5nov/180

De volta a Brasília, Ibaneis reavaliará divisão da Secretaria de Saúde

Governador eleito afirmou, nesta segunda (5), que levará em consideração crítica de Jofran Frejat sobre a proposta de partir a pasta em duas

Filipe Cardoso/Especial para o Metrópoles

FILIPE CARDOSO/ESPECIAL PARA O METRÓPOLES

O governador eleito Ibaneis Rocha (MDB) desembarcou no Aeroporto Internacional de Brasília, às 11h42 desta segunda-feira (5/11), ao lado da mulher, Mayara Noronha. Depois de deixar a esposa e as malas em casa, no Lago Sul, o emedebista  seguiu para reunião com o ministro interino da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eumar Novacki, para pleitear patrulhas mecanizadas — equipamentos agrícolas — para áreas rurais do Distrito Federal.

A expectativa é de que a partir desta segunda, Ibaneis revele mais nomes do primeiro escalão do governo, como o da Secretaria de Saúde. Ao Metrópoles, o governador eleito disse que a decisão de dividir a pasta pode ser revista. “Eu pedi a opinião do [Jofran] Frejat sobre a questão da atenção básica, mas ainda não há nada definido”, explicou.

O advogado queria dividir a secretaria em duas: uma para atenção básica (posto de saúde e unidades básicas) e outra para gerir os hospitais e as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs). No entanto, Frejat criticou a proposta e disse que a cisão da pasta seria um equívoco.

Reuniões

Em São Paulo desde a última quarta-feira (31/10) para fazer um checkup, Ibaneis aproveitou a viagem para se encontrar com três governadores eleitos. O último encontro, nesse domingo (4/11), foi com o futuro gestor do Acre, Gladson Cameli (PP), para discutir o desenvolvimento econômico para as unidades da Federação.

Ele também participou de reuniões com o próximo governador de SP, João Doria (PSDB), e com o eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC). Ibaneis voltou a Brasília com encontros marcados. Às 17h, ele se reúne com presidentes dos três partidos que formaram a primeira chapa para a disputa ao GDF: MDB, PP e Avante. Em seguida, recebe os integrantes de outras legendas, apoiadoras do primeiro e segundo turno.

Às 19h, se encontra com o senador Cristovam Buarque (PPS). O parlamentar apresentará a Ibaneis o projeto que chama de Escola Ideal. A proposta é que algumas cidades do DF tenham unidades de ensino integrais, com edificações novas e equipamentos modernos. As instituições serviriam de modelo para ampliação posterior do sistema.

Transição

Ibaneis receberá de sua equipe a sugestão de trabalhar com 24 comissões temáticas no processo de transição. O conselho escolhido pelo advogado para gerenciar a ação, composto por 15 pessoas, concluiu, no domingo (4/11), uma espécie de organograma para nortear o procedimento. Cada um dos 24 núcleos deve ter cinco integrantes. Ao total, 120 pessoas deverão participar dos trabalhos.

O vice-governador eleito, Paco Britto (Avante), vai gerir os trabalhos, e os três secretários anunciados por Ibaneis serão coordenadores de áreas específicas. O futuro titular da Fazenda, André Clemente, chefiará a área que será nomeado para comandar. Erika Filippelli coordenará a comissão que trata sobre questões das mulheres. Izídio Santos, a área de Obras e Desenvolvimento Econômico.

Além desses setores, os núcleos terão grupos dedicados à saúde, educação, transporte, meio ambiente, agricultura, desenvolvimento urbano, trabalho e  transporte, entre outros. Dos integrantes da equipe de transição, 13 devem fazer parte de um quadro remunerado pelo poder público. Eles estarão dentro da estrutura disponibilizada pelo GDF, pois precisam de senhas para ter acesso às contas e informações sigilosas do governo, necessárias para a futura gestão. METROPOLES

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn