23ago/160

Politica: Partido de Cristiano Araújo emite nota sobre operação na CLDF

psd

23ago/160

Celina Leão acusa Rollemberg de ‘apoiar quadrilha de Liliane’

Fora da presidência da Câmara, ela negou parte em esquema de propina.Justiça retirou membros da Mesa Diretora; polícia fez operação na Casa

CELINA~1

 Mateus RodriguesDo G1 DF

A presidente afastada da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Celina Leão (PPS), discursou em plenário nesta terça-feira (23) e acusou o governador Rodrigo Rollemberg de "apoiar a quadrilha liderada por Liliane Roriz (PTB)". Segundo ela, a divulgação de áudios que indicam suposto esquema de propina em emendas parlamentares para UTIs é uma forma de derrubar a Mesa Diretora e dar poder à base aliada do governo.

"Nunca conversei com empresário, disponibilizei aqui meus sigilos bancários e telefônico, não tenho amizade [com envolvidos]. Agora, colocar essas coisas como estão colocando? É muito claro. A Mesa Diretora era oposição ao governador Rollemberg e teve uma destituição provisória, arquitetada pelo próprio governador", declarou Celina.

A distrital desqualificou as acusações feitas por Liliane Roriz, autora das gravações e responsável por levar o caso ao Ministério Público. Nos áudios divulgados até esta terça, Liliane e Celina aparecem discutindo a "inclusão no projeto" e o "negócio do recurso". Celina diz que nunca teve conversas com a colega de parlamento sobre "temas não republicanos".

"O que não dá [para aceitar] é um governador incompetente, que tem várias acusações de desvios dentro da Secretaria de Saúde, usar uma colega nossa que tem processos, que está no buraco, para nos atacar. Tem deputados que querem cinco minutos de fama e falam dos colegas", afirmou Celina, sem citar nomes de outros parlamentares.

Celina afirma que saiu do gabinete da vice-presidência, à época ocupado por Liliane Roriz, a emenda parlamentar sob suspeita. O texto destinou R$ 30 milhões para o pagamento de dívidas pendentes com UTIs, fora do cronograma habitual e à vista.

"Essa quadrilha é liderada por Liliane Roriz e apoiada pelo governador incompetente, que não consegue fazer uma negociação, sabe por quê? Porque ninguém acredita nesse cara. É uma decepção que a família Roriz, que já não estava muito bem, termine no lixo do lixo do lixo", disse.

O GDF afirma que "apoia todas as investigações do Ministério Público que têm o objetivo de averiguar denúncias de eventual desvio de recursos públicos, sem qualquer julgamento prévio". O governo diz que já adotou as medidas necessárias "determinando a investigação no âmbito da Polícia Civil, da Controladoria-Geral e da Secretaria de Saúde".

A assessoria de Liliane diz que a deputada segue em licença remunerada e que ela não vai se pronunciar sobre as declarações de Celina.

Acusações

A presidente afastada da Casa também aproveitou o pronunciamento para negar que o assessor Sandro Vieira tenha retirado computadores dos gabinetes na tarde desta segunda (22). Segundo ela, a acusação é "grave" e terá de ser provada. Ela anunciou que vai entrar com um processo por quebra de decoro contra o deputado Chico Vigilante (PT), autor da denúncia.

"A gravidade que é um colega, hoje, [Vigilante] colocar que um assessor meu pegou computador. Nenhum assessor meu pegou computador, até porque eu mal uso. Mal consigo usar meu celular. É muito grave, e eu vou representar sobre isso no Conselho de Ética", disse. Celina acusou Vigilante de formar a base aliada de Rollemberg e classificou as denúncias como falso testemunho.

Logo em seguida, Vigilante subiu à tribuna para responder ao discurso. "Não fiz campanha para o Rollemberg, anulei meu voto no segundo turno [de 2014] porque sabia no que ia dar. Representação contra mim, não será a primeira e estou pronto para responder", afirmou.

Afastamento

Nesta terça, o diretório do PPS do DF informou que Celina Leão e Raimundo Ribeiro, afastados pela Justiça da Mesa Diretora da Câmara Legislativa, pediram para deixar suas funções partidárias após a operação da Polícia Civil que apura um suposto esquema para negociar propina em emendas parlamentares para a Saúde, no fim de 2015. Os dois parlamentares eram membros da Executiva da legenda por terem mandatos.

Antes, o PPS havia enviado outra nota dizendo que os parlamentares tinham sido afastados. Segundo o presidente do PPS no DF, Chico Andrade, a saída dos distritais das funções dentro do partido foi tomada em comum acordo.

“Nós vamos fazer uma investigação interna, de forma rígida, e vamos permitir o amplo direito de defesa para que seja apurado o que realmente aconteceu. O afastamento foi um consenso, foi uma sugestão do partido após a reunião de hoje, e eles entenderam da mesma forma.”

Andrade lembrou que os distritais pertenciam a outras legendas em dezembro de 2015, época do suposto pagamento de propina para desviar emendas parlamentares. Celina era filiada ao PDT e Raimundo era do PSDB.

O PPS disse que considera “extramente graves” as denúncias contra os deputados e que apoia as investigações. “O partido destaca os deputados envolvidos negam envolvimento em atos ilícitos e que as denúncias seriam manipulação por parte de opositores políticos e eleitorais.”

O presidente da CPI, Bispo Renato, o relator, Raimundo Ribeiro e Barbosa Neto (Foto: Isabella Calzolari/G1)

O deputado distrital Raimundo Ribeiro (ao centro), entre o distrital Bispo Renato e o presidente da associação das empresas de ônibus do DF, Barbosa Neto, durante sessão da CPI do Transporte (Foto: Isabella Calzolari/G1)

Os alvos da operação policial são os membros da Mesa Diretora: a presidente, Celina Leão, o primeiro secretário, Raimundo Ribeiro (PPS), o segundo secretário, Júlio César (PRB), e o terceiro secretário Bispo Renato Andrade (PR). Todos eles foram afastados das funções na Câmara, mas não perderam o mandato.

Também é alvo o deputado Cristiano Araújo (PSD). O G1 não conseguiu contato com os parlamentares até a publicação desta reportagem. À reportagem da TV Globo, Bispo Renato negou envolvimento em irregularidades.

Integrantes do Ministério Público deixam sede da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública (Decap), no DF; Polícia Civil investiga suposto esquema de desvio de emenda parlamentar para a Saúde (Foto: Alexandre Bastos/G1)

Integrantes do Ministério Público deixam sede da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública (Decap), no DF; Polícia Civil investiga suposto esquema de desvio de emenda parlamentar para a Saúde (Foto: Alexandre Bastos/G1)

No total, foram 14 mandados de busca e apreensão, 8 mandados de condução coercitiva e 4 de afastamento cautelar. As buscas foram feitas nos gabinetes parlamentares, na Presidência da Câmara e na residência das pessoas citadas. Segundo o MP, todos se apresentaram espontaneamente, dispensando o cumprimento da condução coercitiva.

“As investigações são sigilosas. Elas vieram a conhecimento público antes do momento que julgávamos oportuno. Essa palavra é muito cara, porque o princípio mais importante da investigação é a oportunidade. Isso exigiu do MP e do Judiciário a tomada de medidas na manhã de hoje”, afirmou o promotor de Justiça do Grupo de Apoio ao Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Clayton Germano.

Durante toda a manhã, a Polícia Civil apreendeu computadores, mídias digitais, documentos em papel e imagens de processos legislativos. Foram apreendidos R$ 16 mil em dinheiro e joias, mas o MP não informou a quem pertenciam os valores.

O ex-secretário-geral da Câmara Valério Neves se apresentou na tarde desta terça-feiraà Polícia Civil, em resposta a um mandado de condução coercitiva da operação Drácon. Em abril, ele foi preso temporariamente na 28ª fase da operação Lava Jato, que investigava cobrança de propina para evitar convocação de empreiteiros em comissões parlamentares de inquérito sobre a Petrobras. Na época, investigadores apontaram ligação de Neves com o ex-senador Gim Argello (DF), que também foi preso.

Neves já foi alvo de investigação anteriormente. Ele foi condenado por improbidade administrativa por ter contratado sem licitação um jornal e realizado duas campanhas publicitárias quando era chefe de gabinete de Articulação Institucional do governo do DF, em 2006. Juntos os acordos somavam mais de R$ 1 milhão. A condenação ocorreu em 2015. O contador negou irregularidades.

Operação Drácon

Nesta terça, a polícia faz uma operação de combate ao suposto esquema de propina e desvio de recursos de emenda parlamentar destinada ao pagamento de empresas de gestão de UTIs.

O deputado Chico Vigilante (PT) disse que um assessor ligado a Celina Leão foi visto retirando computadores da Câmara na véspera da operação. O distrital afirmou que solicitou ao procurador-geral do DF, Leonardo Bessa, para que pedisse a liberação das imagens do circuito de segurança para apurar o caso.

"Isso é gravíssimo. A pessoa me disse que viu o Sandro [Vieira], assessor da Celina Leão, colocando computadores no carro dele ontem à tarde. Precisa apurar, saber se foram levados mesmo e quais computadores são esses. Não é normal em um dia de trabalho colocar computadores dentro de um carro aqui na Câmara", disse. O G1 não conseguiu contato com Vieira.

O MP confirmou que investiga a conduta de um assessor parlamentar, suspeito de retirar computadores e documentos da Câmara Legislativa na noite de segunda. O nome do servidor não foi citado pelo órgão ministerial.

"Nós já estamos apurando se houve ou não a retirada de computadores e de outros equipamentos. As imagens [de câmeras de segurança] estão sendo avaliadas e, se houve essa subtração de provas, nós investigaremos e chegaremos ao autor", disse o promotor de Justiça da Saúde, Luis Henrique Ishihara.

O assessor criminal da Procuradoria-Geral de Justiça do DF, Geraldo Mariano, afirmou que o MP vai trabalhar para "reverter" essa ocorrência, se o caso for confirmado. Ele também disse que o órgão adotará "as medidas cabíveis", sem detalhar quais seriam. O servidor suspeito de retirar as máquinas seria ligado à Presidência da Câmara, mas não está entre os oito ouvidos nesta terça.

O MP informou que, a princípio, os parlamentares e assessores não estão impedidos de frequentar a Câmara, acessar arquivos ou dar expediente nos gabinetes.

"Parece burocrático, mas dependemos de elementos, indícios mínimos. São medidas cautelares que entram na privacidade, na intimidade das pessoas. A princípio, só temos elementos de um assessor, esse que foi alvo do mandado. Se houver outros elementos de outros funcionários, assessores, secretários, vamos tomar as providências", disse Germano.

Policiais deixam a Câmara Legislativa do Distrito Federal com documentos e computadores apreendidos na manhã desta terça-feira (23) (Foto: Alexandre Bastos/G1)

Policiais deixam a Câmara Legislativa do Distrito Federal com documentos e computadores apreendidos na manhã desta terça-feira (23) (Foto: Alexandre Bastos/G1)

Investigação

A polícia apura denúncias da deputada Liliane Roriz (PTB) de que a presidente da Câmara, Celina Leão (PPS), articulou um esquema de pagamento de propina e desvio de recursos de emendas parlamentares que seriam usados para pagar contratos de gestão de UTIs.

O servidor da Câmara Alexandre Braga Cerqueira e o ex-presidente do Fundo de Saúde do DF Ricardo Cardoso também foram intimados a depor. Eles são suspeitos de integrar o esquema denunciado.

A ação policial ocorre quase uma semana depois de a corporação apreender documentos e computadores no Palácio do Buriti, em uma investigação para apurar suspeitas de extorsão contra a presidente do sindicato dos servidores na Saúde (SindSaúde), Marli Rodrigues.

Nos áudios feitos por Liliane, Celina fala sobre mudança de finalidade de uma emenda parlamentar que direcionou R$ 30 milhões da sobra orçamentária da Câmara a um grupo de seis empresas que prestam serviço de UTI. Segundo as denúncias, parte dos recursos foram repassados a deputados da Mesa Diretora.

23ago/160

CHAPA DILMA-TEMER: PERÍCIA ACHA “DESVIOS DE FINALIDADE” NOS GASTOS

PERÍCIA DO TSE ENCONTRA NOTAS QUE FORAM CANCELADAS APÓS ELEIÇÕES

fonte: Diáriodopoder

23ago/160

Politica: Celina parte para o ataque depois da operação

 celina_leao

A distrital Celina Leão decidiu ir a tribuna da Câmara Legislativa, nessa terça- feira (23), e fez a sua defesa das acusações de um suposto crime cometido por membros do poder legislativo.

A ex- presidente Celina foi para o ataque e creditou ás denúncias contra a mesa diretora  ao poder executivo do DF. Segundo a distrital o festival de denúncia demonstra ser orquestrada pelo o governador Rodrigo Rollemberg;" Tem a participação do governo em cada ação", declarou Celina.

Chico Vigilante foi questionado

Ex- presidente Celina Leão foi ao ataque e decidiu colocar sua mira na direção do colega de parlamento, Chico Vigilante, que declarou aos meios de comunicação ter ouvido falar que teria ocorrido a retirada de computadores antes da operação da policia civil na casa legislativa. A distrital prometeu representar Vigilante" Ele vai ter que provar o que disse. E os cinco minutos de fama tem que ser provado", salientou a leoa ao final de seu discurso.

Liliane é uma....

Com um discurso inflamado a distrital Celina Leão declarou que a distrital Liliane Roriz tenta desmoralizar a instituição;" A deputada Liliane Roriz é uma picareta e trabalha para desmoralizar a casa e os deputados", disse Celina.

Fonte: Redação
23ago/160

FAP-DF disponibiliza R$ 2 milhões para educação inclusiva

Leonardo Arruda / Metrópoles

Pesquisadores, professores e gestores educacionais devem ficar atentos. O GDF lançou na manhã desta terça-feira (23/8) o primeiro edital específico para educação inclusiva do Fundo de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF). Serão oferecidos R$ 2 milhões para projetos relacionados ao tema. Cada trabalho poderá ser financiado em até R$ 200 mil.

O projeto visa apoiar iniciativas que possam subsidiar práticas pedagógicas na rede pública de ensino. O edital contempla cinco linhas de pesquisa, como a de desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação (aplicativos, jogos e brinquedos didáticos, por exemplo).

Também engloba projetos de aprendizagem e comunicação de estudantes com deficiência intelectual, auditiva e visual e de pessoas com autismo, síndrome de Down e transtornos do desenvolvimento. São considerados ainda trabalhos voltados a alunos com altas habilidades e/ou superdotados.

Para participar, é necessário estar vinculado a instituições de ensino e pesquisa ou a empresas de base tecnológica ou de desenvolvimento, públicas ou privadas sem fins lucrativos, com sede no Distrito Federal. O período de submissão das propostas começa nesta terça e vai até 7 de outubro. O resultado final será divulgado a partir de 28 de novembro. O edital foi lançado pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB) no Palácio do Buriti. (Com informações da Agência Brasília

23ago/160

Rollemberg evita comentar operação contra distritais

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) preferiu não comentar a operação deflagrada pelo Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), com apoio da Polícia Civil, nesta terça-feira (23/8). Durante agenda no Palácio do Buriti, o chefe do Executivo evitou a imprensa e saiu rapidamente, alegando ter um compromisso, antes que o evento do qual participava terminasse.

Quem participou da agenda, o lançamento do edital de educação inclusiva do Fundo de Apoio à Pesquisa (FAP-DF), não deixou de notar o bom humor do socialista. Ele se divertiu ao som da música que embalava o evento, acompanhando o ritmo com movimentos da cabeça. Ao subir ao tablado para falar da FAP, avisou, de início, que teria que ir embora por conta de um compromisso.

Os jornalistas se juntaram no canto e abordaram o governador ao término do discurso. Ele estava bastante descontraído e passou sorrindo, mas não falou nada. Quando saiu do local, alguns profissionais da imprensa chegaram a invadir a área reservada para tentar conversar com ele. Foram rapidamente retirados pelos seguranças.

Operação Drácon

Durante a ação, foram cumpridos 14 mandados de busca, apreensão e oito de condução coercitiva contra os cinco distritais integrantes da Mesa Diretora, servidores e ex-servidores da Casa, além do deputado Cristiano Araújo (PSD). A ação ocorreu uma semana depois de áudios feitos pela deputada Liliane Roriz (PTB) sobre um suposto esquema de corrupção envolvendo parlamentares serem divulgados.

Desde as primeiras horas da manhã, mais de 60 agentes da Polícia Civil e promotores do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) cumprem as ordens judiciais. Cinco distritais – Celina Leão (PPS), Julio César (PRB), Raimundo Ribeiro (PPS), Bispo Enato (PR) e Cristiano Araújo (PSD) foram ouvidos sobre as denúncias na Delegacia Especial de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública (Decap).

A operação é liderada pela Procuradoria-Geral do MPDFT e conta com a participação de pelo menos 10 promotores. Além dos mandados, foi determinado o afastamento cautelar da Mesa Diretora foi assinado pelo desembargador Humberto Ulhoa. Assume o comando da Câmara o deputado Juarezão, que é do mesmo partido do governador Rollemberg.

O socialista foi acusado pela presidente da Câmara, Celina Leão, de ser o responsável por ajudar Liliane nos grampos dos parlamentares. Para Celina, o objetivo do governador era tirar do foco a família dele, um dos alvos da CPI da Saúde.

Assunto da Câmara

Por telefone, a Subchefia de Relações com a Imprensa do Palácio do Buriti afirmou que “é uma questão da Câmara Legislativa”. “O Governo do Distrito Federal (GDF) vai continuar trabalhando e espera que a situação não prejudique o bom diálogo na aprovação de projetos que melhoram a vida da população”, completou.

Em nota, a Secretaria de Saúde afirmou que a Lei 5.556 da Câmara Legislativa destinava créditos suplementares ao GDF, num valor total de R$ 51.652.627. Do montante, R$ 30 milhões seriam transferidos à saúde – mais especificamente ao pagamento de serviços complementares de UTI. Os recursos vieram de emendas parlamentares.

“A denúncia, no sentido da suposta exigência de algum tipo de entendimento prévio entre os parlamentares que apresentaram as emendas e as empresas que prestam os serviços, é grave, e é do interesse máximo do GDF e da atual gestão da Secretaria de Saúde que seja apurada com o máximo rigor e com a punição exemplar de todos os que eventualmente estejam envolvidos em irregularidades”, completou a nota.

A pasta informou ainda que o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, já determinou que a Corregedoria realize a apuração dos fatos nessa nova fase da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Informações: Metropóles.

23ago/160

Cristovam deu voto de confiança a Celina Leão, mas não à Dilma

"Senador Cristovam que tal dar um voto de confiança também para a Presidenta Dilma?", postou Arlete Sampaio no Twitter

PORTAL BRASÍLIA 247

O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) foi enquadrado pela deputada distrital Arlete Sampaio (PT-DF), líder do governo na Câmara Legislativa do Distrito Federal e fundadora do PT no DF, por ter dado um voto de confiança a Celina Leão, mas não à presidente Dilma Rousseff. ...

Celina foi afastada da presidência da Câmara do DF nesta terça-feira 23 e é alvo da Operação Dracon, da Polícia Civil, por suspeita de envolvimento em esquema de desvios na saúde chamado de UTIgates.

A polícia cumpre nesta manhã 15 mandados de busca e apreensão, condução coercitiva, além do afastamento cautelar de toda a Mesa Diretora da Casa. Os mandados estão sendo cumpridos nos gabinetes e nas residências dos citados.

"Senador Cristovam que tal dar um voto de confiança também para a Presidenta Dilma?", publicou Arlete Sampaio no Twitter. Nesta manhã, após a deflagração da operação, ela alfinetou ainda: "Câmara Legislativa em polvorosa! Olha bem quem pregava/prega contra Dilma e o PT! Vamos aprender, gente!".

Depois de ter sido flagrada em conversas interceptadas pelo Ministério Público dizendo, entre outras coisas, que contrata analfabetos para trabalhar em seu gabinete, Celina Leão recebeu um voto de confiança de Cristovam Buarque e da direção de seu partido, o PPS.

O senador disse que o escândalo "incomoda, é claro". Mas ainda não é possível tirar conclusões definitivas sobre o caso, declarou. "Como a própria Celina tem dito, queremos uma apuração radical. O assunto ainda está muito nebuloso, é preciso aprofundar as investigações", afirmou Cristovam.

23ago/160

Eleição de Juarezão: governo acertou na estratégia ao perceber que Celina seria afastada

Por Fred Lima

Com apenas 14 votos, o deputado distrital Juarezão (PSB) foi eleito ontem (22) vice-presidente da Câmara Legislativa do DF. O cargo não atraiu nenhum dos outros distritais, apenas o governo, que atualmente conta com um aliado no comando da Casa, após o afastamento de Celina Leão da presidência, determinado hoje pelo Tribunal de Justiça do DF.

A eleição de Juarezão foi uma das estratégias mais inteligentes do Palácio do Buriti até agora. Com os áudios entregues por Liliane Roriz (PTB), o escândalo mudou de foco. Sai o governo e entra a Câmara. Agora, com pessebista à frente do Poder Legislativo, o GDF terá mais facilidade para aprovar os projetos que julga prioritários neste segundo semestre.

Além da presidência, o governo ganhou outros aliados de peso na Mesa Diretora, com o afastamento dos deputados opositores Raimundo Ribeiro (primeiro secretário) e Bispo Renato (terceiro secretário). No lugar dos parlamentares mencionados, assumem Agaciel Maia e Rodrigo Delmasso, respectivamente.

 

 

23ago/160

Suposto emissário da propina na CLDF tem empresas com atuação curiosa

Apontado como homem-bomba que detém um arsenal capaz de ampliar a crise política na Câmara Legislativa, o secretário executivo da Terceira Secretaria da Casa, Alexandre Braga Cerqueira, divide o seu tempo entre as tarefas de servidor e uma curiosa atuação empresarial. O suposto emissário da propina na crise dos grampos já foi dono de um lava jato e hoje é sócio de uma lotérica e de uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), chamada Associação Escola da Família (AEF). Mas no endereço de registro, em Planaltina, funciona uma igreja evangélica e não há sinal algum da entidade.

23ago/160

Distritais depõem à polícia após afastamento da direção da Câmara

Afastamento da Mesa Diretora foi determinado cautelarmente pela Justiça.Deputados são suspeitos de se beneficiar em contratos na área da saúde

 Alexandre Bastos e Gabriel LuizDo G1 DF
Policial civil em frente a delegacia onde deputados distritais foram depor (Foto: Alexandre Bastos/G1)

Policial civil em frente a delegacia onde deputados distritais foram depor (Foto: Alexandre Bastos/G1)

Deputados da Mesa Diretora da Câmara Legislativa do Distrito Federal prestaram depoimento à Polícia Civil na manhã desta terça-feira (23). Após irem para as ruas cumprir 14 mandados de busca e apreensão e oito mandados de condução coercitiva, a polícia busca ouvir a versão dos distritais, suspeitos de integrarem um suposto esquema de desvio de verbas de emendas parlamentares.

Até as 9h desta terça, os distritais Celina Leão (presidente da Casa, do PPS), e os distriais Bispo Renato Andrade (PR), Raimundo Ribeiro (PPS) e Cristiano Araújo (PSD) compareceram à Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública (Decap), no SIA.

Segundo o advogado José Francisco Fischinger, que representa Celina Leão, Cristiano Araújo, Bispo Renato e Júlio César, não foi necessário cumprir os mandados de condução coercitiva porque os deputados aceitaram falar à polícia. "Na verdade, denúncia formalmente, não existe nenhuma até onde temos conhecimento."

22ago/160

Politica: Juarezão faz discurso como novo vice- presidente do parlamento e lembra de Brazlândia

"Sou um filho humilde de Brazlândia, um servidor público da saúde, irei exercer o mandato com honestidade e trabalho” Distrital Juarezão

Juarezão

 

O distrital Juarezão eleito na tarde dessa segunda - feira, como o mais novo vice- presidente da Câmara Legislativa, inaugurou algo jamais visto no parlamento do DF.

Os parlamentares usaram a tribuna para falar do parlamentar do PSB, a grande maioria ressaltou o estilo respeitoso de fazer politica do distrital Juarezão e ao obter 14 votos favoráveis ao seu nome mostra o seu tamanho na casa legislativa.

O uso da palavra na tribuna por Juarezão foi considerado diferente de muitos que já assumiram um cargo tão importante em um momento tão delicado pelo o qual passa o DF.

O parlamentar deixou claro que quem estava assumindo a vice- presidência do poder legislativo era um filho da pacata cidade de Brazlândia;"“´Sou um filho humilde de Brazlândia, um servidor público da saúde, irei exercer o mandato com honestidade e trabalho”, declarou um emocionado Juarezão.

fonte: Redação

 

22ago/160

Rollemberg diz a distritais que não tem participação em grampos

No dia em que a Câmara Legislativa pode eleger o novo vice-presidente da Casa, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) convocou uma reunião com os deputados da base. O encontro ocorreu na Residência Oficial de Águas Claras no começo da tarde desta segunda-feira (22/8). Um dos assuntos foi a crise que atinge o Legislativo desde a divulgação degravações feitas por Liliane Roriz (PTB) indicando suposto pagamento de propina em contratos da saúde. Na pauta do encontro, além das denúncias, o chefe do Executivo local pediu ajuda para que os parlamentares continuem destinando recursos para a área, pivô de toda a confusão.

Doze deputados participaram do encontro. Sobre a crise dos grampos, Rollemberg fez questão de dizer que não tem relação com as denúncias feitas por Liliane Roriz. O socialista foi acusado pela presidente da Câmara, Celina Leão (PPS), de ser o responsável por ajudar Liliane no grampos dos parlamentares. Para Celina, o objetivo do governador era tirar do foco a família dele, alvo da CPI da Saúde.

Outra crise também foi alvo do encontro: a da Polícia Civil. Rollemberg afirmou que terá uma reunião no Tribunal de Contas da União (TCU) para tratar sobre o superávit do Fundo Constitucional do DF, o que pode significar o recurso para a paridade dos civis com a Polícia Federal.

Como medida de segurança com tantos grampos sendo divulgados, durante a reunião, a equipe de Rollemberg recolheu os celulares dos deputados. Os aparelhos foram guardados dentro de envelopes grampeados na frente dos distritais e colocados em cima de uma mesa.

Os distritais que participaram da reunião disseram que Rollemberg não entrou no assunto da votação para a escolha do novo vice-presidente da Câmara Legislativa. Apenas Juarezão (PSB), único a se candidatar à vaga, levantou e pediu o voto dos colegas. A sessão extraordinária para a eleição do sucessor de Liliane Roriz foi marcada por Celina para a tarde desta segunda. Nos bastidores, alguns deputados tentam adiar a votação, mas a Mesa Diretora, diretamente atingida com os áudios, não pretende abrir mão da data.

Para a votação ser aberta, é necessário que ao menos 13 distritais estejam em plenário, o que significa metade mais um do total de parlamentares. Embora a vice-presidência da Casa seja um cargo de expressão, muitos deputados estão reticentes em se lançar ao posto até que os efeitos de crise instalada na Câmara sejam mais palpáveis.

O nome de Rodrigo Delmasso (PTN), por exemplo, era cotado para a sucessão, mas o parlamentar tem falado aos pares que não estará entre os postulantes à vice-presidência. Delmasso — como os demais colegas — sabe que quem assumir as rédeas do órgão neste momento de crise pode sofrer desgastes. Ele pode, inclusive, assumir a vaga de líder do governo na Casa, com a renúncia de Julio Cesar (PRB).

fonte: Metropóles

22ago/160

Não é mais líder

A crise política tem os seus primeiros desdobramentos. O deputado distrital Júlio César(PRB) não é mais líder do governo em comunicado o parlamentar disse que vai se dedicar mais a sua defesa. Júlio comunicou ao governador Rodrigo Rollemberg. O governador não queria a saída do deputado.

O Palácio do Buriti entende que Júlio é um dos poucos leais ao governo. O mais cotado para o posto é o deputado Rodrigo Delmasso (PTN). Joe Valle (PDT) corre por fora.

 
Fonte: blogdoodir
22ago/160

Após saída de Liliane Roriz, Juarezão é o novo vice da Câmara do DF

Distrital está no primeiro mandato e foi candidato único; eleição foi unânime.Liliane deixou cargo após divulgação de conversas sobre suposto esquema

 Do G1 DF
Vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Juarezão (PSB), em entrevista (Foto: Mateus Vidigal/G1)

Vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Juarezão (PSB), em entrevista (Foto: Mateus Vidigal/G1)

Correligionário do governador Rodrigo Rollemberg, o deputado distrital Juarezão (PSB) foi eleito nesta segunda-feira (21) como o novo vice-presidente da Câmara Legislativa doDistrito Federal. Único candidato à vaga, ele foi aprovado por unanimidade entre os 14 deputados presentes. A sessão foi encerrada em cerca de 20 minutos, sem votação de projetos.

Juarezão deve permanecer no cargo até a eleição da próxima Mesa Diretora, prevista para o início de 2017. A vice-presidência estava desocupada desde a última quarta (17), quando Liliane Roriz (PTB) renunciou ao posto na Mesa.

Dez distritais não compareceram à votação, incluindo os três parlamentares do PT. O líder do partido, Wasny de Roure, informou que a bancada se ausentaria por considerar que a atual Mesa Diretora não tem "legitimidade" para conduzir o processo.

"A renúncia da deputada Liliane Roriz e a eleição de um outro deputado distrital para completar o mandato não afastam, muito menos eliminam a gravidade dos fatos denunciados nos meios de comunicação, com forte indício de sua veracidade material", diz nota do partido.

No discurso de posse, Juarezão declarou que assume o cargo com "muita satisfação" e que é uma pessoa "humilde e honesta". Ele se esquivou de perguntas sobre as recentes denúncias de corrupção dentro da Câmara.

"Por enquanto, não tenho nada a declarar sobre as acusações da Liliane. A Mesa Diretora já pediu para investigar, eu apoio a investigação e a Corregedoria vai apurar esse caso", Deputado distrital Juarezão (PSB)

"Por enquanto, não tenho nada a declarar sobre as acusações da Liliane. A Mesa Diretora já pediu para investigar, eu apoio a investigação e a Corregedoria vai apurar esse caso", declarou. Juarezão também não se posicionou sobre o processo de cassação da ex-vice-presidente, em tramitação na Casa.

Juarezão e Liliane foram eleitos em outubro de 2014 sob o mesmo partido, o PRTB. Na janela de transferência aberta em 2015, ambos deixaram a legenda. O PSB de Rollemberg, que não elegeu nenhum deputado em 2014, conta hoje com Juarezão e Luzia de Paula – ela foi eleita pelo PEN e passou pela Rede antes de se filiar ao PSB.

Permanecem na Mesa Diretora a presidente da Câmara, Celina Leão (PPS), o primeiro-secretário, o primeiro secretário, Raimundo Ribeiro (PPS), o segundo secretário, Julio Cesar (PRB), e o terceiro secretário, Bispo Renato Andrade (PR). Destes, apenas Ribeiro não é citado nominalmente nas denúncias divulgadas até esta segunda.

A deputada Liliane Roriz (PTB) durante sessão na Câmara Legislativa do DF (Foto: Câmara Legislativa/Divulgação)

A deputada Liliane Roriz (PTB) durante sessão na Câmara Legislativa do DF (Foto: Câmara Legislativa/Divulgação)

Denúncias

Oficialmente, a filha do ex-governador Joaquim Roriz disse que saiu por “motivo de foro íntimo”. Nos bastidores, a renúncia é atribuída ao vazamento de conversas gravadas por Liliane em que colocam a presidente da Câmara, Celina Leão (PPS), sob suspeita de articular um esquema de pagamento de propina em contratos de UTI.

Nos áudios feitos por Liliane, Celina fala sobre mudança de finalidade de uma emenda parlamentar que direcionou R$ 30 milhões da sobra orçamentária da Câmara a um grupo de seis empresas que prestam serviço de UTI. Segundo as denúncias, o repasse acabou beneficiando deputados.

Em entrevista exclusiva à TV Globo, Liliane detalhou parte do suposto "acordo". Segundo ela, a negociação tratava de uma "sobra orçamentária" de R$ 30 milhões, destinada originalmente à reforma de escolas e unidades de saúde.

No começo de dezembro, os distritais aprovaram uma mudança no texto, direcionando o aporte para pagar dívidas do Palácio do Buriti com prestadoras de serviço em UTIs. Pela denúncia, o esquema envolveria repasse aos deputados de 7% sobre o valor das emendas.

Celina negou irregularidades e disse que Liliane mentiu porque sente "inveja" dela. Ela também adiantou que vai encaminhar documentos ao Ministério Público para provar que não agiu de forma ilegal na destinação de recursos de emendas parlamentares.

"A acusação é falha porque a emenda é da deputada. A emenda é dela, da vice-presidente. Ela que propôs. Se existe ilegalidade, ela que remoque responder", afirmou Celina. Segundo ela, o termo "projeto" se refere ao texto da emenda.

Liliane seria julgada pelo Tribunal de Justiça naquela quarta em um processo que poderia cassar a possibilidade de ela se reeleger. A audiência foi adiada por falta de quórum.

"No dia do julgamento, ela tenta criar esse circo, colocando suspeição sobre os deputados. Se ela tinha percepcao de ilegalidade, por que ela propôs isso? Todo o trâmite tem que ser respondido por ela."

22ago/160

Paulinho volta à seleção na primeira convocação de Tite

Os três atacantes do time que ganhou o ouro olímpico foram chamados: Gabigol, Gabriel Jesus e Neymar

Dois dias após o ouro da seleção olímpica de futebol masculino na Rio-2016, o técnico da equipe principal, Tite, anunciou sua primeira convocação para os próximos desafios nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, que vai ser disputada na Rússia. O volante Paulinho, que hoje joga na China, mas antes foi seu jogador no Corinthians, é a grande novidade na relação.

Tite fará sua estreia pela seleção contra o Equador, no dia 1º de setembro, em Quito. Dia 6 do mês que vem, ele terá seu segundo desafio, diante da Colômbia, em Manaus.

Confira a convocação completa:

Goleiros: Alisson (Roma), Marcelo Grohe (Grêmio) e Weverton (Atlético-PR);

Zagueiros: Gil (Shandong Luneng), Marquinhos (PSG), Miranda (Inter de Milão) e Rodrigo Caio (São Paulo);

Laterais: Daniel Alves (Juventus), Fagner (Corinthians), Filipe Luís (Atlético de Madrid) e Marcelo (Real Madrid);

Meio-campistas: Casemiro (Real Madrid), Giuliano (Juventus), Lucas Lima (Santos), Paulinho (Guangzhou Evergrande), Philippe Coutinho (Liverpool), Rafael Carioca (Atlético-MG), Renato Augusto (Beijing Guoan) e Willian (Chelsea);

Atacantes: Gabigol (Santos), Gabriel Jesus (PalmeiraS), Neymar (Barcelona) e Taison (Shakhtar Donetsk).