27jun/160

Rosso na fita

O deputado federal, Rogério Rosso (PSD-DF) está com o seu nome nos holofotes. Esse final de semana Rosso apareceu como provável sucessor do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

 O nome do parlamentar brasiliense agrada e muito o presidente da República, Michel Temer(PMDB). Caso Cunha se afaste Rosso já está escalado para ser o presidente da Câmara dos Deputados até o final do ano.

Sua atuação como presidente do impeachment ainda rende frutos a Rogério Rosso até hoje. Cenas dos próximos capítulos.

Fonte: blogdoodir
27jun/160

PTB do Distrito Federal sob nova direção

liliane-roriz-veja

Apesar dos esforços do ex-senador Gim Argello de fazer um sucessor na presidência do PTB-DF, o compromisso da deputada Sandra Brasil (PTB-DF), filha de Roberto Jefferson, é de entregar o comando da legenda no DF para a deputada distrital Liliane Roriz. Por ora, é a única parlamentar filiada à legenda, que tem na executiva regional apenas pessoas ligadas a Gim.

 

Fonte: CB.Poder

27jun/160

Rollemberg contrata 139 servidores na saúde e 155 policiais civis

Nomeações serão divulgadas no Diário Oficial desta segunda-feira.Médicos, técnicos e enfermeiros estão entre os convocados

 Do G1 DF
Governador Rodrigo Rollemberg durante evento anunciando mudanças na dívida com União (Foto: Renato Araújo/Agência Brasília)

Governador Rodrigo Rollemberg durante evento no Palácio do Buriti (Foto: Renato Araújo/Agência Brasília)

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, anunciou a nomeação de 139 servidores na saúde, entre técnicos, enfermeiros, médicos e especialistas, e 155 policiais civis, entre agentes e escrivães, nesta segunda-feira (27). As informações serão divulgadas no Diário Oficial.

“Com isso, nós esperamos melhorar o atendimento à população especialmente na saúde e na segurança. Esses servidores da saúde atenderão basicamente na UPA de Sobradinho, já que nós temos vários contratos temporários sendo encerrados em junho, julho e agosto. Com essas contratações, nós já completamos no nosso governo o chamamento de 2.243 servidores na saúde, concursados e 366 policiais civis na área de segurança. Nós chamaremos ainda na primeira quinzena de agosto, mais 155 policiais civis”, disse.

De acordo com Rollemberg, as contratações terão “impacto significativo” para o governo, mas têm previsão orçamentária. O DF tem tido limitações em relação ao funcionalismo público por causa de imposições da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Mesmo com aumento de impostos desde janeiro, os gastos do governo com servidores permaneceram acima do permitido nos quatro primeiros meses de 2016. As despesas com pessoal atingiram 47,08% da receita corrente líquida (somatório dos impostos), segundo relatório divulgado nesta segunda-feira (30) no Diário Oficial. O limite de alerta é de 44,1% e o prudencial, de 46,55%.

Com isso, o governo segue impedido de aumentar o número funcionários (as contratações ocorrem em substituição a aposentadorias e demissões, por exemplo), conceder aumentos, criar cargo de qualquer natureza, alterar carreiras aumentando a despesa ou contratar horas extras fora da área de Saúde pelos próximos 120 dias.

27jun/160

GDF estima gasto de R$ 15 milhões para sediar Fórum Mundial da Água

Evento acontece em março de 2018; aluguel de estádio será descontado.Encontro vai trazer 40 mil pessoas ao DF, estima governador Rollemberg

 Do G1 DF
O governador Rodrigo Rollemberg durante evento para tratar do Fórum Mundial da Água (Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília)

O governador Rodrigo Rollemberg durante evento para tratar do Fórum Mundial da Água (Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília)

O governo do Distrito Federal pretende gastar até R$ 15 milhões para sediar a oitava edição do Fórum Mundial da Água, em março de 2018. O valor inclui investimentos que começam a ser feitos agora, na preparação para o evento. Parte do recurso deve vir de parcerias com empresas privadas e emendas de deputados federais, afirmou o governador Rodrigo Rollemberg nesta segunda-feira (27).

Segundo o GDF, todo o evento deve custar R$ 80 milhões. Desse total, R$ 50 milhões serão financiados pela iniciativa privada. O restante será dividido entre o GDF e o governo federal. Segundo o governador, o aluguel de espaços como o estádio Mané Garrincha e o Centro de Convenções será descontado dessa soma.

A oitava edição do fórum vai ser a primeira a ocorrer no hemisfério sul. O tema será “compartilhando água”, seguindo o conjunto de metas internacionais que devem ser atendidas até 2030, estipuladas pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Em 2018, são esperados 30 mil representantes de mais de cem países para discutir temas relacionados aos recursos hídricos e promover maior conscientização do uso do recurso.

De acordo com o governador, o evento deve movimentar o turismo, o setor hoteleiro e o comércio local, com a chegada de 50 mil pessoas a Brasília. O encontro mundial também pode trazer outras vantagens ao DF, segundo ele.

“O legado vai ser um salto na conscientização da população”, disse. “Teremos atuação firme, com Brasília sugerindo propostas concretas em relação ao uso da água.”

Mesmo sem adiantar medidas que o GDF poderia propor ao fórum, Rollemberg anunciou que o uso consciente e sustentável da água será uma das prioridades do currículo de alunos da rede pública e privada do DF nos próximos dois anos. Ele também afirmou que questões como a da barragem de Mariana, em Minas Gerais, que se rompeu em novembro do ano passado, serão abordadas no evento.

Águas Emendadas

Nesta segunda, o GDF anunciou que o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa) retomaram as negociações para ampliar os projetos na Estação Ecológica de Águas Emendada, em Planaltina. Em visitas periódicas, representantes das duas instituições analisam a situação da unidade para entender os níveis de ameaça de degradação ambiental.

A ideia é que o espaço se torne um centro de difusão de práticas agrícolas e de preservação. Desde 2014, existe um acordo de cooperação técnica entre os dois órgãos para executar ações de proteção ambiental, pesquisa científica e educação no local.

27jun/160

Mudança na ‘Lei do silêncio’ deve ser votada em 30 de agosto no DF

Distritais querem debate, diz Vale; comissão geral ocorre em 11 de agosto. Votação foi anunciada para 1º semestre, mas 'lei do Uber' dificultou debate 

Lucas NaniniDo G1 DF

A votação do projeto que altera a “Lei do Silêncio” no Distrito Federal, anunciada para ocorrer antes do recesso de meio de ano na Câmara Legislativa, pela presidente da Casa, Celina Leão (PPS), deve acontecer em 30 de agosto, informou o autor da proposta, deputado Ricardo Vale (PT). Segundo ele, um grupo de parlamentares pediu para que houvesse mais debate sobre o tema antes de levar o texto a plenário.

Em processo no Legislativo desde maio do ano passado, o projeto aumenta os limites de emissão sonora e muda os parâmetros da denúncia. Pela proposta, o índice máximo permitido para áreas residenciais passa de 65 decibéis para 75 decibéis, durante o dia, e de 55 decibéis para 70 decibéis, à noite.

A votação estava prevista para acontecer até a próxima quinta (30), quando acontece a última sessão do semestre. Quando anunciou a decisão sobre o tema ainda para a primeira parte do ano, Celina afirmou que os prazos nas comissões já haviam vencido e que o texto iria a plenário antes do recesso.

Segundo Vale, a mudança de data foi uma solicitação de um grupo de parlamentares. “Fizemos uma reunião sobre o Uber, a Celina levantou a questão e alguns deputados pediram para a gente deixar a votação para 30 de agosto. No dia 11 [também de agosto] a gente vai fazer uma comissão geral, para fazer mais um debate, para chamar a sociedade para a discussão.”

A própria discussão sobre os aplicativos, que se alongou no decorrer da semana passada, acabou impedindo os deputados de se aprofundarem no assunto.

“A falta de consenso na questão do Uber acabou atrasando as conversas sobre a ‘Lei do silêncio’. E o caso do Uber é mais fácil porque 93% da população querem. A ‘Lei do silêncio’ divide a população. Por esse ponto de vista é muito mais difícil”, afirma Celina Leão.

Com mais tempo para debater as mudanças, o governo do DF terá também mais prazo para participar das discussões e elaborar uma proposta que entenda ser o melhor para a situação, de acordo com Vale.

A falta de um posicionamento do GDF é questionada por parlamentares. Um dos que pedem mais envolvimento do governo no debate é Claudio Abrantes (Rede), que está entre os parlamentares que pediram mais tempo para debater as mudanças na "Lei do silêncio."

Segundo ele, a ideia é usar este prazo para criar uma proposta equilibrada e também para esperar que o GDF se posicione, que participe da discussão. “Queremos resolver a questão de maneira mediada, que assegure o descanso dos moradores, mas também que permita a realização das atividades culturais em Brasília.”

A Secretaria da Casa Civil do DF informou que o governo já se reuniu com todas as partes envolvidas, como os prefeitos das quadras, entidades de classes, associações de moradores e de comerciantes e classe artística, entre outros, e que estuda uma proposta que possa atender a todos os lados. O GDF informou que deve enviar o projeto à Câmara no início do segundo semestre.

Limites de emissão de ruído em área externa, definidos em 2008; empresários dizem que valores estão defasados (Foto: Reprodução)

Limites de emissão de ruído em área externa, definidos em 2008; empresários dizem que valores estão defasados (Foto: Reprodução)

A legislação em vigor foi proposta pelo ex-deputado Wilson Lima (PR) e sancionada em 30 de janeiro de 2008. “É uma lei que na verdade é totalmente desproporcional ao que já existe na realidade prática. Se você frequentar qualquer bar ou restaurante, mesmo sem música ao vivo, já está acima do limite de decibéis”, disse o presidente da Associação de Bares e Restaurantes do DF, Rodrigo Freire Aragão, a favor da alteração.

O texto que será levado a plenário também extingue a denúncia anônima e prevê que a medição do som seja feita na casa ou apartamento do denunciante, com portas e janelas fechadas, e não mais no local da fonte emissora (bar, restaurante ou igreja, por exemplo).

Alguns deputados defendem que o texto de Ricardo ainda precisa de discussão. Procurado peloG1 quando a votação do projeto foi anunciada para o primeiro semestre, o relator da Comissão de Meio Ambiente na Câmara, Cristiano Araújo (PSD) disse que a proposta trouxe avanços, mas que é preciso ajustar alguns pontos, como trecho sobre os níveis de decibéis.

“Alguns especialistas, pessoal dos conselhos de quadras, os moradores do Plano Piloto, em geral são contra. Tem toda uma discussão ainda. O que conversei com o Ricardo é que a gente precisa criar um consenso”, afirmou.

Apesar das polêmicas, o autor da proposta espera que o projeto seja de fato levado a plenário na data prevista. "Percebo que a maioria quer que a lei mude, pois é uma lei que não é possível ser cumprida. O certo é que essa lei vai ser alterada. Não sei se vai ser por emendas, se vão surgir estudos do governo. Nós queremos votar de uma vez para acabar com esses conflitos”, diz Vale.

27jun/160

PETISTAS NO GOVERNO ESPIONAM TEMER PARA DILMA

SUSPEITA É QUE DOCUMENTOS SÃO COPIADOS PARA TURMA DE DILMA

espionagem

Com a demora na substituição de petistas herdados do governo Dilma, ocupantes de cargos de direção e assessoramento superior estariam fazendo cópias clandestinas de informações estratégicas do governo Michel Temer para serem repassados à equipe de Dilma Rousseff, segundo setores de inteligência. O temor é que os vazamentos deixem a administração vulnerável a boicotes e até a ações de sabotagem. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O governo suspeita que estariam sendo feitas cópias de informações em instituições como Dataprev, Funai, Funasa e INSS.

Ministros palacianos dizem que “os dados estão sendo espelhados”, um eufemismo para furto de informações.

Há mil nomeações pendentes, mas o governo continua à espera da liberação pela Abin, encarregada de verificar a ficha de cada indicado.

Acendeu o sinal vermelho no governo quando um convênio de R$ 100 milhões da Dataprev foi copiado e ninguém encontrou o responsável.

27jun/160

Moro ‘reativa’ todos os inquéritos contra Lula

Os inquéritos e processos de busca e apreensão e quebra de sigilos que têm como alvo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua família foram reativados, na sexta-feira (24), pelo juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, em Curitiba — origem do escândalo da Petrobras.

São frentes que apuram corrupção e lavagem de dinheiro na compra e reforma do sítio, em Atibaia (SP), no negócio do tríplex do Condomínio Solaris, no Guarujá (SP), nos pagamentos para a LILS — empresa de palestras do ex-presidente — e nas doações para o Instituto Lula, entre outros.

“O eminente ministro Teori Zavascki determinou, acolhendo parecer do exmo. procurador-geral da República, a devolução do inquérito. Tendo os autos retornado, traslade-se para estes autos cópia do parecer apresentado no Inquérito 4220 e cópia da decisão de 13 de junho de 2016 na Reclamação 23.457″, despachou Moro, que conduz todos os processos da Lava Jato em primeira instância.

O Supremo Tribunal Federal, por ordem do ministro Teori, havia decretado a suspensão da tramitação das investigações contra Lula, sob tutela de Moro, na Justiça Federal em Curitiba, em liminar que acolheu pedido da defesa do ex-presidente, que questionou a competência da força-tarefa em primeiro grau judicial de conduzir os casos.

Alguns dos inquéritos, como o da compra do Sítio Santa Bárbara, em 2010, e da reforma executada no imóvel pela Odebrecht, OAS e pelo pecuarista José Carlos Bumlai, estão em fase final, prontos para serem transformados em denúncia formal.

Sigilo

Nesta sexta-feira (24), ao receber de volta os processos de Teori o juiz da Lava Jato determinou que os inquéritos devem “tramitar exclusivamente entre Ministério Público Federal e autoridade policial”. Mas ordenou que “deverá ser observado o sigilo decretado pelo STF”, em procedimento de quebra que resultou na interceptação telefônica que captou conversas de Lula.

Nesses diálogos, o ex-presidente foi pego em diálogo com a presidente afastada, Dilma Rousseff — a prova foi invalidada por decisão de Teori —, um dia antes de ser nomeado por ela ministro da Casa Civil.

“Ressalve-se, por óbvio, o diálogo datado de 16 de março de 2016, entre o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a Exma. Presidente da República Dilma Rousseff, atualmente afastada, já que invalidado”, reforça Moro.

O juiz da Lava Jato determinou ainda que as defesas dos investigados reapresentem a ele “os pedidos formulados perante o Supremo Tribunal Federal”.

Desde o início das investigações, o Instituto Lula e os advogados do petista têm reiterado que ele nunca praticou qualquer ato ilícito. O Instituto e a defesa reafirmam enfaticamente que o tríplex do Guarujá e o sítio Santa Bárbara, de Atibaia, não pertencem a Lula. Os valores recebidos pela LILS são relativos a palestras realizadas pelo ex-presidente. Informações do Estadão.

27jun/160

Politica: projeção fora de hora em Brazlândia

Responsável pela fracassada carreata dos 6 carros em Brazlândia, o agora pré- candidato Zé Carlos do Gás vem buscando adeptos para sua candidatura em 2018

Pré- candidato Zé Carlos com escudo do flamengo

Pré- candidato Zé Carlos com escudo do flamengo

O grupo oposicionista ao distrital Juarezão na cidade de Brazlândia anda em agonia constante para aparecer e fazer da simples critica um verdadeiro palanque politico.

O pré- candidato á distrital Zé Carlos do Gás, vem sendo criticado por transformar falatório em zoada e criticas em campanha antecipada.

Vale lembrar que o agora oposicionista Zé Carlos do Gás, até pouco tempo era um ferrenho cabo eleitoral do distrital Juarezão e por motivos que ele prefere não falar, decidiu virar pré- candidato á distrital com o intuito de atrapalhar o projeto de reeleição do parlamentar do PSB, colocando o interesse coletivo em segundo plano.

Não se pode negar que o homem do gás, faz um discurso de defensor dos fracos e oprimidos, mas nega até a morte que vem procurando partido politico para viabilizar sua possível candidatura a distrital em 2018.

Já tem gente falando na cidade que as conversas do pré- candidato do gás já vem se tornando repetitiva e que o mesmo gosta de usar as pessoas para massagear seu ego pessoal e alimentar  o seu maluco projeto oposicionista. Estamos de olho!!!!

 

fonte: Redação

 

26jun/160

Administradores na mira

Na mira 

 

O Tribunal de Contas do Distrito Federal investiga a realização de obras públicas contratadas pelas Administrações Regionais por meio de convite feito às empresas. Possíveis fraudes em serviços de pequeno porte foram apontadas na Operação Atape, deflagrada pela Polícia Civil na última terça-feira, dia 21 de junho de 2016. O Tribunal, inclusive, havia repassado à PCDF várias informações sobre os diversos processos de fiscalização que tramitam na Corte.

Na mira 2 

 

Após analisar uma denúncia feita pelo Ministério Público de Contas (Processo 18759/2015), o TCDF verificou que 27 Administrações Regionais contrataram 232 empresas de engenharia entre 2011 e 2014. Durante esse período, foram realizadas 1.259 obras por meio de convite, totalizando R$174.377.785,24. Ele pode ser feito a empresas quando o valor da obra não ultrapassar R$ 150 mil e desde que haja pelo menos três ofertas. Apesar dessa modalidade estar prevista na Lei de Licitações, foram encontrados indícios de irregularidades e possível superfaturamento.

Na mira 3

 

Segundo os auditores do TCDF, um suposto fracionamento irregular das contratações pode trazer prejuízos aos cofres públicos. De acordo com o relatório técnico, os objetos das obras contratadas pelas administrações são, em regra, simples e similares. A grande maioria refere-se à urbanização de vias e logradouros, ao plantio de grama, à recuperação de praças, etc. Essa similaridade dos serviços justificaria a aglutinação em uma licitação maior e mais vantajosa para o GDF. 

Na mira 4

Além disso, há fortes indícios de que empresas que atuaram em conjunto nesses convites têm vínculos societários. A representação do MPC/DF aponta que há empresas com os dados bancários idênticos e sócios coincidentes. “É perfeitamente plausível que certos grupos de empresas estejam agindo em conluio, repartindo entre si um mercado formado por licitações irregularmente fracionadas por várias Administrações Regionais”, pontua o relatório técnico do Tribunal. 

Na mira 5 

  

Para aprofundar a investigação, o TCDF autorizou a realização de auditoria no segundo semestre deste ano (Decisão 3229/2015) para verificar a ocorrência de sobrepreços ou superfaturamentos nas obras de pequeno porte realizadas nas RAs. A partir de julho, os auditores do TCDF vão fazer visitas in loco; examinar detalhadamente projetos, planilhas e composições de custos; medir áreas, volumes, espessuras de pavimentos, etc. Eles também vão verificar se houve pagamento integral de serviços não executados ou feitos com qualidade abaixo da prevista na contratação. 

fonte: Celso Bianchi
26jun/160

Parada LGBT fecha rua em Brasília e cita vítimas de atentado em Orlando

Tendas ofereciam apoio a vítimas de preconceito e testes rápidos de HIV. Concentração ocorreu no Congresso; PM estimou 15 mil pessoas às 18h40

Mateus VidigalDo G1 DF

19ª Parada do Orgulho LGBT interdita Eixo Monumental, no centro de Brasília, na tarde deste domingo (26) (Foto: Mateus Vidigal/G1)

19ª Parada do Orgulho LGBT interdita Eixo Monumental, no centro de Brasília, na tarde deste domingo (26) (Foto: Mateus Vidigal/G1)

Brasília recebeu neste domingo (26) a 19ª Parada do Orgulho LBGT com protestos contra casos de intolerância, como o massacre ocorrido em uma boate gay em Orlando no dia dos namorados. O grupo se concentrou no gramado do Congresso Nacional, onde foram instaladas tendas de apoio a pessoas que sofrem preconceito e com testes rápidos de HIV foram montadas. Houve queima de fogos.

A organização disse calcular 50 mil pessoas no evento às 18h40. A Polícia Militar contabilizou 15 mil. Os manifestantes levaram bandeiras com as cores do arco-íris e interditaram o Eixo Monumental durante a caminhada.

Responsável pela organização da parada gay há dez anos, Michel Platini Fernandes afirma que Brasília ainda tem a evoluir em relação à causa. "A homofobia pode não ter diminuído consideravelmente aqui no Distrito Federal, mas as pessoas se empoderaram, denunciam mais, tem mais coragem para sair do armário. Todo gay tem uma história de homofobia para relatar. Nós fizemos uma pesquisa que mostra que, a cada dois membros da comunidade LGBT, um já sofreu algum tipo de opressão.”

O personagem andrógeno Nell Dançarino, que participou da19ª Parada do Orgulho LGBT em Brasília neste domingo (26) (Foto: Mateus Vidigal/G1)

O personagem andrógeno Nell Dançarino, que participou da19ª Parada do Orgulho LGBT em Brasília neste domingo (26) (Foto: Mateus Vidigal/G1)

O personagem andrógeno Nell Dançarino diz ter a mesma impressão. Ele trabalha há dez anos como artista performático, fazendo shows e apresentações. Além disso, realiza trabalhos voluntários de prevenção, distribuindo preservativos masculinos e femininos.

"Acredito que a cada ano conquistamos mais direitos, abrimos mais os olhos da sociedade. Apesar de já poder andar de mãos dadas em público, saio de casa com muito medo. Ainda mais quando estou montado. Precisamos de mais respeito", afirma.

Tenda para teste rápido de HIV instalada no gramado do Congresso Nacional neste domingo (26), durante a 19ª Parada do Orgulho LGBT em Brasília (Foto: Mateus Vidigal/G1)

Tenda para teste rápido de HIV instalada no gramado do Congresso Nacional neste domingo (26), durante a 19ª Parada do Orgulho LGBT em Brasília (Foto: Mateus Vidigal/G1)

A concentração começou às 14h e a marcha partiu pela via N1 por volta de 17h, em direção ao Palácio do Buriti. Depois o grupo irá para a Câmara Legislativa e então para a Torre de TV, onde as atividades devem ser encerradas às 22h.

A senadora Érica Kokay esteve presente no evento e subiu ao trio elétrico para manifestar apoio à causa LGBT. "Se não houver a liberdade de ser quem se é e a liberdade amar quem se quer amar, nós vamos transformar a violência em algo normal. Enquanto as pessoas mantiverem essa guerra e ódio tentando calar membros LGBT, mais vamos combater, mais vozes vão aparecer da comunidade LGBT."

O estudante de direito Bruno Cavalcanti de Carvalho criticou o julgamentos que as pessoas da comunidade LGBT sofrem quando demonstram afeto em público. "Tem que ter mais respeito. Precisamos de mais liberdade para podermos mostrar carinho, dar as mãos, beijar sem sermos julgados pelas pessoas." 

Ele também reclamou de intolerância da sociedade, que segundo ele ocorre até mesmo no em universidades. "Fui apresentar um trabalho sobre diversidade e um rapaz da minha sala falou que eu não podia defender 'essa raça' porque todos iam morrer de Aids e queimar no inferno", recordou.

O estudante de direito Bruno Cavalcanti de Carvalho, que participou da 19ª Parada do Orgulho LGBT em Brasília neste domingo (26) (Foto: Mateus Vidigal/G1)

O estudante de direito Bruno Cavalcanti de Carvalho, que participou da 19ª Parada do Orgulho LGBT em Brasília neste domingo (26) (Foto: Mateus Vidigal/G1)

Para a advogada da comissão de direitos humanos da OAB Taguatinga Alinne de Souza Marques, a saída para combater o preconceito está na educação da sociedade. "Nossa sociedade está vivendo um retrocesso. Existe um verdadeiro desmantelamento do nosso sistema educacional. A educação de gênero é fundamental para mudar esse quadro de intolerância. Não adianta fazer medidas paliativas. O estado é laico. Precisamos de educação de gênero nas escolas, que nada mais é do que respeitar a identidade que a pessoa quer assumir."

Ela também critica a postura assumida de setores da sociedade e da mídia quanto ao atentado de Orlando. "Não tem outro motivo senão LGBTfobia. Estão tentando lidar como se fosse 'apenas' um ato terrorista. Foi um ato terrorista sim, mas motivado por preconceito contra pessoas LGBT", afirma.

Massacre em Orlando

Um atentado a boate gay em Orlando (EUA) no dia dos namorados deixou 50 pessoas mortas e 53 feridas. O atirador morreu durante a troca de tiros com a polícia. O FBI confirmou a identidade do suspeito: Omar Saddiqui Mateen. Ele tinha 29 anos e era um cidadão norte-americano, filho de pais afegãos.

De acordo com as autoridades, o suspeito comprou legalmente duas armas de fogo – uma pistola e uma arma de cano longo – nas semanas anteriores ao massacre. O número de mortos faz do ato o pior ataque a tiros da história dos Estados Unidos.

26jun/160

Batida entre caminhão e carros na DF-180 mata dois e deixa dez feridos

Motorista de automóvel e garoto de 2 anos não resistiram ao acidente.Colisão aconteceu no final de Samambaia; local ficou sob cuidados da PM

 Do G1 DF 

Duas pessoas morreram e dez ficaram feridas depois de uma batida entre um caminhão e dois carros na noite deste sábado (25) na DF-180, perto do final de Samambaia. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o motorista de um dos automóveis, identificado como Carlos Alberto da Silva, de 36 anos, e um garoto de 2 anos, são as vítimas que não resistiram aos ferimentos causados pelo acidente.

Bombeiros tentam resgate de vítimas de acidente que envolveu dois carros e um caminhão na DF-180, no final de Samambaia, na noite deste sábado (25) (Foto: Corpo de Bombeiros DF/Divulgação)

Bombeiros tentam resgate de vítimas de acidente que envolveu dois carros e um caminhão na DF-180, no final de Samambaia, na noite deste sábado (25) (Foto: Corpo de Bombeiros DF/Divulgação)

A batida aconteceu por volta de 20h. Não há informações sobre a dinâmica do acidente. Três pessoas que estavam no caminhão foram levadas pelos bombeiros a hospitais próximos: um rapaz de 18 anos, com fratura na perna direita e dores abdominais, para o regional de Samambaia; uma mulher de 53 anos, com trauma abdominal e fratura no braço direito, para o de Ceilândia; e uma mulher de 35 anos, com escoriações e ferimentos na cabeça, também para o de Ceilândia.

Bombeiros tentam resgate de vítimas de acidente que envolveu dois carros e um caminhão na DF-180, no final de Samambaia, na noite deste sábado (25) (Foto: Corpo de Bombeiros DF/Divulgação)

Bombeiros tentam resgate de vítimas de acidente que envolveu dois carros e um caminhão na DF-180, no final de Samambaia, na noite deste sábado (25) (Foto: Corpo de Bombeiros DF/Divulgação)

O motorista do caminhão não precisou de atendimento médico, assim como o condutor do outro carro envolvido no acidente e um dos passageiros que ele transportava. As outras vítimas foram atendidas pelo Samu. O local ficou sob os cuidados da Polícia Militar.

25jun/160

Saúde do DF anuncia compra de 720 ampolas de remédio para hemofilia

Humberto Fonseca

GDF deve gastar R$ 1,9 milhão com compra emergencial, diz secretário. Pacientes questionam na Justiça entrega fracionada de medicamentos

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal anunciou nesta sexta-feira (24) a compra emergencial de 720 ampolas de medicamentos para hemofilia para atender pacientes que recorrem à Justiça para garantir tratamento na rede pública. O GDF deve gastar R$ 1,9 milhão na compra dos medicamentos.

O tipo fator 9 recombinante não é distribuído pelo Ministério da Saúde e deve ser comprado com o orçamento da secretaria. Segundo a pasta, o ministério só distribui o fator 9 plasmático. Segundo a secretaria, a justificativa para médicos prescreverem o tipo recombinante é o menor risco de contaminação, por ser um produto sintético. Mas o último registro de infecção é de 20 anos atrás, diz a pasta.

De acordo com o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, a pasta também abrir licitação para garantir remédio suficiente a todos os pacientes que conseguiram decisão judicial opara receber o medicamento. “Nós gastamos cerca de R$ 9 milhões por ano com essas judicializações. Com esse dinheiro daria para construir cinco unidades básicas de saúde”, afirmou.

Os nove pacientes que entraram com ações na Justiça fazem parte de um grupo de 235 hemofílicos que cobram a distribuição do remédio pela secretaria. A maior parte (80%) necessita do fator 8, que é distribuído para o GDF pelo Ministério da Saúde.

Na ação judicial, o grupo reclamou de desabastecimento, por não poder pegar todas as doses suficientes para o mês de uma só vez. A Secretaria de Saúde negou a situação, afirmando que os pacientes eram orientados a retirar os remédios mais de uma vez por mês por ter menos doses oferecidas pelo ministério. De acordo com a pasta, a situação ocorreu entre março e abril, e já foi normalizada.

Responsabilização

No anúncio da compra de remédios, o secretário de Saúde falou da ação penal do Ministério Público Federal que pede a responsabilização dele e do seu antecessor na pasta, Fábio Gondim, pela entrega fracionada de medicamentos a pacientes. Fonseca afirmou ter sido notificado nesta quinta (23) sobre o caso.

Ele qualificou a ação como “absurda” e “indignante”. “Como não houve dificuldade de recebimento [de medicamentos por pacientes], tenho dificuldade de entender a ação penal”, afirmou. “Não tem nenhuma regra que estabelece que a entrega das doses deve ser feita só uma vez por mês”, disse, referindo-se ao pedido dos pacientes que reclamavam do racionamento de doses.

Alguns veículos de comunicação chegaram a noticiar que havia um pedido de prisão contra Fonseca e Gondim, a presidente do Hemocentro, Miriam Daysi Calmon Scagionni, e o chefe da Coordenação-Geral de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde, João Paulo Bacarra Araújo.

O secretário afirmou que a Justiça Federal não tinha decidido se aceitava a denúncia até esta sexta. Segundo ele, a Procuradoria-Geral do Distrito Federal tentaria barrar a ação. As informações são do “G1/DF”.

25jun/160

Politica: Celina Leão chama Rodrigo Rollemberg de “hipócrita”

Celina ataca Rollemberg

POR ANA MARIA CAMPOS - CORREIO BRAZILIENSE

A briga entre a presidente da Câmara Legislativa, Celina Leão (PPS), e o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) chegou a um momento crítico. ... No plenário, a deputada chamou o ex-aliado de “hipócrita”.

Celina reclama de o Executivo ter enviado o projeto que regulamenta o aplicativo Uber e os deputados do PSB, partido de Rollemberg, terem votado a favor da emenda que restringe o serviço, ao limitar o número de carros e submeter os condutores ao crivo do governo. O afastamento se intensificou quando o governador passou a trabalhar contra a reeleição de Celina na presidência da Casa.  

Dissidentes 

O grupo aliado de Rodrigo Rollemberg na última eleição, formado por Celina Leão (PPS), Cristovam Buarque (PPS), Rogério Rosso (PSD) e Augusto Carvalho (SD), tem se reunido para discutir os rumos políticos do DF. Sem a presença do governador. Um jantar deve reuni-los na próxima semana. 

A favor do Uber 

A maior parte da bancada governista na Câmara Legislativa está do lado dos interesses dos taxistas, mas o secretário adjunto do Trabalho, Thiago Jarjour, não esconde a defesa pelo Uber. No Facebook, o responsável pela política de geração de empregos do governo Rollemberg diz: “Sou defensor desse novo serviço como plataforma de empreendedorismo”.

25jun/160

TEMER ESPERA QUE REDUÇÃO DE JUROS OCORRA ATÉ O FIM DO ANO

PRESIDENTE DISSE QUE AINDA NÃO FOI DISCUTIDO AUMENTO DE IMPOSTOS

SOBRE AUMENTO DE IMPOSTOS, PARA ENFRENTAR ESTE MOMENTO DE CRISE, O PRESIDENTE EM EXERCÍCIO REPETIU QUE, "ATÉ O PRESENTE MOMENTO, NÃO SE FALOU EM TRIBUTOS" (FOTO: MÁRCIO FERNANDES/AE)

25jun/160

Justiça mantém ação de improbidade contra Agnelo

agnelo-Queiroz

 A 6ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do DF decidiu, por unanimidade, suspender a ação de improbidade administrativa contra o ex-chefe da Casa Militar coronel Rogério Leão e seu assessor Major Túlio Kayson no episódio de reintegração do ex-deputado Marco Lima na Polícia Militar do DF. Eles foram retirados do polo passivo na ação proposta pelo Ministério Público do DF. Os desembargadores entenderam que os militares não agiram com dolo em seus atos e apenas deram despachos de encaminhamento do processo da Procuradoria-geral do DF para a Consultoria Jurídica do GDF. A decisão é da última quarta-feira.

Para Agnelo, improbidade segue

No caso do ex-governador Agnelo Queiroz (PT) e do advogado Paulo Guimarães, ex-consultor jurídico do governo, a ação de improbidade administrativa prossegue, segundo o entendimento da 6ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do DF. O Ministério Público do DF questiona o parecer de Guimarães pela reintegração do ex-deputado Marco Lima à Polícia Militar. A Procuradoria-geral do DF havia se pronunciado contra o ato, mas Agnelo seguiu a posição da Consultoria. Marco Lima foi desligado da corporação em 1992 por questões disciplinares. Dois anos depois se elegeu distrital. Vinte anos depois, voltou à PM e recebeu R$ 1 milhão em salários retroativos.

Fonte: Ana Maria Campos/CB.Poder