19fev/210

Pesquisa: Administração da Estrutural é a pior do governo libanês

Com um recorde de rejeição o administrador da Estrutural tenta se segurar no cargo

Administrador Major Cunha

O governo do Distrito Federal realizou uma pesquisa no final de 2020. A proposta do governo era saber de fato como estava a avaliação Popular das administrações regionais e de seus gestores.

O cenário em algumas cidades parece estar dentro da normalidade,como, Candangolândia que detém 50% de aprovação assim como Lago Norte que passou de 50% de aprovação.

Dentre todas as regiões administrativas a cidade da Estrutural está um verdadeiro caos administrativo.  A pesquisa mostra a cidade má administrada e com conceito muito ruim na avaliação popular.

No levantamento realizado a pedido do GDF a gestão da Cidade Estrutural obteve apenas 15% de aprovação popular e ficou na última colocação dentre todas as demais RAs.

O governo lbanês Rocha já estuda uma forma habilidosa para se ver livre do atual administrador da região e entende que em ano pré-eleitoral esses índices não são bem vindos no projeto de reeleição do atual governo.

Em resumo, alguns nomes deverão ser sondados na cidade Estrutural para a quase certa substituição do atual gestor da região.

As lideranças estão se reunindo para pedir a exoneração do administrador da cidade. Com o resultado da pesquisa a queda ficará mais fácil.

Redação

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
19fev/210

Por 364 votos a 130, Câmara decide manter na prisão o deputado Daniel Silveira

Deputado foi preso em flagrante por ordem do STF porque divulgou vídeo no qual defendeu o AI-5, mais duro ato da ditadura militar, e atacou com ofensas e ameaças ministros do tribunal.

A Câmara dos Deputados decidiu nesta sexta-feira (19) manter a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), preso por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Foram 364 votos a favor da manutenção da prisão, 130 contra e 3 abstenções.

O placar superou em 107 votos o mínimo exigido para a aprovação do parecer da relatora, deputada Magda Mofatto (PP-GO), que recomendou manter preso o parlamentar — eram necessários pelo menos 257 votos (maioria absoluta; metade mais um) dos 513 deputados. Silveira foi preso em flagrante na noite de terça-feira (16) no Rio de Janeiro pela Polícia Federal após divulgar um vídeo no qual fez apologia ao AI-5, instrumento de repressão mais duro da ditadura militar, e defendeu a destituição de ministros do STF. As reivindicações são inconstitucionais.

Internet

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
19fev/210

Deputado terá 45 minutos para defesa; confira o rito da votação sobre prisão

Sessão desta sexta (19) vai decidir se o deputado Daniel Silveira vai continuar preso, como determinou o STF

A Câmara dos Deputados decide se vai confirmar – ou não – a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) em sessão de votação, nesta sexta-feira (19). O deputado foi preso por determinação do Supremo Tribunal Federal, no âmbito do inquérito que investiga “fake news” e “atos antidemocráticos” na internet, que tem o ministro Alexandre de Moraes como relator.

A votação será nominal e requer um quórum de maioria absoluta (257) dos deputados. Apesar da decisão do STF, a prisão de um parlamentar em exercício do mandato precisa ser confirmada pela Casa Legislativa.

Confira abaixo o rito da sessão da Câmara dos Deputados, nesta sexta:

1) Leitura; o relator da Medida Cautelar, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), realiza a leitura do texto.

a. O deputado Daniel Silveira (ou o seu advogado) pode usar a palavra por 15 minutos.

2) Leitura, pelo relator, do parecer da Comissão de Constituição e Justiça.

a) O deputado Daniel Silveira (ou o seu advogado) pode usar a palavra por 15 minutos.

3) Discussão da matéria

a) Três (3) oradores favoráveis e três contrários (3 minutos para cada um)
b) Encerramento da Discussão; o deputado Daniel Silveira (ou o seu advogado) pode usar a palavra por outros 15 minutos.

4) Votação do parecer

a) Encaminhamento da votação; podem falar dois (2) deputados favoráveis e dois (2) contrários (3 minutos para cada um)

5) Resultado e Comunicação

a) Leitura da Resolução da Câmara com a decisão do Plenário. O STF será comunicado imediatamente.

Diário do poder

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn