17ago/170

SEM QUORUM SUFICIENTE, MAIA ADIA VOTAÇÃO DA REFORMA POLÍTICA

RODRIGO MAIA ACHOU POSITIVO ADIAR VOTAÇÃO DA REFORMA POLÍTICA

 

fonte: Diariodopoder

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17ago/170

Cinco Partidos E Um Objetivo: O Palácio Do Buriti

Cinco presidentes de grandes partidos políticos participaram de um almoço hoje de olho nas eleições de 2018. Definitivamente PTB, PMDB, PSDB, PP e DEM estarão juntos de olho no Buriti.

Os presidentes Alírio Neto (PTB), Izalci (PSDB), Fraga (DEM), Filippelli (PMDB) e Roney Nemer (PP) reafirmaram o compromisso de caminharem juntos e de apoiarem aquele que tiver a menor rejeição entre os candidatos ao GDF.

Jofran Frejat não compareceu porque não é o presidente do PR, partido ao qual faz parte, mas segundo informações, estaria de acordo com a proposta do grupo da direita que também corteja o PDT de Joe Valle.

Foi mais uma demonstração pública de que, apesar dos constantes boatos de intrigas que envolvem integrantes do grupo,  os cinco presidentes sabem da importância que possuem no contexto político da capital, com seus imponentes partidos com tempo de televisão e muitos filiados, e que a união se faz necessária para impedir a reeleição do governador Rodrigo Rollemberg (PSB).

Portanto, está selada a paz na direita. Enquanto isso, a esquerda anda dividida, desacreditada e enrolada…

 

 

Fonte: Donny Silva

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17ago/170

A chapa dos sonhos da oposição. Joe Valle, Jofran Frejat e Cristovam Buarque

A chapa dos sonhos da oposição. Joe Valle, Jofran Frejat e Cristovam Buarque

/Fotos: Correio Braziliense

Há alguns empecilhos à consolidação do grupo. Um deles é o acordo entre Joe Valle e o distrital Chico Leite, que pretende ser candidato ao Senado pela Rede

Por Helena Mader-Eixo Capital/Fotos: Correio Braziliense 

Integrantes da oposição têm trabalhado para consolidar uma coligação com potencial de estremecer os planos de Rodrigo Rollemberg à reeleição. A ideia é unir o presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT), o ex-secretário de Saúde, Jofran Frejat (PR) e o senador Cristovam Buarque (PPS) em uma chapa majoritária. O grupo também corteja um representante do segmento evangélico e o líder visado é o presidente do PRB, Wanderley Tavares. Os planos ainda são embrionários, mas as conversas avançam a passos largos.

Articulações intensas

Ontem, Cristovam e Frejat conversaram ao telefone sobre projetos para 2018. No último domingo, o senador e Joe se encontraram pessoalmente e tiveram um longo debate sobre os cenários para Brasília. Na semana passada, Jofran Frejat teve reunião com os distritais Chico Leite (Rede), Israel Batista (PV) e Cláudio Abrantes (sem partido), todos ligados a Joe. Entre eles, o consenso é de que a composição seria “a chapa dos sonhos”.

Empecilhos no caminho

Mas há alguns empecilhos à consolidação do grupo. Um deles é o acordo entre Joe Valle e o distrital Chico Leite, que pretende ser candidato ao Senado pela Rede. O partido está dividido entre um eventual apoio ao grupo de Joe e a candidatura à reeleição de Rollemberg. Até agora, a Rede tem sido um importante aliado do governador. Outro ponto questionado é a ligação de Jofran Frejat com os ex-governadores Joaquim Roriz e José Roberto Arruda – o ex-secretário de Saúde é filiado ao PR, mesma legenda de Arruda. Mas como Frejat tem um passado livre de escândalos, os aliados de Joe e Cristovam apostam que não haverá dificuldades em explicar a aliança ao eleitorado.

 

Direita sem Frejat

 

Um sinal claro da aproximação de Jofran Frejat com o grupo de Joe e Cristovam foi a ausência do médico em um almoço realizado ontem por representantes da direita. Participaram do encontro os presidentes regionais do PMDB, Tadeu Filippelli; do DEM, Alberto Fraga; do PP, Rôney Nemer; do PSDB, Izalci Lucas; e do PTB, Alírio Neto. Jofran Frejat vinha mantendo conversas com essa frente de oposição a Rollemberg. Mas a boa posição do médico nas pesquisas gerou atritos – isso poderia representar uma pressão para ele encabeçar a chapa, contra a vontade da maioria. Frejat não foi convidado para o encontro de ontem.

Bilionária licitação do lixo é reaberta

O governo relançou a bilionária licitação do serviço de lixo do Distrito Federal. A concorrência pública de R$ 1,51 bilhão, aberta em abril, havia sido questionada pelo Tribunal de Contas do DF, mas o edital foi ajustado. O pregão eletrônico vai selecionar empresa para gerir o sistema por 60 meses. A ganhadora ficará responsável pela coleta e transporte de resíduos sólidos, inclusive em áreas de difícil acesso, coleta seletiva e de entulhos, varrição manual e mecanizada de vias. Mas, com o atraso no processo, o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) teve que assinar um aditivo com a empresa Valor Ambiental, atual responsável pelo lixo. O adendo de R$ 1,7 milhão vale pelos próximos 30 dias.

Igrejas e partidos políticos com benefícios assegurados

A Câmara Legislativa promulgou ontem uma lei vetada pelo governador Rodrigo Rollemberg, dispensando pessoas físicas e jurídicas com imunidade tributária de renovar o requerimento do benefício. A proposta é de autoria do deputado Bispo Renato (PR). Igrejas e templos religiosos, instituições de educação e assistência social sem fins lucrativos, partidos políticos e entidades sindicais não vão precisar mais reiterar periodicamente a concessão dos benefícios, como isenção de IPTU. A renúncia de Imposto Predial e Territorial Urbano estimada no orçamento do ano que vem é de R$ 62,2 milhões.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17ago/170

GDF nega aumento à Polícia Civil e categoria promete subir o tom

Em reunião com representantes da Polícia Civil nesta quinta-feira (17/8), o Governo do Distrito Federal (GDF) voltou a afirmar que não tem condições de dar o aumento pedido pela categoria, o que iria equiparar o salário da PCDF ao da Polícia Federal. Os policiais disseram que a notícia foi dada pelo secretário da Casa Civil, Sérgio Sampaio. Estiveram presentes ao encontro, ainda, os secretários Leany Lemos, do Planejamento, e Wilson de Paula, da Fazenda.

“Depois de todos os argumentos colocados sobre a necessidade de concluir a negociação com os policiais civis, os secretários foram claros no sentido de que o GDF não tem condições de fazer qualquer proposta à categoria para 2017 nem para 2018”, afirmou o Sinpol, em nota.

Com mais essa negativa, os policiais prometem subir o tom. Está marcada para a próxima terça-feira (22) uma assembleia da categoria com indicativo de greve. Também nesta semana, agentes, peritos e delegados divulgaram uma nota contra a posição do governador Rodrigo Rollemberg (PSB) de descartar o reajuste salarial para todas as categorias do funcionalismo público local.

No texto, eles disseram que foram traídos por Rollemberg, que não teria cumprido compromissos assumidos com a Polícia Civil. Também cobraram uma postura mais firme do diretor-geral da PCDF, delegado Eric Seba, na defesa dos interesses da corporação.

“Estamos há oito anos sem reajustes salariais. O governo atual tem demonstrado grande desrespeito pela categoria mantendo as negociações paralisadas, e a cada dia agravando ainda mais a defasagem salarial dos policiais civis”, afirma o presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), Rodrigo Franco Gaúcho.

Até a última atualização desta reportagem, o GDF não havia se manifestado sobre a reunião. Metropóles.

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
16ago/170

Antes de mudança para instituto, diretor do HBDF pede demissão

Em meio à transição do Hospital de Base do DF para instituto, o diretor-geral da unidade, Júlio César Ferreira Júnior, pediu demissão do cargo. A exoneração dele foi publicada em edição extra do Diário Oficial na quinta-feira (15/8).

Para substituí-lo, o governador Rodrigo Rollemberg nomeou interinamente Ismael Alexandrino Júnior, atual secretário-adjunto de Gestão em Saúde. Endocrinologista, Júlio Cesar completaria um ano à frente do maior hospital da rede pública local na sexta-feira (18).

Reprodução/DODF

REPRODUÇÃO/DODF

 

Com a transformação em instituto, o hospital será gerido por um Conselho de Administração, que deve ser nomeado ainda este mês pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB). Embora aprovada pela Câmara Legislativa, a alteração na gestão do Base é polêmica e motivou ações que correm na Justiça. Servidores da Saúde também são contrários à medida, assim como o Ministério Público de Contas e o Ministério Público do Trabalho.

O Instituto Hospital de Base tem personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, de interesse coletivo e de utilidade pública. O Conselho de Administração terá como presidente nato o secretário de Saúde. Também vão integrar o colegiado, cinco representantes indicados pelo GDF, um da Fundação Oswaldo Cruz, um pelo Conselho de Saúde, um representante das entidades civis que já atuam no hospital, um nome indicado pelos servidores de nível superior da unidade e um da Câmara Legislativa.

Todos eles serão escolhidos pelo governador, com base em uma lista tríplice enviada pelas respectivas categorias ou entidades. Segundo o decreto que regulamentou a lei, os conselheiros não receberão remuneração pela função, mas uma ajuda de custo por reunião. O valor e as regras serão estabelecidos no estatuto do IHBDF, que será aprovado pelo próprio conselho e submetido ao governador.

O decreto estabeleceu ainda que os conselheiros terão mandato de dois anos. Na primeira lista tríplice que for enviada pelos representantes das entidades civis deverá constar, obrigatoriamente, um membro da Rede Feminina de Combate ao Câncer, um da Associação Amigos do Hospital de Base do DF e um do Serviço Auxiliar Voluntário do HBDF.

Servidores

A norma também trouxe regras para a gestão de pessoal do IHBDF. Na primeira admissão de trabalhadores, poderão ser destinadas até 30% das vagas para contratação, como celetistas, observada a ordem de classificação, de candidatos aprovados em concurso público atualmente vigente para cargos efetivos da Secretaria de Saúde, independentemente de processo seletivo.

Somente os servidores em exercício no hospital na data da publicação da Lei nº 5.899/2017, bem como aqueles que tiveram o HBDF como última lotação antes da assunção de cargo ou função de gestão ou coordenação na Secretaria de Saúde, poderão ser cedidos ao novo instituto.

Será permitida, excepcionalmente, até o final do primeiro ano de vigência do contrato de gestão do IHBDF, a cessão de servidores de outras unidades em substituição a servidores atualmente em exercício no HBDF que não forem cedidos ao instituto. O servidor cedido fará jus a todos os direitos previstos nos regimes jurídico e de previdência, no seu cargo e carreira de origem, e à contagem de tempo de serviço, e perceberá as vantagens do cargo a que fizer jus no órgão de origem e local de exercício. METROPOLES

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
16ago/170

A 15 dias da fiscalização, 47% da frota do DF não está licenciada

O departamento alerta que quem for pego sem o licenciamento 2017 cometerá uma infração gravíssima, com multa de R$ 293,47, sete pontos na CNH e remoção do veículo, além de outras despesas com guincho, diária, vistoria e serviço de liberação, conforme o Código de Trânsito Brasileiro. Metropóles.

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
15ago/170

Politica: Se o distritão vingar, Brazlândia terá apenas dois nomes com chances em 2018

 

Com a possivel aprovação da proposta do Distritão, o distrital Juarezão teria que repetir a sua votação para ter chances em sua reeleição, enquanto Iolando Almeida tem a missão de dobrar de uma eleição para outra

O líder do governo na Câmara Federal, Deputado André Moura, vem afirmando que a proposta de aprovação do DISTRITÃO não tem ainda a maioria dos votos necessários para o projeto vingar com vistas as eleições de 2018.

Caso a proposta passe, a cidade de Brazlândia tende a se reduzir em apenas duas candidaturas. O atual distrital Juarezão parte na frente com a possível aprovação do proposta, enquanto o suplente de deputado Iolando Almeida terá que dobrar sua votação se deseja sentar em uma das 24 cadeiras do parlamento local.

 

fonte: Redação

 

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
15ago/170

Governador e equipe técnica discutem parcelamento de salários de servidores

Governador e equipe técnica discutem parcelamento de salários de servidores

Como a arrecadação cresceu menos do que o esperado, técnicos afirmaram que é inevitável parcelar salários ou atrasar o pagamento de aposentadorias.

Por Helena Mader-Eixo capital/Correio Braziliense

Em uma reunião tensa realizada ontem à tarde, no Palácio do Buriti, o governador Rodrigo Rollemberg e integrantes da equipe técnica discutiram a possibilidade de parcelamento de salários dos servidores públicos já a partir de setembro.

No encontro da governança, alguns participantes usaram como exemplo o caso do Governo de Minas Gerais, que tem pago com quase um mês de atraso os vencimentos de funcionários públicos que ganham mais de R$ 6 mil. O deficit atual é de quase R$ 200 milhões por mês e o rombo no fechamento das contas pode chegar a R$ 1 bilhão até dezembro.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
15ago/170

LÍDER DO GOVERNO DIZ QUE NÃO HÁ VOTOS NECESSÁRIOS PARA APROVAR DISTRITÃO

ANDRÉ MOURA DISSE NÃO HAVER CONSENSO TAMBÉM SOBRE ORIGEM PARA RECURSOS DO FUNDO ELEITORAL (FOTO: AG. CÂMARA).POR SER UMA PEC, É NECESSÁRIO REUNIR 308 VOTOS PARA APROVÁ-LA

 O líder do governo no Congresso, deputado André Moura (PSC-SE), afirmou nesta segunda-feira, 14, que a mudança do sistema eleitoral para o chamado distritão não tem hoje os votos necessários para ser aprovado pela Câmara. A expectativa é que a reforma política seja votada no plenário nesta quarta-feira, 16.“A grande maioria prefere aprovar o distritão, mas tem partidos que fecharam questão contra, como o PT, PR, PRB. Por ser uma PEC, que precisa de 308 votos, eu não posso afirmar que vai passar o distritão. Eu até creio que hoje o distritão vai ter a maioria dos votos, mas também creio que hoje não tem os 308 votos necessários para ser aprovado”, disse.

 

fonte: donnysilva

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
15ago/170

DEPUTADOS DISCUTEM REFORMA POLÍTICA E PROMOVEM AUDIÊNCIAS PÚBLICAS

VOTAÇÃO NA COMISSÃO ESPECIAL SOBRE A REFORMA POLÍTICA É DESTAQUE NA CASA

AGENDA DA CÂMARA É MARCADA PELA RETOMADA DA VOTAÇÃO DAS MUDANÇAS NO SISTEMA POLÍTICO-ELEITORAL, PELA COMISSÃO ESPECIAL SOBRE A REFORMA POLÍTICA (FOTO: JANINE MORAES)

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
14ago/170

Lula: ” Já provei minha inocência”

A plenária da CUT é em Madureira, na zona norte do Rio, na quadra do Império Serrano – escola de samba historicamente de esquerda, fundada por sindicalistas em 1947. Participam do ato centenas de pessoas, entre sindicalistas, militantes e moradores da região, que gritaram o nome dele como presidenciável em 2018. Lula fez um discurso de cerca de meia hora em que criticou as reformas do governo Michel Temer (PMDB), repetiu a intenção de regular a imprensa se for eleito e anunciou sua caravana pelo Nordeste. Muito assediado, tirou fotos e assinou camisetas.

“Esse País voltou a ser o que sempre foi, e que mudou com a gente. Todo o objetivo dessa perseguição ao PT, essa reforma da Previdência e trabalhista, tudo é para tentar destruir o que conquistamos há mais de 60 anos. Querem evitar que o Lula volte. Não têm competência para fazer o Brasil crescer, o que nós provamos que sabemos fazer. Tivemos a Previdência superavitária. A falta de dinheiro na Previdência é resultado da incompetência dessa gente que está hoje destruindo o País”, afirmou. “Muitos coxinhas agora não estão batendo mais panelas, e sim batendo a cabeça, porque não sabem mais o que fazer.”

Ele voltou a criticar os meios de comunicação. “Eu nem vejo mais televisão, nem leio mais jornais, porque todo dia é uma desgraceira contra o Lula. Querem que a sociedade esqueça que o Lula existiu”, disse. Em seguida, comparou-se a Tiradentes. “O engano deles é achar que existe um ser humano insubstituível. Em 1792, mataram Tiradentes, esquartejaram ele, salgaram ele, para que ninguém nunca mais pensasse em independência no Brasil. O problema deles não é o Lula, eles estão enganados. É enfrentar as milhões de pessoas que querem ter direitos”, criticou, acrescentando que também foi “esquartejado” e “salgado”.

Estão no palco com Lula o senador Lindbergh Farias (PT) e as deputadas federais Jandira Feghali (PCdoB) e Benedita da Silva (PT), entre outros políticos, além do coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem terra (MST), João Pedro Stédile. Todos fizeram discursos contra o presidente Michel Temer (PMDB) e o juiz Sérgio Moro. Stédile disse que “é mais fácil o povo prender Moro do que Moro prender Lula”.

Lula é réu da Lava Jato e mês passado foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 9 anos e 6 meses de prisão no caso do tríplex do Guarujá, que, segundo a Justiça, foi pago como propina da empreiteira OAS.

Ontem, em evento na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro para marcar o lançamento do livro “Comentários a uma sentença anunciada: o processo Lula”, com artigos de juristas organizados por professores de Direito, o ex-presidente disse que integrantes da Força-Tarefa da Lava Jato compõem um partido político e que a esquerda precisa “juntar os cacos” para vencer em 2018.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
14ago/170

Caesb localiza 40 irregularidades na rede de abastecimento de água  

Técnicos da Caesb identificaram só nesta semana 40 irregularidades nas redes de água, entre ligações clandestinas e fraudes em hidrômetros.  Equipes de vistoria e fiscalização comprovaram o furto de água direto da rede em um prédio da rua 6 em Vicente Pires, com 40 apartamentos e quatro lojas, em um lava-jato no SOF Sul e em residências de Taguatinga Sul e Riacho Fundo I. Foram registrados Boletins de Ocorrência nas delegacias das localidades.

A Companhia abrirá processo contra os infratores, além de aplicar multa que pode variar entre R$ 1.200 e R$ 76.000. Os consumidores identificados na ação também são responsabilizados pelo pagamento da água consumida enquanto se utilizou da irregularidade e ainda o ressarcimento das despesas empenhadas pela Caesb para retirada da ligação clandestina e reparos na rede de abastecimento de água.

A Caesb vem atuando fortemente no combate às ligações clandestinas nas áreas urbanas regulares, com cerca de 27 equipes de campo e um consistente processo de análise e inteligência para a identificação dessas ligações. Em 2017, a Empresa já retirou aproximadamente 1.000 ligações clandestinas de água no Distrito Federal, 520 a mais comparado ao ano anterior. Algumas das irregularidades resultaram em mais de 200 ocorrências policias. A Companhia estima que existam, no Distrito Federal, cerca de 38 mil ligações com potenciais consumos não autorizados, desviando cerca de 680 milhões de litros com essa prática, levando a um prejuízo mensal de R$ 2,7 milhões. fonte: Ascom Caesb

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn