31out/190

Apoiadores de Bolsonaro protestam contra a Globo em várias cidades

PM-DF conteve manifestantes com grades de ferro e policiais protegendo o prédio

Vestindo roupas nas cores verde e amarelo e agitando bandeiras do Brasil, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro saíram às ruas de diversas capitais para protestar contra a Rede Globo diante de suas sedes.

Em Brasília, centenas de manifestantes cercaram a emissora, que chamou a Polícia Militar para desestimular qualquer tentativa de invasão. Eles gritaram xingamentos contra a emissora e palavras de apoio a Bolsonaro. Em Curitiba, a PM também se manteve em estado de alerta para impedir eventuais atos de violência.

Veja imagens de celular do protesto em Brasília:

A reação dos bolsonaristas é à divulgação de reportagem no Jornal Nacional, principal telejornal da emissora, baseada em depoimento mentiroso de um porteiro do condomínio na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, onde o presidente tem casa. A mentira do porteiro foi atestada durante coletiva do Ministério Público do Estado.

Segundo a reportagem, o porteiro disse que um dos suspeitos de matar a vereadora Marielle Franco esteve no condomínio em 14 de março de 2018, às 17h10, e teria dito que se dirigia à casa do então deputado e que um homem identificado como “Jair” teria autorizado.

A revolta dos apoiadores de Bolsonaro decorre do fato de a emissora não haver checado completamente a informação. Procuradores do MPRJ afirmaram na coletiva que após o depoimento do porteiro as investigações concluíram que ele havia mentido.

Mais cedo, o vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente, esteve no condomínio e, na condição de morador, teve acesso ao computador que registra e grava as ligações de interfone do porteiro às casas.

O computador do condomínio mostra que nem sequer houve ligação do porteiro à casa 58 de Bolsonaro e sim, às 17h13, à casa 65 de Ronnie Lessa, um dos suspeitos do crime, e que foi ele quem atendeu a ligação.

Naquele mesmo dia, o então deputado Bolsonaro estava em Brasília, onde participou de duas votações e concedeu entrevistas. A Band obteve inclusive imagens de Bolsonaro circulando no plenário da Câmara. Diáriodopoder

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
31out/190

Presidente Jair Bolsonaro chega a Brasília após visita a cinco países

Objetivo do presidente e sua comitiva de ministros foi atrair os investidores

O presidente Jair Bolsonaro chegou hoje (31) ao Brasil após viagem por cinco países da Ásia e Oriente Médio, onde apresentou as reformas que o governo está empreendendo na área econômica e as oportunidades de investimento no país. O voo com a comitiva presidencial pousou por volta das 7h na Base Aérea de Brasília.

Cerca de meia hora depois, Bolsonaro chegou ao Palácio da Alvorada e entrou sem falar com a imprensa. Nesta quinta-feira, o presidente não tem compromissos oficiais e deve passar o dia no Palácio da Alvorada. Durante dez dias, Bolsonaro esteve em encontros e seminários com empresários e investidores e assinou vários acordos bilaterais com os países por onde passou: Japão, China, Emirados Árabes Unidos, Catar e Arábia Saudita.

Ele começou o tour pelo Japão, onde participou da cerimônia de ascensão ao trono do imperador japonês Naruhito, em Tóquio e se reuniu com o primeiro-ministro, Shinzo Abe, na busca por novos negócios com o país asiático, como exportação de carne brasileira e acordos em ciência e tecnologia.

Na China, o presidente brasileiro reuniu mais ministros em sua comitiva, como da Agricultura, Tereza Cristina, e o de Minas e Energia, Bento Albuquerque, que já estavam no país em reuniões com autoridades e empresários para tratar de oportunidades de investimento e aprofundamento as relações comerciais. Em encontro com o presidente chinês, Xi Jiping, Bolsonaro assinou vários acordos bilaterais em agricultura e comércio, energia e educação e pesquisa.

Além dos atos com o governo, foram assinados acordos comerciais na área de infraestrutura e agricultura. Bolsonaro ainda convidou empresários chineses para participarem do megaleilão de óleo e gás, que acontecerá no dia 6 de novembro. Na ocasião, o presidente ainda anunciou a isenção de visto para a entrada de chineses no Brasil.

Oriente Médio

No Oriente Médio, o objetivo do presidente e sua comitiva de ministros foi atrair os investidores, em especial para os projetos de concessões e privatizações do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Os países dessa região possuem grandes fundos soberanos em busca de oportunidades em países emergentes. Eles também são grandes compradores de produtos do agronegócio brasileiro.

No Catar, Bolsonaro assinou vários acordos, entre eles para a isenção de visto de entrada nos países de turistas, pessoas em trânsito ou em viagens de negócios e para cooperação em grandes eventos esportivos. O país do Oriente Médio vai sediar a Copa do Mundo de futebol em 2022.

No último país do tour presidencial, a Arábia Saudita, o presidente brasileiro anunciou a parceria com o Fundo de Investimento Público saudita (PIF), que pode resultar no desenvolvimento de projetos de até US$ 10 bilhões no Brasil.

Em encontro com o rei Salman Bin Abdulaziz Al Saud também foram celebrados atos em várias áreas, entre elas pesquisa industrial, desenvolvimento e tecnologia de defesa; cooperação cultural; e parcerias entre as entidades sauditas, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). (ABr)

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
31out/190

TCU pode fiscalizar o Fundo Constitucional do DF, diz Supremo

A decisão abre possibilidade de o órgão cobrar do GDF R$ 10 bilhões obtidos com imposto de renda de soldos e benefícios de PMs e bombeiros

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles

VINÍCIUS SANTA ROSA/METRÓPOLES

O Tribunal de Contas da União (TCU) tem legitimidade para fiscalizar o Fundo Constitucional do Distrito Federal (FCDF). O governo do DF (GDF) havia apresentado mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) questionando a legitimidade da instituição para o controle do dinheiro repassado pela União para as áreas de segurança, saúde e educação na capital. Entretanto, 2ª Turma da Corte negou o pedido.

A sentença a favor do Tribunal de Contas da União foi proferida na terça-feira (29/10/2019). O GDF questionou decisões do TCU de 2009. O debate era sobre as gratificações de comandantes da Polícia Militar (PMDF) e do Corpo de Bombeiros (CBMDF). O Palácio do Buriti argumentou que o órgão de controle não teria competência para qualquer julgamento, pois as verbas em discussão não seriam da União.

No entanto, a Advocacia-Geral da União (AGU) rebateu o DF e defendeu os acórdãos da Corte de contas. Neste sentido, argumentou que compete ao governo federal a organização e a manutenção das forças de segurança do DF. Inclusive com a garantia dos recursos para a prestação dos serviços públicos. A competência parte da própria Constituição Federal.

“Competência inafastável”

Segundo a AGU, os gastos do FCDF fazem parte do orçamento da União. As folhas de pagamento da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil passam pelo Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi). Por isso, a competência do TCU para fiscalizar o FCDF é “inafastável”.

Durante o julgamento, o GDF chegou a declarar que a sentença do TCU seria uma “ingerência indevida” na decisão de pagamento de gratificações entre 1999 e 2002. No entanto, a AGU afirmou que a movimentação foi irregular pois partiu de legislação distrital. Segundo a União, o ato dependeria de lei federal. A sentença da 2ª Turma foi unânime. Metropoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
30out/190

Não houve ligação para casa de Bolsonaro no dia e hora indicados pelo porteiro. Veja vídeo.

Sistema do condomínio mostra ligação às 17h13 para a casa nº 65; a casa de Bolsonaro é nº 58

O vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente da República, divulgou em sua conta no twitter um vídeo mostrando que no sistema informatizado do condomínio, ao contrário do suposto depoimento do porteiro, não registra qualquer ligação de interfone à casa de Jair Bolsonaro sobre a visita de um envolvido no caso Marielle.

“A Globo, sabendo dos fatos e podendo esclarecê-los, preferiu levantar suspeitas contra o Presidente e alimentar narrativas criminosas”, escreveu Carlos Bolsonaro em sua página no Twitter.

Post de Carlos Bolsonaro, publicado há pouco.

O filho de Bolsonaro aparece no vídeo com a tela do computador da administração do condomínio na Barra da Tijuca, onde fica a casa de Jair Bolsonaro. Ele também reside ali, por isso teve acesso ao computador. O sistema grava as ligações de interfone. Carlos inclusive exibiu o áudio para mostrar que a voz não é a do presidente.

No vídeo, Carlos aponta as anotações da visitação, arquivadas no computador, afirmando que “um simples acesso aos registros internos do condomínio mostra que no dia 14/03/2018 NENHUMA solicitação de entrada foi feita para a casa 58”, a casa do presidente.

Nesse mesmo dia, às 17h13, segundo consta no computador exibido por Carlos Bolsonaro, há apenas um registro de ligação de interfone para a casa nº 65, de Ronny Lessa, um dos suspeitos de envolvimento no crime.

Veja o vídeo feito pelo filho do presidente:

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
30out/190

Projeto de lei autoriza TJDFT a requisitar servidores do GDF

Proposta, na visão de técnicos da CLDF, pode reduzir vagas em concursos do Judiciário. Medida vale para pedidos da esfera federal também

Rafaela Felicciano/Metrópoles

RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

O governador Ibaneis Rocha (MDB) enviou à Câmara Legislativa um projeto de lei complementar (PLC) autorizando o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) e a Justiça Federal a requisitarem servidores dos Poderes Executivo e Legislativo locais. A proposta foi lida nessa terça-feira (29/10/2019) em plenário e abre precedente, na visão de técnicos da Casa, para a redução de vagas no próximo concurso do Judiciário local, previsto para 2020.

O PLC inclui na Lei Complementar nº 840 dois novos itens. Ambos colocam a possibilidade de o TJDFT e a Justiça Federal requisitarem servidores para cargos comissionados ou funções em comissão.

Antes, apenas o Legislativo e o Executivo podiam requisitar servidores de um Poder para o outro, desde que não houvesse prejuízo para o órgão ao qual o funcionário fosse vinculado, nem aos cofres públicos. Para isso, o requerente deveria pagar pelo uso do servidor de carreira.

Com a medida, de acordo com os técnicos da Casa, o TJDFT poderá requisitar servidores sem limite de pessoal. Tendo mão de obra em outros Poderes, o Judiciário poderá, ainda na visão dos técnicos da Câmara Legislativa, por exemplo, reduzir vagas e até deixar de realizar concursos.

O projeto diz ainda que a cessão será nos mesmos moldes da atual legislação. Isso significa que, para ter o servidor, o TJDFT precisará pagar para o órgão de origem.

3 mil requisitados

Apenas neste ano, o Governo do Distrito Federal (GDF) cedeu 3,1 mil servidores para outros órgãos públicos brasilienses, estados e governo federal. Atualmente, Brasília tem 139.619 concursados. O número de transferências foi calculado pelo (M)Dados, núcleo de análise de grande volume de informações do Metrópoles.

Segundo a pesquisa, o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) tem 453 servidores cedidos. É o órgão com maior número de cessões. Na sequência, a Polícia Militar abriu mão de 378 homens e mulheres treinados para garantir a segurança da população. Apesar da crise de infraestrutura e da carência de profissionais na rede pública de ensino, a Secretaria de Educação liberou 321 empregados do seu quadro.

Enquanto unidades de pronto atendimento (UPAs) e salas de emergência sofrem com falta de pessoal, 301 médicos, enfermeiros, técnicos e outros trabalhadores da pasta da Saúde foram enviados para outras atividades. A Secretaria de Economia, até pouco tempo chamada de Fazenda, Planejamento e Gestão, cedeu um total de 186. E a despeito das ameaças de corrupção, crime organizado e maníacos atemorizando a cidade, a Polícia Civil transferiu 174 profissionais.

Na outra ponta desta conta, o GDF requisitou 3.709 servidores. Neste caso, os cofres públicos brasilienses precisam assumir a folha de pagamento desses profissionais. Em 2019, entre 1º de janeiro e 4 de setembro, o governo de Ibaneis Rocha desembolsou R$ 14.238.850,68 com esse gasto.

A maior fatura foi para o pagamento de requisitados para o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF). Foram desembolsados R$ 2.785.909,87. Apesar de ser ligada ao Poder Legislativo local, a Corte de Contas é custeada pelo governo. Em segundo lugar, a Casa Civil pagou R$ 2.215.480,50. A “importação” de servidores custou à Secretaria de Economia R$ 1.072.785,53.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
28out/190

Brazlândia: Festa inesquecível para a criançada

Por: Samuel Barbosa

Este final de semana foi especial para as crianças do Incra 8 e Brazlândia, que comemoraram o seu mês com muita festa. Uma tarde de muita alegria e diversão na qual elas participaram de pintura de rosto, jogos, brincadeiras, oficina de arte, pula-pula, brinquedos infláveis, camas elásticas, esportes, parede de escalada, muitas atividades, além de se deliciarem com pipoca, algodão doce, picolés, cachorro quente, pastéis, entre outras guloseimas.

Além das crianças acompanhadas pelos familiares, que também puderam aproveitar a festa, quem veio para prestigiar o evento foi o deputado distrital Iolando Almeida (PSC). “Fico muito feliz em ver o sorriso estampado em cada rostinho destas crianças. Eu agradeço pela confiança de cada pai, cada mãe, e de todas as famílias por trazerem seus filhos para comemorar conosco este dia preparado especialmente para as elas”, comemorou o parlamentar.

O evento aconteceu ontem (26), no Incra 8 e hoje domingo(27), no espaço da Feira do Produtor na Vila São José, em Brazlândia. A festa foi organizada pela  Administração Regional de Brazlândia.

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
25out/190

Entrevista: José Humberto;” O que a gente quer é essa cidade renovada”

Entrevista: José Humberto Pires - Secretário de Governo - "O que a gente quer é essa cidade renovada"

O que a gente quer é essa cidade renovada. Em entrevista ao CB.Poder, José Humberto aposta em infraestrutura para conter os transtornos causados pelas chuvas. Em Vicente Pires, a expectativa é de que até o fim do ano 70% das obras estejam concluídas. Emprego e saúde também são desafios

"Como são nove empresas e 11 contratos e todas estão trabalhando, a nossa meta é de que, neste ano, a gente conclua 70% de todas as obras projetadas (em Vicente Pires). Os outros 30% ficarão para o ano que vem"

O GDF está pronto para as chuvas no Distrito Federal. O Executivo local avalia que, em 10 meses de gestão, fez avanços, com a implementação de obras em pontos complicados da capital, como Vicente Pires, Sol Nascente e as tesourinhas do Plano Piloto. De acordo com o secretário de Governo, José Humberto Pires, “mesmo com o período de chuvas, as obras não vão parar”.

As declarações foram feitas ontem em entrevista ao programa CB.Poder, parceria do Correio com a TV Brasília. Segundo o secretário, até o fim do ano, 70% das obras de Vicente Pires devem ser concluídas. A previsão é de que as ruas 3 e 8 fiquem prontas nos próximos 15 dias. Neste momento, o GDF está na fase final de conclusão da obra de drenagem e esgoto do local.

Além disso, José Humberto detalhou os desafios do governo, como o desemprego e a regularização de lotes. Também fez uma avaliação sobre a Saúde, após a implementação do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges/DF).

"O governador Ibaneis colocou como ponto fundamental, como política de governo, criar um ambiente de negócio favorável, de segurança jurídica favorável, para incentivar os empresários a investir novamente em Brasília"

O que mudou do ano passado para cá? Estamos preparados para enfrentar a chuva? Todo mundo está preparado. A chuva chegou com vontade na região de Taguatinga, principalmente, em Vicente Pires. É a região oeste de Brasília. Mas o governo está preparado, a Defesa Civil está preparada para qualquer momento em que houver necessidade de atuar.

Algumas vias de Vicente Pires ainda têm lama. Há prazo para essas obras? A Rua 10, em março, era intrafegável, e o governo decidiu fazer dela um modelo do que queremos que seja Vicente Pires. Levamos para a Novacap a empresa contratada e, desde então, vemos a trafegabilidade em uma via de 12 metros, com calçadas totalmente estruturadas. Agora, para a nossa felicidade, a chuva caiu, as bocas de lobo funcionaram, a lagoa de contenção está funcionando muito bem, o que nos projeta um futuro muito melhor. Hoje, o que há de intimidação ainda, e é até uma incomodação compreensível, é que, quando você faz obra de infraestrutura, tem de primeiro fazer a parte de drenagem pluvial e esgoto. Esse passo agora está na Rua 8 e na Rua 3 e, ali naquela região, ainda há lama. Mas a boa notícia é que o nosso secretário de Obras, Izidio (Santos), nos diz que, nos próximos 15 dias, essa drenagem será concluída, e nós não teremos mais essa água correndo pela rua.

Dá pra dizer que a Rua 10 passou no teste das chuvas? Em quanto tempo as demais estarão na mesma situação? Como são nove empresas e 11 contratos e todas estão trabalhando, a nossa meta é de que, neste ano, a gente conclua 70% de todas as obras projetadas. Os outros 30% ficarão para o ano que vem. O que significa o seguinte: nem toda Vicente Pires estará completa, porque a cidade, no passado, quando esses projetos foram feitos, em 2009 e 2010, tinha 40 mil habitantes. Hoje, tem mais de 100 mil. É uma cidade que cresce, que é dinâmica, e esses projetos complementares também serão feitos, mas serão executados até o fim do governo

"Nós temos 96 tesourinhas nos eixos W e L e vamos investir R$ 7 milhões para fazer essa recuperação. Vamos começar de quatro em quatro quadras, exatamente para não atrapalhar tanto o trânsito"

Quais seriam os três grandes desafios de Brasília? O primeiro desafio de Brasília, hoje, eu diria que é o desemprego. Nós temos uma taxa de desemprego na faixa de 311 mil pessoas desempregadas e, para isso, o governador Ibaneis colocou como ponto fundamental, como política de governo, criar um ambiente de negócio favorável, de segurança jurídica favorável, para incentivar os empresários a investir novamente em Brasília, porque vários tinham saído daqui por falta de condições de trabalho e investimento. Isso é um dos primeiros problemas que foi enfrentado. A curva está mudando, e a tendência é de que ela vá caindo gradativamente. Sobre essa questão, é fundamental dois projetos: o Destrava DF, que é conduzido pelo secretário (de Desenvolvimento Urbano e Habitação) Mateus (de Oliveira), facilitando a liberação dos alvarás, dos Habite-se, para que destrave a cidade. O segundo é esse novo Pró-DF, que é o Desenvolve DF. Nós queremos que esses empresários possam se reabilitar e colocar de novo no mercado as suas empresas com segurança jurídica e com incentivo fiscal. Aqueles que não tiverem essa condição, certamente darão lugar a quem precisa fazer.

A Saúde está no meio desses desafios? Sem dúvida, mas eu queria partir para outro antes, que é a questão da organização urbana. Brasília tem hoje em torno de 3 milhões de habitantes, mas por volta de 45% dessa região ocupada é irregular. Nós temos 23% da população vivendo em áreas irregulares. Então, reorganizar a cidade dentro da legalidade. Nesse ponto, nós estamos avançando muito em relação ao planejamento urbano, da vigilância do solo e, principalmente, da implementação da infraestrutura. Agora, nas políticas públicas, aquela que mais salta aos olhos é a saúde. A primeira vitória foi da implementação do Instituto (de Gestão Estratégica de Saúde do DF). Nos hospitais onde está operando, que é o de Base e o de Santa Maria, funciona bem, assim como nas UPAs. Além disso, o governador autorizou fazer mais seis UPAs, várias UBs pela cidade. Tem aí o projeto do Hospital Oncológico, que nós estamos acabando de destravar na Caixa Econômica Federal para começar essa obra também. Há outro projeto do Hospital da Região Centro-Sul, ali no Guará, que também está bem adiantado. E também um hospital novo na área de Ceilândia, que está em fase de elaboração de projeto.

Nós tivemos várias reclamações de pacientes sobre a falta de medicamentos e insumos médicos. Essa fase foi superada? Eu sou dessa área, porque eu tive supermercado durante 37 anos da minha vida. Eu sei bem como é essa história de comprar,  vender e essa logística. Quando tem uma complexidade dessas, sobretudo na área pública, que depende de licitação, processo etc., quando falta alguma coisa na ponta, é demorado demais para suprir. Mas essa questão, do ponto de vista do Iges/DF, está resolvido, e a rede também está totalmente abastecida. A inovação é no sentido de fazer chegar o remédio, sobretudo aqueles de alto custo, lá na residência do paciente que precisa. Esse é um ponto que estamos estudando. E a questão da logística, a mesma coisa, porque você não tem como distribuir esse medicamento para todas as unidades, realmente, tem de ter um local centralizado.

Voltando ao tema obras, na quarta-feira o GDF lançou o programa de vistoria de pontes e viadutos, com universidades, e, no último ano, tivemos a queda do viaduto do Eixão Sul. Como serão essas vistorias? Tem algum ponto que preocupa o GDF? Eu estive nesse evento e fiquei realmente impressionado, porque ali é uma operação de ganha-ganha. São o aluno, o professor, as instituições, o governo e todos os envolvidos ali para fazer um diagnóstico correto da situação das pontes, dos viadutos e das obras de arte em geral. A surpresa que aconteceu neste ano foi a Rodoviária. Tinha ali uma possibilidade real de desabamento, e o governo agiu rapidamente, fazendo o emergencial. Nós entregamos a obra de recuperação com 14 dias de antecedência, liberamos o trânsito e essa questão está resolvida. Os viadutos todos estão sendo inspecionados. Esse trabalho será fundamental, porque são oito instituições. Ontem nós assinamos com seis, e mais duas aderiram.

As tesourinhas também passarão por reformas? Nós temos 96 tesourinhas nos eixos W e L e vamos investir R$ 7 milhões para fazer essa recuperação. Vamos começar de quatro em quatro quadras, exatamente para não atrapalhar tanto o trânsito, ajudando as pessoas, sinalizando de forma correta, porque, sem tesourinha, ninguém vive em Brasília.

Então, em um futuro próximo, não teremos mais aquela imagem de carros boiando? Esse é um outro projeto, o Drena DF, que também estava parado e que nós resgatamos para fazer uma intervenção maior na Asa Norte, onde é gravíssima a questão, e também em Taguatinga. O que o governador Ibaneis fez? Desde a transição, todo o dinheiro que era possível ser resgatado, restabelecido, como o caso do FNDE, nós fomos atrás, assim como o Hospital Oncológico. Então, nós estamos destravando as coisas no governo.

Brasília vai completar 60 anos. Que notícias boas o GDF tem para dar para o brasiliense nessa data? Eu cheguei aqui com 13 anos de idade. Tenho 51 anos de Brasília; então, tudo o que a gente quer ver é essa jovem cidade renovada sempre. Nós estamos trabalhando muito na questão do Teatro Nacional, nos equipamentos da cultura. O governador Ibaneis procura fontes de financiamento, tanto que fizemos com a Fecomércio (Federação do Comércio, Bens e Serviços) e a CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) um trabalho para ver se eles assumem o Teatro Nacional.

Outra região que também sofre muito nessa época de chuva é o Sol Nascente. O que está sendo feito nessa área? No Sol Nascente, também estão acontecendo obras. Foram paralisadas agora nos últimos 15 dias por uma questão contratual. Uma das empresas que estava no consórcio veio à falência. Assim, é preciso restabelecer o consórcio. Juridicamente, isso é um trabalho que precisa ser feito; então, as obras voltarão, possivelmente, na próxima semana. Assim como em Vicente Pires, nós também colocamos uma equipe do GDF lá dentro, e estamos cuidando da cidade. Ela não está abandonada, não está parada, nós estamos cuidando.

Vídeos - 01 - 02 - Entrevista Completa

CB.Poder - Fotos: Daniel Ferreira/CB/D.A.Press - Correio Braziliense

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
24out/190

GDF: Inscrições para estágios estão abertas

A prova do processo seletivo será realizada no dia 24 de novembro e o processo seletivo será realizado pelo Centro de Integração Empresa-Escola.

 

As inscrições para estagiar no Governo do Distrito Federal vão até o dia 6 de novembro. Estudantes de ensino médio e superior podem se inscrever, o processo seletivo será realizado pelo Centro de Integração Empresa-Escola (Ciee), que realiza a prova no dia 24 de novembro.

Para participar, o estudante deve ser inscrever no site do Ciee (https://portal.ciee.org.br/processos-seletivos-especiais/gov-df-out19/). Não será cobrada taxa de inscrição. A previsão de convocação é para o primeiro semestre de 2020.

O processo seletivo é coordenado pela Secretaria de Economia, que encaminha os estagiários para os órgãos do GDF. O processo unificado permite a contratação com maior agilidade e transparência. Os aprovados formarão cadastro de reserva e serão convocados conforme a necessidade dos órgãos, em uma das duas regiões administrativas que indicarem no momento da inscrição.

Para participar do processo seletivo, os estudantes devem estar matriculados e frequentar regularmente uma instituição de ensino médio ou superior. Para estudantes da graduação, a seleção está disponível para 66 cursos.

A prova para estudantes do ensino médio terá 30 questões objetivas sobre Língua Portuguesa, Informática e Matemática. Para os estudantes de ensino superior, as questões serão sobre Língua Portuguesa, Informática e Conhecimentos Gerais.

Requisitos

Na data do início do estágio, o estudante deve ter idade mínima de 16 anos completos e não ter estagiado no governo do DF por um período superior a 18 meses. Além disso, deve ter disponibilidade para estagiar por no mínimo seis meses. A jornada de trabalho é de 4 horas por dia – ou 20h semanais.

Para os estagiários de nível superior, o valor da bolsa-auxílio é de R$ 600. Já para os estudantes de nível médio, a quantia é de R$ 460. Além da bolsa, os estagiários recebem auxílio-transporte.

Do total de bolsas de estágio, 10% serão reservadas para estudantes com deficiência.

Com informações da Agência Brasília.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
24out/190

Cultura: Dj Sagaz mostra seu talento “Brasil a fora”

UM DJ QUE ENCANTA O BRASIL COM SEU TRABALHO


Jefferson Mariano de 24 anos, um jovem brasiliense que tem raiz carioca, mais conhecido como Dj Sagaz, apaixonado por música e eventos desde criança sempre observava como era realizado aqueles eventos, quando se tornou adolescente pensou, “ eu me identifico com isso, quero evoluir levar música e alegria para as pessoas”, a partir daí começou a correr atrás de seu sonho.

ORGULHO DE BRAZLÂNDIA

Dj Sagaz já completa um ano e seis meses que iniciou sua carreira, sobre aplausos de seus amigos e seus admiradores, o Jovem Sagaz realiza um trabalho de qualidade e humildade em eventos que percorre, os artistas e músicos de Brazlândia se orgulham de ver que um jovem rapaz está representando a cidade e levando a música como forma de entretenimento e até terapia, um dos maiores eventos que deixou sua marca foi “O BAILÃO” e “ DÁ UMA SEGURADINHA”, perguntamos qual foi o seu maior desafio, e ele disse “ainda não tive um grande desafio, acredito que será quando eu estiver no auge da fama” , segundo o Dj “ o momento mais emocionante foi no show do MC Pierre em Padre Bernardo Goiás , foi um show maravilhoso a galera vibrando na pista quando subi ao palco foi sensacional”, Brazlândia mais uma vez orgulhosa de seus filhos.

Redação/ Mateus Moura

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
23out/190

Política: distrital Eduardo Pedrosa destina emenda e acaba com sofrimento de Escola em Brazlândia

O distrital Eduardo Pedrosa resolveu adotar a melhoria da educação como meta prioritária em seu primeiro mandato. E as suas ações mostram que ele vem acertando em suas iniciativas.

Distrital Eduardo Pedrosa põe fim ao carro pipa na escola da área rural

Nessa semana o parlamentar mais uma vez surpreendeu a comunidade da pacata cidade de Brazlândia com destinação de emenda parlamentar que dará fim ao sofrimento na Escola Bucanhão e será sepultado de forma definitiva  o indesejável carro pipa.

A escola vinha há mais de seis anos padecendo com o uso da água de carro pipa e sem esperança para ver o problema resolvido.

Ao tomar conhecimento do fato, Eduardo Pedrosa, visitou a escola e destinou uma emenda parlamentar na ordem de R$ 25 mil para a escola contratar uma empresa e assim perfurar o tão sonhado poço artesiano e dar fim ao pesadelo de seis anos de espera.

O assessor do parlamentar, Elkson Barbosa, fez a entrega simbólica da emenda para a escola

Procurado pelo o blogdogbu o distrital ressaltou a importância da conquista;" Meu mandato será na defesa de uma Brasília melhor. A escola do Bucanhão necessitava do poço artesiano e eu não poderia me acovardar com a comunidade escolar da região. O sonho vai virar realidade ", garantiu, Eduardo Pedrosa.

O assessor parlamentar, Elkson Barbosa, declarou que a postura do distrital Eduardo Pedrosa, sempre foi em defesa da educação e se manterá no mandato inteiro;"O deputado Eduardo Pedrosa se manterá focado em definir as prioridades de seu mandato sempre priorizando a coletividade", declarou, Elkson ao blogdogbu.

 

Redação

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
22out/190

Política: Samambaia poderá ir pra cota de Martins Machado

 

As possibilidades de mudanças nas administrações regionais volta a pauta no meio aos corredores do Palácio do Buriti.

Uma das mudanças em análise dentro do GDF será a troca de padrinho político na cidade de Samambaia.

O nome do conselheiro tutelar Agenildo aparece como um nome que poderá ser aproveitado para o comando da cidade, sob a indicação do distrital Martins Machado. Mas comenta-se que além do conselheiro tutelar pelo menos mais dois nomes estão sendo avaliados.

O distrital Jorge Viana deverá ampliar seu espaço na saúde para abrir mão da indicação do desgastado cargo de administrador regional de Samambaia.

Conversa de bastidores dar conta que o ex- coordenador da regional de ensino da cidade que teria sido exonerado a pedido de Viana, poderá retornar ao cargo caso Martins Machado assuma o comando da região.

Todo o desenrolar das mudanças em Samambaia será dado com exclusividade aqui no blogdogbu.

 

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
20out/190

Jacy Afonso é eleito novo presidente do PT no Distrito Federal

Com maioria dos votos, o petista assume a cadeira no lugar da agora ex-presidente, a deputada federal Erika Kokay

Divulgação/ PTDIVULGAÇÃO/ PT

OPartido dos Trabalhadores no Distrito Federal (PT-DF) tem um novo presidente. O pleito ocorreu neste domingo (20/10/2019), no Diretório Central do partido na capital federal, e Jacy Afonso foi eleito com 167 votos. Ele assume a cadeira no lugar da agora ex-presidente, a deputada federal Erika Kokay. Em segundo lugar ficou Roberto Policarpo, com 123 votos.

As eleições que definiram o novo presidente também darão posse à nova diretoria. Ao todo, seis chapas disputaram 20 cargos na executiva da sigla. O tempo do mandato será definido no Congresso Nacional do PT, marcado para os dias 22, 23 e 24 de novembro, em São Paulo.

Jacy era secretário de mobilização do partido no DF e promete dar continuidade aos trabalhos exercidos pela antecessora. O novo presidente da sigla já liderou a Central Única dos Trabalhadores (CUT) no DF e o Sindicato dos Bancários.

Metropoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn