30out/140

Operação Tiradentes: Golpe contra colegas de farda

A Operação Tiradentes cumpriu 24 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e em Goiás: suspeita de desvios de R$ 30 milhões

 

 

 

 

 

 

Dois coronéis da Polícia Militar do DF, além de 20 dirigentes da Caixa Beneficente (Cabe), são acusados de integrar organização criminosa responsável por fraudes em contratos de compras e em emissões de notas fiscais contra a entidade.

Num passado recente, os coronéis Sebastião Gouveia e Gilberto Carvalho ocuparam os cargos mais importantes da Polícia Militar. O primeiro comandou a corporação no início de 2012, e o segundo foi chefe do Estado Maior em 2009. Ontem, eles entraram na lista de investigados da Polícia Civil do DF e do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) por supostamente integrarem uma organização criminosa acusada de desviar cerca de R$ 30 milhões da Caixa Beneficente (Cabe), instituição sem fins lucrativos que presta assistência a mais de 22 mil praças e oficiais associados.

Gouveia, Carvalho e mais de 20 dirigentes da entidade foram alvo da Operação Tiradentes, que cumpriu 24 mandados de busca e apreensão na capital federal e em Goiás e obrigou os suspeitos a prestarem depoimento, a chamada condução coercitiva. A investigação começou após o surgimento de dezenas de denúncias de fraudes em contratos e em emissões de notas fiscais. Praticamente nenhum setor de dentro da Cabe passou ileso às falcatruas atribuídas à dupla e aos subordinados.

Segundo a investigação, o primeiro assalto identificado aos cofres da Cabe aconteceu em 2013. Na ocasião, o gerente administrativo da instituição, coronel Gouveia, teria simulado a contratação de uma empresa de Goiânia para fazer a manutenção e a configuração da rede de computadores. Pelo contrato, a 3Way Networks Ltda. deveria receber sete cheques no valor de R$ 12 mil, tudo chancelado pelo oficial.

Com a investigação em curso, os proprietários da empresa foram procurados e acabaram surpreendidos com a notícia: nunca haviam celebrado qualquer acordo com a Cabe. Revoltados com o uso indevido do nome da organização, registraram ocorrência na capital vizinha a Brasília. O fato não deixou dúvidas aos integrantes da Promotoria de Fundações do MPDFT, que se viram diante de um organizado esquema de desvio de recursos.

 Sobrepreço

Os fortes indícios de fraude fizeram com que o caso também passasse a ser investigado pela Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Deco) da Polícia Civil do DF. A parceria da polícia com o MPDFT resultou num pente fino nas últimas compras feitas pela Cabe. Durante a apuração, os delegados e os promotores descobriram, por exemplo, que a entidade comprou da empresa Agnes Confecção Ltda. 199 pares de coturnos em setembro de 2012 pelo valor de R$ 50 mil.

Chamou a atenção dos investigadores da Deco e do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que, alguns meses depois, um dos supervisores de compra, apadrinhado do coronel Gilberto Carvalho, vendeu 500 pares de botas por R$ 58 mil. Dias depois, um outro processo de compra foi aberto para que a Cabe comprasse da Agnes 157 pares de coturnos por R$ 49,3 mil. Ou seja, numa transação, cada calçado saiu por R$ 116 e, na outra, por R$ 378. Um claro indício de sobrepreço em uma dos negócios, segundo a investigação.

Os dirigentes da Cabe também pagaram R$ 2 mil para a compra de espingarda de pressão, quando, no mercado, o equipamento custa, em média, R$ 1 mil. A aquisição de centenas de relógios de pulso com preço bem acima do praticado no comércio levantou mais suspeitas. Tais produtos eram vendidos para os PMs num mercado dentro da Cabe, no Setor Policial Sul. O estabelecimento oferece aos militares por um preço diferenciado.

Entre os denunciados de fraudes na Cabe, instituição sem fins lucrativos que assiste praças e oficiais da PM, está um ex-comandante da PM

 Memória

Três meses no comando

O coronel Sebastião Davi Gouveia assumiu o comando da Polícia Militar do Distrito Federal em 9 de janeiro de 2012, sendo o segundo comandante no governo de Agnelo Queiroz. Mas a gestão dele durou pouco. Minado pela Operação Tartaruga, em que alguns PMs atrasaram o atendimento das ocorrências, acabou exonerado do cargo exatamente três meses depois. A demissão dele foi o estopim para o rompimento do deputado distrital Patrício (PT) com Agnelo. O parlamentar foi o responsável por indicá-lo ao posto e não aceitou a substituição.

Suspeitas em Goiás

A farra com o dinheiro dos 22 mil PMs que contribuem mensalmente para manter a Cabe também chegou a Caldas Novas (GO), a 340km de Brasília. Lá, há fortes indícios de irregularidades na compra de 40 apartamentos de um empreendimento. Causou estranheza que a construtora responsável pela construção fosse criada exclusivamente para esse fim e apresentasse patrimônio de apenas R$ 200 mil, sendo que o valor total da obra ultrapassa os R$ 60 milhões. A Operação Tiradentes descobriu, ainda, que uma das sócias da construtora é mulher do major Vilson Batista Pereira, outro investigado na operação e também ligado à Cabe.

Para o titular da Deco, Fábio Souza, um dos objetivos da ação é preservar o que resta da entidade. “Se nada fosse feito, eles dilapidariam todo o patrimônio da Cabe, fazendo com que ela falisse em um curto espaço de tempo. Já era hora de estancar essa sangria, pois é uma entidade importante para milhares de policiais militares”, afirmou o delegado.

O advogado da Cabe, José Carlos Alves, classificou as denúncias como vazias e com intuito de desestabilizar a atual diretoria. “São fatos antigos e apreciados pela Justiça. Nada foi provado até agora”, alegou. Em nota, a Polícia Militar informou que não se manifestará sobre o caso, pois a instituição não pertence aos quadros da corporação. “A Cabe é uma pessoa jurídica de direito privado, de caráter beneficente, sem fins lucrativos e que, desde 2012, é administrada por um Conselho Deliberativo próprio, eleito pelos seus associados, conforme seu estatuto social”, escreveu a corporação. O Correio não conseguiu contato com os denunciados.

Fonte: Correio Braziliense. Por SAULO ARAÚJO.

30out/140

Renan: decreto bolivariano será derrubado no Senado

Gabriel Castro, Veja

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou nesta quarta-feira que a Casa vai derrubar o decreto do governo que cria os conselhos populares na administração pública. A medida elaborada pelo governo e publicada em maio foi criticada porque dá poder a organismos montados de acordo com a conveniência do Executivo – sem o voto.

Renan dá como certo que o Senado vai acompanhar a decisão da Câmara e aprovar a resolução que anula o decreto. “Já havia um quadro de insatisfação com relação a essa matéria. O decreto ser derrubado na Câmara não surpreendeu, da mesma forma que não surpreenderá se for, e será, derrubado no Senado”, disse.

O presidente do Senado afirmou que o texto deve ser sustado porque os parlamentares não aprovam seu conteúdo. Ele negou que a derrubada – que, na Câmara, contou com o apoio do PMDB – seja um sinal de insatisfação na base governista. ”Essa dificuldade já estava posta antes das eleições, apenas se repete. Essa questão da criação de conselhos é conflituosa, não prospera consensualmente no Parlamento e deverá cair”, disse.

‘Sociedade civil’ – O decreto número 8.243/2014 foi criado sob o pretexto de instaurar a Política Nacional de Participação Social (PNPS) e o Sistema Nacional de Participação Social (SNPS). Mas, na prática, prevê a implantação de “conselhos populares”, formados por integrantes de movimentos sociais, vinculados a órgãos públicos. A matéria instituiu a participação de “integrantes da sociedade civil” em todos os órgãos da administração pública. Porém, ao trazer uma definição restritiva de sociedade civil, representa um assombroso ataque à democracia representativa e à igualdade dos cidadãos ao privilegiar grupos alinhados ao governo.

30out/140

Politica: sabendo de tudo

renato e rosso

Vice - governador Renato Santana e Deputado Rogério Rosso

A campanha de difamação ao nome do vice - governador eleito, Renato Santana, na cidade de Brazlândia durante o periodo eleitoral,parece que não surtiu efeito.

Com a vitória sacramentada o agora vice - governador teve conhecimento de todos aqueles que buscaram manchar a sua imagem no seu verdadeiro berço.

Durante a campanha suja de ataques velados. O irmão de Renato Santana conseguiu flagrar o grupo que distribuia e até pediu respeito a familia. Pois as denúncias não eram veridicas e tudo não passava do jogo sujo da politica.

Vale lembrar que em pelo menos duas regiões o vice- governador vem recebendo informações em tempo real. Ceilândia e Brazlândia.

fonte: Redação

 

30out/140

Politica: Juarezão já preprara equipe para o comando da cidade de Brazlândia

Grupo de Rollemberg deseja indicar o nome do administrador. Mas o distrital Juarezão começa a bater o pé

1186288_1421460698074313_1463953042_n

As composições já começaram. No parlamento distrital as negociações estão em estado avançado. Segundo apurou o blogdogbu a tendência natural será o distrital Juarezão comandar com mão de ferro os destinos politicos da cidade. A indicação do nome do administrador  em sua região será a primeira pauta do parlamentar em futura conversa com o novo governador do DF.

Entre os nomes que entram nas disputas estão os ex- administradores; Nilson Assunção e Eleovaldo Ferreira. Correndo por fora começa a surgir um nome de uma mulher.

Segundo os mais informados. A briga ficará mesmo entre Nilson Assunção e Eleovaldo Ferreira. Com grandes chances para o professor.

fonte: Redação

28out/140

Politica: o choro que previa a derrota

Coordenador de comitê de Frejat chora antes mesmo da derrota para Rollemberg

Milani coordenou o comitê de Frejat

A acirrada disputa eleitoral entre Rollemberg e Frejat deixou muita gente com os nervos  á flor da pele.

Em Brazlândia em uma reunião á véspera da eleição. O coordenador do comité do candidato do PR na região, Albino Milani, parece que já previa uma derrota acima dos cem mil votos.

O grupo estava reunido no comitê para debater estrategias para a reta final. Mas a reunião teve que ser interrompida com o choro descompassado do coordenador do comitê de Frejtat; " Falamos para o Milani que não estava perdido ainda. E que precisaríamos ser fortes", declarou ao blogdogbu um dos participantes do encontro.

fonte: Redação

28out/140

Politica: começou a campanha para administração

Entidades, grupos e lideranças comunitárias do DF iniciam o debate da escolha popular dos administradores na gestão Rollemberg

unnamed (5)

O processo politico passou e o DF já tem seu novo governador. Com a eleição do Senador Rodrigo Rollemberg para o comando do GDF. As lideranças politicas das regiões começam a se organizarem para as disputas pelo o comando das administrações regionais.

Segundo o governador eleito a proposta será de oferecer a comunidade de cada região a oportunidade de escolher o seu administrador. Desde que o mesmo resida na cidade.

Em Brazlândia a briga parece que vai ser bem acirrada. Os grupos organizados já estão debatendo mesmo que de forma timida a proposta. Mas a ex- candidata á distrital, Célia do Hospital, parece que já entrou na disputa.

fonte: Redação

28out/140

Politica: O vale tudo pelo o voto

unnamed (4)

Um grupo de moradores que ocupam uma área na parte norte da cidade de Brazlândia resolveram permanecer na invasão com suas famílias e pediram que o governo se sensibilize no sentido da permanência deles no local tendo em vista a necessidade da moradia.

Com a proximidade da disputa do segundo turno pelo o comando do GDF. O vale tudo pelo o voto foi além e o grupo do candidato derrotado Jofran Frejat resolveu ir até o local da ocupação e garantir que em uma possível vitória do candidato a possibilidade de permanência era maior. Sem esquecer que todos teriam direito a tarifa Frejat. Coisas da politica!

fonte: Redação

 

28out/140

Rollemberg anuncia Hélio Doyle para coordenar transição no DF

Mateus Rodrigues Do G1  

O governador eleito do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), anunciou nesta segunda-feira (27) o primeiro nome da equipe de transição que será formada para auxiliar na transferência do governo. O jornalista Hélio Doyle será o coordenador do grupo, que terá os demais membros anunciados ao longo da semana.

“Queria ouvir o partido antes de tomar qualquer decisão. O Hélio é uma pessoa experiente, que conhece bem a máquina pública e reúne todas as condições. Vamos definir nos próximos dias o formato adequado [para a equipe], quais são as coordenações setoriais, as áreas fundamentais em que precisamos agir”, afirmou Rollemberg.

Pelos próximos dois meses, a composição será responsável por coletar informações sobre a atual gestão e facilitar a transferência de um governo para o outro. A expectativa é que a criação do comitê seja anunciada no meio da semana no Diário Oficial do DF. O anúncio foi feito após reunião com a Executiva Regional do PSB. O encontro contou com a presença dos presidentes regional, Marcos Dantas, e nacional do partido, Carlos Siqueira.

Hélio Doyle foi coordenador de comunicação das campanhas de Rollemberg e do senador eleito Reguffe (PDT) nas eleições deste ano. Professor da UnB, ele também foi secretário de Governo na gestão de Cristovam Buarque e secretário de Articulação Institucional no segundo governo de Joaquim Roriz.

O primeiro contato com o atual governador do DF, Agnelo Queiroz, deve ser feito na próxima semana, quando o comitê de Rollemberg já estiver formado. Até o momento, o GDF não anunciou nenhum nome para a equipe de governo que ajudará na transição. No domingo, durante a votação, o atual governador afirmou que daria “todo o apoio” na passagem de bastão.

Rollemberg disse que pretende iniciar as reuniões com os deputados distritais, em busca de montar uma base de apoio na Câmara Legislativa, ainda nesta semana.

“A equipe de transição vai definir o procedimento, mas esse trabalho de articulação [com a Câmara] caberá ao governador. A partir desta semana, faremos contatos com os políticos para uma transição bem sucedida, que nos permita governar com eficiência já em primeiro de janeiro”, disse Rollemberg.

O PSB não elegeu nenhum distrital nas eleições deste ano. Dos partidos da coligação, elegeram-se Sandra Faraj (SD), Joe Valle (PDT), Celina Leão (PDT) e Reginaldo Veras (PDT).

Governador eleito Rodrigo Rollemberg se reune com Executiva regional do PSB no Distrito Federal (Foto: Mateus Rodrigues/G1)

Governador eleito Rodrigo Rollemberg se reune com Executiva regional do PSB no Distrito Federal (Foto: Mateus Rodrigues/G1)

Contato com Dilma

Rollemberg diz que conversou por telefone nesta segunda (27) com a presidente reeleita Dilma Rousseff. Segundo o governador eleito, os dois lados se colocaram à disposição para agir juntos pela população do DF.

“Tive a oportunidade de cumprimentar a presidente Dilma, foi uma ligação muito feliz. Ela manifestou entusiasmo em ajudar o DF e disse que eu poderia contar com ela como parceira. Agora que passaram as eleições, nós precisamos unir o DF e o Brasil para enfrentar os desafios que temos pela frente.”

Segundo turno

Rollemberg venceu o oponente, Jofran Frejat (PR), com 55,56% dos votos no segundo turno. Entre as propostas dele estão a adoção do turno integral em todas as escolas públicas, a redução do número de secretarias de governo, a implantação do bilhete único para transporte coletivo e a escolha de administradores regionais por meio de eleição.

28out/140

Nas administrações nada de eleições

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) não terá dificuldades para conseguir uma ampla base governista. Dos 24 deputados distritais, 21 farão parte da sua base de apoio. Por outro lado, pode-se esquecer da eleição para administradores. Apoio só se consegue com o toma lá da cá.

Não será diferente dessa vez. Informações do blogdoodir.

28out/140

No DF PHS passa por intervenção

A Comissão Executiva Nacional do PHS cumpre resolução interna e destitui as direções regionais de oito estados e mais o Distrito Federal por não atingirem meta de 1% dos votos para deputado federal.

O partido, que elegeu cinco deputados federais e 11 estaduais, entre eles o deputado distrital Lira, passará por reestruturação. A resolução foi aprovada na Convenção Nacional de novembro de 2013.

O ex-presidente do PHS DF, Lucas Kontoyanis(foto), que coordenou a campanha a federal do deputado Alírio Neto, não responde mais pelo comando do partido no DF. A Direção Nacional do PHS vai ouvir o deputado Lira, eleito no DF, antes de designar um novo comando. Informações do blogdoodir.

28out/140

Rodrigo Rollemberg deve ter uma base de 20 deputados distritais

O governador Rodrigo Rollemberg já começa as conversas para ter uma base consistente na Câmara Legislativa. Estima-se que dos 24 distritais da próxima - legislatura - 20 estarão afinados com o futuro governo. Com isso Rollemberg terá uma relativa tranquilidade para governar. O nosso blog apurou quais são os deputados distritais que devem compor a base.

Uma das surpresas da lista deve ser a deputada Liliane Roriz (PRTB) que foi oposição ferrenha ao governador Agnelo Queiroz nesses últimos quatro anos. Um dos motivos da aproximação entre Rodrigo e Liliane é o ótimo relacionamento com o deputado federal Rogério Rosso (PSD) e sua família.

Mais aliados

O PMDB de Tadeu Filippelli junto com os seus três deputados distritais tem tudo para fazer parte da base de sustentação. A articulação não encontrará problemas. Ficar na base é o que deseja o PMDB.

Oposição

Já o PT-DF com os seus quatro parlamentares deve mesmo é ficar na oposição. A mágoa com Rollemberg ainda deve perdurar por um bom tempo. Por esse motivo é que os petistas serão o calo no sapato do governador eleito.

Rusgas do passado

Rollemberg também precisa aparar uma aresta do passado. O deputado distrital Joe Valle teve uma mudança de partido tumultuada. Joe era do partido do governador(PSB) e a sua saída até hoje não foi bem explicada. A reconciliação é um dos desafios de Rodrigo Rollemberg.Informações do Blogdoodir.

26out/140

Eleições: Maioria do país dá segundo mandato a Dilma Rousseff, que vence Aécio Neves

Candidata do PT à reeleição venceu com vantagem inferior a 3 milhões de votos

Neste domingo (26/10), a maioria da população brasileira decidiu dar a Dilma Rousseff (PT) o segundo mandato como presidente da República. A petista derrotou o adversário Aécio Neves (PSDB) no segundo turno, segundo os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Com 97,2% das seções apuradas, Dilma obteve 51,3% dos votos, o que representa mais de 52 milhões de eleitores. Já Aécio recebeu os votos de 48,7%, aproximadamente 50 milhões de votos.

Após a votação do primeiro turno, as primeiras pesquisas de intenção de voto mostravam a mineira de 66 anos atrás de Aécio Neves. A virada foi consumada na última semana, de acordo com os institutos Ibope, Datafolha e Vox Populi. 

Perfil

Dilma Rousseff nasceu em 14 de dezembro de 1947 em Belo Horizonte (MG). Durante o regime militar, integrou organizações de esquerda, foi presa e torturada.

Após se mudar para o Rio Grande do Sul, Dilma ajudou a fundar o Partido Democrático Trabalhista (PDT). Filiou-se ao PT em 2001. Formada em economia, foi secretária no Rio Grande do Sul antes de chegar ao cargo de ministra de Minas e Energia do governo Lula. Em seguida, tornou-se chefe da Casa Civil em 2005. Na função, Dilma assumiu a gerência do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), um dos carros-chefe do governo. 

Durante seu primeiro mandato, a primeira mulher eleita presidente do Brasil começou com aprovação pessoal acima dos 70%, mas viu o número cair em 2013 durante os protestos de junho. Os manifestantes pediam, entre outros assuntos, reforma política e mais atenção às causas sociais. A aprovação de Dilma só voltou a subir no decorrer da campanha, impulsionada pelo horário eleitoral.

 

 Foto:(Jefferson Bernardes/AFP Photo) 

 

Fonte: Correio Braziliense. Por BRAITNER MOREIRA
26out/140

Politica: quer ganhar? não chama o Major!

Major Cesário é penta nas eleições de 2014

1151036_563670770358299_1421001319_n (1)

Em politica tem os bons de voto e aqueles que apoiam e fazem a diferença. Em Brazlândia o ex- candidato Major Cesário vem sendo intitulado como o mais pé frio das eleições de 2014 na região.

No DF o querido, Major Cesário, apoiou para uma das oito vagas no parlamento federal o ex- secretário  Alirio Neto, Perdeu! Para a Câmara Legislativa o apoio foi direcionado para o Coronel Jooziel, Pedeu de novo! Na briga para o Senado lá estava o Major apoiando Gim Argello. Nenhuma surpresa. Perdeu mais uma vez! Não satisfeito o apoio de Cesário seguiu para a candidatura de Frejat no segundo turno. O resultado não poderia ser diferente. Perdeu! Para finalizar acreditando na mudança do pais e no discurso dos tucanos o popular Major Cesário apostou suas fichas em Aécio Neves. Ai nem precisa dizer o resultado.

fonte: Redação

26out/140

Politica: grupos de distritais faz Frejat virar em Brazlândia

20140917221336868576e-415x260 (1) Embora perdendo a eleição para Rodrigo Rollemberg. O candidato derrotado Jofran Frejat teve vitórias significativa em algumas cidades, como; Gama, Ceilândia e Brazlândia.

Preocupado com os resultados e a decepção  do primeiro turno, o ex- governador José Roberto Arruda, pediu a ajuda dos distritais eleitos. A decisão de levar o grupo dos parlamentares para dentro da campanha de Frejat surtiu efeito.

Em Brazlândia o candidato do PR obteve mais de 56% dos votos e mostrou que a força do grupo dos deputados  fez a diferença!

  fonte: Redação

26out/140

Rodrigo Rollemberg, do PSB, é eleito governador do Distrito Federal

Candidato teve 812.036 votos, contra 649.587 de Jofran Frejat (PR). Às 17h37 deste domingo, com 93% de apuração, senador já estava eleito

Rodrigo Rollemberg (PSB), candidato ao governo do Distrito Federal, posa para fotos após votar em Brasília (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

Rodrigo Rollemberg (PSB), candidato ao governo do Distrito Federal, posa para fotos após votar em Brasília (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

Mateus Rodrigues e Raquel MoraisDo G1 DF

Rodrigo Rollemberg, do PSB, é o novo governador do Distrito Federal. O resultado foi anunciado às 17h37 deste domingo pelo Tribunal Superior Eleitoral, com 93% das urnas apuradas. Rollemberg registrava 55,56% dos votos válidos, contra 44,44% de Jofran Frejat (PR), que não poderia mais alcançá-lo. O percentual se manteve até o fim da apuração.

Com o resultado, Rollemberg foi o primeiro governador eleito no segundo turno. Veja aqui a apuração dos votos no DF.

Ao todo, Rollemberg teve 812.036 votos, contra 649.587 de Frejat. Às 18h29, o DF já tinha 100% das urnas apuradas.

Rollemberg acompanhou a apuração dos votos junto com a família, no apartamento da mãe dele, na Asa Sul, em Brasília. O G1registrou o momento em que ele matematicamente venceu a disputa: crianças que estavam na varanda do apartamento começaram a cantar e pular (veja o vídeo abaixo).

O novo vice-governador será Renato Santana, que já foi administrador regional de Ceilândia e secretário de Governo. Santana é secretário-geral do PSD no DF.

Foi a segunda disputa de Rollemberg ao governo da capital. Em 2002, o candidato conseguiu apenas 6,79% e ficou na quarta colocação – o pleito foi vencido por Joaquim Roriz.

Rollemberg assumiu a liderança da disputa para o Palácio do Buriti na reta final do primeiro turno, após a renúncia da candidatura de José Roberto Arruda (PR), que não conseguiu reverter a condenação por improbidade que o deixou na condição de ficha suja. A condenação se deu por conta da participação dele no esquema de corrupção que ficou conhecido como mensalão do DEM.

No primeiro turno, Rollemberg atingiu 45,23% dos votos e disputou todo o segundo à frente nas pesquisas de intenção de voto.

A disputa inicial envolvia seis candidatos. Além de Rollemberg e Frejat, tentavam a eleição o atual governador Agnelo Queiroz (PT), Luiz Pitiman (PSDB), Toninho (PSOL) e Perci Marrara (PCO).

Entre as propostas do governador eleito estão a adoção do turno integral em todas as escolas públicas, a redução do número de secretarias de governo, a implantação do bilhete único para transporte coletivo e a escolha de administradores regionais por meio de eleição. Ele também defende uma gestão baseada na estipulação de metas e no acompanhamento de resultados.

Biografia

O senador Rodrigo Rollemberg nasceu no Rio de Janeiro em 13 de julho de 1959. Na capital federal desde que tinha 1 ano, o candidato do PSB é formado em história pela Universidade de Brasília (UnB) e está filiado ao partido desde 1985.

Eleito deputado distrital em 1995, assumiu a Secretaria de Turismo do governo de Cristovam Buarque no ano seguinte. Concorreu ao Buriti pela primeira vez em 2002.

Em 2004, foi nomeado secretário nacional de Inclusão Social do Ministério de Ciência e Tecnologia, no governo Lula. Rollemberg foi eleito deputado federal em 2006. Depois do primeiro mandato, se candidatou a senador em 2010 e também foi eleito.