30set/190

Distrital Iolando Almeida lamenta morte do jovem Jeferson Panin

NOTA DE PESAR

Recebi com tristeza a notícia da morte do meu amigo Jefferson Barros. Ele tinha 36 anos e sofreu um acidente na BR-080, próximo à Fassincra. Era um jogador de futvôlei muito conhecido em Brazlândia e, entre 2010 e 2014, trabalhou na administração da cidade.

Ele foi um grande lutador por melhorias do transporte da nossa cidade. Um grande parceiro na nossa batalha pela duplicação da BR-080, rodovia que desde o início do nosso mandato estamos batalhando por sua duplicação para que ela deixe de ser a "rodovia da morte" e seja a rodovia da vida. Que Deus conforte os corações dos amigos e familiares!

Dep. Iolando Almeida e Família

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
30set/190

BR 080: Acidente tira a vida de Jeferson Panin , defensor nato da duplicação da rodovia da morte

A cidade de Brazlândia está de luto desde o início da tarde dessa segunda-feira (30).  O jovem Jeferson Panin virou vítima da BR 080 em um trágico acidente envolvendo o carro que ele conduzia e um caminhão que se chocaram de frente levando a vida do jovem guerreiro.

A BR 080 necessita de duplicação imediata antes que novas vítimas sejam feitas na conhecida rodovia da morte.

O blogdogbu solidariza-se com a família enlutada. Descanse em paz Jeferson Panin!

Redação

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
30set/190

Política: Secretaria muito procurada, anima Iolando Almeida

Uma das propostas em estudo pelo o GDF será a criação de uma política de habitação para a pessoa com deficiência. Algo inédito no DF

A nova Secretaria da Pessoa com Deficiência do DF, vem sendo muito comentada e procurada por lideranças políticas de todo o Distrito Federal.

O chefe do executivo, Ibaneis Rocha, demonstra interesse em lançar uma política exclusiva de habilitação para a pessoa com deficiência. Caso se torne realidade a proposta do governador, ele estará certamente facilitando em muito a reeleição do atual Secretário Iolando Almeida.

 

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
30set/190

DF: Feminicídio, Adriana levou 32 facadas. Marido é suspeito

Imagens do circuito de prédio onde ocorreu o crime mostram casal chegando e homem saindo sozinho com saco nas costas

Material cedido ao Metrópoles

O suspeito de matar com pelo menos 32 facadas Adriana Maria de Almeida, 29 anos, já tinha agredido e tentado assassinar a mulher antes. Constam na Polícia Civil outras duas ocorrências de Lei Maria da Penha contra ele. Há quatro anos, o homem foi inclusive preso após tentar esfaquear a companheira. Acabou solto no dia seguinte. O outro caso ocorreu em 2017.

A polícia confirmou, no começo da tarde desta segunda-feira (30/09/2019), o nome do suspeito: Wellington de Sousa Lopes, 37. E também forneceu informações sobre o carro que ele teria fugido, o Palio Fire Economy, cor prata, placa JHZ 3082-DF. Segundo investigadores, o homem usa barba atualmente.

O casal, segundo pessoas próximas contaram na 29ª Delegacia de Polícia (Riacho Fundo), se relacionava havia cinco anos. E tinha uma filha pequena, de 4 anos, que teria entrado no meio da briga dos pais, em 2017, evitando que o acusado desferisse golpes de faca na mãe.

Adriana chegou a pedir medida protetiva contra o companheiro, mas retirou a solicitação, segundo informou o investigador Mauro Aguiar Machado, delegado-chefe da 29ª DP, que apura o caso. De acordo com familiares, o relacionamento deles era conturbado, sobretudo porque o suspeito teria ciúmes da parceira. No entanto, vizinhos dizem que o casal “parecia tranquilo e unido”.

Imagens do circuito de segurança do prédio mostram o casal chegando na noite de sexta (22/09/2019). Eles aparentavam estar tranquilos. Depois, o suspeito sai por volta das 9h de domingo (29/09/2019). Ele parecia estar apressado e carregava um saco preto grande nas costas.

O crime chocou a vizinhança. Segundo testemunhas, o casal vivia em regime de união estável. “Os conhecia de vista, a gente se cumprimentava. A primeira briga que escutei foi ontem (domingo). Eram vários gritos, mas não consegui ouvir as palavras. Tinha também barulho de coisas quebrando. Depois colocaram um som muito alto e pensei que estava tudo bem. Veio um silêncio em relação à discussão. O som ficou ligado na rádio o dia todo, bem alto. O que causou o estranhamento foi isso”, afirma uma pessoa que mora no prédio.

A vizinha lembra que o ventilador ficou em cima do corpo de Adriana, achado no quarto. Ela diz que havia muito sangue no chão. A faca foi encontrada no banheiro. O companheiro teria fechado todos os vidros. “Não tinha nada aberto, coisa que não ocorria, pois as janelas ficavam abertas”, disse a vizinha. Desconfiados após o som ficar ligado o dia inteiro em um volume alto, os moradores do prédio acionaram os familiares do casal. Um chaveiro conseguiu abrir a porta.

Paulo Romero, 51, também mora no edifício. O professor de música conta não ter visto nem ouvido nada de anormal, mas relata que viu as pessoas apavoradas no andar debaixo do prédio e logo que desceu, quando soube da tragédia. “É muito triste saber o que houve. Eles têm uma filhinha de 4 anos”, lamentou.

“Eles pareciam ser tranquilos. Fico preocupada com a filha deles, tão pequena… Agora, é esperar as providências da justiça”, comentou outra vizinha. Se confirmado, este é o 24º feminicídio registrado no Distrito Federal e um dos seis assassinatos ocorridos no domingo na capital do país.

“A gente imagina que os primeiros golpes de faca ele tenha desferido com a vítima ainda dormindo. A filha de Queila de 13 anos estava no quarto no momento, então pode não ter havido discussão entre o casal antes”, destacou o delegado Laércio de Carvalho, da 35ª DP (Sobradinho II). No momento em que foi preso, o assassino confesso não demonstrou arrependimento pelo feminicídio.

A motivação do crime teria sido ciúmes. “Ele fazia comentários de forma vaga: ‘Ela está trabalhando fora, tendo amizades diferentes…’”, destacou o policial. Após esfaquear a mulher, Iron tirou a adolescente e a levou para casa da outra filha, casada e de 18 anos, que mora na mesma rua dos pais. “Disse para ela ficar com a irmã porque a mãe estava passando mal e iria providenciar socorro”, detalhou o investigador.

Foi nesse momento que os familiares ouviram os gritos de Queila e correram para a casa dela. Acharam o corpo da mulher na cozinha, quase sem vida. Uma vizinha acionou a polícia. A delegacia se mobilizou para chegar até a área rural. Teve apoio aéreo para fazer o cerco e de aproximadamente 40 policiais. Por volta das 17h, a equipe conseguiu prender Iron. Na casa, foi encontrado um martelo – que a PCDF acredita ter sido usado pela vítima para tentar se defender. “Ela andou a casa inteira, que está repleta de sangue”, informou o delegado.

Neste 2019, o Metrópoles iniciou um projeto editorial para dar visibilidade às tragédias provocadas pela violência de gênero. As histórias de todas as vítimas de feminicídio do Distrito Federal serão contadas em perfis escritos por profissionais do sexo feminino (jornalistas, fotógrafas, artistas gráficas e cinegrafistas), com o propósito de aproximar as pessoas da trajetória de vida dessas mulheres.

O Elas por Elas propõe manter em pauta, durante todo o ano, o tema da violência contra a mulher para alertar a população e as autoridades sobre as graves consequências da cultura do machismo que persiste no país.

Desde 1° de janeiro, um contador está em destaque na capa do portal para monitorar e ressaltar os casos de Maria da Penha registrados no DF. Mas nossa maior energia será despendida para humanizar as estatísticas frias, que dão uma dimensão da gravidade do problema, porém não alcançam o poder da empatia, o único capaz de interromper a indiferença diante dos pedidos de socorro de tantas brasileiras.

Metropoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
30set/190

Mapa do combustível: Preço varia entre R$ 3,97 e R$ 4,39 no DF. Confira

Diferença entre o valor máximo e mínimo é de R$ 0,42. Economia chega a R$ 21 para tanque de 50 litros

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Nesta segunda-feira (30/09/2019), o menor preço para o litro da gasolina encontrado pelo Metrópoles é de R$ 3,97, no Posto Esquina, no SAAN. O motorista consegue abastecer o veículo a R$ 3,99 nos postos Céu e Quality, ambos em Ceilândia.

Pontos de vendas comercializam a gasolina ainda a R$ 4,02, no Petrolino, no centro de Taguatinga, e a R$ 4,04, nos postos Jarjour de Taguatinga e Rede Braga Shell, na Cidade do Automóvel.

A diferença entre o menor e o maior valor encontrado para a gasolina é de R$ 0,42. Em um veículo com tanque de 50 litros, a economia chega a R$ 21. A expectativa é que os preços subam ao longo da semana, uma vez que a Petrobras autorizou reajuste de 2,5% do preço da gasolina nas refinarias.

Os menores preços para o etanol encontrados pelo Metrópoles foram R$ 2,99 no Posto Quality, da 311 Norte, e R$ 3,02, no Petrolino.Veja

o preço da gasolina nesta segunda-feira (30/09/2019) em postos do DF (do menor para o maior valor):

Posto Esquina (SAAN, Quadra 03, Asa Norte) — Gasolina comum: R$ 3,97 no débito e R$ 4,29 no crédito/Etanol: R$ 3,09 no débito e no crédito

Posto Céu (Ceilândia BR-070) — Gasolina comum: R$ 3,99 no débito e R$ 4,09 no crédito/Etanol: R$ 3,09 no débito e R$ 3,19 no crédito

Posto Quality (QNN 22 Ceilândia Sul) — Gasolina comum: R$ 3,99 no débito e R$ 4,30 no crédito/Etanol: R$ 3,09 no débito e R$ 3,19 no crédito

Posto Petrolino (Taguatinga Centro) — Gasolina comum: R$ 4,02 somente débito/Etanol: R$ 3,02 somente débito

Posto Jarjour (Taguatinga CSB 8) — Gasolina comum: R$ 4,04 no débito e no dinheiro/Etanol: R$ 3,05 no débito e no dinheiro

Posto Rede Braga Shell (Cidade do Automóvel) — Gasolina comum: R$ 4,04 no débito e R$ 4,14 no crédito/Etanol: R$ 3,09 no débito e R$ 3,19 no crédito

Brasal Combustíveis (SIA Quadra 2C) — Gasolina comum: R$ 4,04 débito e R$ 4,24 no crédito/Etanol: R$ 3,27 no débito e R$ 3,37 no crédito

Posto Nenen’s (Taguatinga Centro) — Gasolina comum: R$ 4,05 no débito e no crédito/Etanol: R$ 3,05 no débito e no crédito

Posto Shell Smaff (Setor Terminal Norte, na Asa Norte) — Gasolina comum: R$ 4,09 no débito e R$ 4,29 no crédito/Etanol: R$ 3,15 no débito e no crédito

Posto Garantia (EPTG) — Gasolina comum: R$ 4,10 no débito e crédito/Etanol: R$ 3,09 no dinheiro e R$ 3,19 no crédito e no débito

Posto Mariana (QI 12 Lago Norte) — Gasolina comum: R$ 4,13 no débito e no crédito/Etanol: R$ 3,19 no débito e no crédito

Auto Posto Lago Norte (QI 4 Lago Norte) – Gasolina comum: R$ R$ 4,13 no débito e no crédito/Etanol: R$ 3,09 no débito e no crédito

Posto Melhor Brasília (QE 30 Lt A Guará II) — Gasolina comum: R$ 4,13 no débito e R$ 4,28 no crédito/Etanol: R$ 3,09 no débito e R$ 3,24 no crédito

Posto Jarjour (206 Norte) — Gasolina comum: R$ 4,14 débito e dinheiro/Etanol: 3,09 débito e dinheiro

Posto Quality (311 Asa Norte) — Gasolina comum: R$ 4,14 débito e R$ 4,34 no crédito/Etanol: R$ 2,99 no débito e R$ 3,09 no crédito

Posto Jade (410 Asa Norte) — Gasolina comum: R$ 4,14 no débito e no crédito/Etanol: R$ 3,19 no débito e no crédito

Posto Jarjour (210 Sul) — Gasolina comum: R$ 4,17 no débito e no dinheiro/Etanol: R$ 3,15 no débito e no dinheiro

Posto Quality (309 Asa Sul) — Gasolina comum: R$ 4,17 no débito e R$ 4,37 no crédito/Etanol: R$ 3,15 no débito e R$ 3,25 no crédito

Posto Anões (Asa Sul 315) — Gasolina comum: R$ 4,18 no débito e R$ 4,59 no crédito/Etanol: R$ 3,28 no débito e no crédito

Posto Petrobras (Setor de Oficinas de Planaltina) — Gasolina comum: R$ 4,19 débito e crédito/Etanol: R$ 3,19 débito e crédito

Auto Posto Almenara (Via NB 01, PLL NR 02, Núcleo Bandeirante) — Gasolina comum: R$ 4,19 no débito e no crédito/Etanol: R$ 3,08 no débito e no crédito

Posto Guará II (QE 36) — Gasolina comum: R$ 4,19 no débito e R$ 4,34 no crédito/Etanol: R$ 3,19 no débito e R$ 3,34 no crédito

Posto Parque Eldorado (Área Central Gama) — Gasolina comum: R$ 4,19 no débito e no crédito/Etanol: R$ 3,09 no débito e no crédito

Posto da Torre (Setor Hoteleiro Sul) — Gasolina comum: R$ 4,19 no débito e R$ 4,25 no crédito/Etanol: R$ 3,19 no débito e R$ 3,29 no crédito

Posto DFM (Park Way) — Gasolina comum: R$ 4,19 no débito e no crédito/Etanol: R$ 3,15 no débito e no crédito

Posto Quality (Quadra 46 Setor Central Gama) — Gasolina comum: R$ 4,19 no débito e R$ 4,29 no crédito/Etanol: R$ 3,15 no débito e no crédito

Auto Posto Chaves (Recanto das Emas) — Gasolina comum: R$ 4,24 no débito e no crédito/Etanol: R$ 3,19 no débito e no crédito

Posto Quality (Setor Hoteleiro Norte) — Gasolina comum: R$ 4,25 no débito e R$ 4,45 no crédito/Etanol: R$ 3,19 no débito e no crédito

Posto 6 (QL 6 do Lago Sul) — Gasolina comum: R$ 4,25 no débito e R$ 4,40 no crédito/Etanol: R$ 3,19 no débito e R$ 3,29 no crédito

Posto Mam (SPMS Epia Sul lt 2 Candangolândia) – Gasolina comum: R$ 4,29 no débito e crédito/Etanol: R$ 3,19 no débito e no crédito

Posto Quadra 8 (Sobradinho) — Gasolina comum: R$ 4,29 no débito e no crédito/Etanol: R$ 3,19 no débito e no crédito

Posto Quality (Setor Hoteleiro Norte) — Gasolina comum: R$ 4,25 no débito e R$ 4,45 no crédito/Etanol: R$ 3,19 no débito e no crédito

Posto Petrobras (314 Norte) — Gasolina comum: R$ 4,39 no crédito e no débito/Etanol: R$ 3,19 no débito e no crédito

Posto Planaltina (Setor de Oficinas Lt 2) — Gasolina comum: R$ 4,39 débito e crédito/Etanol: R$ 3,19 débito e crédito

Contribua!

Metrópoles publica todos os dias úteis o mapa da gasolina mais barata no Distrito Federal. A ideia é fazer uma reportagem colaborativa. Quem quiser enviar os preços cotados para a nossa equipe, basta mandar mensagem no nosso número de WhatsApp: (61) 99294-8995 . O objetivo é aumentar a lista de postos gradativamente, até chegarmos ao total de 320 estabelecimentos existentes em todo o DF.

Metropoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
30set/190

Eleições 2020: Hora de buscar aliados e montar estratégias

Mesmo distante, as disputas municipais começam a se desenhar no cenário político do Distrito Federal e da região do Entorno. O governador do DF, Ibaneis Rocha, por exemplo, pretende consolidar parcerias e projetos com cidades como Águas Lindas

*Por Agatha Gonzaga

A menos de um 11 meses das definições partidárias para os próximos representantes municipais — o calendário eleitoral determina que as convenções das legendas ocorram entre 20 de julho e 5 de agosto de 2020 —, apesar de ainda não se ter nomes indicados para a disputa, a movimentação política começa a aparecer não só dentro das sedes goianas e mineiras vizinhas ao Distrito Federal, como também no meio de políticos do DF.

A eleição de 4 de outubro de 2020 pode não ser no quadrado brasiliense, mas, ainda assim, está diretamente conectada aos interesses políticos e econômicos da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride). Área que engloba 29 municípios goianos, o DF e quatro municípios mineiros. Só no Entorno, são 12 cidades que somam mais de 600 mil eleitores e dividem com a capital infraestrutura, transporte, saúde, educação, segurança pública, entre outros.

A título nacional, tradicionalmente, os partidos veem nesta relação uma oportunidade para alinhar os interesses políticos entre as regiões. Por esse motivo, mesmo faltando pouco mais de um ano para o pleito de outubro de 2020, é hora de sentar e ajustar nomes. De acordo com o deputado distrital Chico Vigilante (PT), a sigla está próxima deste momento. “O Entorno é dependente do DF, portanto é preciso que a gente tenha prefeitos e vereadores que estejam sintonizados com as ideias e com as políticas da capital do país. Sempre estamos atuando em conjunto, e tão logo seja feita a eleição da diretoria do PT, agora na primeira quinzena de outubro, vamos pôr em pauta as eleições municipais”.

Chico Vigilante: "É preciso que a gente tenha prefeitos e vereadores sintonizados com o DF

Projetos

O MDB também tem data marcada para o assunto. De acordo com o deputado distrital Rafael Prudente, presidente regional do partido, a conversa inicial ocorre na primeira semana de outubro. “Com certeza está dentro da nossa área de atuação, mas só vamos ter qualquer direcionamento após a primeira executiva do nosso partido que está marcada para 6 de outubro”.

No caso do MDB, o interesse nas eleições municipais devem ser ainda maior, visto que governador do DF, Ibaneis Rocha, possui vários projetos em conjunto com o Entorno e precisa de governos municipais aliados para dar sequência ao andamento dos mesmos.

No último mês, Ibaneis se reuniu com o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), para firmar parceria nas áreas de saúde, segurança pública e mobilidade urbana em Águas Lindas de Goiás. Entre as propostas mais avançadas ficou o projeto de inclusão do ônibus do Entorno ao sistema de integração da capital. “Os nossos secretários de Segurança estão reunidos para criar uma política de troca de informações, além de operações conjuntas para garantir a segurança da população que reside aqui”, acrescentou Ibaneis à época.

Izalci Lucas: "Ligações com as regiões do Entorno mais próximas"

Seminário

Em Goiás quem deve correr para recuperar o poder nessas eleições municipais é o PSDB. Os tucanos deram a largada para as articulações da legenda com uma série de 25 encontros regionais. De acordo com o senador e presidente do PSDB-DF, Izalci Lucas, uma reunião executiva de nível nacional vem debatendo a organização de um grande seminário para alinhar o posicionamento da legenda ante algumas propostas do presidente Jair Bolsonaro, visando às eleições.

“A ideia é ajustar os detalhes deste seminário, que deve ocorrer em 3 de março do ano que vem. Mas vamos também debater o posicionamento que tomaremos frente a várias questões do governo, além de debater melhores estratégias para as eleições que estão por vir. Como membros aqui da Ride, vamos direcionar os diretórios para fazer ligações com as regiões do Entorno mais próximas, como a sede de Planaltina com Planaltina de Goiás e assim por diante”, completou.

Outro partido que deve vir em peso na corrida pelas prefeituras é o Partido Social Liberal (PSL), de Jair Bolsonaro. Segundo a presidente regional da legenda e deputada federal, Bia Kicis, o PSL tem se organizado de várias maneiras para se fortalecer. A última ação foi a campanha de filiação, iniciada em 17 de agosto, que incorporou mais de 188 mil associados. Um crescimento de 70%, atingindo 459 mil filiados. Dados disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral. “Para nós é realmente importante trabalhar esse fortalecimento partidário e essa relação do DF com o Entorno. Em breve devemos nos reunir para discutir de qual forma agir nestas eleições de 2020”, destacou.

Só em Goiás, o PSL conquistou, no dia 17, 8.524 filiados. Em Minas Gerais, quase o dobro: 16.483. A intenção dos dirigentes é chegar a 1 milhão de até as eleições de 2020.

Bia Kicis: "É realmente importante trabalhar essa relação do DF com o Entorno"

Alinhados

Em entrevista a um canal do YouTube, o presidente Bolsonaro chegou a declarar que pretende ajustar as ações do partido para conseguir o comando de mais prefeituras nas eleições municipais do ano que vem. “Estou acertando com o partido para ver se eu consigo ter a maioria das ações. Se eu tiver, quero me empenhar por algumas prefeituras e quem vai escolher, democraticamente, vai ser eu. O partido local vai ter sua participação, mas a palavra final vai ser nossa. Se não quiser, não tem problema nenhum. Não entro na campanha daquele município. O que eu quero é uma pessoa que tenha o coração verde e amarelo igual ao nosso”, disse.

Mas as definições de candidatura só devem ficar mais claras a partir de abril, período que antecede seis meses da eleição, e quando os partidos devem fazer as filiações políticas de acordo com os prazos eleitorais do TSE.

Para o cientista político Murilo Medeiros, da Universidade de Brasília (UnB), o interesse do DF nas eleições municipais do Entorno tem objetivo a longo prazo. Segundo ele, a influência de políticos da capital serve para deixar o nome na praça, para mais tarde, nas eleições de 2022 no DF, serem lembrados.

“Lideranças políticas locais costumam aproveitar as eleições do Entorno para medir forças, fortalecer estruturas partidárias e impulsionar a formação de lideranças partidárias ou, então, apadrinhar prefeitos de cidades importantes podem acelerar a montagem de grupos políticos e de base de apoiadores para as eleições futuras, até porque todo prefeito acaba influenciando direta ou indiretamente os seus eleitores, e vale destacar que segundo o TRE, só em 2018 mais de 40 mil eleitores transferiram seus títulos para o DF, ou seja, são 40 mil votos a mais em 2022”, explicou Medeiros.

E não é só a política do DF que é beneficiada por esse apoio. De acordo com o cientista, os futuros prefeitos dos municípios também têm interesse nesta troca. “Eu enxergo como um apoio mútuo. Para os prefeitos é interessante ter uma aproximação política com os representantes políticos de Brasília, para ter acesso a recursos, a infraestrutura, além de uma penetração melhor no Executivo Federal”, concluiu.

(*) Agatha Gonzaga – Fotos: Minervino Júnioir/CB/D.A.Press – CB.Poder – Correio Braziliense

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn