5mar/210

Senado aprova auxílio emergencial em dois turnos

Texto que garante novos pagamentos segue para Câmara, que deve votar o texto na semana que vem

O Senado aprovou, no início da tarde de hoje, em segundo turno, com 62 votos a favor e 14 contra, o texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 186/2019, conhecida como PEC Emergencial. O texto, que agora segue para análise da Câmara dos Deputados, cria mecanismos de ajuste fiscal e permite a retomada do pagamento do auxílio emergencial durante a pandemia de covid-19.

Depois de pressões de senadores para limitar os gastos, o relator da proposta, senador Márcio Bittar (MDB-AC), apresentou nova versão do seu parecer. Nela, o benefício será pago por fora do teto de gastos do Orçamento e do limite de endividamento do governo federal. A ajuda, no entanto, ficará limitada a um custo total de R$ 44 bilhões. Antes, não havia, no texto, limite para o pagamento do auxílio em 2021. A primeira versão do auxílio ultrapassou os R$ 300 bilhões de custo total e foi paga a cerca de 68 milhões de pessoas.

Desta vez, o valor do benefício e a quantidade de parcelas será definida depois da aprovação da PEC no Congresso, por meio de medida provisória.

Contrapartida

Para garantir o pagamento do auxílio por mais alguns meses, o texto mantém os chamados gatilhos, medidas acionadas automaticamente no momento em que as despesas atingirem um certo nível de descontrole. Entre essas medidas, estão barreiras para que União, estados ou municípios criem despesas obrigatórias ou benefícios tributários. Além disso, também estarão proibidos de fazer concursos públicos ou conceder reajustes a servidores. A versão inicial da proposta previa também a possibilidade de redução temporária de salários e jornada de servidores, mas, em acordo com o governo, esse trecho foi retirado.

Polêmicas

Para viabilizar a votação, o principal recuo no texto foi a retirada do ponto que previa o fim dos valores mínimos a serem gastos pelo governo com saúde e educação. Na versão aprovada, estados continuam obrigados a destinar 12% de seus recursos para a saúde e 25% para a educação. O gasto mínimo em saúde, previsto na Constituição, é de 15% da receita corrente líquida, no caso da União. Para a educação, o governo federal tem de aplicar ao menos 18% da receita de impostos. O piso de gastos nas duas áreas não pode ser reduzido e precisa ser corrigido pela inflação do ano anterior.

Outro item retirado do texto da PEC foi o fim dos repasses do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Hoje, um mínimo de 28% da arrecadação do PIS/Pasep, que abastece o FAT, vai para o financiamento de programas do BNDES.

Calamidade pública

Depois da promulgação da Emenda Constitucional Emergencial, a Constituição terá um regime orçamentário excepcional para situações de calamidade pública. Durante a vigência desse estado, a União deve adotar regras extraordinárias de política fiscal e financeira e de contratações para atender às necessidades do país, mas somente quando a urgência for incompatível com o regime regular.

Nessa condição, as proposições legislativas e os atos do Executivo com propósito exclusivo de enfrentar a calamidade e suas consequências sociais e econômicas, por exemplo, ficam dispensadas de observar várias limitações legais, desde que não impliquem despesa obrigatória de caráter continuado.

Entre as regras que ficam suspensas está a proibição de concessão ou ampliação de benefício tributário que gere renúncia de receita. Também estão suspensos os limites e condições para contratação de operações de crédito. O regime extraordinário também permitirá a adoção de contratação simplificada de pessoal, em caráter temporário e emergencial, e de obras, serviços e compras. (ABr) Diário do poder

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
4mar/210

Samambaia: Distrital manda dinheiro para Iluminação, mas a politicagem não deixa executar

Samambaia está escura e perigosa, mas não querem investir os recursos em iluminação só porque um parlamentar poderá ser lembrado como o idealizador

O ano pré-eleitoral vem deixando muito gestor perdido no tempo e por que não dizer com  comportamento totalmente sem noção.

A briga politica de forma antecipada em Samambaia começa a atrapalhar aquilo que é interessante para comunidade; a prestação do serviço público.

O administrador regional da cidade que esquece de administrar e prefere fazer política fora de época, decidiu alimentar uma ação orquestrada na busca de "fritar" o distrital da região, Jorge Viana, simplesmente porque deverá disputar a eleição de 2022 na condição de candidato a distrital.

Dinheiro tem para iluminação

Samambaia as escuras

O parlamentar decidiu ouvir as lideranças de Samambaia e destinou R$ 500.000,00 (Quinhentos mil reais ) para iluminação pública, com isso, atendendo diversos setores da cidade, mas por capricho e a  velha política das picuinhas, os recursos não tiveram seu destino executados para atender a comunidade.

Vale lembrar que o administrador regional que dizem ser protegido do governador não pode deixar a comunidade a deriva só porque disseram para ele que em 2022 o mesmo pode está no lugar do distrital Jorge Viana.

Em resumo as ações do gestor de Samambaia é um desserviço ao projeto de reeleição do governador Ibaneis Rocha.

Só não ver quem não quer!

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
4mar/210

Segurança em pauta

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
4mar/210

Santa Maria: Em entrevista ao blogdogbu Daniel Radar declara que Jaqueline Silva vai colher o que planta hoje

Entrevista - Daniel Radar

Blogdogbu - Estamos no ano pré-eleitoral. Qual a sua perspectiva com vistas as eleições para Deputado distrital em 2022?

Daniel Radar - Será uma grande oportunidade para o eleitor do Distrito Federal, avaliar a postura da Câmara Legislativa e decidir que tipo de representante quer ver lá dentro. Não é correto, e muito menos justo com a população, apequenar o Poder Legislativo rebaixando a mero puxadinho do GDF. Lá o governo faz o que quer, aprova o que quer, inclusive enterrando CPI's. Uma submissão clara em troca do mais puro toma lá dá cá! Se faz urgente que a CLDF cumpra o seu verdadeiro papel de legislar, mas acima de tudo de fiscalizar os desmandos do poder Executivo.

Blogdogbu - A tendência natural em Santa Maria será uma disputa para a Câmara Legislativa entre você e atual deputada distrital Jaqueline Silva. O senhor está preparado para esse enfrentamento nas eleições do ano que vem?

Daniel RadarDesde que fundei o projeto Radar Santa Maria, tenho me dedicado em dar visibilidade e buscar soluções para os problemas da cidade. Faço isso independente de mandato há mais de 10 anos. Dei voz a muitos moradores e com muita pressão e fiscalização conseguimos resolver vários problemas da região. Muitos leitores do Radar me pediam para ser candidato. Quando aceitei o desafio, em 2018, recebi 12.208 votos, 9.774 foram em Santa Maria, onde fui o mais votado na cidade. Essa votação mostrou que estamos no caminho certo. Independente de eleição estamos fazendo um trabalho que tem o reconhecimento da cidade. E sinto muito orgulho dessa trajetória.

Blogdogbu - Qual avaliação que você faz do mandato até esse momento da deputada distrital Jaqueline Silva?

Daniel Radar - Qualquer pessoa eleita, seja ela quem for, tem por obrigação retribuir o voto de confiança com trabalho. Estranho se isso for diferente. Santa Maria foi determinante para a eleição dos 24 distritais eleitos. Porém, essa relação promíscua que a maioria dos deputados distritais tem com o GDF, fez Santa Maria amargar por décadas um engessamento econômico, fundiário e estrutural da cidade. A indicação do cargo de Administrador Regional por deputados distritais, por exemplo, ao contrário do que muitos pensam, limita e muito a ação desses gestores. Muitas vezes quando o administrador é indicado por um parlamentar, os demais distritais perdem o interesse em atender as demandas da cidade. Com isso perdemos recursos (através de emendas ao Orçamento) e as benfeitorias diminuem, pois uma uma cidade que "possui dono (a)" não é atrativa do ponto de vista eleitoral para os demais deputados. Santa Maria não pode ser um curral eleitoral de político A ou B.

Blogdogbu - Você acredita na reeleição da deputada Jaqueline Silva? Se não acredita, diga porque...

Daniel Radar - O sentimento que vejo nas pessoas nas ruas é de que a Câmara Legislativa, de modo geral, é muito pouco produtiva, custa caro demais para o cidadão e é submissa ao GDF. Acredito que na vida pessoal, e isso também vale para a política, a gente colhe o que planta. E a decisão de quem será eleito ou reeleito estará apenas nas mãos do eleitor ano que vem.

Blogdogbu - Como iremos fazer uma eleição sem coligações em 2022 para deputado distrital. A pergunta que fica é, Daniel Radar está preparado para esse novo formato e já escolheu o partido?

Daniel Radar - Acompanhei todas as alterações na legislação eleitoral. Tenho mantido algumas conversas e recebi alguns convites, mas ainda não tem nada definido. Nem sempre o caminho mais fácil é um bom caminho, principalmente quando se deixa os princípios de lado, isso jamais farei. Seja qual for a decisão, será resultado de muita reflexão.

Blogdogbu - deixe sua mensagem para comunidade de Santa Maria e do DF

Daniel Radar - Santa Maria foi a cidade que acolheu a mim e a minha família. Foi onde nasceram minhas filhas Manu e as gêmeas Jordana e Maitê. Tenho muito orgulho de ser morador de Santa Maria. É uma cidade de gente boa, honesta e trabalhadora, que mesmo com todas dificuldades, como falta de emprego, precariedade no transporte público e na saúde, segue na batalha por uma vida melhor. Agradeço muito aos 12.208 eleitores que me deram o voto de confiança na última eleição. Isso aumenta ainda mais a minha responsabilidade e vontade de lutar por uma política decente e por uma cidade melhor.

 

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
3mar/210

Paula Belmonte é a parlamentar com mais emendas para o IFB

A deputada federal Paula Belmonte (Cidadania-DF) destinou R$ 7,5 milhões, em emendas de bancada, ao Instituto Federal de Brasília (IFB). A quantia será utilizada para custeio, aquisição de computadores, desenvolvimento de cursos de capacitação e criação de espaços de pesquisa e extensão. Entre os parlamentares da bancada do Distrito Federal, Paula destinou a maior quantia.

Dentre os recursos enviados pela parlamentar, R$ 3 milhões serão para custeio, ou seja, para apoiar as atividades do IFB. O parque tecnológico da instituição será renovado ao custo de R$ 4 milhões. Serão ministrados cursos de qualificação profissional (camareira, recepcionista e doceira) com previsão de 300 vagas no campus do Riacho Fundo. Completa a lista de realizações a montagem de ludotecas – espaços lúdicos para alunas mães poderem deixar seus filhos.

Pelo segundo ano seguido, a parlamentar incluiu o ensino técnico na lista de emendas, por acreditar que o ensino profissionalizante é importante para o desenvolvimento da economia. “O espírito empreendedor é capaz de nos fazer sonhar e lutar por uma vida melhor. Durante muito tempo os cursos técnicos foram deixados de lado, mas são grandes geradores de emprego. Precisamos de mão de obra qualificada”, defendeu.

Emendas de bancada
Além das emendas de R$ 7,5 milhões de Paula Belmonte, também foram destinados ao IFB R$ 5 milhões pela deputada federal Érika Kokay (PT-DF) e outro R$ 1,7 milhão da senadora Leila Barros (PSB-DF).

Foto: Alexandre Motta

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
3mar/210

Brazlândia: Maioria dos pré-candidatos a distrital afirmam que Goiano será bem recebido para federal em 2022

O processo político deverá começar a esquentar no segundo Semestre de 2021. Em Brazlândia teremos por média 10 candidatos a deputado distrital em condições diferente de disputa em 2022.

Em outro horizonte a eleição para deputado federal marcará um capítulo importante na vida política de Brazlândia, pela primeira vez a região terá  dois militares na disputa representando a cidade de Brazlândia.

O blog do gbu ouviu a maioria dos pré-candidatos a distrital da região que acreditam que o nome de Goiano nas disputas eleitorais terá uma importância bem diferente das eleições anteriores;" O Goiano tem uma identificação com a cidade. E isso pesará a favor dele na escolha do eleitor para a Câmara Federal ", disse o ex-distrital Edimar Pireneus.

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
3mar/210

Investigada na Falso Negativo é diretora do FNDE por indicação do PP

Ciro Nogueira (PP-PI) indicou Renata D'Aguiar para dirigir uma área de gestão no FNDE. Na casa dela, foram encontrados R$ 200 mil

Raimundo Sampaio/Esp. Metrópoles

A esposa do ex-secretário parlamentar na Câmara dos Deputados Fábio Gonçalves Campos, Renata Mesquita D’Aguiar é funcionária do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Renata ocupa o cargo de diretora de Gestão de Fundos e Benefícios (Digef) por indicação do senador Ciro Nogueira (PI), presidente nacional do PP, partido pelo qual ela concorreu nas eleições de 2018 para um cargo de deputada distrital.

Renata Mesquita D’Aguiar (foto principal) e o marido são alvos da quarta fase da Operação Falso Negativo. Com a deflagração, nesta quarta-feira (3/3), promotores e policiais cumpriram 15 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e na Bahia. As ordens judiciais foram expedidas pela 5ª Vara Criminal de Brasília.

Na casa de Fábio e Renata, na Asa Sul, foram encontrados R$ 200 mil em espécie. Na declaração de bens feita por Renata à Justiça Eleitoral, em 2018, ela disse ter um patrimônio de R$ 1,6 milhão. Nas eleições, Renata teve 0,28% dos votos, alcançando 3.912 eleitores no DF.

A nova etapa da investigação apura dispensa de licitação – supostamente superfaturada– feita pela Secretaria de Saúde para a compra de 48 mil testes para o novo coronavírus. Evidências apontam que a qualidade dos produtos é duvidosa. O processo foi realizado em maio de 2020. No total, a pasta gastou R$ 8,6 milhões. O prejuízo estimado é de R$ 5 milhões.

Provas colhidas em fases anteriores da operação revelam que o ex-secretário de Saúde do DF Francisco Araújo mantém relação de amizade com um dos empresários que operaram uma das companhias contratadas no curso da dispensa de licitação. Trata-se de Fábio Gonçalves Campos, da Matias Machado da Silva ME. Segundo as apurações, ele atuava na empresa de forma oculta.

À época dos fatos, Fábio Gonçalves era secretário parlamentar na Câmara dos Deputados. Ele permaneceu no cargo até 26 de agosto do ano passado. Foi exonerado um dia após a deflagração da segunda fase da Operação Falso Negativo. A ação revelou inúmeras ilicitudes relacionadas à Dispensa de Licitação nº 18/2020 e à contratação da Matias Machado.

Os promotores demonstraram nos autos que o ex-secretário de Saúde foi padrinho de casamento de Fábio. Também foram apresentados diálogos que comprovam toda a negociação que ocorreu nos bastidores. 

casamento

Casamento foi realizado no Rio de Janeiro

Em confirmação às relações suspeitas identificadas, o Gaeco conseguiu apontar que a esposa de Fábio, outra investigada e alvo da operação desta quarta-feira (3/3), identificada como Renata Mesquita D’Aguiar, também tinha conhecimento dos fatos e se envolveu nas tratativas do marido.

Dois outros envolvidos no esquema e alvos de busca da quarta fase, Luiz Fernando Teixeira de Pinho e Adilton Gomes Assunção foram nomeados em cargos em comissão em órgão que Renata Mesquita trabalhou, justamente para atuarem sob a chefia da esposa de Fábio Gonçalves, segundo investigações do MP.

A operação é coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco-DF) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e tem o apoio do Departamento de Combate à Corrupção (Decor) da Polícia Civil do Distrito Federal, além do Gaeco e da Polícia Civil da Bahia.

A reportagem do Metrópoles entrou em contato com o FNDE, mas não havia recebido resposta até o fechamento desta matéria. A reportagem não conseguiu contato com o senador Ciro Nogueira (PI). O espaço permanece aberto.

Memória

Em agosto do ano passado, seis integrantes da cúpula da Secretaria de Saúde do DF, incluindo o chefe da pasta, Francisco Araújo, foram presos no âmbito da segunda fase da Falso Negativo. Em seguida, o Governo do Distrito Federal (GDF) afastou todos eles dos seus respectivos cargos.

Na ocasião, apenas o mandado de prisão contra o então titular da pasta de Administração Geral, da Secretaria de Saúde do DF, Iohan Andrade Struck, não foi cumprido. O advogado de Iohan, Alexandre Adjafre, disse que o cliente estava com suspeita de Covid-19 e apresentou atestado de 10 dias do subsecretário.

O que diz a Secretaria de Saúde

Em nota, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou que “tem colaborado com as investigações, fornecendo todos os documentos necessários para a apuração dos fatos relativos à Operação Falso Negativo, desde a fase inicial. A atual gestão tem tomado todas as medidas para esclarecer dúvidas, acatar recomendações e aprimorar os mecanismos de transparência dos atos e das ações da pasta junto à sociedade.”

Metrópoles tenta contato com os advogados de todos os investigados. O espaço segue aberto a manifestações.

Metropoles

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
3mar/210

Santa Maria: Daniel Radar está preparado para o embate com Jaqueline Silva? Ele respondeu em entrevista ao blogdogbu

 

Amanhã (4) o blogdogbu vai publicar a entrevista exclusiva de Daniel Radar onde ele deixou claro que está pronto para o embate com a distrital Jaqueline Silva e aproveitou para deixar seu ponto de vista em diversos temas.

Amanhã (4) só aqui no blogdogbu

 

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
3mar/210

Pazuello anuncia acordo para comprar 100 milhões de doses da Pfizer e da Janssen

Ambas são apontadas entre os imunizantes mais eficazes e de melhor qualidade contra Covid

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou esta tarde em Brasilia que ainda hoje deve fechar contrato de comora de 100 milhões de doses da vacina produzida pelo laboratório norte-americano Pfizer.

O governo brasileiro também negocia a compra da vacina Janssen, produzida pela Johnson & Johson. Pfizer e Janssen são apontados entre os imunizantes mais eficazes e de melhor qualidade.

O ministro da Saúde também informou que as doses a serem adquiridas desses dois laboratórios serão entregues ao longo do ano de 2021.

A informação foi avançada por Pazuello durante reunião, nesta quarta-feira (3), com representantes da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Diário do poder

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
3mar/210

Justa homenagem: Audiência com a proposta de dar o nome do ex-deputado Juarezão à Escola Técnica de Brazlândia

Audiência nesta quinta-feira (4) debate proposta de dar o nome do ex-deputado Juarezão à Escola Técnica de Brazlândia

O ex-deputado Juarezão era defensor da instalação da Escola Técnica em Brazlândia e morreu no dia 21 de junho de 2019, após sofre grave acidente na BR-080

A Câmara Legislativa realizará audiência pública remota, nesta quinta-feira (4), às 19h, para debater a proposta de dar o nome de deputado Juarezão para a Escola Técnica de Brazlândia. O ex-deputado Juarezão morreu no dia 21 de junho de 2019, após sofrer um grave acidente na BR-080, em Brazlândia. O objetivo da homenagem, segundo o autor, deputado Professor Reginaldo Veras (PDT), é reconhecer o esforço e o apoio de Luiz Carlos de Lima Oliveira, conhecido por deputado Juarezão, na luta pela universalização das escolas técnicas distritais, sobretudo na região de Brazlândia, dado o esforço pessoal do parlamentar para a concretização daquela instituição de ensino.

Veras argumentou que o ex-deputado “foi um ferrenho defensor da regularização fundiária e da implantação de serviços essenciais à educação, cultura e saúde em Brazlândia”. A luta pela criação da Escola Técnica de Brazlândia foi um dos compromissos assumidos com a população local, durante sua campanha e o seu mandato, acrescentou.

Internet

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
2mar/210

Brasil: Caiado rebate Ibaneis e diz ter ojeriza a quem rouba dinheiro da saúde

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), rebateu as críticas de seu colega do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), que afirmou que o goiano tem problemas psiquiátricos. "Meu problema psiquiátrico sério é ter ojeriza a quem rouba dinheiro da saúde e do transporte público", afirmou Caiado ao UOL, no início da tarde desta terça-feira (2).

Pela manhã, Ibaneis disse ao portal que "acho que ele tem seus problemas psiquiátricos, tem que cuidar desse assunto". O governador de Brasília disse que Caiado "não dá atenção" às cidades goianas no Entorno da capital federal, como um hospital em Águas Lindas, que não teria sido concluído.

Por meio de sua assessoria, o governador de Goiás enviou uma nota ao UOL depois da entrevista de Ibaneis. Caiado afirmou que que seu estado possui mais leitos de UTI que Brasília. "A incompetência de Ibaneis é tamanha que o DF, além de ter a folha bancada pela União, recebe mais de R$ 14 bilhões a fundo perdido, mas não consegue ser exemplo de gestão."

Segundo Caiado, ó Distrito Federal "tem apenas 358 leitos para pacientes de covid". "Em Goiás, montamos mais de 860 leitos e vamos chegar a mais de mil até o começo da próxima semana."

Sabendo que grande parte da população do Entorno trabalha e consome em Brasília, Ibaneis em vez de investir na saúde, prefere atacar essa população, fala em fechar a divisa e negar atendimento". Ronaldo Caiado, governador de Goiás

Segundo o goiano, dois hospitais de campanha atendem pacientes de Goiás e do Distrito Federal. Um deles fica em Luziânia (GO), no entorno sul, e outro em Formosa (GO), a nordeste da capital federal.

De acordo com Caiado, a "incompetência" de Ibaneis se deve a esquemas ilícitos.

Caiado acusa Ibaneis de "negociatas"

Caiado afirmou que "incompetência" de Ibaneis se deve a esquemas ilícitos. "Porque ele só pensa em negociatas. Por isso teve dois sócios travestidos de secretários na mira da polícia: o secretário da Saúde foi preso e o de Transportes comanda uma máfia no Entorno."

Ao final da nota, o governador provocou o colega: "Mais trabalho, menos 'negócios', Ibaneis".

Caiado amanheceu com febre nesta terça-feira e cancelou uma agenda com governadores em Brasília. Eles visitaram uma fábrica de vacinas do laboratório União Química. Segundo a assessoria do goiano, ele fez exames, inclusive para detectar possível covid-19.

Uol

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
2mar/210

CRM-DF emite nota contra lockdown

Após o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), decretar uma restrição mais dura de atividades para conter o avanço da covid-19, o Conselho Regional de Medicina (CRM-DF), enviou, nesta segunda-feira 1º, nota contrária às medidas sanitárias implementadas pelo governo. O conteúdo também está no site oficial da entidade.

Na nota, o CRM diz que “tal medida já se mostrou ineficaz, condenada até mesmo pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS) nas palavras do Dr. David Nabarro: ‘O lockdown não salva vidas e faz os pobres muito mais pobres'”.

O Conselho do DF também cita o Amazonas como exemplo negativo da medida. “Estado com maior índice de isolamento social do Brasil, apresentou o maior número de internações e mortes por covid-19, cerca de 30-45 dias após o primeiro lockdown, sendo ainda mais imediato, após o segundo, configurando mais uma evidência do fracasso dessas medidas extremas de restrição”, diz o texto.

Leia Também:  Pires nas mãos: escolas do DF terão verba reduzida

Para o CRM, ações preventivas eficazes estão relacionadas a campanhas de educação sobre medidas individuais de higiene, uso de máscaras, distanciamento social, vacinação populacional e ostensiva fiscalização por parte do governo, mas “nunca pela decretação de lockdown”.

02227580 7ac9 11eb a7ff aaea38e4639c - CRM-DF emite nota contra lockdown

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Radiocorredor

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn