29out/180

Politica: Novo governador quer lista tríplice para administrador regional

O mais novo governador do DF, Ibaneis Rocha, declarou em entrevista ao portal Metrópoles logo após a sua vitória, que as escolhas dos novos administradores regionais das cidades satélites seguirá um rito diferente dos últimos anos.

O novo chefe do executivo pensa em ouvir representantes da comunidade para se conhecer uma lista triplice da opinião popular e depois desse processo, ele escolheria o nome de sua preferência.

Perguntado pelo o Metrópoles sobre como será conhecido o nome dos administradores, Ibaneis disse; "Não se pode ter administradores escolhidos apenas pelo dedo do governador. Eles precisam ter vínculo com a população. A participação dos moradores na indicação é importantíssima. Vou ouvir a população, será definida uma lista tríplice e desses três nomes vou indicar um. E os moradores vão avaliar os administradores. Vou dar todas as condições para eles trabalharem, mas se forem mal avaliados, serão retirados, e a população indicará outro nome."

fonte: Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
29out/180

Politica: Iolando Almeida dar fim ao sonho de Célia do Hospital virar administradora

O distrital Iolando Almeida da cidade de Brazlândia deu um ponto final na proposta da servidora aposentada da saúde, Célia do Hospital, em se transformar em administradora regional da cidade.

O parlamentar já se declarou governista até os "dentes" e deverá somar forças com os projetos de Ibaneis Rocha no poder legislativo pelo os próximos quatro anos.

Nos bastidores o distrital da região estranhou o interesse da ex- administradora do hospital regional de Brazlândia, Célia do Hospital, em se transformar chefe do executivo local nesse momento ;" Brazlândia continua com voz na Câmara", salientou em tom claro de quem manda.

 

fonte:  Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
29out/180

Presidente eleito articula ampla e confortável maioria no Congresso NacionalBolsonaro deve contar com mais de 300 deputados na Câmara

Foto: Luis Macedo

O presidente eleito Jair Bolsonaro articula uma confortável maioria no Congresso Nacional, a fim de garantir a aprovação dos compromissos assumidos durante a campanha, que incluem reformas ambiciosas. Na Câmara dos Deputados, por exemplo, as negociações estão adiantadas. A expectativa é que, além dos 52 deputados eleitos do PSL, a bancada do governo conte com mais de 300 parlamentares. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Deputado experiente, já no sétimo mandato, Bolsonaro articula uma nova forma de acordo, através das bancadas “transversais”.

Pelo novo conceito, o futuro governo vai manter relações especiais com frentes parlamentares como Agropecuária, Evangélica e de Segurança.

O presidente eleito só não abre mão de quebrar o paradigma do “toma lá, dá cá” na negociação dos cargos do seu governo. Diáriodopoder.

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
29out/180

Bolsonaro representa a vitória contra o velho jeito de fazer políticaEle provou que dinheiro e tempo de TV não são mais indispensáveis

Bolsonaro provou que dinheiro e tempo de TV não são necessários para ganhar eleição

A vitória de Jair Bolsonaro (PSL) ainda levará ao divã comentaristas e cientistas políticos, inconformados com a própria constatação de que foi a vitória contra a velha política, do tostão contra o milhão, a vitória da “guerra de guerrilha” das mídias digitais contra a mídia tradicional. Retirado das ruas pela facada de um ativista de esquerda, Bolsonaro foi eleito presidente sem sair de casa para pedir votos País afora. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O PT embolsou mais de R$212 milhões do Fundo Eleitoral, enquanto a Justiça Eleitoral disponibilizou apenas R$9 milhões para o PSL.

Bolsonaro deu show nas redes sociais, com seus 15,3 milhões de seguidores, tornando inútil o ambicionado tempo de rádio e TV.

A campanha de Bolsonaro custou menos que campanha de vereador de cidade média, R$1,7 milhão, para conquistar 58 milhões de votos.

Apoiado pela versão atual da chamada “vanguarda do atraso”, Haddad (PT) tem um número de seguidores cinco vezes menor que Bolsonaro. Diáriodopoder.

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
29out/180

Bolsonaro é eleito presidente com mais de 57,5 milhões de votosCom 94,4% da apuração concluída, ele já totaliza 57,6 milhões de votos

Jair Bolsonaro foi eleito presidente do Brasil com mais de 55,5% dos votos. (Foto: Jorge Araúo/Folhapress)

O deputado Jair Bolsonaro (PSL) foi eleito presidente da República neste domingo (28). Após 99,2% das urnas apuradas, o candidato do PSL soma 55,2% dos votos válidos, contra 44,46% do candidato Fernando Haddad (PT). Isso correspondente a 57.501.118 votos do candidato do PSL, contra 46.744.07 do petista.

Militar da reserva e deputado federal, Jair Messias Bolsonaro nasceu em 21 de março de 1955 e está atualmente filiado ao Partido Social Liberal (PSL) Ele é deputado desde 1991 e hoje está no final do seu segundo mandato. Seu irmão Renato e três de seus filhos são políticos: Carlos (PSC), vereador do Rio de Janeiro, Flávio (PSL), deputado estadual no Rio de Janeiro e Eduardo (PSL), deputado federal por São Paulo.

Jair Bolsonaro se formou na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), um dos principais centros de excelência do Exército Brasileiro, servindo aos grupos de artilharia de campanha e paraquedismo. Ficou conhecido do público em 1986, quando escreveu um artigo para a revista Veja criticando salários de oficiais militares. Por causa disso foi preso por quinze dias, mesmo tendo recebido cartas de apoio de colegas do exército. Foi absolvido dois anos depois.

Bolsonaro ingressou na reserva em 1988 como capitão para ingressar na política, elegendo-se vereador no Rio de Janeiro. A partir de 1991 foi eleito sete vezes, sucessivamente, deputado federal. O PSL é o nono partido político de sua carreira. Sua candidatura a presidente foi lançada em agosto de 2018, com o general aposentado Hamilton Mourão (PRTB) como vice na chapa. Diáriodopoder.

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn