3fev/210

Câmara Federal: Bia Kicis no comando da CCJ

A deputada Bia Kicis (PSL-DF) foi escolhida pelo novo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para presidir a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça).

A CCJ é uma das principais comissões da Câmara e desempenha papel importante no processo legislativo. É considerada uma vitrine e motivo de status para os deputados por ter entre suas atribuições, por exemplo, a análise da admissibilidade de pedidos de impeachment de presidentes.

Bia Kicis é procuradora aposentada e uma das principais defensoras de Bolsonaro na Câmara. Em uma rede social, ela respondeu a uma mensagem que a parabenizava pelo posto.

“É uma grande honra para mim e muita responsabilidade para a qual meus 24 anos como procuradora, um ano como 1ª vice-presidente da CCJ e meu amor pelo Brasil me habilitam, com fé em Deus!”, escreveu.

Leia Também:  Live CLDF vai debater sobre ações sociais na pandemia

O último presidente da CCJ foi Felipe Francischini (PSL-PR), que se aliou ao presidente do partido, Luciano Bivar (PE), na briga com Bolsonaro que rachou o PSL.

A indicação de Bia fez parte de uma costura de Bivar para ficar com a 1ª secretaria da Câmara, cargo que equivale a uma “prefeitura da Casa”.

Segundo o acordo, Bia presidiria a CCJ, enquanto o Major VItor Hugo (PSL-GO) passaria a liderar o partido caso concordassem com o nome de Bivar para a 1ª secretaria da Mesa Diretora.

 

RadioCorredor

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
3fev/210

Operação investiga Cunha e Fillippeli, ex-vice do DF, por propinas de empresas aéreas

Políticos são suspeitos de reduzir alíquota do ICMS do querosene de aviação em troca de propina

Ex-vice do DF, Tadeu Filippelli também é investigad

Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados, e o ex-vice-governador do Distrito Federal Tadeu Filippelli são os principais alvos de uma ação do Ministério Público do DF (MPDFT) na manhã desta quarta-feira (3).

Os dois políticos são suspeitos de participar de esquema de propina com objetivo de baixar os impostos da aviação em Brasília.

A Operação Antonov cumpre 20 mandados de busca e apreensão na capital federal, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás e Espírito Santo.

Segundo o MPDFT, a ação criminosa ocorreu entre 2012 e 2014, quando Cunha e Filippelli conduziram a alteração de uma lei distrital para reduzir a alíquota do ICMS para querosene de aviação de 25% para 12%. Ambos teriam recebido valores em propina das empresas Latam e Gol para votar a mudança legal.

A operação contou com a delação do doleiro Lúcio Funaro, investigado na Operação Lava Jato. O economista fez delação ao Ministério Público Federal que foi compartilhada com o MPDFT. fonte: Diariodopoder

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
3fev/210

ACM Neto sai de Salvador para virar maior liderança nacional do DEM

Com a derrota do candidato de Rodrigo Maia na eleição da Câmara, Neto passa a ser a maior liderança nacional do partido

A vitória do mineiro Rodrigo Pacheco (DEM) como presidente do Senado e a derrota de Baleia Rossi (MDB-SP) na Câmara unificaram o DEM em torno do presidente nacional do partido, o ex-prefeito de Salvador ACM Neto.

Ele se manteve fora da disputa na Câmara, mas se empenhou pela eleição de Pacheco, e assimilou a decisão pela neutralidade da bancada de deputados, precipitando a desfiliação de Maia.

Sem outros líderes de expressão, Neto se tornou a principal liderança do DEM no País. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O ex-prefeito ACM Neto foi um dos anfitriões de Bolsonaro na visita ao Nordeste, há dias. Garantiu que o presidente teria votos no DEM-BA.

Rodrigo Pacheco filiou-se ao DEM em 2018, após perder espaço no MDB de Minas Gerais, onde queria ser candidato a governador.

O MDB-MG se uniu ao PT, em torno de Fernando Pimentel. Pacheco foi para o DEM, com ficha assinada por Rodrigo Maia e ACM Neto. DIARIODOPODER

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
3fev/210

DF receberá 60 mil doses da Coronavac até o fim de semana, diz secretário de Saúde

Segundo Osnei Okumoto, a intenção do GDF é, com o novo lote de vacina, imunizar idosos de 75 a 79 anos a partir da próxima terça-feira

Secretário de Saúde, Osnei Okumoto

Igo Estrela/Metrópoles

 

secretário de Saúde, Osnei Okumoto, e o vice-governador do Distrito Federal, Paco Britto (Avante), entregaram, na manhã desta quarta-feira (3/2), a base de apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), na 905 Norte.

Durante o evento, Okumoto adiantou que 60 mil doses da vacina Coronavac deve chegar neste fim de semana ao DF. “A intenção é disponibilizar para outro grupo prioritário, para idosos de 75 a 79 anos. Precisamos da confirmação do Ministério da Saúde. Estamos elaborando o plano para quando a vacina chegar e, no mais tardar, na próxima terça-feira (9/2), iniciar a vacinação desse grupo”, afirmou.

Sobre a vacinação contra a Covid-19 de toda a população do Distrito Federal até outubro de 2021, ainda segundo Okumoto, a previsão que se teve desde a primeira entrevista do Ministério da Saude sobre a imunização, previa um quantitativo muito maior de doses distribuídas em todo o país no segundo semestre.

“Agora, temos a novidade da Sputnik V, por meio da indústria aqui no Brasil, de estar produzindo esses IFAs (insumos básicos para a produção das vacinas) aqui no DF e, que logo, espero eu, que a Anvisa possa aprovar e possamos ter mais esse suporte para o DF e para o Brasil”, destacou o secretário de Saúde.

Para o grupo que está sendo vacinado, de idosos com 80 anos ou mais, o Okumoto ressaltou que a Secretaria de Saúde fará mudanças na programação de atendimento. “Faremos alterações para melhorar a questão de acomodação dos idosos e para que tenham um acesso muito mais fácil para atendê-los com agilidade e segurança.”

“Em uma análise da equipe técnica, observando o que aconteceu em algumas regiões, percebemos que temos de trabalhar em espaços maiores, como escolas e quadras poliesportivas, onde as pessoas terão a oportunidade de estarem sentadas e poderão ser atendidas, protegidas e com muita tranquilidade. Ninguém deixará de receber a vacina, porque mudou a faixa de atendimento. Todos serão atendidos”, afirmou.

Okumoto acrescentou que muitas pessoas têm vindo do Entorno do DF para receber as vacinas na capital. “Ainda é um número pequeno, mas creio que, quando estivermos na fase de vacinar uma faixa etária menor, a gente tenha muito mais pessoas no Entorno fazendo a vacinação aqui. O Ministério (da Saúde) é muito parceiro para fazer esse reajuste de doses para o Distrito Federal”, explicou.

O secretário de Saúde revelou que ainda há cerca de 37 mil doses disponíveis para a primeira aplicação no DF.

Com a ampliação da vacinação para novos grupos, o número de servidores para atendimento também pode aumentar, de acordo com a demanda. ” Na verdade, para o grupo de idosos acima de 75 anos, temos um público em torno de 38 mil. É menor do que o grupo que estamos fazendo neste momento. A gente ainda pode continuar com o mesmo número de equipes, mas podendo ampliar a questão da vacinação em escolas e ginásio de esportes”, previu.

Base de apoio

A estrutura foi construída a partir de um projeto arquitetônico inovador e tem capacidade para acolher dois veículos.

De acordo com Okumoto, o intuito é oferecer condições de trabalho aos servidores e atendimento de qualidade à população. O investimento é de R$ 350 mil.

“Isso será modelo para outras cidades do Brasil, pela praticidade, modernidade. Vamos inaugurar mais quatro bases como essa. Esta é apenas a primeira delas”, disse o vice-governador.

Metropoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
3fev/210

DF: Distrital Iolando solicita inclusão das pessoas com deficiência no grupo prioritário da vacinação do Covid-19

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
3fev/210

Eleições 2022: Pepa, Daniel Radar e Salve Jorge. Os preferidos em suas regiões

Estamos há um ano e nove meses da disputada eleição pela Câmara Legislativa do Distrito Federal. E dentro de um cenário ainda não definido, começam a surgir nomes considerados favoritos dentro de algumas cidades satélites.

Na cidade do Paranoá e Itapoã a bola da vez vem sendo o nome  do militar Salve Jorge que disputou a eleição anterior e nas mais recentes pesquisas  surge de forma disparada como o favorito a uma cadeira na Câmara Legislativa dentro da região.

Em Santa Maria a renovação atende pelo o nome de Daniel Radar e ele tem por tendência natural disputar voto a voto a preferência popular com a atual Deputada distrital Jaqueline Silva  e não será nenhuma surpresa se Santa Maria eleger um novo Deputado distrital em 2022. Ou até mesmo levar dois parlamentares para o legislativo local.

Em  Planaltina o popular Pepa poderá fechar dobradinha com o atual parlamentar da cidade, Cláudio Abrantes, caso se confirme esse entendimento a tendência natural é que Pepa entre de forma direta na briga por uma cadeira de deputado distrital em 2022. Entre algumas lideranças da cidade o nome de Pepa é visto como a renovação mais viável até esse momento para o eleitorado de Planaltina.

As peças estão sendo mexidas no xadre politico de Brasilia. Resta saber quem vai sobreviver até 2022...

 

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn