1dez/200

Pesquisas: Eleição marca o desastre dos números da Datafolha e Ibope

Erros de precisão e até dos próprios vencedores foi - mais uma vez - a marca das pesquisas da eleição brasileira

As eleições de 2020 serão lembradas pelos erros de grandes institutos que “amarelaram” e cancelaram até as tradicionais pesquisas de boca de urna.

O Datafolha apontou a vitória de Marília Arraes (PT) no Recife e o Ibope “viu” Manuela D’Ávila (PCdoB) na frente (51% a 49%) em Porto Alegre, mas deu Sebastião Melo (55% a 45%). Ainda errou na precisão de votos de Bruno Covas (PSDB) em São Paulo.

O dia da eleição chegou, os resultados foram outros e os institutos tentam explicar o inexplicável. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Em Fortaleza, o Ibope apontou na véspera da eleição que Sarto, do PDT, venceria com 61%. Errou por dez pontos: ele venceu com 51%.

Em Belém (PA), o atual prefeito Edmilson (Psol) venceria o segundo turno, segundo o Ibope da véspera, por 16 pontos. Ganhou por 3,5%.

As pesquisas também deram vexame em 2018, com Witzel no Rio e de Romeu Zema em Minas, e nas derrotas de Dilma e Eduardo Suplicy. Diário do poder

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
1dez/200

Paranoá Parque recebe doação de cestas básicas na quadra 341

Mais uma parceria de sucesso realizada no Paranoá Parque entre o síndico Silvano Lima da Quadra 3.4.1, a Cruz Vermelha e a deputada federal Paula Belmonte (foto), possibilita a entrega de cestas básicas e beneficia vários moradores do residencial.

A entrega das cestas ocorreu na manhã dessa sexta-feira, 13 de novembro, no centro comunitário da quadra 3 conjunto 4 lote 1, e contou com a presença da deputada federal Paula Belmonte (Cidadania – DF).

Na ocasião a deputada destacou a importância de profissionalização no residencial e se colocou a disposição para ajudar trazer cursos para os moradores do condomínio.

Paula Belmonte, deputada federal (Cidadania -DF), 3.4.1 do Paranoá Parque. Foto: Alexandre Motta
Paula Belmonte, deputada federal (Cidadania -DF), 3.4.1 Paranoá Parque. Foto: Alexandre Motta

Os moradores do residencial agradeceram a deputada Paula Belmonte por estar a disposição e sempre contribuindo para melhoria de vida das pessoas mais carentes do Paranoá Parque.

O síndico Silvano Lima pediu ajuda da parlamentar para intermediação junto aos órgãos do governo, afim de viabilizar, e levarem para o Paranoá Parque o ônibus do SEBRAE com cursos profissionalizantes.

O objetivo é que o ônibus fique estacionado na quadra 3 conjunto 4 lote 1, no Paranoá Parque e ofereça cursos gratuitos à comunidade. Paula Belmonte se comprometeu em levar a solicitação e buscar uma resposta rápida sobre a demanda.

Paula Belmonte, deputada federal (Cidadania -DF), Silvano Lima, síndico (Quadra 3.4.1 Paranoá Parque) Foto: Alexandre Motta
Paula Belmonte, deputada federal (Cidadania -DF), Silvano Lima, síndico (Quadra 3.4.1 Paranoá Parque) Foto: Alexandre Motta

“Fiquei feliz em saber que o condomínio de vocês vem melhorando a cada dia mais, de uma forma tão organizada, Parabéns”. disse a deputada que completou:

“Podem contar comigo para juntos buscarmos parcerias e trazermos cursos profissionalizantes para gerar emprego e renda no Paranoá Parque”. Paula Belmonte.Informatudo

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
1dez/200

Regularização de Arniqueira começa para 1,4 mil moradores

Decreto que aprova projeto urbanístico foi assinado nesta terça (1) pelo governador Ibaneis e agora está permitido o registro cartorial de lotes

Agencia Brasilia

Após décadas de espera, Arniqueira inicia sua tão sonhada regularização fundiária. Nesta terça-feira (1º), foi assinado o decreto que aprova o projeto urbanístico para regularização de uma das nove áreas da cidade, a URB 005.

A medida vai permitir o registro cartorial de mais de 1,4 mil lotes que ocupam uma área de 319,28 hectares. Concebida oficialmente há pouco mais de um ano a partir da publicação da Lei nº 6.391/2019, Arniqueira necessita de regularização. No início dos anos 90, a área (um conjunto de chácaras) cresceu desordenadamente. Na atual gestão, ela foi transformada em uma Região Administrativa para se desenvolver com infraestrutura e sem agredir o meio ambiente.

O decreto é, portanto, um grande passo para a regularização. “Esse documento é só o início. Vamos entrar com as obras, com infraestrutura e a dignidade que a cidade merece. Vamos chegar ao final de 2022 com mais da metade dessa cidade regularizada e com equipamentos públicos”, assegura o chefe do Executivo local. Comemoração enaltecida e reforçada por todos os presentes.

“Esse processo de regularização é muito bom porque poderemos ter as obras. É um passo importante para a comunidade. Poderemos trazer águas pluviais, esgoto e equipamentos públicos”, destaca Telma Rufino, administradora da cidade.

Regularização de Arniqueira vai beneficiar 1,4 mil moradores

A regularização fundiária de assentamentos irregulares está longe de ser uma tarefa simples. Ela compreende diversas etapas e demanda o trabalho de inúmeros órgãos públicos. Envolve aspectos técnicos e urbanísticos, ambientais e sociais e, é claro, a participação da população, como cita o secretário de Governo, José Humberto Pires.

“Arniqueira se constituiu a partir de uma ocupação e teve inúmeros debates jurídicos. Agora chegamos no momento de regularização. Quero ressaltar a luta desse povo para ter as suas moradias regularizadas e poder ter tranquilidade para viver na cidade que eles ajudaram a construir”, aponta o secretário de Governo.

Com mais de 46 mil moradores, Arniqueira abrange uma área de 1,3 mil hectares e envolve os bairros Setor Habitacional Arniqueira, Areal Qs 06 a 11, (Qs 07 exceto a área da Universidade Católica) e Área de Desenvolvimento Econômico (ADE). Uma região em amplo desenvolvimento, mas que precisava dos documentos e da legalidade para se expandir e contar com as ações do governo.

Para que a cidade possa se desenvolver, a Terracap estima investir R$ 160 milhões em infraestrutura, montante capaz de resolver problemas antigos que comprometem a qualidade de vida de quem mora na região administrativa.

“Na URB 005, a Terracap regulariza os primeiros 1.457 lotes de Arniqueira. Em breve eles estarão para registro e com isso vamos continuar em toda a cidade”, explica o presidente da Terracap, Izidio Santos. “A próxima a ser regularizada é a URB 001. Com isso, vamos até a última delas para levar as obras de infraestrutura necessárias para dar conforto a essa população”, completa.

A força da integração

É graças ao trabalho integrado do GDF que o objetivo de regularizar a cidade saiu do papel. A Agência de Desenvolvimento (Terracap) e a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Seduh) se uniram com o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), a administração regional e a população para que isso fosse possível ainda em 2020.

“Fico feliz quando ouço, e ouço de muitos, da união desse nosso governo. Nós temos as nossas secretarias trabalhando juntas”, destacou o governador Ibaneis Rocha. “O que se notava era que as secretarias não se comunicavam porque cada uma era feudo de algum político. Hoje, todas as secretarias e órgãos são braços fortes trabalhando por resultados”, observou .

Ibaneis aproveitou a ocasião para fazer um balanço dos quase dois anos de gestão. “Nosso governo, em 1 ano e 11 meses, começa a entregar produtos que nem sequer tinham sido iniciados em períodos anteriores. E isso nós só acontece porque conseguimos dar liga ao governo. E é isso que cada morador espera. É resultado, uma política efetiva de resultado. Política que a população sinta a presença do estado”, apontou.

“Esse trabalho é um grande esforço conjunto. Se não fosse a integração desse governo esse dia não aconteceria tão breve”, reforçou o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira.

A URB 005, contemplada com a assinatura do decreto, tem 1.457 lotes, com áreas que variam entre 77 m² a 2,5 mil m². O projeto é constituído majoritariamente por lotes de uso residencial unifamiliar.

O cálculo do valor dos terrenos a ser pago pelos ocupantes leva em consideração o preço de mercado, com a dedução da infraestrutura feita pelos moradores ao longo dos anos – bem como a valorização decorrente desta implantação. Os valores de cada lote só serão conhecidos no ato da publicação do edital.

Mais obras para Arniqueira

Durante a assinatura, o chefe do Executivo reforçou outras medidas e obras previstas para a cidade, como o projeto do restaurante comunitário, a construção de uma Unidade Básica de Saúde, uma nova sede para a administração e de duas feiras populares, em Arniqueira e no Areal.

“Temos emendas parlamentares previstas para a construção da feira popular em Arniqueira e no Areal. Temos também escolas de ensino fundamental e médio para atender a população. O restaurante comunitário em um prédio que já existe e uma UBS. As coisas estão andando”, apontou Ibaneis Rocha.

As obras das duas feiras vão contar com emendas da deputada federal Flávia Arruda, presente na cerimônia desta terça. “Encaminhei recursos para a construção da Feira de Arniqueira e do Areal. A população merece e precisa de uma feira permanente de verdade. Vai vir em boa hora para ajudar no desenvolvimento econômico e social e na geração de emprego”, disse a parlamentar.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
1dez/200

Ibaneis decreta o fechamento de bares e restaurantes a partir das 23 horas

Medida foi adotada para evitar o recrudescimento de casos de Covid em Brasília

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), decretou o fechamento de bares e restaurantes a partir das 23 horas, em razão do recrudescimento dos casos de cvid-19.

O decreto 41.535 de Ibaneis foi publicado nesta terça-feira (1º) em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal, e tem vigência imediata, envolvendo os chamados “estabelecimentos de alimentação e lazer”.

A agência fiscalizadoras DF Legal é o órgão do governo do DF encarregada de fazer cumprir o decreto do governador.

O DF Legal tem atuado com rigor desde o início da pandemia, inclusive fechando estabelecimentos que descumprem as determinações quanto a horários de funcionamento e lotação máxima permitida.

A decisão de Ibaneis foi adotada após observar, no fim de semana passada, uma tendência de aglomerações de pessoas em bares, restaurantes e eventos culturais.

diariodopoder

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
1dez/200

LPCDF ouve testemunhas e busca câmeras em mercado onde idosa foi acusada de furto

Milta de Jesus sofreu um infarto no último sábado (28/11) após ser apontada como autora do furto de um par de sandálias

delegaciaMIRELLE PINHEIRO/METRÓPOLES

Investigadores da 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião) começarão a ouvir os depoimentos do caso envolvendo a aposentada Milta de Jesus Oliveira, 75 anos. A idosa sofreu um infarto no último sábado (28/11), após ter sido acusada de furtar um chinelo no Atacadão Super Adega, no Jardim Botânico. Além da oitiva dos familiares, os policiais também irão ao local dos fatos para falar com funcionários e colher imagens de câmeras de segurança.

Milta é hipertensa, mas controlava a pressão com uso de remédios. Ela passará por cateterismo nesta terça-feira (1º/12), no Hospital Universitário de Brasília (HUB), onde está internada na unidade de terapia intensiva (UTI). De acordo com Sandrine Oliveira, neta da idosa, a avó está lúcida e teve melhora, mas ainda precisa realizar o procedimento para saber qual será o tratamento mais adequado.

“Ela diz se lembrar que o pessoal do hospital cantou parabéns para ela ontem (30/11), porque foi aniversário dela. Está mais tranquila, sendo bem cuidada”, conta. “Agora, ela segue em repouso absoluto. Faz tudo deitada na cama”, diz a neta.

A paciente chegou a ser atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Sebastião, mas foi transferida na madrugada de segunda (30/11) para a unidade hospitalar da Universidade de Brasília (UnB). Relatório médico aponta para infarto agudo do miocárdio.

Procurado pelo Metrópoles, o HUB informou que Milta deve realizar o cateterismo até o início desta tarde. Ela já se encontra no serviço de hemodinâmica, onde o procedimento é feito, e aguarda a finalização do atendimento a outro paciente para ser chamada. Ainda conforme a unidade, o estado de saúde da paciente é estável.

A ocorrência foi registrada na Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) como “calúnia” e “crime contra idosos”. De acordo com delegado-chefe adjunto da 30ª DP, Ulysses Fernandes, na tarde desta terça-feira, os familiares da vítima serão formalmente ouvidos na delegacia, bem como serão identificados os funcionários do mercado para que também prestem esclarecimentos.

Entenda o caso

Antes de sofrer o infarto, a aposentada estava acompanhada de familiares. Quando eles foram passar as compras no caixa, ela foi surpreendida com o comportamento dos funcionários.

“Após passar todas as compras, cujo valor foi mais de R$ 600, em tom de voz alterado e audível para todos os outros clientes que estavam na fila ouvirem, faz-lhe o seguinte questionamento: ‘A senhora vai pagar essas sandália que furtou também?’”, relembrou a neta Grazielle Oliveira.

Nervosa, a aposentada tentou explicar que aquele chinelo que calçava era um presente. Falou que é uma mulher honesta e que nunca furtou ou roubou nada de ninguém. Segundo os familiares, a funcionária do caixa chamou um dos seguranças. A equipe queria que a mulher provasse que as sandálias, da marca Havaianas, não era produto de furto.

“Após ser acusada de furto e todo o escândalo armado pela funcionária do caixa e a grosseria dos seguranças desse atacadão, ela começou a se sentir mal. A pressão subiu. Jamais pensou que nesta idade seria vítima de tamanha injustiça e desrespeito”, completou Grazielle.

Depois da discussão, o gerente do local, segundo relato das testemunhas, se desculpou, afirmando que a idosa era muito parecida com uma suspeita de furtar sandálias no local. Além da Polícia Civil, a família, que mora em São Sebastião, denunciou o caso à ouvidoria da Super Adega. O atacadista adiantou-se em pagar tratamento médico e psicológico para a vítima.

Ao Metrópoles, a equipe jurídica da Super Adega confirmou os fatos e ressaltou que foi oferecido um leito no Hospital Daher ou no Hospital Santa Luzia, mas como surgiu uma vaga na rede pública, a família optou pela transferência para o HUB. Metropoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn