17jun/190

Hackers devem ser presos, diz ministro sobre invasão de celular

Alexandre de Moraes defendeu o papel da Lava Jato no combate à corrupção

Ministro do STF Alexandre de Moraes. Foto: Wilson Dias/ABr

Desde a semana passada, o site The Intercept tem divulgado trechos de mensagens atribuídas a Moro e a procuradores da Lava Jato. De acordo com o site, os diálogos apontam para uma “colaboração proibida” entre o então juiz federal responsável por julgar processos decorrentes da operação em Curitiba e os procuradores, a quem cabe acusar os suspeitos de integrar o esquema de corrupção.

Para Moraes, as informações foram obtidas de forma criminosa, apesar de destacar que o material tem interesse “jornalístico” e “público”. “As invasões que ocorreram nos telefones de agentes públicos são criminosas. Falo com absoluta tranquilidade que vazamentos, fake news, falsidade em notícias divulgadas é questão de polícia. Esses hackers que, eventualmente, invadiram devem ser alcançados, punidos e presos”, acrescentou o ministro ao falar sobre os vazamentos

Diário do Poder

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17jun/190

Justiça condena Jaqueline e Weslliane Roriz por lavagem de dinheiro

Justiça condena Jaqueline e Weslliane Roriz por lavagem de dinheiro. A 2ª Vara Criminal de Brasília condenou, nesta segunda-feira (17/06), a ex-deputada federal Jaqueline Roriz e Weslliane Roriz, filhas do ex-governador Joaquim Roriz, a três anos de prisão em regime aberto e ao pagamento de multa pelo crime de lavagem de dinheiro. Conforme a denúncia do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), o ex-chefe do Palácio do Buriti interferiu no processo de liberação de um empréstimo do BRB de R$ 6,7 milhões, destinado à construção do Residencial Monet, em Águas Claras, para os irmãos Cortopassi. Em troca, teria recebido 12 apartamentos no empreendimento, que foram distribuídos entre seus familiares

O juiz Márcio Evangelista Ferreira da Silva ainda sentenciou os empresários Roberto e Renato Cortopassi a 5 anos e 8 meses de prisão em regime semiaberto e à quitação de multa pelos crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro. Os ex-dirigentes do BRB Franklim Moura, Antônio Cardozo e Geraldo Rui Pereira foram condenados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 2 anos e 8 meses de reclusão em regime aberto e ao pagamento de multa.

Em janeiro deste ano, pelo mesmo episódio, o Conselho Especial do TJDFT absolveu a ex-distrital Liliane Roriz da denúncia de lavagem de dinheiro. Morto em setembro de 2018, Joaquim Roriz teve a punibilidade extinta. Na área cível, todos os denunciados foram absolvidos no âmbito da ação de improbidade administrativa.

Esquema: A ação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) aponta que Roberto e Renato Cortopassi teriam recorrido ao então governador Roriz em busca de ajuda com os empréstimos. Os recursos foram usados para a construção de duas torres de 16 andares, com 48 apartamentos cada uma. “Como contraprestação pela intervenção realizada junto aos dirigentes do BRB, o réu Joaquim Roriz teria recebido 12 apartamentos no referido condomínio , sob intermédio de suas filhas, Jaqueline Maria Roriz, Liliane Maria Roriz e Weslliane Maria Roriz Neuls, seu neto Rodrigo Domingos Roriz Abreu, e da empresa JJL Administração e Participação, representada por sua filha Weslliane”, diz trecho da acusação.

O MP alega que a operação foi disfarçada por meio da empresa Coss Construção Ltda, que teria realizado o negócio de compra e venda de maneira fictícia junto à WRJ Engenharia. A investigação do caso começou com a Operação Aquarela, conduzida pelo Gaeco. A ação, deflagrada em junho de 2007, incluiu o cumprimento de mandados de busca e apreensão e a prisão do ex-presidente do BRB Franklim Moura. A investigação apurou crimes contra a administração pública, fraude à licitação, peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. As investigações da operação Caixa de Pandora também subsidiaram o processo.

Outro lado: José Milton Ferreira, advogado de Jaqueline e Wesliane Roriz, disse não ter conhecimento do teor da sentença mas afirmou que está “profundamente impressionado e indignado com a condenação”. “Essa matéria foi julgada em uma ação civil pública, com a absolvição de todos, e foi analisada também pelo Conselho Especial do Tribunal de Justiça, que absolveu Liliane Roriz. A situação é a mesma”, argumenta Ferreira.

“Vamos recorrer para questionar onde o magistrado teria buscado fundamentos para a condenação, porque no processo não existe nenhum elemento”, acrescenta o advogado. Júlio César de Souza Lima, defensor dos irmãos Cortopassi, adiantou que vai recorrer, mas não quis comentar detalhes da sentença porque ainda não teve acesso ao teor do documento. A reportagem não localizou as defesas dos ex-dirigentes do BRB.

Helena Mader - Ana Viriato - CB.Poder - Fotos: Daniel Ferreira/CB/D.A.Press - Correio Braziliense

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17jun/190

Política: Iolando se despedindo da CLDF e indo virar Secretário

Troca-troca na CLDF: Iolando vai para GDF e 2º suplente assumirá vaga. Primeiro suplente da coligação, Daniel de Castro permanecerá no comando da Administração de Vicente Pires para evitar suspensão nas obras

Rafaela Felicciano/Metrópoles

A Câmara Legislativa (CLDF) vai sofrer uma verdadeira troca de cadeiras nos próximos dias. Com o anúncio do governador Ibaneis Rocha(MDB) de indicar o deputado distrital Iolando Almeida (PSC) para a futura Secretaria da Pessoa com Deficiência, a vaga do titular será ocupada pelo segundo na linha sucessória. A coluna explica: o primeiro suplente, Daniel de Castro(PSC), é o atual administrador de Vicente Pires, uma das meninas dos olhos do chefe do Executivo local.

Até lá, quem ocupará a vaga no Legislativo local é o segundo suplente da coligação, Pedro Paulo de Oliveira (PSC), mais conhecido como Pepa. O futuro distrital é subsecretário de Promoção e Difusão Cultural, da Secretaria de Cultura. Nas eleições de 2018, embora tenha recebido 10.048 votos, não conseguiu ser eleito. Com mais projeção, o representante de Planaltina terá quatro meses para mostrar serviço na CLDF.

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17jun/190

Política: Presidente de legenda no DF visitará Rodinho de Brazlândia

Rodinho

O empresário no ramo de alimentação na cidade de Brazlândia, popularmente conhecido por Rodinho, receberá uma ligação de presidente de um partido para uma conversa de pé de ouvido no final do mês.

A proposta do líder partidário já é conhecida. Ele espera convencer o jovem empresário para um enfrentamento político em Brazlândia na busca da chamada renovação política na região.

Vale lembrar que Rodinho tinha desistido de lançar seu nome em 2022. Mas com as promessas que irão chegar em sua mesa no final do mês. A coisa pode mudar!

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn