17jul/190

Atlético cala Maracanã e despacha Flamengo

Diego, Vitinho e Everton Ribeiro perderam os pênaltis para o Flamengo

A noite no Maracanã foi amarga para a torcida do Mengão. Na cobrança por pênaltis, o rubro-negro perdeu para o Athlético-PR por 3 a 1 e está eliminado da Copa do Brasil. No tempo normal, o jogo terminou 1 a 1, o mesmo placar do jogo de ida em Curitiba. Estiveram presentes ao Maracanã 69.980 pessoas para uma renda de R$ 4.106.610,40. É o recorde de público do ano no futebol brasileiro.

Como foi o primeiro tempo

O técnico Jorge Jesus surpreendeu ao escalar de início o jovem Lincoln no lugar de Bruno Henrique, que está machucado. O treinador ainda optou por Renê na lateral-esquerda e Cuéllar na vaga de Arão. E o time rubro-negro carioca começou o jogo indo para cima do Furacão, porém, sem levar grandes perigos ao gol de Santos. A única boa chance veio em uma cabeçada de Arrascaeta para a boa defesa.

O uruguaio que foi o destaque do jogo contra o Goiás acabou sentindo uma lesão no posterior da coxa direita e teve que ser substituído aos 13 minutos do primeiro tempo. Vitinho entrou no lugar. O Furacão cresceu, sempre com bons momentos de Bruno Guimarães.

Como foi o segundo tempo

No início do segundo tempo, o Furacão neutralizou os primeiros momentos do Flamengo. Jorge Jesus percebeu e mexeu no time. Berrío entrou na vaga de Lincoln. Veio o gol do Mengão.

Vitinho pedalou para cima do adversário e cruzou na cabeça de Everton Ribeiro, que ajeitou para Gabigol, atento na pequena área, empurrar para o fundo do gol.

O Athlético não desistiu e chegou ao empate aos 31 minutos. Rony recebeu de Bruno Nazário, carregou a bola sozinho e chutou sem chance para Diego Alves.

O jogo foi decisivo na cobrança de pênaltis e o Flamengo passou vergonha. Começou com Diego. O meia bateu fraco no meio do gol e o goleiro Santos praticamente não precisou se mexer para defender. Depois, Vitinho isolou. Cuéllar chegou a marcar para o Mengão. Converteram para o Furacão os jogadores Jonathan, Lucho González e Bruno Guimarães. Diego Alves chegou a defender a cobrança de Bruno Nazário, mas Everton Ribeiro cobrou mal e o goleiro do time de Curitiba defendeu.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17jul/190

PT ainda é campeão de faturamento com dinheiro público do fundo partidário

Partido só está à frente do PSL porque o pagamento de janeiro foi referente à legislatura anterior

O PT de Lula e Dilma é o partido político que mais recebeu verbas do Fundo Partidário, este ano: R$42,2 milhões segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O PSL do presidente Jair Bolsonaro ficou em segundo lugar com R$40,6 milhões em verbas públicas até junho. O total distribuído aos 21 partidos aptos a receber verbas, após a cláusula de barreiras, foi de R$365,3 milhões nos seis primeiros meses de 2019. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O PT lidera porque recebeu em janeiro a última parcela da legislatura anterior. Até o fim do ano, o PSL será o campeão de verbas partidárias.

O MDB, campeão de verbas em 2018, é apenas o quarto colocado, com R$ 26,6 milhões para bancar as atividades partidárias este ano.

Diário do poder

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17jul/190

Polícia investiga pelo menos 11 casos de negligência em hospital público do DF

Pacientes também denunciam violência obstétrica. Em um caso, mulher teve útero perfurado; direção da unidade afirma que apura denúncias.

Por Afonso Ferreira, G1 DF

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga pelo menos 11 casos de negligência médica e violência obstétrica no Hospital Regional de Samambaia (HRSam), no Distrito Federal.

De acordo com os investigadores, os casos ocorreram no centro obstétrico da unidade e abrangem vários tipos de conduta inadequada, desde gazes esquecidas dentro de pacientes até curetagens mal feitas.

Segundo a polícia, em um dos casos, um médico quebrou a clavícula de um recém-nascido durante o parto. Apesar do ferimento, a criança sobreviveu.

Ao G1, a direção do Hospital Regional de Samambaia informou em nota "que recebeu denúncias envolvendo servidores da unidade. Todas as providências estão sendo tomadas pela direção e pela Superintendência da Região de Saúde Sudoeste".

Ainda de acordo com o texto, "um processo sigiloso foi aberto no âmbito da Secretaria de Saúde, que apura os fatos".

Médicos investigados

Pelos menos oito médicos estão sendo investigados, sendo que quatro deles foram citados em mais de uma ocorrência por suspeita de negligência médica e violência obstétrica.

As vítimas foram identificadas e ouvidas pela 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia). Desde setembro do ano passado, pacientes atendidas no HRSam têm procurado a unidade para registrar ocorrências relatando procedimentos mal sucedidos realizados no hospital.

Em um outro caso, a vítima teve o útero perfurado após um procedimento de curetagem. A mulher procurou uma clínica particular. No local, foi aconselhada a retirar o útero, por conta dos danos causados pelo procedimento mal feito.

Só neste ano, oito mulheres procuraram a delegacia para denunciar os casos. Segundo o delegado Guilherme Sousa Melo, da 26ª DP, a Polícia pretende instalar um único inquérito para apurar as ocorrências.

“A Polícia Civil vai responsabilizar médicos que não prestam atendimentos a pessoas carentes de Samambaia”, afirma.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17jul/190

Jornalista Mônica Pedroso é nomeada subsecretária de Divulgação do GDF

Até então, cargo era ocupado por Lúcia Leal, que passa a responder pela chefia de gabinete da Secretaria de Comunicação

HUGO BARRETO/METRÓPOLES
A jornalista Mônica Macedo Pedroso foi nomeada, nesta quarta-feira (17/07/2019), como a nova subsecretária de Divulgação da Secretaria de Comunicação do Distrito Federal (Secom). Até então, o cargo era ocupado pela também jornalista Lúcia Leal, que foi efetivada no mesmo ato como chefe de gabinete da pasta. As informações estão no Diário Oficial.

Antes de assumir o novo posto, Mônica Pedroso atuava como coordenadora de pauta da Agência Brasília, canal oficial de comunicação do Governo do Distrito Federal (GDF). Até janeiro deste ano, ocupou o mesmo cargo na parte televisiva da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC).

Recentemente, a Secretaria de Comunicação passou por outras mudanças internas. A então subsecretária de Publicidade Cláudia Marques foi nomeada secretária adjunta da pasta. No lugar dela, assumiu a advogada Núbia Santos da Conceição, que ocupava a assessoria de Planejamento, Atendimento e Controle da Subsecretaria de Publicidade e Propaganda.

Metropoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17jul/190

Cade investiga cartel em obras do Mané Garrincha e mais sete estádios

Cade investiga cartel em obras do Mané Garrincha e mais sete estádios. Medida decorre de acordos de leniência e termos de cessação celebrados com o Conselho no âmbito da Operação Lava Jato

Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) instaurou processo administrativo para investigar suposto cartel em obras de arenas esportivas destinadas à Copa do Mundo do Brasil de 2014, incluindo o Estádio Mané Garrincha, de Brasília. Também foi aberto procedimento que tem como alvo concorrências públicas realizadas pela Petrobras.

Os procedimentos foram instaurados na terça-feira (16/07/2019). Os dois casos tiveram início com a celebração de acordos de leniência e fazem parte das investigações conduzidas pelo Cade, desde 2014, no âmbito da Operação Lava Jato. As empresas investigadas por suposta participação no cartel em licitações de estádio da Copa de 2014 são: Andrade Gutierrez, Carioca Engenharia, Camargo Corrêa, OAS, Queiroz Galvão, Delta, Grupo Odebrecht (representado pelas empresas CNO, OECI e OPI) e Via Engenharia, além de 36 pessoas físicas a elas relacionadas.

Já os investigados no processo que trata de suposto cartel em obras de edificações especiais da Petrobras são: Carioca Engenharia, Construbase, Construcap, Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Hochtief do Brasil, Mendes Júnior, Racional, Schahin Engenharia, WTorre, além de vinte e três pessoas físicas ligadas a essas companhias.

Acordo de leniência
A investigação teve início a partir de celebração de acordo de leniência com a Andrade Gutierrez e executivos e ex-executivos da empresa. Na ocasião, a companhia apresentou informações e documentos com indícios de conluio entre concorrentes de licitações destinadas a obras em estádios de futebol para realização do mundial, em 2014, no Brasil.

A apuração das práticas anticompetitivas foi aprofundada pela Superintendência-Geral do Cade após a celebração, em novembro de 2018, de dois Termos de Compromisso de Cessação (TCCs), sendo um com a Odebrecht e outro com a Carioca, além de executivos e ex-executivos das empresas. Os termos permitiram trazer aos autos das investigações confirmações dos supostos acordos ilícitos, informações e documentos adicionais sobre a cond

Até o momento, há indícios de que os contatos entre concorrentes teriam se iniciado com a definição do Brasil como sede do mundial pela Fifa, em outubro de 2007, tendo se intensificado no segundo semestre de 2008. O cartel teria atuado, pelo menos, até meados de 2011, quando foram assinados os contratos referentes às obras públicas dos estádios de futebol para a Copa do Mundo.

Além do Mané Garrincha, a superintendência-geral do Cade apurou que oito procedimentos licitatórios envolvendo obras nas seguintes arenas podem ter sido objeto da prática anticompetitiva. São elas: Arena Amazônia, em Manaus/AM; Arena Pernambuco, em Recife/PE; Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro/RJ; Estádio Mineirão, em Belo Horizonte/MG; Arena Castelão, em Fortaleza/CE; Arena das Dunas, em Natal/RN; e Arena Fonte Nova, em Salvador/BA. A Superintendência investiga também licitações complementares aos certames principais, que podem ter sido afetadas pelos acordos ilícitos.

Com a instauração dos processos administrativos, os investigados serão notificados para apresentar defesa. Ao final da instrução, o Cade emitirá parecer opinativo pela condenação ou pelo arquivamento do caso em relação a cada acusado. As conclusões serão encaminhadas ao Tribunal do Conselho, responsável pela decisão final.

O Tribunal da autarquia pode aplicar às empresas eventualmente condenadas multas de até 20% de seu faturamento. As pessoas físicas, caso identificadas e condenadas, ficam sujeitas a multas de R$ 50 mil a R$ 2 bilhões. Também pode adotar outras medidas que entenda necessárias para a dissuasão da conduta.

Operação Panatenaico: O suposto esquema de corrupção na reforma do Mané é alvo de três ações penais no âmbito da Operação Panatenaico, que correm na Justiça. Segundo as apurações do MPF e da Polícia Federal, a partir de 2008, a obra tornou-se fachada para um esquema de corrupção que englobou agentes públicos e dirigentes das construtoras Andrade Gutierrez e Via Engenharia, envolvendo pagamentos de vantagens financeiras, fraudes de processo licitatório e desvio de recursos públicos.

As investigações da Operação Panatenaico apontaram envolvimento dos ex-governadores Arruda, Agnelo e do ex-vice Filippelli. Orçada em R$ 600 milhões, a arena brasiliense custou mais de R$ 1,6 bilhão. Estima-se que R$ 900 milhões foram desviados. A partir das delações premiadas de ex-executivos das empreiteiras Andrade Gutierrez e Odebrecht, foram identificados repasses aos três políticos, que chegaram a ser presos na época da operação.

Com informações do Cade - Por Marcia Delgado (marcia.delgado@metropoles.com) - Foto: Igo Estrela - Metrópoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17jul/190

DF: Hermeto e Ibaneis realizam o sonho de um novo acesso ao Catetinho

O distrital Hermeto vem mostrando que um mandato construído com trabalho, pode trazer frutos para a comunidade.

A proposta do parlamentar ao governador Ibaneis Rocha da construção de um novo acesso ao Catetinho se tornará realidade e quem ganha com essa obra será a população e os turistas que visitam a capital federal.

O distrital, juntamente com o governador Ibaneis Rocha, o Secretário de Obras Izidio Santos, o administrador do Park Way José Joffre e outras autoridades estiveram no local para selar o acordo.

A proposta só avançou porque houve a parceria entre GDF e o Brasília Country Club que cedeu o espaço, ficando agora a cargo do Secretário de Obras finalizar o trabalho em 15 dias.

Essa demanda existia desde a construção do viaduto que interliga a EPIP (Estrada Parque Ipê -DF 065) com a EPIA (Estrada Parque Indústria e Abastecimento -DF 003), que acabou distanciando o acesso ao museu.

O distrital demonstrou satisfação e ressaltou a disposição do governador em atender a comunidade;"É o governador trabalhando e o deputado fiscalizando!", declarou Hermeto.

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17jul/190

Padre Bernardo: Zé Matheus poderá ser o Prefeito mais jovem do Brasil

Zé Matheus e a Deputada Flavia Morais

O processo de renovação política no país parece que poderá chegar aos municípios da região centro -oeste do Brasil.

Em Padre Bernardo surge o que muitos na comunidade do município começa a definir como sonho e esperança. A pré-candidatura já anunciada do jovem Zé Matheus, filho da ex-candidata Dra. Aline, causou um reboliço nas estratégias dos demais pre-candidatos a principal cadeira executiva da região.

O jovem estará concorrendo a eleição aos 21 anos, está se formando em direito e se eleito, certamente será um dos prefeitos mais jovens do país.

As caminhadas de Zé Matheus ao meio a comunidade vem trazendo alvoroço em seus futuros adversários;"Não podemos negar que ele contagia e cria uma expectativa no eleitorado que precisa de mudanças.", declarou um aliado do Prefeito atual.

O jovem Pré- candidato Zé Matheus acredita que o maior problema do município é a falta do emprego;"Precisamos criar políticas de incentivos para a geração do emprego. A infraestrutura é fundamental para a população. Mas não adianta ter boas estruturas e nossa comunidade está desempregada. O emprego dignifica e fortalece a família e seus sonhos",  declarou Zé Matheus ao gbu.

Vale lembrar que o jovem Pré-candidato Zé Matheus, deverá ser lançado pelo o PDT com as bençãos da popular Dra. Aline e com o apoio da Deputada Federal pelo PDT de Goiás, Flávia Moraes.

Nos bastidores políticos de Padre Bernardo, o nome de Zé Matheus já é lembrado como a grande novidade do processo político de 2020 no estado do Goiás.

Entre os adversários em Padre Bernardo a grande pergunta do momento é; como fazer para parar o crescimento da pré-candidatura de Zé Matheus?

 

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17jul/190

GDF : Comissionados ainda são maioria

Palácio do Buriti: desde o início da gestão Ibaneis Rocha, o total de comissionados caiu menos de 4%

Comissionados ainda são maioria. Por enquanto, o governador não conseguiu cumprir promessa de campanha de reduzir a quantidade desse tipo de cargo na administração pública. Em 72 dos 98 órgãos e empresas do GDF, há mais de 50% de funcionários sem vínculo com o governo

Eleito com o discurso de enxugamento da máquina pública, o governador Ibaneis Rocha (MDB) ainda não emplacou uma redução significativa do quadro de comissionados na capital. No Distrito Federal, 13.324 profissionais ocupam esse tipo de cargo, de acordo com o quantitativo publicado ontem no Diário Oficial do DF. Houve, portanto, uma diminuição de 3,88% em relação ao mesmo período do ano passado, quando o número de postos preenchidos chegava a 13.863.

O quadro tem como referência o mês de junho. Os dados mostram que, em 72 dos 98 órgãos e empresas públicas brasilienses, as equipes contam com mais de 50% de profissionais sem vínculo com o GDF. Em relação a números totais, os profissionais não concursados preenchem 46,65% dos postos.

O número de funcionários comissionados é alto, principalmente em administrações regionais. Entre as 31 unidades, o menor índice de profissionais sem vínculo com a administração pública é de 70,5%, registrado em Sobradinho. O total de empregados deve crescer no segundo semestre, quando o GDF pretende criar a região administrativa de Sol Nascente/Pôr do Sol.

A situação, porém, também ocorre em outras áreas do governo — na Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab), o percentual chega a 92,2%. Além de cargos comissionados, o governo detém, ainda, 7.856 profissionais em funções gratificadas — as vagas são destinadas exclusivamente a servidores efetivos.

Concursos

O secretário de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão, André Clemente, afirmou que a estrutura é necessária ao número de projetos tocados pelo GDF. “Criamos secretarias para ampliar as políticas públicas e, até agora, investimos R$ 500 milhões em obras. Focamos, ainda, em inovação e tecnologia, além da área econômica. Para atender a todas essas demandas, temos de usar recursos e cargos”, justificou.

O titular da pasta lembrou que o governo pretende cortar 30% dos cargos comissionados até o fim da gestão. “No início do ano, fizemos um congelamento, que nos rendeu R$ 4 milhões em economia. A meta é, com o tempo, reduzir os postos, sem impactar a prestação de serviços. Os espaços serão ocupados por servidores concursados”, complementou André.

Na proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020, o Palácio do Buriti previu 5.228 vagas em concursos públicos para o próximo ano. Por meio de emendas, os distritais aumentaram o número de forma vertiginosa, com o acréscimo de mais de 10 mil postos. A proposta seguiu para as mãos do governador, que pode vetar trechos do texto ou sancioná-lo de forma integral.

Ana Viriato - Foto: Ed Alves - Correio Braziliense

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn