiar de fato quem nós conhecemos e quem conhece as nossas demandas", declarou José Flávio, morador do novo assentamento.

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
6abr/210

Brasil chega a 26 milhões de doses aplicadas mais rápido que Reino Unido

Foram 78 dias no Brasil enquanto os britânicos levaram 91 dias para atingir a mesma marca

O ritmo de vacinação do Brasil contra a covid continua surpreendendo, e para o bem.

O País quebrou a marca de 20 milhões de primeiras doses aplicadas, cerca de 26 milhões no total, 78 dias após iniciar a vacinação.

A marca foi atingida pelo Brasil 13 dias antes do Reino Unido, que é efusivamente elogiado pelo êxito obtido em sua campanha e onde já se começa a debater possibilidade de realizar grandes eventos com público. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Alemanha, França e Itália têm juntos população semelhante à brasileira, mas levaram 82 dias para chegar à quantidade de doses aplicadas aqui.

O Reino Unido aplicou 37 milhões de doses, segundo o OurWorldinData. No ritmo atual, o Brasil deve superar os britânicos antes do fim do mês.

Apesar do feriadão, que fez cair o número de pessoas vacinadas, a média móvel no Brasil segue acima de 600 mil doses aplicadas por dia. Diário do poder

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
5abr/210

Regularização fundiária para Brazlândia

O deputado Iolando encaminhou nesta segunda-feira (5), ao diretor de Comercialização da Terracap, Júlio César de Azevedo Reis, um ofício em que ressalta a Lei Complementar nº 803, de 25 de abril de 2009 que aprova a revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT). Esse é o instrumento legal que pode ser utilizado para a expansão da área urbana na região de Brazlândia e alterações nas áreas rurais, além da implantação de infraestruturas.
O deputado Iolando solicitou que fossem realizados estudos com vistas a uma formulação junto à Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEDUH), para expansão da área urbana de Brazlândia, com possíveis alterações nas áreas rurais para implantação de política habitacional, evitando-se assim, os parcelamentos irregulares e garantindo a moradia ao cidadão de Brazlândia.

Ascom Dep Iolando Almeida

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
30mar/210

Com Flávia Arruda, Lira e centrão ampliam poder no governo federal

Escolha da deputada para a Secretaria de Governo aumenta influência do presidente da Câmara

A escolha da deputada Flávia Arruda (PL-DF) para assumir o cargo de ministra-chefe da Secretaria de Governo, na prática, aumenta o poder de influência do presidente da Câmara, Arthur Lira, na administração do presidente Jair Bolsonaro, e entroniza o Centrão no comando da sua articulação política.

Mulher do ex-governador do DF José Roberto Arruda, a novata mostrou que tem luz própria, ao presidir a Comissão Mista de Orçamento. Mas não chegaria a ministra não fosse Arthur Lira. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A iniciativa do presidente Bolsonaro, de pedir sugestão de nome para a Secretaria de Governo, surpreendeu o próprio presidente da Câmara.

A condução da Secretaria de governo pelo general Ramos chegou a ser alvo de críticas de Arthur Lira, mas depois os dois se entenderam.

Bolsonaro não faria mudanças na Secretaria de Governo, mas, com a saída de Braga Netto, ele precisou deslocar Ramos para a Casa Civil.

Após passar mal em Maceió, Braga Netto recebeu a recomendação dos médicos para reduzir o ritmo. Bolsonaro decidiu deslocá-lo para Defesa.

Diário do Poder

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
29mar/210

Ibaneis pode chamar Hermeto para a segurança pública

Hermeto é o favorito para assumir a Secretária de Segurança Pública do DF

O secretário de segurança pública do Distrito Federal, delegado da polícia federal, Anderson Torres, foi convidado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para assumir o comando do Ministério da Justiça e Segurança Púbica. O convite foi feito na tarde dessa segunda-feira (29).

Um dos nomes cotados para assumir a secretaria de segurança pública do DF é do deputado distrital Hermeto (MDB), que atualmente é líder do governo na Câmara Legislativa.

Hermeto é Subtenente da polícia militar do DF e um dos deputados mais próximo do governador Ibaneis Rocha e também do presidente da Câmara Legislativa, deputado Rafael Prudente.

A nomeação de Hermeto traria unidade tanto para os militares, quanto para a sociedade. Afinal de contas foram 30 anos atuando na rua, conhecendo de perto os problemas que a população do DF vive no dia a dia.

Na Câmara, Hermeto apresentou vários projetos para a área de segurança pública tendo aprovados 8 leis.

Leis do deputado Hermeto voltadas à Segurança Pública:

Lei n° 6456 – Institui a Política Distrital de Segurança Pública e Defesa Social.

Lei n° 6517 – Integração dos Sistemas e Bancos de dados dos Órgãos de Segurança Pública do DF.

Lei n° 6648 – Obriga as Escolas Públicas a comunicarem aos pais e responsáveis a entrada e saída dos alunos, por meio de ferramenta online.

Lei n° 6712 – Dispões sobre o uso de Tecnologia de Reconhecimento Facial (TRF).

Lei n° 6285 – Institui o dia da polícia militar feminina.

Lei n° 6390 – Criação Programa Cidade Segura.

Lei nº 6788 – Dispõe sobre a Publicização de informação de fugitivos e foragidos da Justiça e dá outras providências.

Lei nº 6803 – Dispõe sobre a utilização de militares da reserva da PMDF e do Corpo de Bombeiros do DF nas escolas de gestão compartilhada e dá outras providências.

Está em tramitação ainda Projeto de Lei n° 1651/2020 que disciplina o uso de drones pelas unidades operacionais da Polícia Militar e nos demais órgãos de segurança pública no Distrito Federal. O projeto visa facilitar o trabalho da polícia em apreensões e perseguições, afirmou o parlamentar.

Fonte

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn