6jun/190

Sob suspeita de roubar drogas de traficante, 13 PMs são presos

A Justiça decretou a prisão preventiva de 13 policiais militares do DF sob suspeita de participação em crimes de corrupção passiva, organização criminosa, embaraço à investigação de organização criminosa, tortura, tráfico de entorpecentes, prevaricação e fraude processual. Investigações apontam que os PMs se apropriaram de grande quantidade de droga apreendida de um traficante.

Os mandados de prisão e 34 de busca e apreensão estão sendo cumpridos nesta manhã (06/06) na Operação Dolus Malus, desencadeada pela 1ª Promotoria de Justiça Militar do DF e pelo GAECO/MPDFT em conjunto com a Polícia Civil e com a Corregedoria da Polícia Militar.

Entre os endereços alvos das buscas estão unidades militares de alguns dos investigados PMs, dentre eles, 2° BPM, 2° BPM CHOQUE, 10° BPM, Academia Militar e na Casa Militar do Governo do Distrito Federal.

As investigações basearam-se em provas obtidas em operações da CECOR (Coordenação de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado, aos Crimes contra a Administração Pública e contra a Ordem Tributária) da Polícia Civil, realizadas no ano passado e em diversas interceptações telefônicas.

Ocorrência fake

Investigações apontam suspeita de que policiais militares localizaram um perigoso traficante do Distrito Federal e uma elevada quantia de entorpecentes, mas parte da droga desapareceu. O criminoso, embora tenha sido detido, foi logo em seguida liberado pelos PMs, após indicar o local onde estaria um carregamento com mais de 200kg de maconha.

A Polícia e o Ministério Público acreditam que os PMs forjaram o teor da ocorrência policial. Eles alegaram que o traficante fugiu com parte da droga, distorcendo os fatos.

Em princípio, os próprios militares investigados, em trocas de mensagens, relataram a existência de 500 kg de droga, embora apenas pouco mais de 203 kg tenham sido apresentados.

Há indicativo, ainda, de que o traficante foi preso pelos militares no início da tarde, na posse de 50kg de droga, a qual não foi apresentada.

Os relatos dos próprios militares é de que o fato ocorreu mais tarde e, nesse período, eles estavam em diligências investigativas ilegais para localizar os 500kg de droga que estariam em poder do traficante.

Fonte: Correio Braziliense

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
6jun/190

Brazlândia: Edimar Pireneus dar um “tapa” e acha que acertou

O ex-deputado Edimar Pireneus resolveu radicalizar e deu um tapa no visual voltando as velhas origens de seu passado político.

O ex-distrital deixou a imagem de um velho náufrago (foto da esquerda) e adotou o velho Pireneus da época de PDT.

Procurado pelo o blogdogbu, o ex-parlamentar declarou que acertou no tapa do visual novo.

 

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
6jun/190

Edberg Lopes: “A acessibilidade plena é fundamental”

Por Edberg Lopes

Falta muito para que as pessoas com deficiência tenham plena inserção no mundo profissional. Apesar de haver inegáveis avanços, o mercado de trabalho ainda é muito excludente para pessoas com deficiência. Não adianta aprovar leis e não termos acesso e nem acessibilidade.
A acessibilidade plena é fundamental para garantir a inclusão de pessoas com deficiência. Pouquíssimas empresas são 100% acessíveis. Como no Distrito Federal, a gente tem um nível de acessibilidade ruim. Quando você pensa na questão do mercado de trabalho para pessoas com deficiência, e preciso ser estudado.
Cotas ajudam, mas falta inclusão. Quando se pensa em contratação de PCDs, há questões que envolvem acessibilidade e inclusão que, muitas vezes, são pouco discutidas dentro da organização.

"Na verdade, não precisamos de mais leis. Precisamos construir acessos, para as leis que já existem".

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn