25dez/200

Suspeito de matar sargento da PMDF foi libertado durante Saidão de Natal

Hipólito Moreira da Silva estava com a massa carcerária de 1.855 presos libertados na segunda-feira (21/12). Polícia o procura

homem presoREPRODUÇÃO
O suspeito de matar o 1º sargento da reserva remunerada da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) João Batista da Conceição Melo, 57 anos, é um detento do Complexo Penitenciário da Papuda beneficiado pelo Saidão de Natal. Hipólito Moreira da Silva (foto em destaque) estava com a massa carcerária de 1.855 presos libertados na segunda-feira (21/12) e que devem retornar aos presídios na próxima segunda (28).

O presidiário é irmão da jovem de 28 anos presa por policiais militares, na noite de quinta-feira (24), que tentou esconder um revólver calibre 32 na área rural Vendinha, em Padre Bernardo, no Entorno do Distrito Federal. Os PMs estavam na região à procura de Hipólito.

O sargento foi morto em uma chácara localizada no Setor de Oficinas de Brazlândia, após assalto cometido na noite de quarta-feira (23).

 

Após denúncia, a PM soube que um dos suspeitos do latrocínio estava escondido numa fazenda. Os militares fizeram buscas no local, com apoio das equipes da Patamo, do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães), do helicóptero da corporação e da PM de Goiás. O bandido, porém, não foi localizado.

Durante a operação, os policiais abordaram um carro que deixava o terreno. No veículo, havia um casal: a irmã do suspeito e o marido dela.

Os policiais desconfiaram de um objeto escondido dentro de um meião. A jovem alegou que se tratava de um vibrador. Mas um segundo meião chamou a atenção. Nele, havia 24 cartuchos de munição. No primeiro, os militares encontraram o revólver.

Ela admitiu que a arma era do irmão foragido, que havia se escondido no mato. Quando soube das buscas policiais, decidiu tirar a arma da casa dos pais para não os prejudicar. Ainda não se sabe se o revólver é o mesmo usado no latrocínio do PM.

Ela foi detida em flagrante e levada para a delegacia de Águas Lindas (GO). O caso é investigado pela 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia).

O crime

De acordo com Informações coletadas pela PMDF, o 1º sargento João Batista da Conceição Melo se dirigiu até a propriedade para receber o dinheiro de uma dívida. Lá, foi recebido a tiros por dois criminosos que assaltavam o local: eles tinham feito a família moradora da residência refém e roubado R$ 10 mil em espécie e duas armas de fogo.

Os bandidos fugiam no momento em que o policial da reserva chegou dirigindo sua caminhonete – eles dispararam três vezes contra o sargento. Uma das balas atingiu o pescoço de João Batista. O dono da chácara socorreu o militar e o levou ao hospital, mas o PM não resistiu aos ferimentos e morreu. A corporação informou que quatro pessoas foram rendidas, inclusive uma criança de 5 anos.

A suspeita é de que os assaltantes tinham informações privilegiadas e sabiam que o dono da casa tinha arma de fogo na residência e estava com um alto valor em dinheiro. Metrópoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
25dez/200

Planalto não aponta fiasco na Coronavac, mas fica aliviado por aposta na vacina de Oxford

Atraso na divulgação dos dados sobre a eficácia da vacina chinesa tem deixado infectologistas preocupados

O provável fiasco da vacina Coronavac, que sinaliza apenas 50% de eficácia, gerou alívio no Ministério da Saúde.

É que agora, mais que nunca, o governo brasileiro se convenceu do acerto quase lotérico na aposta que fez na vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e o laboratório suíço AstraZeneca, cuja eficácia presumida é 95%.

Outro fator de alívio tem a ver com a recusa inicial de bancar a vacina chinesa que o governador paulista, João Doria, insistiu em vender ao ministério. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A ordem do Planalto é ninguém se pronunciar sobre um eventual fiasco da “vacina do Doria”. Afinal, a notícia é ruim para todos.

A eficácia da vacina chinesa será anunciada em duas semanas, segundo informou o diretor do Instituto Butantan, simultaneamente com a Sinovac.

Segundo Dimas Covas, a chinesa Sinovac vai “unificar e equalizar” o os testes no Brasil, que apontam para fiasco, com “outros países”. Humm…

Há dois meses, Doria tentou vender 5 milhões de doses da vacina, a 10 dólares cada. O Ministério da Saúde “piscou”, mas Bolsonaro brecou.

diário do poder

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
25dez/200

Brazlândia: Polícia começa a desvendar morte de PM em assalto

Irmã de suspeito de matar PM em Brazlândia é presa ao tentar esconder arma

PMDF/REPRODUÇÃO

Jovem de 28 anos estava em Padre Bernardo, no Entorno, e foi encontrada durante buscas aos responsáveis pelo latrocínio de João Batista Melo

Policiais militares prenderam, na noite de quinta-feira (24/12), uma jovem de 28 anos que tentou esconder um revólver calibre .32, na área rural Vendinha, em Padre Bernardo, no Entorno do Distrito Federal. Os PMs estavam na região à procura de um dos suspeitos de matar o 1º sargento da reserva remunerada da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) João Batista da Conceição Melo (foto de destaque), 57 anos.

A vítima foi morta em uma chácara localizada no Setor de Oficinas de Brazlândia, após assalto cometido na noite de quarta-feira (23/12). Os criminosos estão foragidos.

Após denúncia, a PM soube que um dos suspeitos do latrocínio estava escondido numa fazenda. Os militares fizeram buscas no local, com apoio das equipes da Patamo, do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães), do helicóptero da corporação e da PM de Goiás. O bandido, porém, não foi localizado.

Durante a operação, os policiais abordaram um carro que deixava o terreno. No veículo, havia um casal: a irmã do suspeito e o marido dela.

Os policiais desconfiaram de um objeto escondido dentro de um meião. A jovem alegou que se tratava de um vibrador. Mas um segundo meião chamou a atenção. Nele, havia 24 cartuchos de munição. No primeiro, os militares encontraram o revólver.

Ela admitiu que a arma era do irmão foragido, que havia se escondido no mato. Quando soube das buscas policiais, decidiu tirar a arma da casa dos pais para não os prejudicar. Ainda não se sabe se o revólver é o mesmo usado no latrocínio do PM.

Ela foi detida em flagrante e levada para a delegacia de Águas Lindas (GO). O caso é investigado pela 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia).

O crime

De acordo com Informações coletadas pela PMDF, o 1º sargento João Batista da Conceição Melo se dirigiu até a propriedade para receber o dinheiro de uma dívida. Lá, foi recebido a tiros por dois criminosos que assaltavam o local: eles tinham feito a família moradora da residência refém e roubado R$ 10 mil em espécie e duas armas de fogo.

Os bandidos fugiam no momento em que o policial da reserva chegou dirigindo sua caminhonete – eles dispararam três vezes contra o sargento. Uma das balas atingiu o pescoço de João Batista. O dono da chácara socorreu o militar e o levou ao hospital, mas o PM não resistiu aos ferimentos e morreu. A corporação informou que quatro pessoas foram rendidas, inclusive uma criança de 5 anos.

A suspeita é de que os assaltantes tinham informações privilegiadas e sabiam que o dono da casa tinha arma de fogo na residência e estava com um alto valor em dinheiro. Metrópoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn