26abr/190

Célia do Hospital fala sobre tudo em entrevista ao blogdogbu

A ex- candidata e coordenadora de Ibaneis Rocha em Brazlândia, Célia do Hospital, acredita que somar forças com Iolando é demonstrar compromisso com a cidade

O processo político de 2022 anda bem distante, mas a tomada de posições já pensando no futuro se transformou em marca registrada da ex- candidata e coordenadora do governador Ibaneis Rocha em Brazlândia, Célia do Hospital.

Com um grupo bem complexo, a servidora da saúde vem recebendo orientações de pelo menos 90% de seus aliados para que a mesma some forças com o distrital da região, Iolando Almeida. Na avaliação da maioria, seria um tiro no pé se Célia do Hospital optasse em fazer oposição ao padrinho politico da cidade ou mesmo inventasse uma candidatura suicida nas eleições de 2022.

O blogdogbu decidiu fazer uma visita e viu que Iolando Almeida e Celia do Hospital devem mesmo caminharem juntos pelos os próximos quatro anos. A proposta da servidora aposentada da saúde é que essa dobradinha seja um avanço para a cidade priorizando pessoas.

Para não restar dúvidas do posicionamento de Célia do Hospital, a equipe do gbu bateu um papo com a coordenadora do governador em Brazlândia para conhecer sua rotina e também suas posições políticas para o futuro. Acompanhe agora uma entrevista exclusiva do gbu com a popular Célia do Hospital;

GBU - A senhora coordenou a campanha de Ibaneis Rocha em 2018. Em uma avaliação objetiva, podemos dizer que em 2022 a senhora terá compromisso duplo nas questões políticas dentro da cidade ?

Célia do Hospital - O Dr. Ibaneis Rocha vem fazendo um governo de reorganização no DF. Acredito que ele vai pôr Brasília no patamar que nosso povo merece. Quanto ao futuro, não posso negar que poderei somar forças com o deputado Iolando Almeida e o nosso governador. Com isso, acredito que estaremos buscando pensar no DF e em especial na minha querida cidade de Brazlândia.

GBU - Estamos observando que a dobradinha Iolando Almeida/Célia do Hospital já é uma realidade e seus aliados desejam essa união. Como podemos avaliar essa sua decisão?

Celia do Hospital - O meu professor político sempre foi Dr. Frejat. E ele, assim como eu aprendemos com Roriz que na vida política é melhor somar do que dividir. Participar e somar forças com o deputado Iolando Almeida é mostrar que podemos fazer diferente para o futuro de Brazlândia. Não posso me prender a vaidades e pensar apenas em mim. Quero uma cidade melhor e respirando a união de forças políticas para ter uma cidade bem representada no cenário politico do DF.

GBU - Qual a avaliação da senhora nesse início de mandato do distrital da cidade Iolando Almeida?

Célia do Hospital - O deputado Iolando Almeida tem o nosso respeito no início dos seus trabalhos na Câmara Legislativa porque ele demonstrou ser diferente. Enquanto alguns brigam por cargos e largam a comunidade a "Deus dará", ele mostra que deseja fazer um mandato para as pessoas que precisam. Podemos citar a preocupação dele na aplicação das emendas em diversas áreas como; saúde, educação e segurança. Bem como a proteção a pessoa com deficiência e as áreas sociais.

GBU - A senhora foi cogitada para ser administradora de Brazlândia no início do mandato de Ibaneis Rocha. Ainda sonha com essa possibilidade?

Celia do Hospital - Na vida, assim como na política precisamos entender uma coisa chamada; tempo. Esse momento é do deputado Iolando Almeida, ele foi eleito para representar politicamente a nossa cidade no parlamento do DF. Entendo que ele construiu ao longo da sua história política esse novo tempo dentro de nossa cidade. E não posso ser irresponsável com a história e muito menos com o desejo popular. Ser administradora de minha cidade é  sonho. Mas isso, precisa ser construído sem atropelos ou desrespeitos ao grupo político que hoje comanda a cidade.

GBU - A senhora tem um trabalho de serviços prestados a cidade na área da saúde. Existe a possibilidade da senhora voltar a esse setor do governo?

Célia do Hospital - Desejo que o Dr. Ibaneis Rocha conserte essa chaga na vida das pessoas do DF. Sou uma aliada desse governo e no que ele precisar de mim quero servir-lo na condição de gestora. Quanto a área independe para mim. Mas a saúde é sem dúvida a que mais me atrai.

GBU - Existe diferença entre o início de mandato de Iolando Almeida com o ex- distrital Juarezão?

Célia do Hospital - O deputado Iolando Almeida foi eleito com apoios diversificados e com uma votação em cada canto do DF. Enquanto Juarezão teve sua vitória massificada dentro de Brazlândia. Em um cenário de comparações, acredito que o deputado Iolando Almeida ganhou sem muitas promessas a seu grupo de eleitores, enquanto Juarezão  não conseguiu superar as expectativas da cidade que abraçou e acreditou nele. Quanto ao início dos mandatos em análises comparativas, os números de projetos apresentados mostram por si que o deputado Iolando decidiu fazer a diferença.

GBU - O ex- deputado Edimar Pireneus se movimenta buscando voltar ao cenário político distrital. O que a senhora acha dessas movimentações dele?

Célia do Hospital - O ex- deputado já deu sua parcela de contribuição com a cidade. Acho que o momento pelo o qual passa a política de Brasília e do Brasil não oferece muito a chance do regresso. Precisamos em alguns momentos de nossa vida política, mostrar que não precisamos necessariamente ser o ator principal do filme. Podemos somar e mesmo na condição de coadjuvante podemos ser mais úteis a cidade e as pessoas.

GBU - Algumas pessoas falam que a senhora pode ser candidata em 2022. Procede essa informação?

Celia do Hospital - Eu atingi uma idade que me deu a experiência necessária para não misturar vaidade com irresponsabilidade. Não posso massagear meu ego político lançando candidatura nesse atual cenário político somente para satisfazer uma vontade pessoal. Tenho filhos e netos que desejam uma cidade melhor para o futuro, isso não quer dizer que isso só vai acontecer se eu me lançar candidata. Precisamos pensar na cidade, nas pessoas, projetos e na defesa das famílias. Se você me perguntasse hoje quem representa esses anseios da atual composição do parlamento do DF, eu le diria; Iolando Almeida. Por isso, vamos caminhar juntos pelo os próximos quatro anos na direção de uma cidade melhor.

GBU - A senhora costuma ler o blogdogbu?

Célia do Hospital - Eu lembro do gbu nas eleições de 1994 cobrindo a vitoria de dois deputados em Brazlândia quando ainda era jornal. Vejo o blogdogbu como o meio de comunicação mais importante da história política de Brazlândia. Admiro a linha editorial do blogdogbu como admirava o jornal. A linha imparcial sem dúvida é o que torna o gbu como o mais ; confiável, lido, amado e odiado dentro da cidade.

 

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
26abr/190

III Encontro dos nordestinos

RECADO DO ZÉ PARAÍBA!!!

*Amigas & Amigos, Eu, Zé Paraíba e o Júnior do Bom de Bola, Estaremos realizando no próximo DIA 11 DE MAIO as 22 horas no Bom de Bola o TERCEIRO ENCONTRO DE NORDESTINOS E AMIGOS DE BRAZLÂNDIA! Convidamos todos vocês e PEDIMOS POR GENTILEZA, COMPARTILHAR E "MANDAR" NOS GRUPOS DE SUAS REDES SOCIAIS! Agradecemos à TODOS!!!*

 

ASCOM Elias Ruan

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
26abr/190

Vítimas de violência doméstica terão prioridade em exame toxicológico

Se o exame não for realizado com celeridade, os indícios que a vítima foi drogada desaparecem, explica o autor da Lei

Deputado Eduardo Pedrosa

Mulheres vítimas de violência doméstica ou familiar terão prioridade na realização de exame toxicológico nos hospitais da rede pública. É o que determina a Lei Nº 6.293 publicada nesta quinta-feira (25) no Diário Oficial do Distrito Federal.

A Lei de autoria do deputado distrital Eduardo Pedrosa (PTC), determina prioridade na realização de exames toxicológicos para toda mulher que tenha sido drogada ou dopada por seu agressor com substância psicotrópica ou outro meio que impeça ou dificulte a livre manifestação de sua vontade ou altere seu estado psíquico, ou que tenha sido vítima de violência doméstica ou crime contra a liberdade sexual.

A intenção inicial do autor é era reforçar o combate à violência doméstica e familiar contra mulheres já previsto pela Lei Maria da Penha. “Se o exame não for realizado com celeridade, os indícios que a vítima foi drogada desaparecem”, explica Eduardo.

O deputado diz que ao proporcionar o atendimento com prioridade, estará agilizando a apuração desses crimes, mas também elevando a dignidade e a esperança das vítimas de que a justiça pode ser feita o mais rapidamente possível.

Os resultados dos exames devem constar no prontuário da paciente, a fim de possibilitar a continuidade da assistência prestada. O laudo deverá ser compartilhado com o perito médico, quando requerido por autoridade de polícia judiciária, para comprovação do crime e punição do agressor.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn