19dez/170

Governistas e oposição ensaiam acordo para votação do orçamento

CB.Poder

impasse sobre a votação da Lei Orçamentária Anual (LOA), que fixa a receita e as despesas do governo para 2018, está próximo ao fim. Conforme acordo ensaiado, nesta sexta-feira (15/12), entre distritais da oposição e a base aliada ao governador Rodrigo Rollemberg (PSB), a proposta original de R$ 42,4 bilhões deve ser votada na próxima terça-feira (19). A apreciação da polêmica emenda de R$ 1,2 bilhão, porém, ficaria para o início de janeiro de 2018.

Sem a votação da LOA, o GDF tem acesso a apenas um duodécimo da receita do ano anterior. Nesse caso, o Palácio do Buriti pode usar o montante somente para despesas obrigatórias, como pagamento da folha de pessoal e custeio da máquina. Investimentos e licitações, por exemplo, ficam vetados.

O acordo começou a ser desenhado na manhã de hoje, em uma reunião capitaneada pelo presidente do Legislativo local, Joe Valle (PDT), que contou com a presença de outros sete parlamentares. Comunicado sobre os termos, o líder do governo na Câmara Legislativa, Agaciel Maia (PR), encontrará o governador mais tarde para explicar os detalhes da proposição.

O acerto está condicionado a dois itens: a garantia de que a emenda com recursospoupados pelo governo após a reforma da previdência seja avaliada em janeiro e o remanejamento de parte da verba para a construção de escolas, como prometido durante as sessões da Câmara em Movimento. Um dos lugares agraciados com uma nova unidade de ensino seria o Itapoã.

Os deputados não classificam o acordo como “fechado”, porque submeterão os termos ao crivo do colégio de líderes, na próxima segunda-feira (18). A tendência, contudo, é que todos batam o martelo de forma favorável à proposta. Um documento seria assinado para validar o acerto.

Imbróglio

O imbróglio sobre a votação da LOA tomou corpo na última terça-feira, quando a proposta deveria ser votada em plenário. O centro da polêmica é uma emenda, proposta por Agaciel Maia (PR) a pedido do Executivo local. O documento distribuía o R$ 1,2 bilhão entre obras, nomeações de servidores, transporte, além de itens triviais, como casamentos comunitários.

A oposição apontou que a tentativa de alteração determinada pelo Palácio do Buriti aconteceu “na surdina”, sem diálogo, e a derrubou em uma votação apertada, que contou com o voto de minerva do presidente da Casa, Joe Valle (PDT). Insatisfeita com a decisão, a base governista esvaziou o plenário para adiar o debate. Ontem, em uma sessão marcada por xingamentos e bate-boca, os aliados novamente deixaram a Casa para evitar a apreciação da matéria.

Assim, travou-se um embate. De um lado, aliados de Rollemberg afirmaram que a votação de uma proposta fragmentada prejudicaria as previsões orçamentárias. Do outro, a oposição alegou que era adequado dar o sinal verde, por ora, apenas à destinação dos R$ 42,4 bilhões originais. Portanto, o uso do R$ 1,2 bilhão restante deveria ser avaliado no próximo ano, com o correto detalhamento, para que o governo não use o dinheiro em projetos banais, apenas para a concretização de pretensões eleitorais.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
19dez/170

Desconstruindo Candidaturas: Tadeu Filippelli

Dando continuidade a serie: Desconstruindo Candidaturas. Iremos falar do ex vice-governador, presidente do PMDB-DF e ex-deputado federal, Tadeu Filippelli. As pretensões de Filippelli são as mais fictícias possíveis. Primeiro porque ele fez parte da fracassada gestão de Agnelo Queiroz e tenta de todas as formas descolar a sua imagem dos fracassos petistas. Segundo seu nome só caia nas pesquisas. O Portal Metropoles (leia aqui) encomendou uma pesquisa que mostra bem esse quadro.

 Candidatura ao Palácio do Buriti? Ledo engano. As principais pastas do governo Agnelo estavam sobre os domínios do PMDB e de pessoas que foram indicadas por ele. Os exemplos são as secretarias de Transporte e Obras.

Portanto, cada fracasso dessas secretarias e outros órgãos devem sim serem atribuídos a Filippelli. Fora as denúncias da lava-jato que ainda vão o perseguir caso ele não obtenha um  mandato para ter aquele foro privilegiado básico.

A verdade é que Tadeu Filippelli tem a síndrome "Arrudiana" : não está no jogo,  porém, quer controlar tudo. Para isso, o ex-vice coloca na mesa o PMDB e PP legendas que ele dita as regras e barganha com as forças de direita.

Tadeu não admite ficar no rabo do foguete tanto que para o seu lado trouxe Ibaneis Rocha excelente jurista que acha conhecer o meio político e mal sabe ele que nesse meio é um tentando dar rasteira no outro o tempo todo.

A candidatura de Fillippelli é o mais puro blefe com o intuito de barganhar alto nas articulações. A verdade é que Tadeu quer um lugar ao sol. No fundo ele sabe que no máximo pode pleitear uma candidatura a deputado federal. A imunidade tem que valer mais que a sua vaidade.

A vinda de Ibaneis para o PMDB só foi uma maneira de atrair os holofotes e mostrar força. Uma estratégia para acuar os outros postulantes ao Governo. Mas nos bastidores ninguém confia em Filippelli, que é da velha escola das raposas políticas.

Suas posições dúbias são comentadas pelos quatro cantos. Sua pose de "todo poderoso" atrapalha mais que ajuda e o afunilamento do jogo irá mostrar isso.

Até onde Filippelli irá blefar? Ninguém sabe. As pesquisas mostram que seu nome ao Palácio do Buriti não emplaca de forma alguma ao contrário chama mais à atenção das forças ocultas do que outra coisa.

Resumo: 

1 - Tadeu Fillippelli traz consigo tempo de TV, mas um partido rejeitado pela opinião pública

2- O ex vice não é visto como um político de confiança e tenta de todas as formas minar a candidatura dos seus aliados.

3 - Nem os deputados distritais estão satisfeitos no PMDB e se pudessem já teriam pulado do barco.

4 - A verdade é que Tadeu Filiippellli é ruim de votos. Suas votações pelo tanto de poder que detinha sempre foram fiascos.

5 - Ibaneis Rocha que é um jurista de respeito não aceita banco de reservas e gosta de dirigir o ônibus.

6 - Seus pares querem só seu tempo de TV e só fazem reunião com por causa disso.

7 - Filippelli deveria concentrar as suas forças em obter um mandato de deputado federal. Mesmo assim não será fácil.

8 - Sua síndrome "Arrudiana" sobe a sua cabeça e seus aliados falam mal dele que só.

Na próxima matéria iremos analisar a candidatura de Eliana Pedrosa (Podemos).


Fonte: Radiocorredor

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
19dez/170

TCDF analisa denúncia de “apadrinhamento” em coligada do BRB

Daniel Ferreira/Metrópoles

DANIEL FERREIRA/METRÓPOLES

Entre os implicados, estão parentes de figuras de projeção na capital da República, como o governador Rodrigo Rollemberg (PSB), os deputados distritais Juarezão (PSB) e Ricardo Vale (PT), além do conselheiro do TCDF Paulo Tadeu. O diretor-presidente da instituição, Ralil Nassif Salomão, é apontado por supostamente atuar em favor da contratação de funcionários com conexões políticas.

Esta não é, no entanto, a primeira vez que a Cartão BRB enfrenta o desgaste de um processo levantando suspeita sobre suas contratações. Segundo a gestão da empresa, em 2010, o Sindicato dos Bancários de Brasília chegou a apresentar outra denúncia, com teor semelhante à atual, mas a acusação não prosseguiu. Após um longo período sem questionamentos, a entidade sindical tornou a se queixar, no ano passado, da modalidade de admissão.

A Cartão BRB alega que as acusações têm como pano de fundo conflitos referentes a indicações para cargos diretivos. De acordo com o Sindicato dos Bancários, tal imputação representaria apenas o pedido para uma “apuração aprofundada dos fatos”, e não haveria qualquer motivação partidária. “Não estamos preocupados com questão de governo. Governantes saem, o BRB fica”, disse o diretor-presidente da entidade, Eduardo Araújo.

Em parecer do MPC-DF ao qual o Metrópoles teve acesso, a procuradora-geral de Contas, Cláudia Fernanda de Oliveira Pereira, defende a substituição de funcionários contratados sem concurso público por profissionais aprovados em certame. O processo tramita em segredo de Justiça.

Parentes

Uma das situações mencionadas na ação é o de Sarah de Sousa Vale, filha do deputado distrital Ricardo Vale e sobrinha do conselheiro Paulo Tadeu, do TCDF. De acordo com a unidade técnica responsável por apurar os casos, Sarah estagiou na consultoria jurídica do Banco de Brasília até maio de 2015. Cinco meses depois, foi admitida como assistente administrativa I da Cartão BRB.

De acordo com as conclusões registradas no documento, não houve processo seletivo interno ou externo para a vaga, nem cumprimento do requisito de experiência de 12 meses. A autorização para admissão foi assinada pelo diretor-presidente da empresa, em vez da gerência e da diretoria que solicitaram o preenchimento do posto. “A contratação de Sarah de Sousa Vale feriu o princípio da impessoalidade”, concluiu a procuradora Claudia Fernanda, no parecer.

A equipe técnica esclareceu, no entanto, que o contrato de trabalho foi rescindido em julho de 2016, “elidindo-se a situação de irregularidade”. Procurado pela reportagem, Ricardo Vale escolheu não se pronunciar sobre o caso. Paulo Tadeu, impedido de julgar o processo na Corte de Contas, também não quis se manifestar.

A contratação de um filho do deputado distrital Juarezão também é questionada no processo. De acordo com o parecer do MPC-DF, Juarez Carlos de Lima Oliveira Júnior, que tem formação em sistemas de informação, foi contratado inicialmente para o emprego de analista de atendimento júnior. Em maio de 2016, ele teria passado a ocupar o cargo de analista de TI júnior.

“Assim, diante da ausência de processo seletivo e autorização de admissão pelo diretor-presidente Ralil Nassif Salomão, com dissimulação do efetivo emprego e área de atuação pretendidos e exercidos desde o início do contrato, entendeu que a contratação de Juarez Carlos de Lima Oliveira Júnior feriu o princípio da impessoalidade”, destacou o Ministério Público de Contas, no parecer sobre o entendimento do corpo técnico.

A respeito do caso, o deputado Juarezão esclareceu, em nota, que seu filho tem formação para o cargo ocupado, “tendo em vista possuir bacharelado em sistemas de informação”. “O mesmo cumpriu e demonstrou possuir todos os requisitos extrínsecos ou intrínsecos exigidos para o cargo, com capacidade técnica para tal, através do processo seletivo adotado pela empresa”, concluiu.

Além dos filhos dos distritais, uma “sobrinha por afinidade” do governador Rodrigo Rollemberg – ela é sobrinha direta da primeira-dama Márcia Rollemberg – também acabou implicada no processo. Isabela Gonçalves Kesselring estagiou na consultoria jurídica do BRB e, posteriormente, participou de um processo seletivo externo para o emprego de assistente administrativo I, da Cartão BRB.

A admissão no cargo, de acordo com a unidade técnica, “teria sido indicada por funcionário do BRB não identificado”. “Entretanto, não vislumbrou que a contratação, ocorrida em 08.04.2013, tenha sido influenciada pelo então senador da República e atual governador do Distrito Federal”, ponderou o Ministério Público de Contas.

Em nota, a assessoria do GDF destacou: “pela própria conclusão do MPC, não há qualquer indício de que o então senador Rodrigo Rollemberg tenha feito a indicação de uma suposta sobrinha para um estágio, o que, por si só, em função da existência de um processo seletivo, não configuraria irregularidade”.

No parecer, o MPC-DF declarou que “concorda integralmente” com as considerações da unidade técnica. “O acesso aos empregos das entidades controladas pelo BRB, salvo os cargos de livre provimento (membros do Conselho de Administração e da diretoria) e a possibilidade de terceirização para as áreas que a lei permite, deve se dar mediante concurso público, nos moldes já realizados pela empresa controladora, o BRB”, avaliou.

Critérios de contratação

O TCDF também analisa a suposta contratação de empregados por critérios de “amizade e afinidade” na Cartão BRB. Conforme a denúncia, o atual diretor-presidente da empresa, Ralil Nassif Salomão, e o diretor de tecnologia e produtos, Humberto Augusto Coelho, são apontados como responsáveis por indicações que resultaram na admissão de novos funcionários.

Salomão teria viabilizado a entrada, na subsidiária do BRB, de um contemporâneo de pós-graduação, um advogado que atuou em seu favor, além de outras cinco pessoas, as quais treinavam ou ministravam aulas de capoeira na associação Raízes do Brasil, da qual é sócio-fundador. Essas contratações ocorreram entre os anos de 2015 e 2016.

Levantamento realizado pela unidade técnica do Tribunal de Contas do Distrito Federal identificou 17 pessoas supostamente admitidas na empresa devido à relação de proximidade com Salomão e Coelho. Após uma inspeção na gerência de pessoas da Cartão BRB, verificou-se que não houve processo seletivo para esses postos.

“Esta representante ministerial concorda integralmente com as considerações externadas pela unidade técnica, que demonstrou, cabalmente, a ocorrência de irregularidades, em descompasso com os princípios constitucionais que norteiam a Administração Pública, nas contratações de pessoal efetuadas pela BRB Cartão por indicações do diretor-presidente e de diretor de tecnologia e produtos”, asseverou a procuradora-geral do MPC-DF, Cláudia Fernanda.

De acordo com a atual gestão da Cartão BRB, o procedimento utilizado para a admissão dos funcionários da empresa é lícito e segue todas as normas estabelecidas pela instituição financeira. Ainda segundo a subsidiária do Banco de Brasília, o pessoal contratado atende os requisitos técnicos necessários aos cargos que ocupam. Metropóles.

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
18dez/170

TSE APROVA REGRAS PARA AS ELEIÇÕES DE 2018 E MIRA COMBATE A FAKE NEWS

ENTRE OS TEMAS, GASTOS DE CAMPANHA E REMOÇÃO DE CONTEÚDO NA INTERNET

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
18dez/170

ADMINISTRAÇÃO REGIONAL TRAZ PARA O PARANOÁ CARAVANA CULTURAL

A Administração Regional do Paranoá traz para a cidade o projeto “CARAVANA CULTURAL” que consiste em uma proposta de promoção à cultura e tem como o objetivo capacitar em diversas áreas de tecnologia digital jovens e adultos residentes em nossa cidade, com a faixa etária de idade dos 12 aos 29 anos.

No dia 26 de dezembro de 2017 a “CARAVANA CULTURAL” estaciona na quadra 04 conjunto 01 lote 06 do Paranoá Parque para produzir em cinco dias de trabalho junto à comunidade local, programas de televisão em plataforma WEB para registro e divulgação das diversas manifestações culturais do DF e ainda mais: sensibilizar jovens e adultos para a inserção ao mercado de trabalho nas seguintes áreas de tecnologia digital onde o projeto irá ofertar oficinas de aprendizagem. São elas: inclusão digital, oficina de multimídia, produção audiovisual, criação de reportagem, edição de vídeo, captação e edição de imagem, oficina de comunicação web e redes sociais e oficina de fotografia digital.

Revelar um youtuber, uma blogueira e até mesmo músicos e artistas para o mercado nacional a partir de um vídeo publicado na web é uma realidade em que a juventude mundial vislumbra. Esta possibilidade será o ponto de partida do projeto “CARAVANA CULTURAL”.

E ainda, estarão envolvidos com a programação da caravana, artistas locais que poderão usufruir do serviço de gravação de cds demo e produção de videoclipes. Também haverá apresentações artísticas para o público local que será ainda convidado para exibições de filmes e exposições de fotos.

A “CARAVANA CULTURAL” é uma carreta equipada e adaptada, com salas climatizadas, com estúdios de gravação para produção de áudio e vídeo, painel de Led, para exibições dos filmes e equipamentos de som, luz, palco e gerador, para as apresentações artísticas. Em apoio à carreta também serão instaladas tendas piramidais, banheiros químicos e demais estruturas para conforto e segurança dos profissionais envolvidos e público presente.

Para a realização com pleno sucesso, muita informação on-line e acesso das comunidades menos favorecidas às tecnologias digitais dessa ação cultural contamos com o apoio do Deputado Cristiano Araújo, da Administração do Paranoá e do Governo de Brasília.

O projeto acontecerá entre os dias 26 e 30 de dezembro, na quadra 04, conjunto 01, lote 06 do Paranoá Parque. Diariamente das 08h às 18h.

A Caravana Cultural contará com:
• Oficinas Multimídia: Produção de Blogs, Sites e mídias digitais;
• Oficinas de Produção de Audiovisual;
• Oficinas de Desenvolvimento de Aplicativos;
• Oficinas de Criação e Reportagens nas comunidades;
• Oficina de produção e edição de vídeos;
• Oficinas de captação de imagens e edição (Filmagem);
• Oficinas de Fotografia;
• Gravação/Edição/Produção final;
• Eibição de filme, curta e documentário.
Também contará com apresentações artísticas das cidades (grupos de capoeira, batalha das academias, grupos de dança e shows musicais).
Para participar o cidadão deve fazer sua pré-inscrição pela internet até o dia 22 ou até o término das vagas.
Inscrições no seguinte link

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScWGV-JhqnPO5CZtWmRTwjTWc9aMiODQbJuJvuXVICYla-l1A/viewform

 

 

fonte: Adm. Regional do Paranoá

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
18dez/170

Jarjour assume nova pasta no GDF e Taguatinga ganha administradora

Mudanças foram publicadas no Diário Oficial do DF desta segunda-feira e beneficiam o Pros

Reprodução/Facebook

REPRODUÇÃO/FACEBOOK

O Diário Oficial do DF trouxe, nesta segunda-feira (18/12), mais um pacote de mudanças no comando de pastas importantes do governo local, após a debandada de siglas aliadas, como Rede, PDT e PPS, da gestão de Rodrigo Rollemberg (PSB). Conforme antecipou o Metrópoles, Thiago Jarjour (sem partido), ex-secretário adjunto de Trabalho, assume a Secretaria Adjunta de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti). Em Taguatinga, uma mulher passa a comandar a cidade pela primeira vez.

Jarjour ocupa a vaga de Tiago Araújo Coelho de Souza, presidente do PSB local, nomeado diretor vice-presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF).

A movimentação ocorre para alocar integrantes do Pros e aumentar o apoio da legenda ao governador. Com a saída de Jarjour, as portas da secretaria adjunta do Trabalho ficaram abertas para que o deputado federal Ronaldo Fonseca (Pros) alocasse Wagner Rodrigues de Sousa. Assim, Rollemberg mantém o aliado e ainda ganha apoio de parte da Igreja Evangélica na corrida à reeleição ao Buriti em 2018.

Ex-secretário de Trabalho de Agnelo Queiroz (PT), Sousa consta na lista de doadores da campanha de Ronaldo Fonseca em 2014, quando destinou ao então candidato a quantia de R$ 9,8 mil.

O Pros também é responsável por outra alteração publicada nesta segunda: a advogada Karolyne Guimarães (foto de destaque) assume o comando da Administração Regional de Taguatinga. Secretária-geral da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na cidade, ela substitui Marlon Costa.

Karolyne será a primeira mulher a administrar Taguatinga em 59 anos. Marlon Costa, por sua vez, foi remanejado para a vaga de subsecretário de Mobiliário Urbano e Participação Social da Secretaria das Cidades.

No mês passado, Marlon fez uma festa de arromba para comemorar o seu aniversário de 36 anos. Com direito a painéis e banner, no qual estavam estampados o nome e o sobrenome do político, 1,6 mil pessoas, entre apoiadores e membros do seu partido, o PSB, participaram da comemoração, que teve atração musical e discurso. Rollemberg marcou presença no evento, que ocorreu em uma casa de shows às margens da EPNB.

Reprodução/DODF

REPRODUÇÃO/DODF

Memória


Thiago Jarjour deixou recentemente o PDT para se manter no governo de Rodrigo Rollemberg. Em 10 de outubro, quando a legenda decidiu desembarcar da base aliada, o chefe do Executivo anunciou que demitiria todas as pessoas vinculadas à agremiação. Porém, convidou Jarjour para permanecer sob o seu comando.

Com a necessidade de apoio para 2018, Rollemberg decidiu mudar as peças no tabuleiro. Escolheu Jarjour para chefiar a Secti pela proximidade do secretário adjunto com o tema. Jarjour foi o responsável por negociar a chegada da primeira Campus Party de Brasília, em 2017.

À frente dos trabalhos do maior festival de inovação e tecnologia do mundo, levou para o Centro de Convenções Ulysses Guimarães cerca de 65 mil pessoas. A Campus Party 2018 está confirmada e deve ficar sob a gestão da Secretaria de Ciência e Tecnologia. Metropóles.

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
18dez/170

Desconstruindo a desconstrução

O ex-deputado Júnior Brunelli, amigo pessoal  da empresária Eliana Pedrosa, tem dedicado boa parte de seu tempo visitando amigos para pedir apoio à candidatura dela ao Palácio do Buriti. Ele tem aproveitado também as visitas para difundir a ideia de que o delegado e ex-deputado Alírio Neto será mesmo candidato a deputado federal. Mas o plano de Eliana de chegar ao Buriti em cima de boatos não está dando certo.

A última pesquisa mostra um crescimento imenso de Alírio, que continua sendo pré-candidato a governador do Distrito Federal pelo PTB, e ao contrário do que foi plantado recentemente na mídia, não é nem será fantoche de ninguém. Quem conhece bem de perto o delegado,  sabe que ele tem personalidade própria.

Fonte: Donny Silva

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
18dez/170

PMDB-DF não sabe quem será o candidato a governador: A noiva está rachada

Foto: Reprodução

PMDB é um partido cobiçado pelo tempo de TV e o valor do fundo partidário, mas não anda bem das pernas em nível nacional, muito menos no DF. Segundo pesquisa publicada no site Metrópoles, Michel Temer é o último candidato presidenciável com 0,35% de intenção de votos no DF, o que reflete também no PMDB-DF, que não vive um momento de glória, mas sim de pesadelo após a prisão do líder Filippelli na Operação Lava Jato.

Com todos os contras possíveis, a noiva peemedebista está completamente desalinhada em seus discursos. Surgiu do nada o advogado Ibaneis, do nada politicamente, mas arrotando muitos recursos financeiros. Com a estabilidade do governo Temer (conseguida com acordos políticos), o quadro mudou: cabeças na Polícia Federal mudaram, e Filippelli se acha em um momento mais favorável para ser candidato a governador.

Filippelli fez discurso fora de linha em um churrasco, disse que contou plaquinhas e tinha certeza absoluta da indicação do Dr. Ibaneis como candidato do PMDB-DF. Mas a felicidade do Dr. durou pouco. Em evento no Jardim Botânico, no famoso debate Senadinho, Filippelli disse que está preparado para ser candidato a Governador e fez um discurso que não assina a sua realidade após a prisão pelo desvio e superfaturamento no Mané Garrincha, “podemos fazer um governo honesto”, disse Filippelli.

Em crise e com o crescimento da TV aberta, das redes sociais e todas as suas ferramentas virtuais, a noiva rachada do PMDB não é a bola da vez. Não há dinheiro e nem tempo de TV que sustentem um partido desgastado pela corrupção no cenário local e nacional.

 

Fonte: Cris Oliveira

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
18dez/170

LULA É MULTADO E TEM EMBARGADA OBRA EM SEU SÍTIO DE SÃO BERNARDO

ÁREA DE 20 MIL M² FOI COMPRADA POR ELE EM 2016 POR R$545 MIL

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17dez/170

PTB QUER HILDO DO CANDANGO VICE DE JOSÉ ELITON

Hildo do Candango retorna ao PTB

 

Liderança do PTB defende o nome do Hildo do Candango para composição na majoritária  de José Eliton.

 

Na manhã deste sábado (16), o prefeito de Águas Lindas de Goiás,  Hildo do Candango participou do 19º Encontro Regional do PTB, que aconteceu na Câmara de Vereadores de Águas Lindas. O evento contou com a presença do presidente do partido o deputado federal Jovair Arantes, e do vice-presidente petebista Demóstenes Torres.

O assunto do encontro foi a composição da chapa majoritária ao Governo de Goiás, com o nome de Hildo do Candango, que  estava no PSDB, partido do governador Marconi Perillo, e retornará ao PTB, partido que o elegeu prefeito pela primeira vez.

O deputado Jovair Arantes afirmou que Hildo do Candango é o nome preparado para ocupar a vice-governadoria ao lado de José Eliton, na chapa majoritário. “Hildo é um homem honrado, de caráter. Ele tem palavra, e é por isso que já conquistou tanto. Precisamos dele. O nosso candidato a vice-governador é Hildo do Candango. Hildo representa 800 mil eleitores da Região do Entorno”, defendeu o presidente.

O vice-presidente do PTB, Demóstenes Torres afirmou que a chapa do governo precisa do PTB. “Águas Lindas é a solução do Distrito Federal, e o Brasil seria melhor se fosse uma Águas Lindas, pois esta cidade evoluiu muito depois da gestão de Hildo. E é por isso que queremos Hildo no governo de Goiás, ele tem muito para contribuir”.

A prefeita de Bela Vista de Goiás e presidente do PTB Mulher Nárcia Kelly, afirmou que Águas Lindas é a bola da vez. “Hildo fez muito por esta cidade, e seu nome é citado não apenas na Região do Entorno, mas em todo estado de Goiás. E é por isso que Hildo é o nome para representar o PTB na chapa a governadoria”, defendeu.

Já o prefeito de Itumbiara, José Antônio, o nome de Hildo é o mais preparado para compor a chapa. “Conheço Hildo e sua família há algum tempo, e os admiro muito por tudo que estão construindo não apenas em Águas Lindas mas em toda região. Ele tem o meu apoio”, concluiu.

Hildo do Candango assinou a sua filiação ao partido e agora trabalha para que seu nome seja o indicado para compor a chapa ao Governo de Goiás. “Chegou a vez do PTB, e chegou porque o Jovair preparou o caminho. E nós vamos continuar contribuindo para a construção de um partido forte. Fico muito feliz pela minha recondução ao partido”, agradeceu Hildo.

Estiveram presentes o deputado estadual Henrique Arantes, o deputado distrital Juarezão, o prefeito de Itumbiara, a primeira-dama de Águas Lindas e presidente do Coegemas Aleandra Sousa, Zé Antônio, prefeita de Bela Vista de Goiás e presidente do PTB Mulher Nárcia Kelly prefeito de Cocalzinho Alair Gonçalves, o vice-prefeito de Águas Lindas Luiz Alberto Jiribita, o presidente do PTB Águas Lindas o vereador Vicente Manoel, vereadores e lideranças políticas de todo estado.

Fonte: Assessoria de Hildo do Candango

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17dez/170

MEGA-SENA ACUMULA E DEVE PAGAR MAIS DE R$ 43 MILHÕES NA TERÇA-FEIRA

OS NÚMEROS SORTEADOS FORAM 01 - 07 - 14 - 31 - 35 - 46

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
16dez/170

Politica:Desconstruindo Candidaturas: Alírio Neto

Dando continuidade a serie: Desconstruindo Candidaturas. Iremos falar do ex-deputado distrital, delegado aposentado da Polícia Civil do DF e presidente do PTB-DF Alírio Neto.

Nas eleições de 2014 Alírio não conseguiu se eleger deputado federal apesar dos 78.945 votos. Isso o deixou na masmorra da política e longe dos holofotes. Aí veio a presidência do PTB e a possibilidade de concorrer ao Palácio do Buriti e de forma inesperada entrou no cenário e figurou no radar das articulações.

Alírio é um cigano da política já foi filiado no:  PPS, PEN e agora PTB além de ter apoiado Roriz, Arruda e Agnelo. Só com Rollemberg não deu onda. Na ciranda do poder a roda sempre gira para o seu lado.

Hoje Alírio tem a sua candidatura ao Palácio do Buriti travada pelo ex-governador José Roberto Arruda que prometeu o céu e a terra a ele, mas no fundo o joga na incerteza. Dá a impressão que o ex-governador está cozinhando o delegado em banho maria para depois dar aquela rasteira típica do "modo careca" de se fazer política.

Nos bastidores dizem que Alírio só faz o que Arruda quer. Todos sabem que o "careca" tem a esperança de obter um perdão judicial para ele mesmo ser o candidato. Quem não sabe que Arruda quer ser candidato em 2018? Fora que o ex-governador cisca para todo lado e assim trava Alírio. Hoje o ex-deputado não passa de um stand-bye.

Nos bastidores todos dizem que o ex-deputado não dá nenhum passo sem que Arruda saiba e essa informação é recebida todos os dias. O sonho dos dirigentes partidários transvestidos de amigos é que Alírio saia a federal e assim terem chances de compor sem ele. Os mais traíras dizem que ele está se cacifando para tentar uma vaga de vice ou algo do tipo. É a pura realidade.

A verdade é que Alírio Neto está travado entre dois mentores: Roberto Jéferson presidente do PTB nacional e José Roberto Arruda que não é um político confiável e cheio de soberba.  Arruda não dá bençãos a ninguém de graça.

Para quem está de fora observando tudo o que dá a entender e a falta de luz própria. Nesse jogo só subir nas pesquisas não é o suficiente quando se carrega um fardo chamado Arruda.

Os passos de Arruda e Bob Jefferson podem fazer Alírio tropeçar antes mesmo de entrar na corrida. Sem contar que Filippelli, Fraga e Ibaneis o querem vê-lo pelas costas. Se as mesas de restaurantes falassem muita coisa viria a tona.

Resumo: 

1 - Alírio Neto está com pecha de ser mandado por Arruda.

2 - Arruda mais atrapalha que ajuda.

3 - Atuação tímida e passiva nos bastidores

4 - O grupo da direita não o vê como cabeça de chapa e preparam para dar uma rasteira.

5 - Seus "parceiros" de partido se acham muito maiores que ele e não admitem que o mesmo seja cabeça de chapa. Exemplos: Fraga e Filippelli.

6 - Seus "aliados" estão mais de olho no PTB no que confiando em Alírio em si.

7- Muitos acham que Alírio deveria trabalhar para ser vice de Frejat

8 - A nominata a federal e até a mesmo distrital do PTB-DF precisa ser reforçada

Na próxima matéria iremos analisar a candidatura de Tadeu Filippelli (PMDB)

Fonte: Blogdoodir
Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn