2jul/150

Câmara Legislativa aprova a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2016

Camara-Legislativa2

Guilherme Pera, Correio Braziliense

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CL/DF) aprovou, por volta das 3h desta quarta-feira (1º/7), a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2016. Com a presença de 22 distritais – a presidente da Casa, Celina Leão (PDT), e Chico Leite (PT) não estiveram no plenário -, um total de 156 emendas apresentadas ao texto enviado pelo Executivo, acatou-se 126 delas e rejeitou-se outras 30.

Aprovou-se, na última votação antes do recesso dos parlamentares, a receita total de R$ 29,9 bilhões para 2016, cerca de R$ 500 milhões a mais do que em 2015. O montante previsto para as despesas com pessoal ficou na casa dos R$ 20,4 bilhões – 21% a mais que o previsto para este ano (R$ 16,8 bilhões).

 Com os aditivos e modificações ao texto, os distritais aumentaram o número de vagas para a saúde e a educação, tema de reportagem publicada na edição impressa do Correio Braziliense desta terça (30/6). A proposta original contabilizava 1.059 vagas para a saúde e 479 para a educação. Os parlamentares aumentaram esses números para 1.676 e 3.791, respectivamente.

Um ponto que gerou polêmica horas antes da lei ser votada foi a emenda que destina 1% da receita corrente do GDF para a Defensoria Pública, algo em torno de R$ 200 milhões. O secretário de Relações Institucionais do DF, Marcos Dantas, classificou a proposta como “impensável”. “Pensamos, sim, em destinar mais dinheiro aos defensores, mas nunca pensamos em fixar em 1%, é impensável”, disse.

Outros projetos

Na sessão ordinária, que começou por volta das 16h, os distritais aprovaram 54 proposições legislativas. Houve espaço para projetos polêmicos, como a regulamentação dos aplicativos de transporte individual (PL 282/2015), de Rodrigo Delmasso (PTN), que proíbe o Uber; a imposição de limite em horário de manifestações no Eixo Monumental (PL 572/2011), de Cristiano Araújo (PTB); e a mudança do nome da Ponte Costa e Silva para Ponte Honestino Guimarães (PL 130/2015), de Ricardo Vale (PT).

Além da LDO, os distritais apreciaram outros oito projetos do Executivo. Entre eles, aprovaram prazo de mais 30 dias para a entrega do Plano Plurianual 2016-2019 (PPA), que estabelece as metas para o governo. Com isso, o GDF tem até 15 de setembro para enviá-lo para a Câmara.

Foi estabelecida, ainda, a destinação de R$ 26,5 milhões para órgãos como a Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social e Fundo dos Bombeiros, entre outros, além de R$ 50 milhões da Caixa Econômica para melhorias no Condomínio Pôr do Sol e R$ 7,2 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) para o financiamento e modernização da Defensoria Pública do DF. Os deputados também votaram favoravelmente para um aumento de 11,98% no salário de auxiliares do Tribunal de Contas do Distrito Federal.

2jul/150

Pesquisa Ibope mostra que Governo Dilma tem apenas de 9% de aprovação

A crise política por que passa o governo Dilma Rousseff derrubou a aprovação da presidente para um dígito, segundo pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quarta-feira. De acordo com o levantamento, 68% dos brasileiros consideram o governo Dilma ruim ou péssimo – pior marca já atingida por um presidente desde a redemocratização do país. Até agora, o recorde negativo pertencia a José Sarney, em julho de 1989 (64% de reprovação). Apenas 9% dos brasileiros consideram o governo bom ou ótimo – número pouco melhor do que o registrado por Sarney naquele ano: 7%.

O levantamento foi realizado entre 18 e 21 do mês passado, antes, portanto, da revelação, por VEJA, do conteúdo do depoimento prestado pelo empreiteiro Ricardo Pessoa em acordo de delação premiada. Apontado como chefe do chamado clube do bilhão, o dono da UTC afirmou aos investigadores que foi coagido pelo hoje ministro Edinho Silva a doar dinheiro para a campanha de Dilma à reeleição. Edinho foi tesoureiro da campanha da petista ao Planalto no ano passado.

Foram ouvidas 2.002 pessoas em 141 municípios. A margem de erro máxima é de dois pontos porcentuais e o grau de confiança é de 95%.

 
Pesquisa Ibope/CNI de aprovação do governo Dilma Rousseff (Foto: Editoria de Arte / G1)

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (1º) aponta os seguintes percentuais sobre como os eleitores avaliam o governo da presidente Dilma Rousseff (PT):
- Ótimo/bom: 9%
- Regular: 21%
- Ruim/péssimo: 68%
- Não sabe: 1%

A pesquisa anterior, divulgada em abril deste ano, havia apontado que 12% aprovavam o governo (consideravam “ótimo” ou “bom”). No último levantamento, 64% dos entrevistados avaliaram a administração Dilma como “ruim” ou “péssima”. Já 23% consideraram a gestão “regular”.

O levantamento do Ibope, encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), foi realizado entre os dias 18 e 21 de junho e ouviu 2.002 pessoas em 141 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

O nível de confiança da pesquisa é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

Confiança
- 20% dos entrevistados disseram ter confiança na presidente Dilma
- 78% afirmaram não confiar na petista
- 3% não souberam ou não opinaram

Maneira de governar
O percentual dos eleitores que aprovam a maneira de governar de Dilma passou dos 19% registrados no levantamento anterior para 15% nesta pesquisa. Veja os números:

- aprovam a maneira de governar: 19%
- desaprovam: 83%
- não quiseram ou não souberam responder: 2%

Segundo mandato

A pesquisa indicou ainda como os brasileiros estão avaliando o segundo mandato da petista.

- 82% avaliam que o segundo mandato está sendo pior que o primeiro
- 14% apontam a gestão como igual à anterior
- 3% consideram a administração no segundo mandato melhor

Restante do mandato
- 11% da população acredita que o restante do segundo governo será ótimo ou bom
- 61% consideram que será ruim ou péssimo
- 23% acham que será regular
- 5% não quiseram ou não souberam responder.

Notícias sobre o governo
A pesquisa Ibope também avaliou a percepção da população sobre as notícias sobre o governo veiculadas pela imprensa:

- Mais favoráveis: 8%
- Mais desfavoráveis: 64%
- Nem favorável nem desfavorável: 17%
- Não souberam/não responderam: 11%

Notícias mais lembradas
Conforme o levantamento, as notícias sobre o governo mais lembradas pela população foram as seguintes:

- Operação Lava Jato/Petrobras: 20%
- mudanças na aposentadoria: 16%
- mudanças no seguro-desemprego: 8%
- corrupção no governo: 6%
- inflação: 4%

A pesquisa Ibope também divulgou dados referentes à aprovação do governo por área. Veja os resultados:

Combate à fome e à pobreza
Aprovam: 29%
Desaprovam: 68%
Não souberam/não responderam: 3%

Meio Ambiente
Aprovam: 27%
Desaprovam: 63%
Não souberam/não responderam: 9%

Educação
Aprovam: 24%
Desaprovam: 74%
Não souberam/não responderam: 2%

Combate ao desemprego
Aprovam: 15%
Desaprovam: 83%
Não souberam/não responderam: 2%

Segurança pública
Aprovam: 14%
Desaprovam: 84%
Não souberam/não responderam: 2%

Saúde
Aprovam: 13%
Desaprovam: 86%
Não souberam/não responderam: 1%

Combate à inflação
Aprovam: 11%
Desaprovam: 86%
Não souberam/não responderam: 3%

Impostos
Aprovam: 7%
Desaprovam: 90%
Não souberam/não responderam: 3%

Taxa de juros
Aprovam: 6%
Desaprovam: 90%
Não souberam/não responderam: 4%

Informações de Veja/Estadão e G1.

2jul/150

Eduardo Cunha manobra e Câmara aprova redução da maioridade penal

Em uma decisão histórica, embora reversível, a Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quinta-feira uma proposta que permite a punição criminal de adolescentes a partir dos 16 anos em casos de crimes graves. O resultado da votação é uma vitória pessoal do presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ) – que, sob protestos do PT e de outros partidos contrários à medida – reverteu a derrota de uma proposta semelhanteocorrida menos de 24 horas antes. Houve 323 votos favoráveis, 155 contrários e duas abstenções.

O plenário da Câmara aprovou na madrugada desta quinta-feira proposta de emenda constitucional (PEC) que permite a responsabilização criminal de jovens de 16 e 17 anos em casos de crimes hediondos, homicídio doloso (quando se assume o risco de matar) e lesão corporal seguida de morte. Para mudar a Constituição, são necessários 308 votos favoráveis. Na nova votação foram 20 votos a mais do que na noite anterior, quando a PEC recebera apenas 303 votos favoráveis. A proposta ainda precisa ser votada em segundo turno pelo plenário da Câmara e, caso aprovada, segue para o Senado.

A manobra de Cunha provocou uma troca de acusações com o governo e deputados contrários à proposta. Cunha foi acusado de burlar as normas da Câmara e insistir na votação por não aceitar a derrota. Discutiu-se até um recurso ao Supremo Tribunal Federal (STF).Num dos momentos mais tensos, o deputado Alessandro Molon (PT-RJ), contrário à redução da maioridade, irritou-se quando o presidente da Câmara ficou de costas para ele.

— Vossa Excelência pode decidir não ouvir, pode decidir virar de costas para mim. Pode decidir conversar com qualquer colega parlamentar que preste a esse papel. Mas o problema é que Vossa Excelência passa por cima da democracia, passa por cima da Constituição, passa por cima do regimento desta Casa até que vença posição de Vossa Excelência — afirmou Molon.Apesar das críticas dos contrários à redução, a Secretaria Geral da Mesa Diretora da Câmara respaldou a ação de Cunha, avaliando que ela é permitida pelo regimento.

Mais cedo, o Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou, por 299 votos a 156, requerimento de retirada de pauta da PEC da maioridade penal (PEC 171/93). Antes, os deputados aprovaram a preferência para a votação de emenda dos deputados Rogério Rosso (PSD-DF) e Andre Moura (PSC-SE), que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos para crimes hediondos, mas exclui a possibilidade de prisão por roubo qualificado, tortura, tráfico de drogas e lesão corporal grave.

O texto é produto de uma emenda aglutinativa – produzido a partir de trechos de propostas de emenda à Constituição apensadas ao texto que foi ao plenário e foi articulado pela manhã em reunião do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com os líderes do PMDB, Leonardo Picciani (RJ) e do DEM, Mendonça Filho (PE).

A manobra regimental de Cunha provocou uma troca de acusações com o governo e deputados contrários à proposta. Cunha foi acusado de burlar as normas da Câmara e insistir numa votação por não aceitar a derrota. Um grupo suprapartidário já planejava recorrer ao Judiciário.

— Não vamos aceitar. Iremos não só denunciar, mas, se preciso for, recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) — disse Weverton Rocha (PDT-MA), integrante desse grupo, antes da votação da emenda.

Num dos momentos mais tensos, o deputado Alessandro Molon (PT-RJ), contrário à redução da maioridade, irritou-se quando o presidente da Câmara ficou de costas para ele.

— Vossa Excelência pode decidir não ouvir, pode decidir virar de costas para mim. Pode decidir conversar com qualquer colega parlamentar que preste a esse papel. Mas o problema é que Vossa Excelência passa por cima da democracia, passa por cima da Constituição, passa por cima do regimento desta Casa até que vença posição de Vossa Excelência — afirmou Molon.

Os líderes do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), e do DEM, Mendonça Filho (PE), defenderam a votação da emenda de Rosso, afirmando que o regimento está sendo seguido. Segundo Mendonça Filho, não interessa à oposição, que é minoritária, desrespeitar o regimento, uma vez que ele é usado como proteção contra abusos da maioria.

— Não é uma inovação regimental. É algo absolutamente seguro. Posso dizer com toda a segurança que esse caminho do ponto de vista regimental é tranquilo. Podemos votar qualquer uma das PECs (propostas de emenda constitucional que tramitaram em conjunto na Câmara) que não foram analisadas e podemos aglutinar matérias como a emenda de Rogério Rosso, que exclui tráfico de drogas e roubo qualificado – disse Mendonça Filho.

Os favoráveis a proposta acreditam que poderão convencer deputados de suas bancadas que ontem votaram contra a mudar de posição. A expectativa dos líderes é ganhar o apoio de deputados em todos os partidos e, aprovar assim o novo texto. No caso do PMDB, Picciani conta com a presença de três deputados que estavam ausentes ontem e em virar o voto de um dos que se absteve.

— Ontem cinco deputados estavam ausentes. Três deles estarão hoje em Brasília e são a favor da redução — disse Picciani.

— Acho que com essa mudança no texto temos chance de aprovar. A outra emenda foi rejeitada com uma margem muito pequena. Teve muita gente que não votou porque tráfico de drogas estava incluído — acrescentou Mendonça Filho.

O líder do PMDB disse que as críticas dos que os acusam de usar a mesma tática do financiamento privado de campanhas – depois de perder em plenário, apresentam novo texto e aprovam – não procede:

— Regimentalmente existem 36 emendas apensadas á PEC da maioridade. Qualquer uma delas pode ser votada e podemos fazer uma aglutinativa. Só arquiva se nenhuma for aprovada e se enfrentarmos a votação da PEC 171, que é a redução plena e com a qual não concordo — disse Picciani.

GOVERNO É CONTRA

O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), classificou como “forçação (sic) de barra” querer votar outro texto de redução da maioridade penal no plenário, após a derrota de ontem. Para ele, o melhor é trabalhar um acordo para iniciar o debate sobre alterações no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

— Querer votar de novo o que foi derrotado ontem é forçação de barra. Temos que trabalhar um acordo para imediatamente, iniciarmos o debate para uma reforma do ECA. Esse é o caminho que temos que ter — defendeu Guimarães, acrescentando:

— Aqui você tem que ter sensibilidade para o momento. Tem hora que você recua, tem hora que você é derrotado, tem hora que você é vitorioso. Isso é próprio do parlamento. Não tem que ter esse jogo do 0 a 0, do mata-mata. Informações de Veja e Globo.

30jun/150

Politica: circulou? tá aqui!!!

zap zap

" Tem muito administrador com as barbas de molho na reforma administrativa do governador Rollemberg. Pelo menos quatro nomes já estão sendo dado como certo na seção II dentro da reforma. Paranoá encabeça a lista."

" O administrador de Brazlândia, André Queiroz, vem sendo uma pedra no sapado da reeleição do distrital Juarezão. Entre amigos o distrital vem reclamando da falta de habilidade do chefe do executivo local que nem ajuda Rollemberg e muito menos o seu padrinho politico"

" A perigrinação de pré- candidatos do entorno a Câmara Legislativa vem causando mal estar em alguns parlamentares. Com a reforma politica em discursão muita coisa pode mudar. Pra pior é claro!

" Dirigentes partidários do DF andam relacionando os beneficiados de forma direta dos desvios da Petrobras e vem orientando as autoridades de seus partidos que mantenham distancia porque a coisa vai pegar fogo em julho. Vem prisões por ai!!!"

" O ex- senador Luiz Estevão já vem se movimentando para fortalecer a sua legenda com vistas as eleições de 2018. Dizem que o cacique pretende ampliar ainda mais o número de distritais em seu partido"

" Mesmo fora dos debates o ex- deputado Luiz Pitiman vem buscando retornar ao cenário politico nas eleições futuras. O tucano acredita que recomeçar por baixo seria a melhor opção"

  " Em Ceilândia o vice - governador, Renato Santana, é recebido como verdadeira celebridade. Os moradores demonstram satisfação na área de segurança dentro de região e deixam claro que Santana vem sendo fundamental para a tranquilidade do momento."  

" Que o Guará espera dentro da reforma politica de Rollemberg um número maior de figuras da cidade participando da atual gestão. A começar pelo administrador da cidade dando fim a interinidade"  

"  Que Guarda Jânio vem sendo considerado a bola da vez para 2018. O meio politico garante que dessa vez o guarda vira deputado distrital"  

" O distrital Dr. Michel vem sendo considerado dentro do parlamento como o homem das boas verdades. Ele quando usa a tribuna a base aliada para para ouvi-lo. Principalmente o representante do governador na casa legislativa. Esse é xerifão mesmo! "        

30jun/150

Politica: “Lava jato” em Brazlândia?

g_brazlandia-por-edelcio-j.-ansarah.

A decisão do operador oficial dos desvios da Petrobras, Ricardo Pessoa, em abrir a boca e fazer uma entrega geral, vem de certa forma preocupando figurões da politica de Brasilia.

Nos bastidores da politica e do submundo das negociações no DF, a cidade de Brazlândia deverá estampar as páginas policiais onde mostra doações em beneficio de autoridades. Agora resta saber se as doações foram feitas com dinheiro limpo ou surrupiado dos cofres públicos da Petrobras. Então vamos aguardar!

fonte: gbu

30jun/150

RICARDO PESSOA CONFIRMA PAGAMENTOS A FILHO DE CEDRAZ

DELATOR DIZ TER PAGO R$ 50 MIL/MÊS AO FILHO DO PRESIDENTE DO TCU

PESSOA DIZ TER PAGO MESADA DE R$ 50 MIL A TIAGO (CENTRO), FILHO DE AROLDO CEDRAZ, PRESIDENTE DO TCU, PARA OBTER INFORMAÇÕES NO TRIBUNAL.

O ministro Aroldo Cedraz tentará o apoio dos colegas do Tribunal de Contas da União (TCU), nesta terça (30), contra revelações de Ricardo Pessoa, dono da empreiteira UTC, de que pagava R$ 50 mil por mês a seu filho, advogado Tiago Cedraz, para obter informações na corte. Além disso, em um caso sobre obras bilionárias na usina nuclear de Angra 3, o escritório de Cedraz teria negociado R$1 milhão com a UTC.

O ministro Aroldo Cedraz processa jornalistas que noticiam denúncias envolvendo a influência do seu filho, Tiago, em seu tribunal.Em nota, o TCU tentou desqualificar as revelações do empreiteiro Ricardo Pessoa, e não menciona providências para apurar a denúncia.Ricardo Pessoa não deixou mal apenas os Cedraz, pai e filho: também apontou sua metralhadora giratória para o ministro Raimundo Carreiro.

fonte: Diário do Poder

30jun/150

EQUIPE ECONÔMICA ENGANOU DILMA COM FALSOS NÚMEROS, REVELA ASSESSOR

EQUIPE ECONÔMICA ACUSADA DE ESCONDER INFORMAÇÕES DE DILMA

"ELES MENTEM E ELA ACREDITA", DIZ GRADUADO ASSESSOR DO PALÁCIO DO PLANALTO.

Um bando de medrosos e uma má gestora inventaram a economia de fantasia no Brasil. A área econômica do governo enganou Dilma sobre contas públicas em 2014, segundo fonte graduada do Planalto, criando a “magia” de duplicar números. Usavam a mesma fonte de receita para dois cálculos diferentes e sequenciais, mas, ao ser usada no primeiro, a mesma receita não poderia aparecer no segundo cálculo. Mas apareceu e deu a percepção de mais fontes de receita do que existem.

“Eles mentem e ela acredita”, diz o assessor, dando nomes aos bois: Ministério da Fazenda, Secretaria do Tesouro e Banco Central.

O relato do assessor graúdo ilustra a péssima capacidade de Dilma de analisar as informações dos “mágicos” da sua equipe econômica.

No Ministério do Desenvolvimento, prevalecia o conto da carochinha: Dilma não era informada das angústias do comércio e da indústria.

Quando se percebia a manobra enganadora da equipe econômica, eles diziam internamente que, se falassem a verdade, Dilma iria “explodir”.

30jun/150

EX-PRESIDENTE DO STF DIZ QUE DILMA ESTÁ SUJEITA A CRIME DE RESPONSABILIDADE

JOAQUIM CRITICA DILMA POR ATACAR BOM FUNCIONAMENTO DA JUSTIÇA

BARBOSA DISSE QUE DILMA É MAL ASSESSORADA.

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa reagiu à fala da presidente Dilma Rousseff, que disse nos Estados Unidos que "não respeita delator". Sob o argumento que delação premiada "é um instituto penal-processual previsto em lei no Brasil", Barbosa disse que Dilma é mal assessorada e que um presidente não pode "'investir politicamente' contra as leis vigentes, minando-lhes as bases".

"Caberia à assessoria informar a Presidente que: atentar contra o bom funcionamento do Poder Judiciário é crime de responsabilidade!", afirmou na segunda-feira, 29, Joaquim Barbosa em sua conta no Twitter.

Em uma série de nove mensagens Barbosa criticou a presidente e sua equipe, que estão em visita oficial aos Estados Unidos. Lá, Dilma comentou pela primeira vez as acusações contidas na delação do dono da UTC, Ricardo Pessoa, em que seus ministros Aloizio Mercadante, da Casa Civil, e Edinho Silva, Comunicação Social, são citados. "Zelar pelo respeito e cumprimento das leis do País: esta é uma das mais importantes missões constitucionais de um presidente da República", alertou Barbosa.

O antigo presidente do STF propõe ainda uma reflexão aos seguidores dele na rede social. "Vocês estão vendo o estrago que a promiscuidade entre dinheiro de empresas e a política provoca nas instituições?", questionou o ex-ministro.

Em palestra em São Paulo no meio de julho, Barbosa falou sobre corrupção e protestou contra a "relação umbilical existente entre empresas e Poder Público no Brasil. "Precisamos romper com esse capitalismo de compadres, essa história de não conseguir empreender sem ter uma 'verbinha' do governo".(AE)

30jun/150

EMPREITEIRAS MULTIPLICARAM OS LUCROS NA ERA PT

EMPREITEIRAS QUE ROUBARAM A PETROBRAS FATURARAM ALTO NA ERA PT

 Empreiteiras enroladas na Lava Jato fizeram “milagre de multiplicação” de lucros durante os governos do PT. Através de transferências diretas de grana pública e financiamentos ‘camaradas’ do BNDES o lucro da maior das empreiteiras do cartel do Petrolão, a Odebrecht, passou de R$ 550 milhões em 2006, no governo Lula, para R$ 11,4 bilhões em 2014, no governo Dilma; um aumento de mais de 2000%.

A Queiroz Galvão tem muito a agradecer aos governos do PT: desde 2006 passou de R$ 423 milhões de lucro para R$ 1 bilhão em 2012.

A Camargo Corrêa, que lucrava R$ 1,1 bilhão em 2005, passou, em 2014, a mais de R$ 4,7 bilhões por ano. Tudo nos governos do PT.

A Andrade Gutierrez, maior doadora da campanha de Dilma, passou de R$ 238 milhões de lucro líquido em 2011 para R$ 444 milhões em 2014

Após tantos anos de lucros bilionários, os presidentes das Odebrecht, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa e Queiroz Galvão estão presos.

 

Fonte: Claudio Humberto/Diário do Poder

30jun/150

Politica: GDF poderá ter distritais como secretários

camara-legislativa_2000

As articulações já começaram e não será nenhuma surpresa se o recesso parlamentar apresentar novidades na composição do GDF na reforma administrativa para o segundo semestre.

Nos corredores do poder palaciano os nomes de distritais como; Cristiano Araújo , Joe Vale e Agaciel Maia aparecem como prováveis parlamentares a serem avaliados a compor os quadros do executivo na reforma articulada por Rodrigo Rollemberg.

Mas quem achar que os atuais gestores estão de malas prontas do GDF irão se enganar. Haverá apenas remanejamento.

fonte: blogdogbu

30jun/150

Cultura: “Festivais 50 anos”

Nesta quinta-feira (2/7), Feitiço Mineiro apresenta “FESTIVAIS 50 ANOS”

anos 50

Em abril de 1965, a música “Arrastão”, de Vinicius de Moraes e Edu Lobo, interpretada por Elis Regina, vencia o 1º Festival da Música Popular Brasileira da TV Excelsior, evento que deu origem a competições que, por 20 anos, revelaram artistas e coroaram a MPB. Para comemorar, os cantores Salomão di Pádua e Lúcia de Maria exibem, nesta quinta-feira, dia 2 de julho, às 21h30, no Feitiço Mineiro, o espetáculo “Festivais 50 Anos”. Na banda, sobem ao palco Régis Torres (violão e direção musical), Jarbas de Souza (baixo), Rodrigo Souto (flauta) e Jorge Macarrão (percussão) – além da participação especial da cantora Myriam Greco. O show tem couvert de R$ 25,00 e classificação indicativa de 10 anos.

Os festivais mudaram o rumo da música popular brasileira. Por eles, passaram, e se tornaram conhecidos do público brasileiro, grandes nomes, como Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Djavan, Guilherme Arantes, Eduardo Dusek, Sandra de Sá, Oswaldo Montenegro, Joyce e tantos outros artistas da nossa música. Dada a grandiosidade dos eventos, o Brasil parava nas noites das grandes disputas. O ginásio Maracanãzinho e outros espaços, que sediaram as finais dos festivais, ficavam tomados por faixas, torcidas organizadas e uma tensão que se igualava, na época, às dos campeonatos de futebol.

Entre as 30 canções escolhidas para o repertório do show “Festivais 50 Anos”, estão “Disparada”, “Ponteio”, “Travessia”, “Dona”, “Planeta Água”, “Nostradamus”, “Verde” e “Andança”. “Os festivais de música somam repertórios lindos, que abrem a possibilidade de se fazerem diversos shows. Desta vez, vamos cantar as músicas que se tornaram mais conhecidas do público nesses 20 anos de festivais”, diz Salomão di Pádua. “Fizemos questão de incluir desde as músicas mais antigas até as vencedoras dos festivais da Globo dos anos 80”, completa Lúcia de Maria. O espetáculo é fruto de pesquisa da jornalista Célia Curto e tem produção da Redondilha – Comunicação e Educação com Arte.

SERVIÇO

Show “FESTIVAIS 50 ANOS” 

Intérpretes: Salomão di Pádua e Lúcia de Maria Banda: Régis Torres (violão e direção musical), Jarbas de Souza (baixo), Rodrigo Souto (flauta) e Jorge Macarrão (percussão) Participação especial: Myriam Greco Data: 2 de julho (quinta-feira) Horário: 21h30 Local: Feitiço Mineiro – CLN 306, bloco B Reservas: (61) 3272-3032 Ingressos: R$ 25,00 Classificação indicativa: 10 anos

  CONTATO COM A IMPRENSA: Célia Curto – 9298-4309 e 9338-7899 – curtocelia@gmail.com

30jun/150

Posto de saúde da 45 sem ambulância. Moradores reclamam

juarez~~aoo

O diretor administrativo do hospital de Brazlândia, Hélio Amaruzan e apadrinhado do deputado distrital, amigo da saúde, Juarezão, aprontou mais uma das suas, desta vez, deu ordem para que a única ambulância que ficava de plantão no Posto de Saúde 2 na quadra 45, fosse retirada deixando os pacientes que chegam a unidade em estado mais grave e que necessitam de remoção com mais urgência, esperando até uma hora para ter socorro.

Vários moradores dos setores da Vila São José e Novo Assentamento procuraram nossa reportagem e reclamaram da falta de consideração com os pacientes que procuram atendimento na unidade e que muitas das vezes precisam ser removidos para um atendimento mais complexo como: inicio de infarto, pressão alta, entre outros casos.

Segundo um morador próximo ao posto de saúde, que não quis se identificar, quando chega um paciente grave até solicitarem uma ambulância na unidade central, que muitas vezes não tem disponível, o paciente já piorou muito.

Em audiência com o secretário de Saúde na Câmara Legislativa do DF, proposta pelos deputados Reginaldo Veras (PDT) e Ricardo Vale (PT), o secretario de saúde do DF, João Batista, disse que o hospital de Brazlândia é o pior da rede. "Quando eu pego todas as nossas unidades de saúde, hospitais como o de Planaltina, de Brazlândia, são hospitais que realmente precisam ser substituídos porque têm problemas demais", disse João Batista.

E atitudes como está só piora a situação.

fonte: Noticias de Brazlândia

30jun/150

Contra redução da maioridade penal,estudantes marcham até o Congresso

Concentração aconteceu no Museu Nacional; grupo acampou no local.PEC que reduz maioridade para 16 anos deve ser votada nesta terça

Com faixa, estudantes ocupam faixas da Esplanada dos Ministérios em ato contra a redução da maioridade penal (Foto: Luciana Amaral/G1)

Do G1 DF

Contrários à redução da maioridade penal, estudantes marcharam até o Congresso Nacional na manhã desta terça-feira (30) para protestar contra a proposta de emenda à Constituição o que deve ser votada durante a tarde na Câmara dos Deputados. As seis faixas da Esplanada dos Ministérios chegaram a ser fechadas por cerca de 20 minutos.

A concentração começou às 9h, em frente ao Museu Nacional, com trio elétrico e faixas. De acordo com a organização, centenas deles acamparam na Esplanada dos Ministérios. 

Às 11h30, a Polícia Militar estimava que mil pessoas participassem do ato. Para os manifestantes, havia 2.000 pessoas na Esplanada. Além da União Nacional dos Estudantes, a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas e movimentos como Amanhecer Contra a Redução, Levante Popular da Juventude, Anistia Internacional e Fora do Eixo também enviaram representantes.

A presidente da Ubes, Bárbara Melo, comentou o ato em nota. “Estamos mobilizando cerca de 40 escolas e universidades de Brasília para este grande ato para impedir a redução. Estudantes de Santa Catarina, Goiás, Tocantins, Rio de Janeiro e São Paulo estão vindo participar. Esperamos mais de 5 mil pessoas aqui. Queremos mostrar que menos cadeias e mais educação é a solução.”

Para a estudante Isabela Nascimento, a marcha é importante para pressionar o governo. "A gente mostra para a sociedade que somos contra. Não acredito que a gente consiga resolver um problema tão complexo com uma solução tão simples."

"Outros países já diminuíram a maioridade e estão estudando voltar [ao patamar anterior] porque [a medida] não diminuiu a violência. E outra, quem vai ser preso vai ser o pobre. O rico vai arranjar uma maneira de não ficar na cadeia", completou a jovem.Um dos representantes da Ubes no Rio de Janeiro, Felippe Santana criticou a PEC. "A ideia é barrar esse retrocesso que o Congresso quer aprovar e enfiar goela abaixo. Três de cada quatro jovens que morrem são negros. A juventude é mais vítima do que autora da violência. Queremos investimento na educação."
24jun/150

Politica: Celina alertou em gravações que GDF poderia melhorar

Tentativa de desgastar Celina Leão com vazamento de áudios gravados ilegalmente  não funcionou

celina-leão-2

As gravações ilegais que foram para as redes sociais mostrando uma reunião com um grupo de parlamentares com o governador Rodrigo Rollemberg não trouxe muita surpresa. E ao contrário do que tentam mostrar, a presidente da Câmara Legislativa Celina Leão fez uma alerta ao chefe do executivo com vistas a melhoria de sua gestão.

A chefe do poder legislativo alertou da falta da classe politica na composição do governo de Rollemberg;" A classe politica, querendo ou não, precisa estar presente no governo do senhor. O senhor não tem um secretário deputado. Tô falando que pode ser deputado federal, pode ser deputado local. Querendo ou não, a classe politica tá fora do governo", declarou a leoa.

fonte: blogdogbu

24jun/150

Politica: Juarezão gravado ilegalmente pedindo mais cargos

fatia do bolo

O distrital Juarezão foi gravado em reclamação ao governador Rodrigo Rollemberg por mais espaço no governo. O distrital defendeu uma divisão maior e melhor do bolo politico aos parlamentares.

O encontro aconteceu no dia 14 de maio, no Buriti e contou com a presença de pelo menos 11 parlamentares e secretários do GDF. A divulgação em redes sociais das gravações não agradou os parlamentares que demonstraram insatisfação com o episódio. Veja matéria do Correio Braziliense dessa quarta - feira (24).

fonte: blogdogbu