4jan/170

GDF divulga nota sobre exoneração de vice-governador do DF

Michael Melo/Metrópoles

O GDF se pronunciou sobre a exoneração do vice-governador Renato Santana (PSD) do comando da Administração Regional de Vicente Pires nesta terça-feira (3/1). Em nota, o Executivo classificou a iniciativa como um “ato administrativo normal”, mas disse que um novo gestor “seguirá com maior rigor, eficácia e eficiência as orientações e diretrizes governamentais e, ao mesmo tempo, trará para o governo as reais necessidades da população e não temas de interesse desse ou daquele grupo político-partidário.”

A exoneração do vice-governador foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta terça-feira (3) e veio dois dias depois das críticas feitas por Santana à decisão do governo de reajustar em até 25% as passagens de ônibus e metrô. Durante a posse da Mesa Diretora da Câmara, o vice, que substituía Rodrigo Rollemberg (PSB) no evento, defendeu a demissão do gestor que propôs esse aumento, que já está valendo.

Foi mais um combustível para a crise entre o governador e o vice, que vem crescendo desde o começo da gestão de Rollemberg. Preocupado, o socialista deu meia-volta de Aracaju (SE), onde pretendia ficar descansando até o dia 9 de janeiro, e desembarcou em Brasília nesta segunda-feira (2) para administrar a crise provocada pelo aumento das tarifas do transporte coletivo

Ao Metrópoles, o vice-governador Renato Santa se mostrou indignado com a exoneração publicada no Diário Oficial: “Sugeri a demissão (durante a posse da Mesa Diretora) de quem sugeriu ao governador apenas a alternativa de aumento de passagens. E fui demitido de Vicente Pires sem nenhuma ligação do governador”.

Na nota divulgada pelo gabinete da Secretaria das Cidades, o GDF diz que a retirada de Santana e de sua equipe do comando da Administração de Vicente Pires “é um ajuste necessário, até porque é preciso que as administrações estejam mais sintonizadas com a comunidade e com o projeto político-administrativo do governo.”

fonte: Metróples

4jan/170

HÁ DEZENAS DE OPERAÇÕES POLICIAIS PENDENTES

PF TEVE DEZENAS DE OPERAÇÕES AUTORIZADAS NO FIM DO ANO PASSADO

 Operações policiais no âmbito da Justiça Federal serão retomadas com força este ano. Fontes ligadas a órgãos investigativos afirmam que dezenas de operações foram autorizadas no fim de 2016, antes do recesso. A maior parte das operações pendentes seriam fases de investigações em curso, como a Lava Jato, que apura a gatunagem na Petrobras nos governos do PT, e a Zelotes (fraude bilionária no Carf), mas há também a Janus e a Calicute, que prendeu Sérgio Cabral.As operações ordenadas pela Justiça não foram realizadas porque demandam planejamento e recursos, e não por falta de tempo.

Fonte: Diário do Poder

4jan/170

PHS paga o pato por ser da base sem ter o merecido espaço

O deputado Lira (PHS) não anda nada satisfeito com a divisão de cargos no governo de Rodrigo Rollemberg (PSB). Apesar de estar sempre com aparência calma, o parlamentar está para explodir.

“É muita falta de consideração comigo e com meu partido, que temos defendido  os pleitos do governo dele no legislativo, mesmo apesar do desgaste político, porque somos um partido que cumpre seu papel, que honra a palavra. Merecemos o devido espaço e exigimos acima de tudo, respeito”, disparou Lira, que além de ser da base do governo, também é o relator da CPI da Saúde, que ainda terá fortes e emocionantes capítulos nos próximos meses.

Por ser da base, ao menos até aqui, o PHS só está com o ônus, enquanto outros,  adversários usurpadores infiltrados no governo, vivem apenas do bônus. Acorda, governador…

Fonte: Donny Silva

4jan/170

Justiça dá 10 dias para governo do DF explicar reajuste de passagens

Decisão atende a um pedido do PMDB. Partido alegou que aumento é abusivo e não foi divulgado de forma ampla. Passagens passaram a custar até R$ 5

Passageiro embarca em ônibus do BRT Sul, em Brasília (Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília)

Passageiro embarca em ônibus do BRT Sul, em Brasília (Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília)

A Justiça do Distrito Federal deu dez dias para que o governo apresente justificativas que levaram ao aumento das tarifas de ônibus e do metrô. A determinação é desta terça-feira (3) e atende a um pedido do PMDB. Responsável pela área jurídica do governo, a Procuradoria-Geral do DF não se manifestou até a publicação desta reportagem.

No processo, o partido alegou à juíza Bruna de Abreu Farber que o aumento foi abusivo porque superou a alta do salário mínimo, que cresceu 6,5% – enquanto a tarifa mais cara de ônibus subiu 25%. O PMDB também alegou ter havido falta de publicidade do anúncio do reajuste, por ter sido feito no último dia útil de 2016.

"Ponto que deve ficar claro é que não justifica-se o interesse privado ficar acima do interesse público, pois nada justitfica que no período de crise que o país está enfrentando, com milhares de desempregados, exista um aumento com tamanha abusividade", afirmou o partido à Justiça na segunda (2). No processo, o PMDB pede que o Judiciário cancele o aumento por ter ocorrido "sem a devida análise dos valores".

Impasse

Nesta terça, após mais uma reunião sem acordo com o governador Rodrigo Rollemberg, o presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT), anunciou que vai convocar sessão extraordinária para o próximo dia 12. Em plenário, os deputados devem votar um decreto legislativo para revogar, por completo, o reajuste das tarifas de ônibus e metrô. Os preços novos foram anunciados na última sexta (30) e entraram em vigor nesta segunda (2), três dias depois.

A segunda reunião entre a Mesa Diretora da Casa e Rollemberg foi feita na residência oficial do governo, em Águas Claras. Os deputados voltaram a argumentar que o aumento é excessivo e não foi discutido com a sociedade ou com a Câmara. Já o governo diz que a tarifa nova é "indispensável" para manter o funcionamento do transporte público.

"Eu disse aos parlamentares que, no máximo, nós poderíamos reduzir de R$ 5 para R$ 4,50 a linha de integração, desde que a Câmara Legislativa aponte de onde tirar os recursos para cobrir essa diferença. Ou do orçamento da própria Câmara, ou da redução da gratuitudade para estudantes das escolas privadas que não precisam da gratuidade", declarou Rollemberg na saída do encontro.

Segundo o governador, para que as tarifas de ônibus de longa distância fossem reduzidas, a Câmara também precisaria confiramar o aporte de R$ 50 milhões do orçamento da Casa para ajudar o governo. Na reunião de segunda, os deputados prometeram destinar a verba para tentar evitar o aumento.

Na noite de segunda-feira, após a primeira rodada de negociações, Valle disse que tentaria reunir os distritais nesta quarta (4). De acordo com ele, a data foi adiada para garantir a viabilidade jurídica do decreto a ser votado. Ele disse que, entre os questionamentos, está o de que, para entrar em vigor, a medida precisaria do crivo da comissão de transportes.

Já o governador afirma que, para derrubar o decreto, a Câmara precisaria provar que a medida descumpra a Lei Orgânica ou na Constituição. O governador nega qualquer irregularidade no aumento e garante que se for derrubado pelos deputados, acionará a Justiça para manter as novas tarifas.

A sessão extraordinária precisa ser convocada com antecedência mínima de 24 horas. Para passar, o decreto que suspenderia os reajustes teria de ser apreciado por pelo menos 13 dos 24 deputados, e aprovado pela maioria simples entre os presentes. Se 20 comparecerem, por exemplo, seriam necessários 11 votos a favor do texto, em dois turnos.

Nas reuniões, os distritais chegaram a sugerir que Rollemberg adiasse a aplicação do reajuste por 15 dias – neste período, seria criado um grupo de trabalho para propor alternativas de subsídio ao transporte público. A ideia teria sido rejeitada pelo governador.

Segundo Valle, uma das alternativas seria a criação de uma "faixa azul" – estacionamentos pagos em pontos centrais da cidade para tentar equilibrar as contas com as empresas de ônibus. Nesta terça, o presidente da Câmara também reconheceu a necessidade de mudar os parâmetros adotados atualmente para garantir gratuidade das passagens para estudantes.

Na prática, o que deve ser discutido é a aplicação do passe livre estudantil para alunos de instituições particulares. O modelo já é aplicado em capitais como São Paulo e Rio de Janeiro.

"É claro que é possível [diminuir a gratuidade]. Não é diminuir a gratuidade para quem precisa, tem que ser uma questão social. É fazer uma supervisão melhor, tirar fraudes, trabalhar de uma forma que a gestão possa ser melhorada. A forma como está a sociedade não aguenta mais", declarou Valle.

"A questão do aumento pode até existir, mas em outro momento. Ele (o governador) simplesmente aumentou. Ele não ouviu o conselho, não ouviu a população, fez de forma açodada (apressada). Ele poderia ter feito várias ações antes de ter ajustado as passagens", criticou o vice-presidente da Câmara, deputado Wellington Luíz (PMDB), que participou da reunião.

Em entrevista ao G1 nesta terça, Rollemberg afirmou que o aumento foi anunciado no último dia útil de 2016 porque era o prazo limite para fechar o orçamento. Segundo ele, o governo decidiu arcar com a impopularidade da decisão para evitar um colapso no sistema.

“É claro que a gente tem consciência de que não é bom do ponto de vista da popularidade fazer um aumento da tarifa de ônibus. Nós estamos fazendo por absoluta necessidade para que o sistema possa continuar funcionando e servindo à população”, disse.

Enquanto a Câmara não consegue derrubar a medida do GDF, as tarifas se mantêm conforme o aumento. À população, o deputado Raimundo Ribeiro (PPS) recomendou mobilização. "Peço que se manifestem. Se manifestem de forma ordeira, vão para a Praça do Buriti para mostrar a insatisfação. Porque (o aumento) é inexplicável e o governador insiste em não querer explicar."

O novo presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT) (Foto: TV Globo/Reprodução)

O novo presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT) (Foto: TV Globo/Reprodução)

Aumento

Os valores passaram de R$ 2,25 para R$ 2,50 nas linhas circulares e alimentadoras do BRT (aumento de 11%); R$ 3 para R$ 3,50 (aumento de 16%) em linhas metropolitanas "curtas"; e de R$ 4 para R$ 5 (aumento de 25%) no restante das linhas, além do metrô.

As novas tarifas estão entre as mais caras do país. Na comparação com o primeiro semestre de 2015, a tarifa mais cara já acumula alta de 66%. Segundo o governo, com o reajuste, a estimativa é de economizar R$ 180 milhões.

A nova tabela foi anunciada no último dia útil de 2016, sob a justificativa de que esta é a única saída do governo para manter o sistema de transporte público funcionando. Segundo o GDF, o reajuste deve cobrir as gratuidades oferecidas a estudantes, idosos e deficientes. O Buriti diz subsidiar 50% dos custos do sistema.

Este é o segundo aumento nas passagens ocorrido na gestão do governador Rodrigo Rollemberg, que assumiu o Buriti em 2015. O anterior ocorreu em setembro do ano passado e gerou protestos. Até então, os valores do tíquete de ônibus eram os mesmos desde 2006 e os de metrô, desde 2009.

3jan/170

Politica: Rollemberg vai trabalhar para não mudar cenário

Governador vai testar sua base na convocação extraordinária do parlamento (12/01) feita pelo pelo presidente Joe Valle, que tem como proposta derrubar o veto do aumento das passagens

rollemberg

A reunião que buscava o entendimento entre os poderes com vistas a possível revogação dos preços das passagens no DF, parece que não chegou a um entendimento entre o governador Rodrigo Rollemberg e membros do poder legislativo na tarde dessa terça- feira (3).

O blogdogbu ouviu uma fonte de dentro do Palácio do Buriti que adiantou que o chefe do executivo vai usar duas frentes para frear a iniciativa do poder legislativo pela a revogação do aumento das passagens.

A primeira frente será no plenário do poder legislativo e segundo a fonte, o socialista vai trabalhar com sua base para evitar a revogação de seu ato. Caso não sai vitorioso na proposta, o chefe do executivo vai buscar os meios jurídicos. Isso quer dizer que Rollemberg não vai abrir mão do decreto.

fonte: Redação

3jan/170

Distritais jogam desfecho do aumento das tarifas para semana que vem

 Em mais uma rodada de negociação para discutir o aumento das passagens de ônibus e metrô na tarde desta terça-feira (3/1), distritais e o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) não chegaram a um acordo. Diante do impasse, o presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT), disse que vai convocar uma sessão extraordinária para o próximo dia 12 para discutir um projeto legislativo que pode anular o reajuste.

Segundo Joe, o comando da Câmara propôs que o GDF suspendesse o aumento por 15 dias enquanto seguiam as discussões sobre o assunto entre a Câmara e o Executivo. Mas o presidente da Câmara diz que o governador não aceitou a proposta. “Como não avançamos na discussão nesse sentido, estamos indo à Câmara para fazer convocação extraordinária para quinta que vem”, disse ao final da reunião ocorrida na Residência Oficial de Águas Claras.

A primeira tentativa de negociação na segunda-feira entre os parlamentares e o governador também saiu sem consenso. Na ocasião, o chefe do Executivo disse que pode entrar na Justiça, caso os distritais revoguem o decreto que autorizou o aumento das passagens.

Além da pressão política, o Executivo terá de lidar com a insatisfação popular. O fim da tarde de segunda (2) foi marcado por protesto na área central de Brasília, que travou o trânsito no horário de pico. A manifestação foi acompanhada pela Polícia Militar, mas não houve confronto. Nesta quarta (4), os manifestantes prometem se reunir no mesmo local, também no fim de tarde, para pressionar o governo.

As novas tarifas foram anunciadas na última sexta (30) pelo governo e representam a segunda elevação nos preços do transporte desde o início do governo Rollemberg. Os valores passaram de R$ 2,25 para R$ 2,50 nas linhas circulares e alimentadoras do BRT (aumento de 11%); R$ 3 para R$ 3,50 (aumento de 16%) nas linhas metropolitanas “curtas”; e de R$ 4 para R$ 5 (aumento de 25%) no restante das linhas, além do metrô. (Aguarde mais informações). Informações: Metrópoles.

3jan/170

FUGITIVO DE PRESÍDIO EM MANAUS POSTA SELFIE NO FACEBOOK

FOTO DE CONDENADO POR TRÁFICO DE DROGAS VIRALIZOU NO FACEBOOK

3jan/170

Diante Do Caos Instalado No DF, Por Onde Andam Os Senadores Reguffe E Cristovam, Avalistas Da Candidatura De Rollemberg?

A cidade está jogada às traças, com grave crise na área de transporte público, denúncias, buracos, falta de recursos na saúde e infraestrutura, anúncios de greves, servidores revoltados, empresários decepcionados que deixam o DF , lentidão absurda do governador  e mesmo neste cenário catastrófico, os dois senadores que apoiaram intensamente a candidatura de Rodrigo Rollemberg ao Buriti em 2014, Reguffe e Cristovam,  simplesmente sumiram nos últimos dias. Continuam silenciosos, como de costume, diante de graves crises políticas. São dois omissos diante de tantos problemas que afetam o DF.

 

 

Fonte: Donny Silva

3jan/170

Homem mata a mulher a facadas e depois se suicida no Riacho Fundo I

Uma mulher de 41 anos foi morta nesta terça-feira (3/1) pelo companheiro, dentro de casa, na QN 5 do Riacho Fundo I. Segundo informações preliminares da polícia, Maria de Fátima da Silva Araújo foi assassinada a facadas e o homem, identificado como Gildásio de Oliveira Meira, 53 anos, se matou em seguida.

O crime ocorreu por volta das 11h20. A Polícia Militar foi acionada por vizinhos. Chegando ao local, os policiais encontraram a mulher esfaqueada e o homem morto, com os pulsos cortados e enforcado. A perícia da Polícia Civil foi acionada para o local e a 29ª Delegacia de Polícia (Riacho Fundo I) investiga o caso.

3jan/170

Rollemberg mostra ao vice quem manda

O governador Rodrigo Rollemberg não está para brincadeira. Na manhã desta terça-feira,3, sem dó e nem piedade o governador exonerou não só o vice-governador Renato Santana da Administração de Vicente Pires, como também demitiu parte de seus assessores. Dizem que a retaliação correu por causa do discurso crítico na posse do presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT). Ledo engano. 

O governador interrompeu as suas férias não foi por causa da revolta coca-cola da CLDF, mas, sim por causa de Renato Santana. Rollemberg recebeu informações de que Santana estava disposto a revogar o decreto que aumentou as passagens de ônibus e metrô. As críticas de Santana só encorajou, o socialista a pegar o avião e resolver logo a questão. Inclusive havia gente incitando Renato nos bastidores. O governador estava sendo informado de tudo em tempo real. 

Segunda parte 

O encontro com os deputados distritais da Mesa Diretora da Câmara Legislativa na noite desta segunda-feira,2, foi mera formalidade. Rodrigo já sabia o que iria falar e a sua disposição em suspender o decreto era zero e assim foi feito. 

Poucos sabem, o governador Rodrigo Rollemberg lida bem com as críticas de parte da imprensa e muitas vezes é educado nas respostas. O governador não tolera de forma é rebeldia de aliados e o vice caiu nessa esparrela. Nessas horas Rodrigo é implacável. 

A dissidência de Renato Santana custou caro. Podemos dizer que a relação entre PSD e PSB que não era boa subiu no telhado. O desgaste não vem de hoje, desde a crise da Saúde o governador mantinha uma certa distância do seu vice. Agora o caldo entorna de vez. 

Por trás das exonerações há um recado claro de Rodrigo: No Palácio do Buriti quem manda é ele. Quer mandar? Dispute a eleição. 

Renato Santana sentiu que com "Rodrigão" não se brinca. 

Fonte: radiocorredor
3jan/170

Urgente! Reunião entre distritais e governador

Saiu no site da Câmara Legislativa 

A Mesa Diretora da Câmara Legislativa deve realizar nesta terça-feira mais uma rodada de negociações com o governador Rodrigo Rollemberg sobre o reajuste das passagens de ônibus e do metrô, que entrou em vigor na última segunda-feira (2). Já estão confirmadas as presenças do presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), do vice-presidente, deputado Wellington Luiz (PMDB), e do terceiro secretário, deputado Raimundo Ribeiro (PPS). Os distritais negociam com o governador a suspensão do aumento das passagens até que sejam discutidas alternativas para financiar o sistema de transporte público.

Será que há chances para um entendimento? A reunião acontece nesse momento na residência oficial de Águas Claras. 

Daqui a pouco voltamos com mais informações 

Fonte: blogdoodir

3jan/170

CAFÉ SERVIDO FRIO, RENAN É IGNORADO NO GOVERNO

TELEFONEMAS E PEDIDOS DO PRESIDENTE DO SENADO TEM SIDO IGNORADOS

TELEFONEMAS E PEDIDOS DO PRESIDENTE DO SENADO TEM SIDO IGNORADOS

3jan/170

Após críticas, vice do DF é demitido por Rollemberg da administração de Vicente Pires

Exoneração de Renato Santana foi publicada no Diário Oficial desta terça. Vice era administrador interino da região desde março de 2015

Vice governador do DF, Renato Santana, em entrevista para TV Globo (Foto: TV Globo/Reprodução)

Vice governador do DF, Renato Santana, em entrevista para TV Globo (Foto: TV Globo/Reprodução)

 O governador Rodrigo Rollemberg exonerou o vice-governador Renato Santana da administração regional de Vicente Pires, no Distrito Federal. A decisão foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (3) e a demissão de Santana foi estendida para parte de sua equipe. Júlio Menegotto será o novo administrador interino de Vicente Pires a partir desta terça (3).

A assessoria do vice-governador informou que a decisão já era esperada. Ainda de acordo com a equipe dele, Santana recebeu um telefonema do governador Rollemberg, nesta terça, avisando da necessidade de fazer ajustes e comunicando a decisão.

Exoneração de Renato Santana publicada no Diário Oficial (Foto: Reprodução)

Exoneração de Renato Santana publicada no Diário Oficial (Foto: Reprodução)

 Santana era administrador interino da região desde março de 2015. A saída dele se dá após críticas ao reajuste das passagens decretado pelo governador Rollemberg no último dia útil de 2016. Na posse da Mesa Diretora da Câmara Legislativa, o vice-governador disse ter solicitado estudos da secretaria da Mobilidade para rever os índices se fosse necessário. Ele declarou não ter sido consultado sobre o aumento porque seria um “mero vice”.

Além dessas declarações, na virada do ano, Santana foi celebrar o réveillon com policiais da 12ª DP de Taguatinga e postou vídeo nas redes sociais contestando as condições de trabalho dos policiais e de manutenção da delegacia.

Há pouco menos de um ano o vice-governador subiu o tom nas críticas à gestão de Rollemberg. Em 28 de janeiro de 2016 ele afirmou que existia uma “economia equivocada” nas ações de combate à dengue. A declaração foi feita logo após sua cunhada, Cristina Santana, ter morrido de dengue hemorrágica.

“Quantas 'Cristinas' morrem todos os dias pela economia equivocada, em alguns momentos, de dinheiro na crise enquanto alguns tecnocratas ainda persistem em não se mexer para ver que o mundo real é muito diferente da bolha de gabinetes?”, escreveu o vice-governador.

2jan/170

Governo do DF volta atrás e reativa passe livre de estudantes em férias

Benefício tinha sido suspenso na manhã desta segunda. Segundo o DFTrans, cartão só valeria para meses letivos, mas foi 'revalidado' para garantir reposições e cursos de verão

Governo do DF volta atrás e reativa passe livre de estudantes em férias

O governo do Distrito Federal voltou atrás e decidiu "reativar" os cartões do Passe Livre Estudantil ainda nesta segunda-feira (2). O benefício tinha sido suspenso pela manhã, sob o argumento de que os estudantes estariam em período de férias e, por isso, não teriam direito às passagens. Segundo o DFTrans, a medida foi tomada para garantir atividades como reposições de aulas e cursos de verão.

Em nota, o órgão que gerencia o transporte público do DF informou que a lei mais recente sobre o Passe Livre prevê, "no mínimo, 27 trajetos de ida e volta por mês e por estudante, durante o período letivo". Já uma portaria do próprio DFTrans emitida em janeiro, segundo o órgão, prevê que o cartão deve funcionar apenas durante o período letivo.

"Ou seja, o cartão é válido para meses letivos, o que não é o caso do mês de janeiro. Independentemente disso, o Governo de Brasília manteve o benefício ativo, em função de situações como reposições de aulas e cursos de verão. Para tanto, os validadores foram reprogramados, de modo que os cartões prossigam operando normalmente", afirma o DFTrans, em nota enviada ao G1.

Têm direito ao passe livre estudantes de escolas públicas, cursos, universidades e faculdades de todo o Distrito Federal. Com o benefício, o estudante tem direito a até 54 acessos mensais, podendo ter mais viagens acrescidas caso o estudante utilize mais ônibus diariamente.

De acordo com o GDF, foram gastos com o Passe Livre estudantil em 2016 mais de R$ 64 milhões. O valor representa os repasses feitos às empresas de ônibus, já que o governo arca com as passagens dos estudantes. Em 2015, o valor gasto com o passe livre foi de quase R$ 48 milhões.

O benefício, inclusive, é um dos motivos apontados pelo governo como justificativa para o aumento nas tarifas de ônibus e metrô no DF, que passou a valer nesta segunda. Com isso, passagens que antes custavam R$ 4 agora são R$ 5; a de R$ 3 passam para R$ 3,50; e as viagens que valiam R$ 2,25 agora custam R$ 2,50. De acordo com o governo, o DF o procentual pago com viagens grauitas chega a 33%, enquanto nos outros estados a média é de 15%.

2jan/170

Dona Irene, fundadora da Comunhão Espírita no DF, morre aos 94 anos

 Morreu a fundadora da Comunhão Espírita de Brasília, Irene Martins de Souza Carvalho, 94 anos. Ela estava internada há cerca de um mês, quando apresentou complicações por causa de uma pneumonia, e não resistiu. Dona Irene, como é conhecida, chegou no Distrito Federal em 1960.

O marido, Mário Carvalho, também já falecido, veio antes com um irmão, em 1958, para definir onde seria instalada a sede da entidade.Junto com Mário, D.Irene também fundou o Nosso Lar, no Núcleo Bandeirante, que abriga crianças em situação de risco. São mais de 90 meninos e meninas, de várias idades. Em vida, a fundadora atuou no teatro, com mais de 30 peças encenadas, todas com a temática espírita como pano de fundo, e escreveu diversos livros.D. Irene morreu na noite deste domingo (1º/1) no Hospital Daher, no Lago Sul.

De acordo com a presidente da Comunhão, Maria Luiza Bezerra, o velório vai ocorrer das 11h às 15h, no salão principal da entidade, localizada na 604 Sul. O corpo será sepultado por volta das 15h30, no cemitério Campo da Esperança. Irene deixa três filhos e netos.“A Irene é uma das melhores pessoas que eu conheci. Tive contato com ela em todo o tempo que estou na presidência da Comunhão. Ela era uma pessoa adorável. Muito amada e querida por todos. Essa é, sem dúvida, uma perda muito grande não só para a Comunhão, mas para o movimento espírita como um todo”, disse Maria Luiza. Informações: Metrópoles.