25abr/170

Em breve, a queda de mais um esnobe

No DF, tem secretário no governo socialista que finge ser honesto,  competente,  inteligente e e fiel à esposa. Cairá em breve por ser desonesto, incompetente, burro e infiel. Tem muito servidor concursado de olho no esnobe ocupante do primeiro escalão.

Fonte: Donny Silva

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
25abr/170

PALOCCI PRETENDE DELATAR COMO ELE E LULA DIVIDIRAM PROPINA DE SONDAS

ESQUEMA ERA PARA CONSTRUIR 29 SONDAS NA EXPLORAÇÃO DO PRÉ-SAL

PALOCCI SE SENTE ABANDONADO POR LULA E DECIDIU "NÃO PAGAR ESSE PATO SOZINHO".

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
25abr/170

A delação que vai implodir o DF

Fabio Simão

 

 A delação da Andrade Andrade Gutierrez será devastadora no meio político do Distrito Federal. Já se sabe que o ex-governador Agnelo Queiroz(PT) será citado junto com o seu vice Tadeu Filippelli (PMDB).

Mas nenhum personagem foi mais citado que o ex-presidente da Federação de Futebol do DF, Fábio Simão (foto). De acordo com os delatores Simão era o elo entre esses políticos e fazia a "máquina" toda funcionar ou a roda da fortuna como queiram chamar.

Tudo por causa da construção do Estádio Mané Garrincha e outras coisas mais. O esquema está bem detalhado e será uma bomba daquelas. A guerra entre Coreia do Norte e Estados Unidos será fichinha.

Essas siglas em breve se confundirão: CBF, FBI e é claro a Lava-jato, já com todas as informações. Prepara!

Fonte: blogdoodir

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
25abr/170

Suspeitos de roubar carro de motorista do Uber batem em mureta e fogem

Condutor estacionou carro na Rodoviária do Plano Piloto para tomar café e foi assaltado. Polícia Militar informou estar procurando suspeitos também nos hospitais da região

Dois homens suspeitos de roubarem o carro de um motorista do Uber bateram em uma mureta de contenção logo após a Ponte do Bragueto, no Lago Norte, no Distrito Federal. Eles fugiram logo em seguida. A Polícia Militar informou que procura a dupla e verifica pessoas feridas que possam estar sendo atendidas nos hospitais da região.

Na manhã desta terça-feira (25), o motorista tinha estacionado o veículo na plataforma inferior da Rodoviária do Plano Piloto e saído para tomar café. Ao voltar, contou que dois homens se aproximaram – um deles armado com uma faca.

Ainda de acordo com a vítima, os homens exigiam que o motorista entregasse as chaves do carro e o celular. Segundo a ocorrência, o roubo ocorreu às 5h30.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
25abr/170

DF terá força-tarefa para orientar pais sobre depressão e suicídio

Em razão do aumento da procura por atendimento em unidades da Saúde e de queixas de pais e professores em escolas sobre o jogo on-line Baleia Azul, que desafia os jovens a se automutilarem e até cometerem suicídio, as autoridades do Distrito Federal decidiram agir. Docentes e familiares de alunos da rede pública de ensino vão receber orientação para aprender a reconhecer comportamentos emocionais diferentes em crianças e adolescentes.

O objetivo é fazer com que os profissionais de educação e os responsáveis saibam agir diante de problemas associados a depressão, que podem tornar os estudantes vulneráveis a crimes praticados por meio de redes sociais ou aplicativos de telefones celulares.

“A intenção é incentivar o desenvolvimento de habilidades para que os jovens lidem de forma natural com os problemas”, ressaltou a psicóloga Beatriz Montenegro, da Diretoria de Saúde Mental da Secretaria de Saúde.

Dados obtidos com exclusividade pelo Metrópoles indicam que apenas nos primeiros 19 dias deste mês de abril, 13 pessoas cometeram suicídio na capital federal. Integrantes das secretarias de Saúde, de Educação e da Segurança Pública e da Paz Social se reuniram nesta segunda-feira (24/4) para formular a estratégia de ação. Cada uma das pastas, dentro das suas atribuições, trabalhará conteúdos relacionados ao tema.

Na Saúde, a ideia é desenvolver temáticas a fim de fortalecer emocionalmente esse público vulnerável. Na Segurança, os familiares e docentes serão orientados sobre os canais de denúncia caso o adolescente seja ameaçado ou forçado a praticar atos contra a sua integridade pela internet.

 Caso de polícia

Na semana passada, o Metrópoles contou a história da mãe de uma adolescente de 15 anos, que registrou ocorrência na 35ª Delegacia de Polícia (Sobradinho II). Segundo a mulher, a filha aderiu a um grupo no Facebook e iniciou os 50 desafios impostos pelo moderador do jogo. No entanto, a garota desistiu e recebeu ameaças.

De acordo com o boletim de ocorrência, a pessoa que mandava a jovem cumprir determinadas tarefas, como se mutilar, disse: “Você vai se arrepender e morrerá de qualquer jeito”. Preocupada, a mãe decidiu acionar a polícia.

Segundo os pais, a adolescente chegou a cumprir três tarefas, incluindo fazer cortes nas mãos, assistir a filmes e ouvir músicas indicadas pelo grupo. Porém, após esses atos, ela teria pedido para deixar a corrente. Em resposta, recebeu as ameaças.

O pai relata que a menina não exibia comportamento estranho e só ficou sabendo do caso quando uma amiga de sua filha avisou a direção do colégio em que ambas estudam . “A diretora nos chamou para explicar o que estava acontecendo e nos orientou a buscar a polícia por causa das ameaças”, contou.

O que mais assustou os pais foi que, no bojo das ameaças, foram descritos detalhes da rotina da filha. Eles acreditam que as informações foram obtidas por meio do próprio perfil da adolescente nas redes sociais.

A preocupação em relação ao jogo se espalhou pelo país depois que oito estados registraram casos de suicídio e mutilações. São eles: São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso, Pernambuco, Paraíba, Santa Catarina e Rio de Janeiro. Em um dos casos, o de Bauru (SP), um adolescente de 17 anos tentou se jogar do viaduto sobre a Rodovia Marechal Rondon depois de postar em sua página no Facebook a frase: “A culpa é da baleia”.

Como funciona

Em geral, adolescentes são chamados para grupos fechados no Facebook e no WhatsApp — ou contatados até mesmo pelo Instagram — para participar do jogo, que consiste em cumprir 50 tarefas preestabelecidas por curadores.

Esses curadores, na maioria das vezes, também são adolescentes com perfis falsos nas redes sociais. Os 50 desafios incluem cortar os braços com facas, assistir a filmes de terror na madrugada, pendurar-se em parapeitos de prédios e, na tarefa final, suicidar-se.

Dica de especialista

A psicóloga Stéphanie Sabarense, especializada em terapia cognitivo-comportamental e com experiência em depressão e suicídio de adolescentes, diz que não é possível apontar um único fator que explique a aderência cega desses jovens à tal “brincadeira”. Muito menos pode-se dizer que eles já possuíam tendências suicidas antes do encontro com o Baleia Azul.

“Não acho que seja a busca do suicídio propriamente dito”, sublinha. “Tem a ver com a procura por adrenalina, pelo proibido, que é própria do adolescente”, diz. Como a adolescência é uma fase de transição, todo o cuidado é pouco.

Se ela acontece de maneira tranquila – com o adolescente andando em grupinhos e não mais com a família, querendo se encontrar –, normal. Quando ele não se encaixa em grupo nenhum, começa a procurar essas coisas para sentir que faz parte de algo"

Stéphanie Sabarense, psicóloga

Por fim, a especialista reforça que os pais devem ter sempre controle do que crianças e adolescentes fazem na internet, além de atenção total à rotina do filho — se ele tem chegado em horários distintos ou andado com grupos diferentes, por exemplo. (Com informações da Agência Brasília)

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
24abr/170

Se Palocci fizer delação, Brasil vai sofrer terremoto, diz líder do PT

 O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (SP), classificou como um “verdadeiro terremoto” a eventual delação premiada do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci. Na avaliação do líder petista, Palocci tem muito a contar sobre as relações políticas com grupos econômicos. “Nós não sabemos exatamente o que o Palocci tem a dizer, mas a gente tem certeza que ele tem muito para falar, inclusive sobre os grandes grupos econômicos brasileiros, o capital financeiro, os grandes bancos e as grandes redes de comunicação”, afirmou Zarattini, que participa nesta segunda-feira, 24, do seminário “Estratégia para a Economia Brasileira – Desenvolvimento, Soberania e Inclusão”, promovido pelas lideranças do PT na Câmara e no Senado e pela Fundação Perseu Abramo, em Brasília.

“Não sabemos exatamente o que ele pretende, mas, com certeza, se ele falar sobre o que tem conhecimento, o Brasil vai sofrer um verdadeiro terremoto no meio empresarial”, disse.

Na semana passada, em depoimento ao juiz Sérgio Moro, Palocci deu indicações sobre sua disposição em fazer um acordo de delação premiada, ao sugerir que tem muito a contar sobre os esquemas investigados pela Operação Lava Jato.

Entre as lideranças do PT presentes no encontro desta segunda-feira estão a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), o senador Humberto Costa (PE), o presidente da sigla, Rui Falcão, e o ex-presidente da Petrobras Sérgio Gabrielli. A previsão é de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva compareça ao encontro no final da tarde. Estaçãodanoticia.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
24abr/170

‘Lula quase destruiu o Brasil’, diz Doria em entrevista ao Correio

 Sem confirmar a candidatura ao Planalto no ano que vem, o prefeito de São Paulo afirma que será sempre oposição ao petista

Denise Rothenburg

Mantidas as condições atuais, em que os principais nomes do PSDB se encontram com algo a explicar perante o eleitorado, resta ao partido apostar na projeção da sua maior novidade, o prefeito de São Paulo, João Dória. E ele, por sua vez, encontra-se à vontade nesse papel, haja vista a disposição de participar em qualquer evento onde possa passar o seu recado a um público distante do paulistano. Na última semana, por exemplo, fez isso no V Seminário Luso-Brasileiro de Direito, comandado pelo Instituto de Direito Público (IDP), do ministro Gilmar Mendes, e pelo professor Carlos Blanco, da Faculdade de Direito de Lisboa. O tema do seminário era Constituição e governança nos seus mais diversos aspectos.

A palestra de Dória deveria versar sobre governança em saúde. Ele citou os programas que empreende nesse setor, mas não deixou de inserir pílulas de críticas ao PT e avisos de que não concorrerá a mais um mandato de prefeito. Para completar, deixou a muitos a sensação de que começa a construir um discurso para fazer quatro anos em dois. “Acordo cedo, durmo tarde, trabalho muito. É possível fazer oito anos em quatro”, disse na palestra. Para muitos, está dada a senha para dizer mais à frente que fará quatro anos em dois.

 

A passagem por Lisboa foi meteórica, tempo de falar para a seleta plateia de advogados, juristas e alunos de direito da universidade que acompanhavam o seminário, em sua maioria brasileiros. Foi aplaudido quatro vezes durante sua fala, que durou os exatos 20 minutos previstos. A caminho do aeroporto, concedeu entrevista exclusiva ao Correio Braziliense, quando defendeu o financiamento empresarial de campanha e se mostrou disposto a percorrer o país, no próximo ano, para evitar que Lula volte à presidência. “É inadmissível que um homem que quase destruiu a Nação queira vir agora ser candidato sob a alegação de salvar o Brasil. Salvar o quê?”, questiona ele. Para quem diz que não é candidato a presidente, nem político, o prefeito de São Paulo parece seguir no caminho inverso.

O senhor disse que não pretende ser candidato a presidente da República. Mas, reza a lenda, candidatura presidencial não depende apenas de vontade pessoal. Se o partido disser que o nome é o senhor, como fazer?

O partido ainda não disse, então, não posso me manifestar sobre algo que não ocorreu. 2018 está distante ainda, a minha responsabilidade é ser administrador, gestor, fazer aquilo que devo fazer. Fui eleito prefeito da cidade de São Paulo, temos muitos problemas, muitas tarefas a serem cumpridas e muitas respostas a oferecer à população. É o que eu tenho feito. Trabalhado duramente. E fico feliz de ter uma boa avaliação evidentemente nesses primeiros 110 dias como prefeito da maior cidade brasileira, mas a maior contribuição que posso dar à democracia do meu país é continuar sendo um bom prefeito, trabalhar cada vez mais, com mais eficiência, mais transparência.

O senhor também disse que, se pudesse influenciar no Congresso, reduziria os impostos na área de medicamentos. Há quem diga que foi um ato falho de candidato a presidente da República, não é?

(Risos… ) Não, é um ato consciente, de um prefeito. Diante das doações que conseguimos de medicamentos, de laboratórios brasileiros e multinacionais, me vi diante de uma questão, 19% de imposto. Diante de uma doação obtida de R$ 126 milhões, como eu posso imaginar que esses laboratórios têm que pagar mais de R$ 20 milhões de imposto sobre medicamentos que estão doando para a população pobre e necessitada da cidade? Evidente que é um critério injusto. Não é correto que se cobre imposto sobre doação de medicamentos. E, a meu ver também, 19% sobre medicamentos é um acumulativo de impostos muito elevado. Medicamento é um bem necessário, ninguém toma medicamento pelo prazer de tomar. Toma porque precisa tomar. Entendo que a redução gradual sobre impostos aplicados a medicamentos devesse ser algo a ser estudado pelo Congresso e pelo governo.

Entrando na questão da Lava-Jato, vários personagens do PSDB foram citados na delação da Odebrecht e responderão a processo. Como o senhor avalia essas citações?

Citação não é condenação. Todos aqueles que citados foram devem ser investigados e ter direito à plena e ampla defesa. Essa é a forma correta, seja qual for o partido, a posição, o cargo, a idade ou o sexo. Deve responder e deve ter direito à ampla dessa. E aqueles que tiverem por circunstância a condenação da Justiça devem cumprir. A Justiça é feita para todos, não para alguns.

O governador Geraldo Alckmin, que o senhor já anunciou como seu candidato a presidente da República, também está citado. Se não der tempo de o julgamento ser concluído antes da eleição, o senhor acha que ele deve concorrer, ainda que seja com essa espada sobre a cabeça?

O governador Geraldo Alckmin é um homem de bem. Antes de tudo, correto, descente, com uma bonita trajetória construída em sua carreira política e também como cidadão. Eu o conheço há 37 anos. Nunca vi um gesto, uma atitude, uma manifestação, uma palavra que pudesse desaboná-lo. Continuo tendo plena confiança no seu histórico como político, como homem público. Continua sendo o meu candidato à Presidência da República e espero que ele tenha toda a oportunidade de formular a sua defesa e provar a plena inocência.

Tucanos já disseram em Brasília que, no caso de Lula ser candidato, o senhor é o nome para concorrer com ele, porque tem feito um enfrentamento direto desde já. Nesse caso, o senhor abriria aí uma exceção nesse “não sou candidato”?

Muito bem formulada a sua pergunta. Muito habilidosa também. Mas não sou candidato. Sou prefeito. Além disso, como cidadão brasileiro, serei sempre opositor ao ex-presidente Lula. O ex-presidente Lula quase destruiu o Brasil. Então, é inadmissível um homem que quase destruiu a nação, que impôs o maior assalto ao dinheiro público jamais visto na história da humanidade, que ofereceu três anos de recessão, 13 milhões de desempregados, queira agora voltar a ser candidato e disputar sob a alegação de que é o salvador do Brasil. Salvar o quê? Salvar o Brasil daquilo que ele e o seu partido, o PT, na sua maioria, indignaram a nação, a população e a imagem do Brasil? Ora, que tenha o mínimo de consciência do mal que fez e do mal que vai responder. Nesse sentido, serei mais do que tudo um cidadão, um brasileiro. E vou usar toda a força da minha voz. Mesmo não sendo candidato, como não sou, não deixarei de usar a minha voz, a minha força, a minha credibilidade para impedir que isso volte a ocorrer e esse mal retorne ao Brasil.

Mesmo se não for candidato, o senhor se dispõe a correr o país numa cruzada anti-PT ou anti-Lula?

Ao lado de quem merecer a indicação, seja pelo PSDB ou por um conjunto de partidos que possam impedir que esse mal volte a ocorrer no Brasil, eu estarei disposto a qualquer sacrifício.

E em relação ao caixa dois de campanha, um assunto que está em voga? O senhor é a favor da anistia?

Todo crime é crime. Não há crime para uns que não seja para outros. O que eu entendo é que o Tribunal Superior Eleitoral deve mudar o sistema. O sistema como está neste momento, não é bom, não é adequado, embora a intenção tenha sido boa, sobretudo na última mudança, até com ganhos qualitativos, mas não o suficiente para impedir a utilização do caixa dois em campanhas. Eu não usei como candidato a prefeito de São Paulo. Financiei a maior parte da minha própria campanha, mas entendo que isso também não é justo, não é correto. Eu pude, tinha e tenho recursos suficientes para fazê-lo. E quem não tem? Não terá direito a disputar e a concorrer ou terá que usar o caixa dois para exercer esse direito? Já manifestei inclusive isso ao ministro Gilmar Mendes, o TSE deveria estudar uma fórmula para permitir doações de empresa privadas a campanhas políticas com limites de valores e com mecanismos de controle que, hoje, graças à internet, à maior eficiência da Receita Federal, do sistema bancário e dos controles do Banco Central, é perfeitamente possível de se fazer. Até o dia em que o Brasil, em condições financeiras adequadas, o governo, o poder público, possam financiar integralmente campanhas. Hoje, é impossível você imaginar, a cada dois anos, a sangria de recursos para campanhas políticas de um país que deve para a educação, para a saúde, para a habitação popular, para o transporte, para a assistência social.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso propôs a criação do financiamento privado mediante fundo que seria distribuído aos partidos para custear as campanhas. O senhor considera uma boa saída?

Considero nobre a sugestão, mas inviável na prática. Evidentemente que empresas e pessoas desejarão contribuir com aqueles candidatos que têm mais proximidade com seus ideais, com seus princípios e suas próprias defesas, isso é muito natural. Embora nobre, a proposta, ainda mais vindo de alguém com a grandeza do ex-presidente Ferrando Henrique, não vai funcionar. Seria melhor que isso pudesse ser revisado. Nada contra a existência de um fundo, mas ele pode ter a destinação de recursos orientada por aqueles que querem fazer as suas próprias opções. Seria o mesmo que você imaginar que teríamos contribuições pessoais, você, eu, qualquer leitor do Correio Braziliense, só que destina para um fundo e não para um candidato. Ora, você vai alijar o seu direito de fazer a opção pelo candidato ou pela candidata que você deseja ver no Legislativo ou no Executivo? Evidentemente que não.

O senhor diz que não é político, mas faz todo um discurso político e obtém sucesso. A que o senhor atribui esse sucesso, uma vez que seu discurso parece ser o mais político dos políticos. Como é que é isso?

Respondendo à primeira parte da pergunta, sendo gestor, administrador. O que fiz nesses 110 dias foi administrar a prefeitura de São Paulo sem recursos, com um rombo de R$ 7,5 bilhões e mesmo assim fiz. Realizei. Em vez de lançar a culpa sobre o meu antecessor, reclamar, chorar e dizer que, pela falta de recursos, nada podemos fazer, arregacei as mangas, montei uma boa equipe, um bom time, estabelecemos metas, princípios de trabalho, fomos buscar recursos no setor privado e, de forma eficiente, iniciamos uma gestão inovadora na cidade de São Paulo. Isso projetou nacionalmente. Ficou feliz pela projeção, pela aceitação e até pelo resultado das pesquisas, mesmo para alguém que, como eu, não é candidato, exceto a continuar sendo prefeito de São Paulo.

O senhor também mencionou que não é candidato à reeleição. Vai sugerir que acabe?

Quem tem que sugerir isso é o meu partido. Essa é a minha posição. Creio que não é a do meu partido, mas sou contra a reeleição. Sou a favor de um mandato de cinco anos sem direito à reeleição.

E o que deveria ser ser aprovado hoje?

Reforma política. Essa é a mãe de todas as reformas.

E a lista fechada?

Não sou a favor, porque ela não é representativa.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
24abr/170

FILHA DE JEFFERSON FICOU ‘INCOMODADA’ COM CÂMERA NA SALA AO PEGAR R$ 200 MIL

DELATOR DA ODEBRECHT RELATOU ‘CONSTRANGIMENTO’ DE CRISTIANE BRASIL

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
24abr/170

O Que Rolou no Fim De Semana

Arquivo 2014

Os bastidores ferveram nesse último final de semana. As articulações políticas continuam a todo vapor. O tabuleiro do xadrez está posto. Só resta saber qual as peças estarão no jogou ou não. Estamos em Abril e ninguém quer ficar de fora todos querem beber água bem limpa. Só não vale querer imitar João Dória porque imitações são péssimas e é uma vergonha alheia danada. Enquanto isso, acompanhem o que aconteceu nesse fim de semana.

Articulações I 

 

Alberto Fraga, Eliana Pedrosa e Jofran Frejat fizeram uma reunião. O trio prometeu unir -se sem definir um nome na cabeça de chapa. A ideia é formar uma aliança, o mais forte vai para a guerra.

 

Articulações II

 

A ideia do trio é fazer uma coalizão sem as ditas vaidades e assim montar um grupo de centro-direita o intuito é atrair outras correntes para uma grande aliança. Na visão de deles escolher nomes é prematuro.

Articulações III 

 

Esse grupo está se reunindo, mas, querem distância do ex-governador José Roberto Arruda. Eles dizem que não querem Arruda coordenando o jogo. Nem a planta dá mais sorte como antes, as pedras da lua são melhores amuletos.

 

Nada de Arruda 

 

"Melhor Arruda tomar conta da candidatura de Flávia Arruda para federal" - disse um deles. A interferência do ex-governador não será aceita mesmo. Te cuida careca!

 

Até o Rosso 

 

A união dessas forças pretende atrair futuramente, os partidos da frente evangélica e até mesmo o deputado federal, Rogério Rosso do PSD e a sua trupe.

 

Filiação 

 

A ex-deputada distrital, Eliana Pedrosa está sem partido. A filiação de Eliana irá causar muita surpresa no meio político.

 

Não faz isso...

Alguém botou na cabeça do governador Rodrigo Rollemberg que ele precisa imitar o João Dória. Não façam isso, o governador está pagando um mico danado.Quem avisa amigo é...

 

Os micados 

 

Nas redes sociais percebe-se que os assessores do governador Rollemberg pretensos candidatos, a cargos eletivos são despreparados e vivem no mundo da lua. Não é a toa que o governo patina.

A única. Ponto 

 

Se Liliane Roriz( PTB) não sobreviver as tormentas políticas, a família Roriz fica sem representantes. Não precisa de muita capacidade cognitiva para chegar a essa conclusão. O resto não passa de bobo da corte.

Sandálias da Humildade 

 

O ex-vice governador Tadeu Filippelli não percebeu, mas está fora do jogo. Hoje se o Pmdbista sair candidato a deputado federal já será um milagre.

A real 

 

Nas rodas políticas o comentário é o mesmo. "Filippelli precisa saber que não é protagonista no máximo que ele é um coadjuvante de luxo,"  - foram essas palavras ouvidas.

 

Outra freguesia 

O senador Hélio José já abandonou o barco e vai para o PEN em busca de um sorriso novo e melancias mais fresquinhas.

Fonte: blogdoodir

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
24abr/170

Flamengo derrota o Botafogo e fará a final contra o Fluminense

Mesmo jogando com a vantagem do empate para ir à final, o Flamengo derrotou o Botafogo por 2 a 1 na tarde deste domingo, no Maracanã. Paolo Guerrero fez os dois gols, com Sassá descontando já no fim. A decisão do Carioca será contra o Fluminense, que no sábado bateu o Vasco por 3 a 0. Os dois jogos serão em 30 de abril e 7 de maio.

 

A última vez que Flamengo e Fluminense decidiram o Carioca foi 22 anos atrás, em 1995, quando o tricolor se sagrou campeão com o famoso gol de barriga de Renato Gaúcho.O Flamengo abriu o placar aos quatro minutos do segundo tempo, em voleio de Guerrero. O peruano ampliou aos 20, cobrando pênalti. Guerrero poderia ainda ter marcado seu terceiro aos 38, após boa jogada de Berrío, mas demorou para concluir e chutou em cima de Fernandes. O Botafogo descontou também em uma penalidade, com Sassá, aos 42. Não havia, porém, tempo para o alvinegro virar a partida e buscar a classificação.

Réver abraça Guerrero, autor dois gols do Flamengo na vitória sobre o Botafogo – Guito Moreto / Agência O Globo

 

FLAMENGO 2 X 1 BOTAFOGO

Flamengo: Muralha, Pará, Rafael Vaz, Réver e Trauco; Márcio Araújo, Rômulo (Berrío), Willian Arão, Éverton (Renê) e Gabriel (Mancuello); Guerrero.

Botafogo: Gatito, Fernandes, Emerson Silva, Joel Carli e Victor Luis; Rodrigo Lindoso (Gilson), Dudu Cearense (Guilherme), João Paulo e Camilo; Rodrigo Pimpão e Roger (Sassá).

Gols: 2T: Guerrero aos 4 e 20, Sassá aos 42.

Juiz: Leonardo Garcia Cavaleiro.

Cartões amarelos: Guerrero, Everton, Mancuello, Camilo e Joel Carli

Público: 20.853 (17.140 pagantes)

Renda: R$ 974.080,00

Local: Maracanã.

 

fonte: Estaçãodanoticia

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
24abr/170

Motorista que matou ciclista tinha nível de álcool 154% acima do limite para ser presa

Bafômetro acusou 0,865 mg de álcool por litro de sangue da estudante de Brasília que matou ciclista no domingo. Mínimo considerado crime é 0,34 mg

A estudante de 20 anos que matou um ciclista atropelado no Lago Norte, em Brasília, na manhã de domingo (23) estava com teor alcoólico no sangue 154% acima do que é considerado crime. Segundo o Departamento de Estradas e Rodagens (DER), que fez o teste do bafômetro, a motorista estava com 0,865 mg por litro de sangue. O mínimo para ser caracterizado como embriaguez é 0,34 mg por litro.

O DER informou que "apesar dos olhos avermelhados e o hálito de bebida", a motorista negou que tivesse ingerido bebidas alcoólicas. Após o resultado do teste, ela foi presa em flagrante e autuada por embriaguez ao volante e homicídio culposo – quando não há intenção de matar.

Motorista bêbada atropela e mata ciclista em Brasília

Ela deve, ainda, pagar R$ 2 mil em multa e perder a carteira de motorista. O advogado Caio Leite afirmou que "não houve intenção de matar" e que a motorista "pretendia dormir na casa da amiga, onde deixou o carro, mas achou que estava bem para dirigir".

A motorista ficará presa até que a defesa consiga um habeas corpus ou caso a Justiça ofereça a possibilidade de fiança. Segundo a Polícia Civil, a gravidade do crime pode levar a até quatro anos de prisão.

Depois de prestar depoimentos na 9ª DP, a mulher foi encaminhada ao IML para exame de corpo de delito. O carro e a bicicleta foram apreendidos pela Polícia Civil para perícia.

Entenda o caso

Motorista de 20 anos matou ciclista após atropelamento no Lago Norte, em Brasília (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Motorista de 20 anos matou ciclista após atropelamento no Lago Norte, em Brasília (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

O acidente ocorreu na QI 7 do Lago Norte por volta das 10h, quando a estudante voltava de uma festa. O ciclista, Edson Antonelli, que tinha 60 anos, teve uma parada cardiorespiratória. Segundo o Corpo de Bombeiros, os militares tentaram reanimá-lo por 30 minutos, sem sucesso. A motorista também foi atendida após desmaiar.

Em depoimento à Polícia Civil, a mulher disse que, quando saiu da festa, chamou um carro para ir até a casa de uma amiga, na QI 12 do mesmo bairro, onde havia deixado o carro. No caminho da própria casa – a cerca de 20 quilômetros de distância – ela teria dormido ao voltante e só acordado com o barulho da pancada.

No boletim, ela afirma que estava na velocidade da via, de 70km/h, mas que "não se recorda" do que aconteceu. Após o acidente, "desceu do carro e tentou socorrer a vítima e também pediu ajuda para pessoas próximas".

Bombeiros tentam reanimar ciclista de 60 anos após ser atropelado por motorista embriagada no DF (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Bombeiros tentam reanimar ciclista de 60 anos após ser atropelado por motorista embriagada no DF (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Acidentes por embriaguez

De acordo com o Detran, esta é a 9ª morte por atropelamento a ciclistas no Distrito Federal desde janeiro. No ano passado, foram 19 casos. Os registros de embriaguez no volante também são expressivos.

Somente no feriado do aniversário de Brasília e de Tiradentes, entre os dias 21 e 23 de abril, o Detran flagrou pelo menos um motorista dirigindo sob efeito de álcool por hora. No balanço dos três dias, foram 127 multas por embriaguez no DF.

Quatro pessoas acabaram presas por apresentarem índice de 0,34 miligramas de alcóol por litro no bafômetro. O órgão também apreendeu 125 carros e 23 motoristas pegos sem carteira de habilitação.

Segundo o supervisor do Detran Janilson Correia, ingerir bebida alcoólica e dirigir pode ter diversas consequências. "Isso aí pode provocar sonolência, provocar um deslocamento, e acabar ocasionando um acidente, chegando aí a vítimas fatais”, afirmou.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
19abr/170

‘ALMIRANTE’ DA PROPINA É VELHO AMIGO DE LULA

OPERADOR DA PROPINA NO SUBMARINO É LIGADO A LULA DESDE 1989

OPERADOR DA PROPINA NO SUBMARINO EMPRESTOU AVIÃO PARA LULA EM 89

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn